Han Solo: Uma História Star Wars

Em 04.06.2018   Arquivado em Disney, Filmes

Han Solo: Uma História Star Wars

Han Solo: Uma História Star Wars (Solo: A Star Wars Story) *****
Elenco: Alden Ehrenreich, Donald Glover, Emilia Clarke, Joonas Suotamo, Woody Harrelson, Phoebe Waller-Bridge, Thandie Newton, Anthony Daniels, Clint Howard, Jon Favreau, Jon Kasdan, Linda Hunt, Paul Bettany Dryden, Toby Hefferman, Warwick Davis
Direção: Ron Howard
Gênero: Ação, Ficção Científica
Duração: 135 min
Ano: 2018
Classificação: 12 anos
Sinopse: “As aventuras do emblemático mercenário Han Solo e seu fiel escudeiro Chewbacca antes dos eventos retratados em Star Wars: Uma Nova Esperança, inclusive encontrando com Lando Calrissian.” Fonte: Filmow (sinopse e pôster).

Comentários: Han é um jovem que, tendo ficado órfão muito novo, vive como contrabandista no conturbado planeta Corellia, de onde tenta desesperadamente fugir junto com a namorada, Qí’ra, para realizar o sonho de comprar uma nave e se tornar piloto. Após derrotarem a Lady Proxima, que comanda o crime local, eles conseguem fugir, mas acabam sendo separados, então ele se alista ao exército na esperança de conseguir pilotar naves por lá. Três ano se passam e seus objetivos permanecem: a carreira dos sonhos e voltar à terra natal, onde pretende resgatar a Qi’ra de vez.

Acho que nunca cheguei a falar sobre filmes de Star Wars aqui no blog, apenas fiz uma resenha fajuta quando o Episódio 1 ganhou sua versão 3D no cinema, apesar de já ter assistido várias vezes na época. Tudo isso porque, apesar de AMAR a história, eu tenho um problema com a maior parte da fanbase: acho o grupo de fãs mais chato que já existiu! Óbvio que não podemos generalizar, etc etc, mas estou falando do grosso, da maioria, que não só não consegue aceitar que novas pessoas passem a gostar, como também acham um problema qualquer mini alteração que façam na sua obra intocável.

Por que então, vocês me perguntam, falar justamente sobre esse que está sendo tão detestado? Oras, porque alguém precisa vir defender! Eu simplesmente adorei Han Solo! Achei muito gostoso poder ver a juventude de uma personagem tão icônico e, de quebra, sua história prévia com algumas outras. O filme se passa aproximadamente 10 anos antes dos acontecimentos de “Uma Nova Esperança” e é muito bacana ver como Solo já tinha a essência que tem na trilogia original, mas também muitas coisas diferentes… Afinal, né, estamos sempre em constante mudança, e até pessoas fictícias passam por mutações.

No quesito “fan service” achei um prato cheio. Vemos como Han e Chewie se tornaram amigos, temos referências em algumas falas (“I hate you!” “I know!”), curtimos a velha trilha sonora adaptada a esse novo momento. Pela primeira vez na história da “Galáxia Muito Distante” o assunto principal não é política, que é o grande foco de todas as outras aventuras. Esses personagens são o lado “abandonado” do Império, tendo que se aliar a ele e traí-lo a todo momento porque, afinal, o que importa ali não é quem está no poder e sim sua sobrevivência. Eles também não usam ou demonstram possuir a Força, as batalhas são todas usando “força bruta” e, claro, tiros e explosões. Há também a presença INCRÍVEL de Lando, que ficou extremamente fiel ao original, e sua Millenium Falcon que, como todos sabemos, é a nave e xodó do personagem título – sim, você vai descobrir como foi o “jogo justo” que fez com ela passasse de um para o outro!

Han Solo: Uma História Star Wars

Imagem via ABC News

Sobre novas personagens, minha favorita foi a L3-37, companheira de Lando, uma droid problematizadora e ativista que luta contra a subordinação das máquinas. Ela é absolutamente encantadora e foi IMPOSSÍVEL pra mim não me identificar – BB-8 acaba de ganhar uma concorrente na minha lista de queridinhos! Também conhecemos o casal de contrabandistas Beckett, que praticamente introduzem o rapaz nessa nova vida de forma profissional. É Thobias Beckett que, no final, dá a brecha para que ele se transforme no adulto interpretado por Harrison Ford. E, claro, não podemos deixar de falar de Emilia Clarke como Qi’ra, provavelmente a pessoa mais misteriosa entre todas as apresentdas. Algo me diz que veremos mais da “ex” de Han em filmes da série.

Digo isso porque Alden Ehrenreich, intérprete de Han Solo, já tem um contrato de três filmes com a Lucasfilm e, no final, temos brecha para ver mais histórias antigas sendo mostradas, como por exemplo no longa já confirmado de Boba Fett. Inclusive os dois personagens fazem parte do mesmo núcleo, sendo caçadores de recompensa trabalhando para o Jabba ao mesmo tempo… Não sei se realmente haverá uma trilogia de Solo, ou se esse contrato é pra outros spin-offs assim, mas espero que sejam tão divertidos quanto esse, que tem humor, aventura, emoção e muita referência, do jeito que a gente gosta!

E, por fim, o meu apelo pessoal à Disney: CADÊ KENOBI NESSA LISTA DE LANÇAMENTOS AÍ, MINHA GENTE? CÊS NUM ME DECEPCIONEM NÃO PORQUE EU JÁ TÔ AQUI SE SABRE AZUL NA MÃO AGUARDANDO POR ESSE SONHO TÃO FÁCIL DE SER REALIZADO, HEIN! AI AI AI!

