Tour Pelo Meu Quarto

Em 21.02.2018   Arquivado em Vídeos

Eu amo assistir vídeos de tour pelo quarto. Sei que é meio estranho começar um texto assim, toda direta sem nem apresentar o assunto direito, mas é porque essa é uma daquelas curiosidades fortíssimas sobre mim: amo, amo, amo. Na verdade eu já amava tours por quartos antes mesmo de assistir um tour por quarto. Ensaiava gravar o meu quando nem ao menos existia YouTube: em 2004, quando criei esse mesmíssimo blog, eu já “brincava” de mostrar meu quarto pra câmera e apagava tudo depois, lamentando que não existisse a possibilidade de ter um programa na internet pra mostrar essas coisas…

Pouquíssimo tempo depois essa possibilidade passou a existir, e eu continuei não gravando pra valer ainda assim… Mas assistia muito! Vários canais que hoje acompanho me ganharam como inscrita quando eram pequenininhos, mostrando seus quartinhos pela primeira vez. A paixão evoluiu, passei a gostar de ter uma visão micro de suas casas e escritórios, e a macro das estantes e penteadeiras… Já assisti tours por varandas, geladeiras, sapateiras, coleções e, bem recentemente, até mesmo pelos corpos. Eu adoro todos eles!

Mas os quartos permanecem sendo os favoritos. Cheguei a ter o cor-de-rosa com o qual tinha sonhado a vida toda e sempre tive vontade de mostrá-lo, o que nunca aconteceu. Mudei, mudei de novo, mais de uma década se passou e um belo dia, olhando para o quarto onde “moro” atualmente pensei que eu devia resolver isso. Principalmente porque estou com planos de me mudar para um casinha que tem nos fundos da minha casa, então isso aqui logo vai deixar de existir. Se queria fazer o bendito tour, a hora era agora. E foi. A visão geral, total, real e oficial vocês só têm no vídeo, mesmo… Mas como sei que alguns não curtem tanto “apertar o play”, trouxe também alguns fatos e fotos para saciar os gostos de todos!

Assim que você entra a primeira coisa que encontra (e não tem como não ver, porque ela é enorme), é a minha cama. Ano passado a de solteiro que eu tinha saiu daqui quando ganhei uma tamanho queen, então nem preciso dizer o quanto ela é querida, né? É provavelmente o lugar onde passo maior parte da minha vida, não só dormindo mas assistindo filminhos, séries e vídeos, escrevendo e às vezes, quando é um dia tranquilo, trabalhando também. Do lado dela tem um criado que, como todo o quarto, é bem bagunçado: livros empilhados, enfeites mal encaixados, abajur equilibrado e um prato bonito com alguns produtos que uso muito dentro. Na gaveta dele também tem muita bagucinha útil e acima, preso na parede, está o meu mural do amor… Ali eu deixo fotos, postais, desenhos, citações, lembranças, um tanto de coisa que me faz feliz quando paro pra olhar! É lotado de porcaria mas sempre tem lugar pra mais alguma nova!

Tour Pelo Meu Quarto

A Cama e suas almofadas

Tour Pelo Meu Quarto

Criado mudo: livros, objetos de decoração, abajur e tralhas diversas

Tour Pelo Meu Quarto

Mural do amor com fotos e outras lembranças

Tour Pelo Meu Quarto

Sempre tem uma tela de computador ligada…

De frente pra cama temos dois móveis. O primeiro é a estantezinha, que já ganhou um tour só dela uma vez e, mesmo que continue mais ou menos igual, tá sempre com uma coisa diferente! Nela ficam meus livros favoritos, alguns discos, canecas e mais itens que algumas pessoas chamariam de “decoração”, mas eu chamo de “bagulho”… Do lado fica a mesa do computador/escrivaninha, onde guardo também alguns materiais de encadernação e restauração (isso tem espalhado pra todo lado!), caixa de maquiagem e as três únicas bonecas que ficam expostas. Minhas Pullips e família, infelizmente, se “mudaram” pra dentro do guarda roupas para ficar à prova de gata…

