Você é o que você quer ser!

Em 08.03.2015   Arquivado em Escrevendo, Feminismo

Já faz alguns meses que tô querendo escrever esse post, mas hoje, 8 de março, vi essa imagem abaixo no Facebook da Imaginarium e decidi que tava na hora de tirá-lo dos rascunhos de vez porque tinha tudo a ver com o assunto:

oquevocequer
Imagem tirada daqui.

Antes de mais nada, quero apresentar duas situações diferentes para vocês que foram os pivôs da existência desse post.
Situação 01, ocorrida em 2011 quando eu ficava o dia inteiro na UFMG porque além das aulas fazia estágio lá. Eu estava dentro do ônibus em pé, esperando a hora de descer pra voltar pra casa quando escuto um diálogo mais ou menos assim entre dois jovens rapazes em idade escolar (provavelmente no Ensino Médio). Nesse dia eu estava com meu cabelo sem chapinha, preso em um coque.
Garoto 01: Mas você tava afim da *fulana*, né?
Garoto 02: Tava, eu fiquei com ela!
Garoto 01: Mas você já viu o cabelo dela sem chapinha?
Garoto 02: Vi depois que fiquei com ela. Ow, assim não dá, né? Menina tem que ter uma chapinha.
Garoto 01: É, tem que fazer, é muito feio quando tá sem, fica desleixada. Aí você nem quis mais ficar com ela?
Garoto 02: Eu ficaria, mas se a gente fosse sair juntos ia querer que ela se cuidasse com certeza.

Agora situação 02, que aconteceu no meio do ano passado numa mesa de jantar com algumas pessoas da minha família depois da apresentação de dança da minha prima. Como eu sabia que ia assisti-la nesse dia, fui ao salão e estava de chapinha recém feita (que eu não gosto tanto, gosto de como fica no dia seguinte). O assunto era sobre cabelos no geral.
Tia (que tem um cabelo cacheado liiindo e usa sempre natural): Eu gosto assim (cacheado), mas minha irmã fez progressiva…
Eu: Eu fiz uma vez, mas não gostei, prefiro fazer chapinha de vez em quando.
Tio: Eu não gosto de nada artificial, para mim tudo o que é artificial é feio.
Eu: Poxa, quer dizer que tô feia agora? (Falei brincando, claro.)
Tio: Não, porque seu cabelo é liso, nem parece que você fez chapinha nele.
Eu: Tio, meu cabelo não é liso, ele é enrolado.
Tio: Não! Seu cabelo é liso!
Todas as outras pessoas da mesa: Não é não!
* Tio fica chocado. *

Eu não condeno meu tio por preferir o que é natural, mas a generalização “tudo o que é artificial é feio” soou muito errada para mim naquele momento, como se eu estivesse negando aquilo que eu era. Por outro lado achei abominável o papo dos dois adolescentes do ônibus: um deles gostava de uma garota, ficou com ela, mas aí eles viram o cabelo sem chapinha e a magia acabou, como se estar natural fizesse dela uma garota feia. Mas mesmo um caso sendo muito pior que o outro em nenhum dos dois foi levado em conta como eu e a *fulana* QUERÍAMOS estar independente de como ÉRAMOS realmente.