Trailer:

Jogos Vorazes: Em Chamas

Em 26.11.2013   Arquivado em Filmes

Em Chamas Jogos Vorazes: Em Chamas (The Hunger Games: Catching Fire) *****
Elenco: Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Liam Hemsworth, Donald Sutherland, Woody Harrelson, Sam Claflin, Jena Malone, Lynn Cohen I, Jeffrey Wright, Amanda Plummer, Elizabeth Banks, Stanley Tucci, Willow Shields, Philip Seymour Hoffman, Lenny Kravitz, Alan Ritchson, Bobby Jordan, Bruno Gunn, E. Roger Mitchell, John Casino, Maria Howell, Meta Golding, Patrick St. Esprit, Stephanie Leigh Schlund
Direção: Francis Lawrence (II)
Gênero: Ação, Aventura
Duração: 146 min
Ano: 2013
Sinopse: “Este é o segundo volume da trilogia Jogos Vorazes, baseada nos romances de Suzanne Collins. A saga relata a aventura de Katniss (Jennifer Lawrence), jovem escolhida para participar aos “jogos vorazes”, espécie de reality show em que um adolescente de cada distrito de Panem, considerado como “tributo”, deve lutar com os demais até que apenas um saia vivo. Neste segundo episódio da série, após a afronta de Katniss à organização dos jogos, ela deverá enfrentar a forte represália do governo local, lutando não apenas por sua vida, mas por toda a população de Panem.” (fonte)
Comentários: Antes de qualquer coisa eu preciso dizer que “Em Chamas” é meu livro favorito da trilogia de Jogos Vorazes, então eu estava mais ansiosa com esse filme do que para qualquer outro em 2013 (incluindo a segunda parte de “O Hobbit” que vem aí!) e, sinceramente, sentia um medo indescritível de sair ruim… Eu até gosto do filme Jogos Vorazes se comparar ao livro, mas existem nele uns erros drásticos que não podiam ter sido cometidos e isso me deixava meio insegura. Maaaas dia 15 lá estávamos nós para a estreia do filme no Brasil, que aconteceu uma semana antes do resto do mundo. Cheguei empolgada e saí encantada! Apesar de alguns errinhos e faltar duas cenas importantes eu achei incrível!
O que me deixava mais insegura era o elenco, mas não precisei me preocupar com isso durante o filme porque foram todos incríveis. Eu não ia muito com a cara da Jena Malone por causa de “Orgulho e Preconceito” e paguei língua com força porque ela como Johanna estava FANTÁSTICA, roubou a cena e foi o ponto alto do filme! Gostei também de outros personagens como Finnick, Mags (choro, choro, choro, choro, choro, choro), Beetee… Sem contar os que já faziam parte do primeiro filme. O pessoal tá de parabéns. A única que me decepcionou foi a Annie em sua muito rápida aparição, espero que isso melhore quando “A esperança” chegar porque ela é minha personagem preferida.
As cenas que me fizeram falta em relação ao livro foram as garotas indo para o Distrito 13, porque sem ela não acho que deu pra entender a relevância do 13 pro final, e PRINCIPALMENTE o relógio do Plutarch e o “Começa à meia noite” dele, porque isso é importante pra Katniss entender a história do tic-tac. Fora isso só me incomodou o beijo “extra” da Katniss no insuportável do Gale e a falta do Peetaa falando que ela daria uma ótima mãe ou alguma referência qualquer ao bebê, porque dentro da arena ele nem foi mencionado. Eu só tirei meia estrelinha do filme por causa desses momentinhos que me fizeram falta mesmo, fora isso acho que os cortes foram necessários e tudo mais, senti falta como fã da série mas não acho que atrapalhou o filme. Espero que tenham essas cenas faltantes na versão estendida que vai sair em Blu-ray (e tem 3h30, é muita alegria pro meu pobre coração).
Agora o melhor momento… Difícil. Minhas cenas favoritas no livro são a dos tordos na arena quando Finnick ouve a Annie, e realmente ficou muito boa, e da hora que Finnick salva o Peeta e todos nós percebemos que a Katniss gosta é dele (menos ela, né!), e ficou linda demais também. Mas não tenho como escolhê-las porque o filme é da Johanna. Ela xingando a Capital na televisão e dando recadinho pro Snow dentro da arena, meu Deus, incrível!

Por fim, antes de terminar o post… PRECISO CONTAR sobre a gafe nível 5mil que eu e Gugui aprontamos no dia da estreia. A gafe na verdade foi minha, mas ele tava comigo então leva os créditos também… Todo mundo entrou e eu fiquei do lado de fora esperando ele porque o ingresso tava comigo. Quando ele chegou e fomos entrar na sala e eu “nos encaminhei” logo na primeira que vi o cartaz do filme. Só que não era a sala certa, já tava na metade do filme, nós fomos sentar e atrapalhamos todo mundo (e o povo reclamando com ironias tipo “nossa, chegaram cedo, hein”). Foi só depois que achamos um lugar pra sentar que eu percebi que não podia ser a sala certa porque nossos lugares nem ao menos existiam, aí saímos e fomos atrás da sala certa. Entramos e tava com a luz acesa, o povo batendo papo, nem tinha começado nada ainda… Hahaha, taí uma daquelas histórias que vão ser lembradas pra sempre e nós dois seremos zuados pra sempre por isso também, claro!