Na outra parede, onde fica o guarda roupas em questão, tem outro criado com a máquina de escrever que era do meu avô, recém herdada por decisão minha mesmo, e mais materiais. Ali fica também meu melhor amigo de todos os tempos conhecido como O VENTILADOR! Nesse espaço rola um “cantinho Arwen”: arranhador, água, comida e milhões de bolinhas de papel que ela espalha pela casa. Quando mudei pra cá a decoração de tudo era bem mais definida, mesmo eu sendo super desorganizada, mas desde que ela chegou isso fica impossível. Por esse motivo que eu mantenho de propósito a “bagunça organizada”, se ela tira alguma coisa do lugar tá tudo bem, já que nada tem uma ordem de verdade!

Tour Pelo Meu Quarto

A estante – que já tem um tour só dela!

Tour Pelo Meu Quarto

Algumas bonecas, vários materiais!

Tour Pelo Meu Quarto

Herança do vovô, sua máquina de escrever

Tour Pelo Meu Quarto

Arwen, minha “colega de quarto”

Aqui é uma suíte e eu AMO meu banheiro! Ele não tem nada de mais, é só um banheiro de casa velha normal, mas não tô nem aí. Gosto tanto que essa backgroud cinza geométrica aqui do blog é uma reprodução do azulejo das paredes dele! Não coloquei foto porque, bem, é só um banheiro: pia, privada, box, lixeira, itens de beleza/higiene… E, como não poderia ser diferente, a caixa de areia. Eu compro uma areia premium, que sai bem mais caro mas vale a pena, é só dar manutenção direitinho todos os dias que ela dura sem mau cheiro por quase duas semanas, que é quando tiro TUDO, esfrego com bucha e reabasteço bem limpinha.

Na verdade esse quarto não é só meu, com a Arwen aqui acabou virando nosso. Às vezes ela dorme comigo na cama, para minha imensa alegria, em outras de baixo dela e, quando tá muito calor, acaba deitando dentro da pia mesmo, por isso tenho que secá-la depois de usar á noite. “Filhos”… Mas enfim, alguém aí também adora ver o quarto das outras pessoas? Gostaram dessa minha zona enfeitada e bonitinha? Você já postou em algum lugar um tour pelo seu quarto ou qualquer outra parte da sua casa? Me conta aí nos comentários!

Maquiagens facinhas para o carnaval

Em 09.02.2018   Arquivado em Beleza, Vídeos

Hello, hello, Carnaval! Olha o samba no pé aí, batendo na nossa porta com muita cor, alegria, brilho, música, descanso, diversão e o que a gente quiser! Se você der uma olhadinha nos arquivos desse blog vai me achar claramente chamando a data de “carma-val” até uns anos atrás, mas o maravilhoso de se tornar adulto é que a gente entende que, mesmo que não curtindo o que agrada a galera lá fora, dá pra ser feliz com os dias de feriado aqui dentro! A coisa foi bem gradual… Primeiro eu oficialmente odiava! Depois, só não gostava… Eis que fiquei neutra, tava tudo bem, até que chego agora a gostar ao ponto de trazer pra vocês duas maquiagens fáceis, com produtos acessíveis, para os dias de folia que estão por vir!

Quando eu digo “fáceis” quero dizer REALMENTE FÁCEIS! São coisas que consegui reproduzir sem tutorial, só olhando fotos de referência, e se eu dou conta vocês também dão, pode ter certeza. E sobre os produtos é real também. A maioria é nacional e nada caro, os poucos importados são facilmente substituíveis por algo semelhante que você tem em casa ou acha numa farmácia aí perto! Pra facilitar dividi a lista em três… Na primeira, os produtos em comum aos dois vídeos, nas outras os específicos de cada um. É tudo de boa, mesmo os contornos são suuuper básicos, aquela make que não precisa ficar perfeita e nem de acessórios elaborados pra complementar, em uma hora tá todo mundo pronto e se borrar no processo, tanto faz, é carnaval!