Não, meu cabelo não é liso: ele tem a raiz lisa e o resto é meio enrolado meio ondulado, nunca sei definir. Quando eu era criança, porém, era bem lisinho. Às vezes eu uso ele natural, às vezes faço trança como ele molhado para secar mais cacheado, mas na maioria das vezes eu fico de chapinha SIM. Não sei, eu “me vejo” de cabelo liso, sabe? Parece que eu fico mais eu, que nem quando uso batom vermelho ou quando sorrio e aparece minha covinha na bochecha, e até mesmo uma vez quando a moça fez minha sobrancelha fina demais e deixei um tempo sem mexer pra voltar a ficar mais grossa como gosto: algumas dessas características são naturais, outras artificias, mas são todas minhas. Porque EU QUERO ASSIM! Muitas vezes quando posto foto com o cabelo natural recebo comentários do tipo “Isso, assuma os cachos” ou “Seu cabelo agradece a folga” como se eu estivesse fazendo mal a mim mesma ou ao próprio cabelo – que por sinal fica MUITO MAIS BEM CUIDADO quando vou ao salão com frequência porque minha cabeleireira faz questão disso – simplesmente por querer estar daquele jeito, de um jeito que eu acho bonito. E se eu simplesmente abandonasse isso, nunca mais fizesse chapinha na vida só porque os outros dizem assim, acho estaria tão errada quanto a menina que tem sempre que fazer porque a sociedade ditou assim, mesmo muitas vezes não querendo
Gostar de sair com o cabelo arrumadinho (ou sempre maquiada ou de salto alto) não faz uma pessoa necessariamente fútil. Por outro lado cara lavada, um rabo de cavalo preso rápido ou a ausência de “depilação impecável” não transformam ninguém numa desleixada. São opções da própria pessoa, e o feminismo é isso: é o direito de ESCOLHA, é saber que você pode trabalhar e chefiar uma empresa, mas que pode também decidir por ficar em casa e não ter uma profissão, ninguém manda em você e na pessoa que você decidiu se tornar! Para mim uma donzela indefesa pode ter tanto valor quanto uma heroína, todas elas podem ser mulheres maravilhosas, basta querer.

Por isso nesse Dia Internacional da Mulher eu digo: você não é só o que é, mas também o que QUER SER! Seja a moça dos cabelos lisos ou cacheados, com ou sem maquiagem, estudando ou não aquilo o que você ou seus pais querem, mãe de crianças ou de cachorros, dona de casa ou alguém que trabalha fora, colecionadora de bonecas ou selos, chefe ou funcionária, gorda ou magra, fotógrafa ou fotografada, ouvinte ou falante, tímida ou extrovertida, mulher ou não; todas as anteriores, um meio termo entre elas ou até mesmo nenhuma delas! Que seja por ser feliz, por escolha, que seja por ser você. E mesmo que você julgue quem escolheu diferente, seja a diferença qual for, não condene: aceite. E assim ser você vai ser cada vez melhor!

  • Daninha

    Em 08.03.2015 | Uau!! Deixou 100 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Eu queria ter a coragem de fazer o que quero sem pensar no julgamento dos outros. Ou mesmo fazer o que eu quero realmente, não o que me ensinaram a querer. Por exemplo; ODEIO depilação. Odeio! Mesmo assim não andaria de camiseta sem depilar. Coisa de louco, não?
    O direito de escolha, é por ele que devemos lutar. Se eu quero ser toda cheia de química, plástica ou roupa cara é isso que tenho que ser. Da mesma forma que se eu quiser ser nerd, desleixada ou roqueira é isso que eu tenho que ser. Pronto e acabou. Esse deveria ser o propósito. Para mim é.

    [Reply]

  • Beca

    Em 08.03.2015 | Uau!! Deixou 70 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Eu também acho errado termos que andar segundo o que a “maioria” considera o aceitável, mas entendo que, embora seja errado nos subordinar à isso, em determinados casos nós o fazemos simplesmente para sermos aceitos. Acho isso terrível porque todo mundo quer ser aceito em algum grupo, então é meio natural nos deixarmos moldar pelo o que os outros pensam (ainda que sem perceber) com o objetivo de conseguirmos aceitação.

    Eu tenho o cabelo liso na raiz e ondulado do meio pro final. Teve uma época (quando comecei a colecionar dolls) que ele tava muito rebelde, ficava alto e bem cacheado! Hoje ele fica ondulado e baixinho e eu aprendi a gostar dele assim. Acho que fica “bom”. Aí outro dia estava no Skype com uma foto em que tava de chapinha e um amigo resolveu me “elogiar” falando “Nossa, você tá bonita, ALISOU O CABELO TODO”. Eu simplesmente DETESTEI porque ficou parecendo que eu só fico bonita com o cabelo escorrido! E eu simplesmente AMO minhas ondas!

    Pra mim isso só mostra que as pessoas, sem perceber, são totalmente preconceituosas e seguem igual “bois ao matadouro” padrões bobos estabelecidos pela sociedade. E, desta forma, eles tentam nos empurrar esses padrões.

    Adorei seu post!!! #BjsRebecaRevoltada #VivaAsOndas #AbaixoADitaduraDoLiso kkkkk

    [Reply]

  • Carol R.