Produtos em comum das duas maquiagens:
BB Cream Creme 5 em 1 cor Clara, da L’Oréal Paris;
Pó Compacto Color Trend cor Porcelana, da Avon;
Esponja para maquiagem Love & Beauty Blender, da Forever 21 (resenha aqui!);
Beauty Book Snow and Ice, da E.L.F. + Disney (linha Queen Elsa);
Lápis de olho preto Kajal Una, da Natura;
Demaquilante bifásico para olhos e boca, da Quem Disse, Berenice?
Máscara para cílios The Colossal Volum’ Express, da Maybelline.

Maquiagem David Bowie

Maquiagens facinhas para o carnaval: Ziggy Stardust

Pra galera dos bloquinhos de rock n’ roll temos ele, Ziggy Stardust em pessoa! Ano passado o aniversário do Gil, meu amigo, foi na semana seguinte com o tema “Carnameme”, então eu aproveitei e fiz essa “Tô de Bowie” improvisada com os materiais que tinha em casa. Para quem não conhece, é inspirada na cada do álbum “Alladdin Sane”, do David Bowie, representando um de seus alter egos. Muita gente faz com tinta e glitter, mas nessa vibe de não gastar nada eu fui lá e fiz tudo com LÁPIS DE OLHO! Sério, marcar fica muito fácil, e por mais que colorir seja um saco, fixa super bem!

Originalmente o raio é vermelho e azul, com o contorno e sombra vermelhos também… Só que rosa é minha cor favorita, era a que eu tinha aqui, então foi adaptada. O batom dele também é beeeem nude, mas vocês me conhecem… Eu não ando com batom claro/cor de pele DE JEITO NENHUM, então também já mudei prum rosão e fui feliz! (Apesar de que ano passado a ousadia foi maior e usei um azulão, olha a foto aqui!)

Outros produtos usados:
Blush em pó True Color cor pêssego, da Avon;
Lápis de olho cores Pinkix e Azulton, da Quem Disse, Berenice?
Iluminador líquido High Beam, da Benefit;
Batom Faces cor Cereja, da Natura;
No Beauty book: sombras Anna e Olaf.

Maquiagem Gatinha

Maquiagens facinhas para o carnaval: Gatinha

E não poderia faltar uma homenagem à minha “pessoa” favorita no mundo: a Arwen! Nas vésperas do natal eu comprei orelhinhas com o intuito de já usar no carnaval e fazer um momento “tal mãe, tal filha” com minha gatinha… Tinha que ter maquiagem pra complementar! Ela também é feita basicamente com lápis de olho e o rosto contornado, e para isso eu também usei coisas bem básicas: sombra marrom (que uso no decote, hehehe) e pancake branco. Ficou beeeem mais legal que imaginei, estou apaixonada! Pra falar bem a verdade só não vou usá-la mesmo porque no fim das contas o arco aperta demais, e curtir feriado com dor de cabeça num tá com nada, né?

Outra presença importante nela foi meu batom preto que VOCÊS ODEIAM! Sempre que posto look com ele é uma chuva de comentários contra, hahahaha! Mas não tem problema, o bonito se mostra muito útil em momentos como esse, é um vencedor!

Outros produtos usados:
Sombra em pó cor Marrondito, da Quem Disse, Berenice?
Pancake branco, da Colormake;
Batom Lust, da LA Splash;
No Beauty Book: sombras Hans e Olaf, iluminador Snow Queen.

Agora me digam aí: qual delas foi sua favorita? Vocês acham legal esse tipo de vídeo que não chega a ser um tutorial e sim um passo a passo para você se inspirar? Conta aí nos comentários, porque eu particularmente me diverti tanto no processo que estou cogitando continuar com essa “série” fora de época mesmo. Aproveitem MUITO o carnaval, com respeito e carinho com o próprio corpinho e o do próximo, hein! Nada de assédio e usem sempre camisinha, pra chegar todo mundo feliz na quarta feira de cinzas prontinhos pro do ano que vem!

Minhas primeiras tatuagens!