    Em 08.03.2015 | Uau!! Deixou 100 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Passada com o papo entre os adolescentes.
    bjs

    [Reply]

  • Camila Faria

    Em 08.03.2015 | Uau!! Deixou 111 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Que post mais maravilhoso Luly! Nada melhor do que a gente ser o que gente quiser MESMO. E, gente, que papo absurdo esse do ônibus. Eu ficaria revoltada se estivesse ouvindo.

    [Reply]

  • Bianca

    Em 08.03.2015 | Uau!! Deixou 96 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Adorei o seu post e concordo com tudo que você disse. Nós temos que nos sentir bem conosco mesmas e as outras pessoas devem nos aceitar do jeito que somos. Esses meninos do ônibus são muito imaturos e, com certeza, ele não gostava da menina de verdade.
    Beijos

    [Reply]

  • Camila Tuan

    Em 08.03.2015 | Uau!! Deixou 32 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Top demais seu texto Luly, arrasou!
    Concordo com tudo que tu escreveu. Por que as pessoas não param com esses rótulos de desleixada porque não fez chapinha, ou fútil por usar make.
    Eu quero ser o que eu quiser e pronto e ninguém tem que me rotular por isso.

    Beijos

    [Reply]

  • Thami

    Em 08.03.2015 | Uau!! Deixou 76 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Adorei! Eu acho lindo quem assume seus fios. Acho lindo aquelas morenas com cabelo black power, que aí elas colocam aquela faixa grande no cabelo com alguma estampa legal e fica super estiloso. Se eu tivesse cabelo cacheado, só iria hidratá-lo semanalmente (como já faço com o meu) e deixaria ele natural. Tudo bem que tem dias que a gente quer mudar, fazer algo diferente pra ver como ficaria e tal, mas no resto dos dias, gosto do meu cabelo natural mesmo. E que bom que agora tá tudo mudando né? Antes era difícil ver um black power na rua, porque as meninas alisavam tudo, sempre. Agora já tem um número maior de mulheres deixando seu cabelo natural e apenas cuidando dele. Enfim, adorei o post!

    Beijos!

    [Reply]

  • Patty

    Em 08.03.2015 | Comentou 15 vezes. | [Citar]

    Sensacional o seu post, já vivi e presenciei várias situações parecidas -_-

    [Reply]

  • Thay

    Em 08.03.2015 | Uau!! Deixou 73 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Essa frase foi uma das poucas que vi no dia 9 que realmente fazia sentido. Nós temos que ser aquilo o que quisermos ser, independente do que os outros possam achar ou pensar sobre isso. Se quisermos usar chapinha, fazer progressiva, permanente ou o que for, estamos no nosso direito e ninguém tem nada com isso. Me dá uma gastura quando alguém fica controlando o que faço ou deixo de fazer! Sou livre pra ser o que quiser, quando e como quiser.

    [Reply]

  • Adriel Christian

    Em 08.03.2015 | Uau!! Deixou 53 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Estamos em pleno século XXI e ainda tem gente que julga os outros pela roupa que a veste, cabelo, enfim, o estilo do outro. Isso é tão old school! Eu sempre adepto daquela ideia de que devemos usar/fazer tudo o que nos deixa confortável, então… Nesse caso é só acionar o foda-se e tocar com a vida, sorrindo sempre na frente de pessoas do tipo.

    Sei que vai demorar, mas creio que um dia ninguém irá julgar, principalmente, a mulher pelas suas escolhas.

    Adorei o texto! :)

    [Reply]

  • Ohara

    Em 08.03.2015 | Uau!! Deixou 33 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Passada com o papo do ônibus. eu tb sou contra e acho errado ir de acordo com o q a grande parte da maioria considera o aceitável, o ideal, o correto.
    Me irrita quando fçam sobre o que faço ou deixo de fazer&texto maravilindótimo, Luly! bjoooos<333

    [Reply]

  • Ohara

    Em 08.03.2015 | Uau!! Deixou 33 comentarios, VIP!! | [Citar]

    fçam era pra ser falam, desculpa! haha.
    E #abaixoaditaduradoliso mesmo, haha. beijos Luly!

    [Reply]