Em 18.01.2018   Arquivado em Cotidiano, Vídeos

Mesmo tendo sido, durante boa parte de sua duração, um ano relativamente ruim pra mim, 2017 fechou com chave de ouro… No dia 30 de dezembro, bem ali aos 40 minutos do segundo tempo, eu e minha irmã fizemos nossas primeiras tatuagens! Bem, na verdade, verdade mesmo era pra eu ter dito “primeira”, no singular, mas a história acabou sendo um pouquinho diferente do planejado. porém estou me precipitando… Quero começar isso do início!

Minhas Primeiras Tatuagens

Nossas “filhas”: a coruja no alto da coluna da Daninha, meu elefante no pulso e “All Was Well” na costela!

Psiu! Prestenção! Todo o conteúdo desse post está em forma de “fala” no vídeo que está incorporado ao final dele. Sendo assim se você prefere ler, foca aqui no textão, porque ficou bem comprido, mas se está mais na vibe de ouvir é só apertar o play! Dá no mesmo! E se gosta de vídeos, vlogs e conteúdos assim no geral não se esqueça de se inscrever no meu canal do YouTube, tá tendo novidades duas vezes por semana!

Eu SEMPRE fui uma pessoa que gostou de tatuagens! Acho que não tinha nem dez anos de idade ainda quando minha prima Livinha chegou na casa da vovó com um coração feito de estrelas tatuado na parte de trás da cintura. Eu fiquei APAIXONADA! Ao mesmo tempo que me chocou em saber que era pra sempre – diferente das tattoos de chiclete do Digimon que eu vivia fazendo – aquilo me encantou completamente. Anos mais tarde, quando entrei no primeiro ano do ensino médio, eu ganhei um caderno da Capricho de capa jeans pelo qual era apaixonada (tanto que foi o que me inspirou a, agora depois de adulta, vender meus próprios cadernos no Expresso Rosa). E adivinha o que vinha nele, antes mesmo da primeira página? Uma folha de tatuagens temporárias! Entre elas um coração cuja linha era formada de flores, e não estrelinhas… E eu guardei ele com muito carinho porque decidi que, assim que pudesse, essa seria minha tatuagem!

A verdade é que aquilo não passava de “fogo no rabo”, sabe? Uma pessoa que sempre foi inspiração pra mim tinha uma que eu achava linda, então era natural que quisesse fazer igual sem copiar. Além disso lá em casa não rolava problemas com isso: minha mãe já tinha uma e meu pai às vezes planejava também. NUNCA foi tabu! Só minha irmã era aversa à ideia, mas criança é criança, nem tem como ligar muito pra isso. Mas não existia sentimento real entre aquele coração e eu… Apesar de que hoje, tendo essa história se tornado simbólica, acho que eu faria sim algo parecido em homenagem à adolescente que fui…

Em 2007, aos 17 anos, eu li “Harry Potter e as Relíquias da Morte” assim que foi lançado em inglês. Quando terminei fiquei com aquela última frase do último livro na cabeça, “All Was Well”: Tudo estava bem! Uma frase positiva, representativa, cheia de emoção! Era oficial, aquela SIM seria minha primeira tatuagem! Primeiro quis fazer na cintura, onde seria a outra, depois no pulso… Por fim decidi que a tatuaria na costela, ignorando todo mundo que dizia que eu jamais aguentaria essa dor de cara. Essa decisão me acompanhou por anos, só não fiz porque faltava a coragem de gastar a grana com isso (é, eu sou meio pão dura)… Até que, recentemente, eu comecei a repensá-la.

Eu não queria mais uma tatuagem “de Harry Potter” porque estava – e ainda estou – cansada! Não da história em si, por ela sempre vou ter muito carinho, mas bem cansada do fato de que as pessoas só pensam nisso quando pensam em mim, sabe? Como se o mais importante fosse uma única coisa que gosto, e não todas as outras que sou! Cansada das decepções que estou tendo com o “mundo mágico”, chateada que terei que boicotar algo que amo tanto por causa de princípios que não consigo mais ignorar. Estou até um pouco cansada também da ficção de forma geral, porque a vida real nos traz tantos problemas, reflexões e lutas diárias que acabo priorizando ela, é inevitável. E ao mesmo tempo já existiam outras imagens que queria tatuar: uma pomba nas costas, um GRL PWR na canela, outras coisinhas que me representam bem e… Um elefante no pulso!

Minhas Primeiras Tatuagens

Eu sou LOUCA por elefantes! Eles são sensíveis, dramáticos, empáticos, sociáveis e têm boa memória – me identifico muito com tudo isso! Além do mais é uma sociedade matriarcal, ou seja: na manada a alfa é fêmea! Impossível não admirar, né? Sem contar o tamanho! Por causa disso esses animais são muito relevantes no primeiro livro que escrevi (e sigo tentando publicar): Wish You Were Here! Tem um ilustrado na capa e duas cenas MUITO importantes no enredo acontecem na presença deles. Eu queria que a história da minha querida Marie ficasse gravada pra sempre no pulso que a escreveu, do lado esquerdo, o pulso do coração!

Quando comecei a pesquisar imagens de pombas, mostrei várias corujas pra Daninha, até que ela foi de “Sou contra” a “Quero muito!” quando viu uma representando o dracma de Atena. No fim do ano decidiu de vez que faria, juntou o dinheiro e veio me avisar: se eu estava esperando um surto de coragem, era aquele! E aí falei pra ela orçar junto meu elefantinho. A primeira moça com a qual conversou foi um pouco grossa, então pedi no meu Facebook indicação de tatuadoras e recebi várias! Eu queria uma mulher porque sou ansiosa, tinha medo de ter uma crise em pleno estúdio, então melhor um profissional do gênero com o qual me sinto mais confortável. Além disso nós precisamos valorizar o trabalho feminino, ainda mais em áreas onde existe tanto preconceito quanto essa.

Foi a Pati, nossa melhor amiga, que nos indicou a Larissa “Louise Tattoo”. Me apaixonei pelo traço, orcei via Whatsapp e ela foi atenciosa, gentil e tinha um preço legal. Fomos! Chegando lá ela me mostrou o desenho do elefante, MUITO MAIS BONITO que o que mandei pra ela só pra explicar o que queria. Pegou a agulha, botou no pulso e a surpresa: não passava de uma cosquinha! Sério, não senti dor nenhuma! E aí conversa vai, conversa vem, fui contando as outras que queria fazer e mencionei aquela “de HP”. Ela disse que se fizesse essa no dia, como o material era o mesmo, saía baratinha. Me mostrou uma lista de fontes e escolhi de cara segunda. Olhei outras dez páginas e continuava preferindo aquela. Era um sinal, né? Levantei a blusa, deitei na maca e foi!

Minhas Primeiras Tatuagens

A dor foi bem menor do que pensei. Como é uma região que a gente precisa prender a respiração enquanto é gravada, ainda mais num traço tão fino, o foco era esse e não a agulha. Só um momento no penúltimo “l” que não deu pra segurar, soltei um gemidinho e a Larissa teve que concertar a voltinha por causa disso, já que fiz ela errar. Mas no geral nada do terror que tinham feito pra mim. Não sei se é porque ela fica escondidinha, pra mostrar só quando e pra quem eu quero, ou se é porque foi inesperada, fiquei MUITO encantada pelo segunda também. E nessa altura tinha motivos pessoaias para querê-la, além do original…

Fiquei MUITO doente ano passado e emagreci um bocado. Por causa da ansiedade eu não conseguia comer e, sinceramente, acho que chegou num princípio de anorexia. Teve uma noite que quase desmaiei na cozinha, só tinha feito uma pequena refeição o dia todo, e um dia quando percebi que minhas costelas estavam aparecendo sem precisar fazer muito esforço e desatei a chorar. Foi aí que passei a detestar essa e várias partes do meu corpo onde haviam outros ossos proeminentes, como pulso e clavícula. Mas depois dessa tatuagem passei a AMAR o local onde ela está! Não tô nem aí pra isso mais – usei um Blur do Photoshop na hora de publicar nessas fotos e tudo bem. Além disso essa é a uma frase que sempre repito em momentos de crise. Já consegui superar várias delas apenas dizendo pra mim mesma que está e vai ficar tudo bem, quando os surtos são baseados no presente e futuro. Também já repeti que TUDO ESTAVA BEM quando foram relativos ao passado.

Não foi só pelo Harry, apesar de que um pouquinho, sim. Foi e continua sendo por mim! Meu muito obrigada à Larissa que, de cara, se tornou “minha tatuadora”. Mal posso esperar pra $$poder$$ fazer as outras, bem… CINCO que ainda quero!

Arwen, a gata (aka Vídeo-Tag: Meu Animal de Estimação)

Em 08.08.2017   Arquivado em Vídeos

Aqui em casa a gente SEMPRE teve cachorros até que, ano passado, tivemos que encarar a “Pakistinência” eterna com a morte da Pakita… Desde então eu sentia uma falta danada de ter bicho em casa, tornando quase necessária uma “aquisição” que tivemos no fim de maio: a Arwen! Eu sou o que poderíamos chamar de “dog person”, mas ficaria muito inviável ter um agora porque é um bicho que demanda muito mais atenção, não só na parte da carência, mas também na educação. Um gatinho seria a alternativa mais óbvia e linda, né!

Arwen

Foram três “Arwens”. A primeira era uma gata de rua que uma amiga e seus vizinhos estavam tentando resgatar. Depois de muito pensar (e recebendo ajuda dessa amiga e da minha mãe) resolvi ficar com ela, mas foi só decidir pra danada sumir e eles não conseguiram achar mais. Dias depois um colega da minha irmã estava com filhotes precisando de um lar e ela já avisou que ficaríamos com uma fêmea. Ela ia chegar na segunda feira e no sábado já tinha todo um enxoval a esperando aqui, mas naquela noite ela morreu e perdi minha segunda quase filha. Antes que eu pudesse pirar e repensar se aquilo era um “sinal” de que deveria desistir da ideia, meu pai entrou em contado com uma conhecida que também tinha filhotinhos e naquela mesma segunda passou aqui para deixar a neném!

Minha reação inicial foi surtar completamente. Apesar de precisar desesperadamente dela e ter tido isso como recomendação de “tratamento” por parte da minha psicóloga, a ansiedade não me deixou ficar de boa com a situação. Eu só conseguia pensar em todas as coisas que poderiam dar errado, em como ela poderia nem gostar de mim ou como eu poderia ser péssima pra ela… Mas nada disso aconteceu! A Arwen ronronou desde o primeiro momento que a gente se viu e passou nossa primeira noite juntas dormindo na minha cabeça. Depois de alguns dias de adaptação nós nos tornamos quase viciadas uma na outra: se saio de casa ela mia sem parar, e eu sinto sempre um aperto enorme no coração de estar deixando ela pra trás!

Arwen

A Arwen tem o “cabelo” bem pretinho, mas a pele branquela. Ela é dramática, falante e chorona, mas extremamente carinhosa com todo mundo. Somos a personificação do “tal mãe, tal filha”!

O nome vem do universo de “O Senhor dos Anéis” de Tolkien. Arwen é a princesa elfa de Valfenda, nos filmes interpretada pela MARAVILHOSA da Liv Tyler, uma das minhas personagens favoritas da Terra Média. Eu já tinha em mente que teria um macho chamado Obi-Wan Kenobi, então quando a oportunidade de ter uma fêmea surgiu fiquei me questionando como a chamaria… Essa resposta veio quase imediatamente. É um nome meio complicado, quase ninguém consegue falar de cara, e muitos me perguntaram por que não coloquei Hermione, mas nem era uma possibilidade… Seria meio óbvio e a Mione é pra mim uma paixão à parte, sabe? Eu não conseguiria vinculá-la a mais ninguém que não fosse ela mesma. No final acho que tinha que ser Arwen mesmo, eu gosto e ela também, porque responde de cara quando chamo!

Arwen

Fazia tempos que eu estava com a tag Meu Animal de Estimação no caderninho de vídeos pra gravar e a ideia era responder sobre a Pakita mesmo, mas fui enrolando até que não deu mais… Então em homenagem a ela já resolvi colocar isso em agora e aí vamos pra aproveitar a chance de contar mais sobre nossa história juntas! Ela vai completar 5 meses no fim de agosto (nasceu no dia do aniversário do Elton John!), três deles aqui do meu lado, mas eu já não lembro como era a vida antes. Sério, gente, nós fomos feitas uma para a outra.

Perguntas:

01. Qual é o nome do seu animal de estimação?
02. Qual é a espécie e a raça dele(a)?
03. Qual é a idade?
04. Como você o adquiriu?
05. O que ele (a) mais gosta de comer?
06. Há quanto tempo você tem seu animal de estimação?
07. O que ele (a) faz que é muito engraçado/fofo?
08. Como é a sua relação com seu animal de estimação?
09. Situação engraçada que aconteceu entre vocês.
10. Alguns apelidos/ nome que você chama seu animal de estimação.

13 anos de Sweet Luly! + Sorteio

Em 26.06.2017   Arquivado em Blog, Vídeos

Adivinha quem entra hoje na “puberdade do mundo dos blogs”? Sim, o Sweet Luly! Fazem 13 anos desde que abri o painel de controle do Weblogger para criar mais um entre meus “trocentos” blogs, sem nunca imaginar de verdade que ele se tornaria o “oficial” e que estaria firme e forte comigo até hoje, em uma plataforma muito melhor e com conteúdo tão mais bacana! Bom, eu já disse isso aqui, mas escrever é a coisa que mais gosto de fazer na vida… Já escrevi um livro inteiro e comecei outros, anos de diários, redações, trabalhos, crônicas, cartas, e-mails, artigos, um TCC, músicas, histórias em quadrinhos, até roteiro… Mas lá no fundo mesmo o que eu mais gosto de escrever são POSTS, e é aqui que venho feito isso durante todo esse tempo e com tanta alegria, é uma data pra se comemorar e muito!

A celebração fica mais cheia de amor ainda no “Hello, hello” de hoje com nosso clássico SORTEIO DE ANIVERSÁRIO! Além do blog o Expresso Rosa também tá completando 13 anos dia 17 de julho e entre as duas datas vocês vão poder concorrer a um kit todo cor-de-rosa que montei junto com amigos muito especiais que me ajudaram a tornar esse dia ainda mais legal. Ele contém o caderno artesanal “Think Pink” que eu fiz especialmente pra isso, uma caneca “Plataforma 9 3/4” da lojinha do canal Menino Gil (tinha que ter Harry Potter porque hoje a série completa 20 anos!) e uma blusa Super Girl, que foi feita numa parceria do blog com a Cia do Ponto. Todos os itens têm a ver com os temas que trago pra cá e, bem, acho que vocês vão gostar, né?. Falei sobre as regras direitinho no vídeo e mostrei cada item com detalhe.

Kit Think Pink de aniversário do Sweet Luly (e do Expresso Rosa)!

a Rafflecopter giveaway

Pra que não tenham dúvidas: as inscrições podem ser feitas até às 23h do dia 14 de julho. A única parte “obrigatória” é a de clicar em “Quero Participar!” colocando seu e-mail, que é pra eu entrar em contato, porque não quero forçar ninguém a ter que fazer nada, e ter endereço de entrega em território nacional. Mas aí quanto mais Redes Sociais vocês seguirem, mais chances terão de ganhar! O resultado vai aparecer aqui nesse mesmo post no dia 15 e na página do Facebook. Boa sorte a todos, espero que tenham gostado do kit amoroso, obrigada por estarem aqui comigo todo esse tempo e PARABÉNS SWEET LULY (e pra mim também)!

Pessoal, na do sorteio tem como ler os Termos e Condições, que são todos simplezinhos, mas lá coloquei TODAS as datas para ninguém vacilar na hora de receber os prêmios. Peço que POR FAVOR leiam para ficar tudo esclarecido e na base do amor!

Página 1 de 2012345... 20Próximo