Ringo Starr and his All Starr Band em Belo Horizonte

Em 18.11.2011   Arquivado em Música

Depois de meses de espera, literalmente, nessa quarta feira finalmente tivemos Ringo Starr & his All Starr Band aqui no Chevrolet Hall e foi INCRÍVEL!!

Ringo Starr and his All Starr Band

Em julho anunciaram que o show aconteceria em diversas cidades do Brasil e quando vimos Belo Horizonte na lista eu, Dani e Pati surtamos. Fui lá, comprei nossas entradas (depois de uma louca busca de soluções para conseguir que a Pati me mandasse a versão escaneada da carteirinha de estudante dela) e desde então elas estavam guardadinhas na minha “caixinha de tesouros” esperando o dia 16 de novembro. Demorou, parecia que não ia chegar nunca e quando a gente menos esperava, chegou!!

Ringo Starr and his All Starr Band

A Pati chegou lá bem cedo, beeeem mais cedo que eu e a Dani (que tava na aula, por isso nossa demora), por volta das 16h, e já tinha um povo na fila. Nós chegamos às 18h, faltando uma hora pro portão abrir – na teoria. E o mais lindo é que o Ringo em si chegou pouco antes d’a gente, e como a Pati tava pertinho da garagem viu ele dentro do carro e ele deu tchauzinho e fez o “v”zinho da paz dele, hihi. Ficamos na fila, fizemos amizades, esperas, eram quase 19h30 quando mandaram a gente entrar. Aí nós três fomos indo grudadinhas uma na outra, já que eu era maior (ir)responsável pelas duas… Nos chamaram pra fila de mulheres, entramos rapidinho e de repente estávamos nós três de mãos dadas correndo loucamente em direção à (pequena) aglomeração que já tava se formando. E aí enquanto a gente comia, Twittava, tirava umas fotos pré-show e ia conhecendo o pessoal, vinha sempre um querendo passar na frente, a gente deixava alguns, ia remanejando e quando vimos já tínhamos andado um metro na diagonal ficando cada vez mais na frente e mais ao centro!! Sério, foi muito mais perto que imaginei que ficaria.

Ringo Starr and his All Starr Band

O show tava marcado pra 21h e a pontualidade britânica praticamente não falha: 5 minutos de atraso até a All Starr Band entrar anunciando o Ringo!! Aaaah, aí a gente gritou MUITO!!
Ele abriu com “It Don’t Come Easy” e “Honey Don’t”, cantava, dançava e tocava bateria, coisa liiiinda!! E nisso eu e as meninas pulando muito junto com o povo, uma olhando pra cara da outra sem acreditar que era real e eu tentando tirar fotos sem tirar os olhos do palco.
(Ao contrário de um IMBECIL que tava do nosso lado e resolveu filmar o show e assistiu tudo pela janelinha da câmera… Pagar absurdo pra ter um YouTube com som ao vivo é muita idiotisse, né minha gente??)

Ringo Starr and his All Starr Band

Aí ele foi chamando a banda… Os primeiros foram Rick Derringer foooofo demais e Edgar Winter que é MUITO FODA!! A gente tava se sentindo num festival de rock dos anos 70, gente, o jeito dele de falar, de agir, de tudo, cada hora tocando um instrumento sem deixar a música falhar, sem comparação. Ele chegava na beiradinha do palco e ficava muito perto, era inacreditável, mesmo.

Ringo Starr and his All Starr Band

Aí veio Wally Palmar pra cantar também e desejar “bouha noitin Belou Rorizonti” e quando Ringo voltou pra cantar “I Wanna Be Your Man” eu PULEI, GRITEI, SURTEI tanto, tava um calor insuportável e eu quase não tinha comido nada… Eu simplesmente senti que ia cair dura ali, gente, sério!! Sentei no chão, tava muito menos quente, por incrível que pareça… E aí veio uma deselegante que tava atrás de mim que ao invés de perguntar se eu tava bem já veio falando “ah, se tá passando mal vai embora!!” (e não era pro bem, porque ela realmente ficou o resto do show tentando “atropelar” a gente e ir pra frente). Eu esperei melhorar um pouco, levantei a tempo de ver Gary Wright cantar “Dream Weaver” e sentei denovo. E nessa hora eu juro que decidi que se não passasse realmente iria pra fora, porque eu não tava conseguindo ficar mais lá. E nisso as meninas me abanando com uns papéis que recebemos na porta, um rapaz SUPER bonzinho que tinha dado espaço pra Pati ficar ligeiramente mais à frente tava lá todo preocupado, até que GRAÇAS A DEUS lembrei que a ela tinha chocolate na bolsa, pedi pra um e na hora que comi só senti o sangue voltando todinho pro meu rosto, sério, NUNCA MAIS vou a show nenhum sem levar um chocolatinho, fez milagre!! Consegui pegar o finalzinho da apresentação do Richard Page.

Ringo Starr and his All Starr Band

Aí a Pati trocou de lugar comigo porque onde ela ficou era menos insuportavelmente quente e eu melhorei de vez a tempo do Ringo voltar pra cantar “The Other Side of Liverpool” antes de falar que a próxima música só não era conhecida pra quem tava no show errado. E todo mundo já sabia antes mesmo de ele cantar o primeiro verso que era “Yellow Submarine”, e foi a primeira vez no show que eu chorei, porque sabia que aquilo era o mais perto que eu tava na vida de saber o que era ver os Beatles ao vivo, era maravilhoso o palco todo amarelo só trocando pra representar “skies of blue” e “sea of green”. Ai, gente… Sem palavras.

Ringo Starr and his All Starr Band

Aí o show seguia… Edgar Winter nos fez arrepiar tocando “Frankenstein”, foi o solo de baterias mais incrível que já vi na vida – e nesse o Ringo nem tava participando –, sério, dava vontade mesmo de filmar, era de arrepiar, eu abstraí meus cuidados auto-medicados e até bati a cabeça um pouquinho. Quando Wally Palmar cantou “What I Like About You” NÃO TINHA COMO NÃO PULAR, e Ringo voltou denovo pra cantar a música que ele fez na época que ele participava “de uma banda aí”, hehe, e foi lindo porque ele tocou “Boys” (e acho que cantou outras nessa hora, acho que “Back Off Boogaloo”, mas não lembro a ordem perfeita). Gary Wright cantou um cadinho pra gente, Rick Derringer também, Richard Page também (e ele é LINDO, gente, sem noção). E a gente ia sentindo chegar ao fim e era triste.

Ringo Starr and his All Starr Band

O Ringo assumiu de vez no fim… Veio com “Photograph” que eu choreeei, “Act Naturally” e quando ele começou “With A Little Help From My Friends” a gente sabia que aquilo já era o “bis” mesmo sem o intervalinho, choraaamos e gritamos e terminou com “Give Peace A Chance”!! E depois que a banda agradeceu e saiu do palco a gente berrava muito e eu virei pra trás e de repente estávamos nós três abraçadas chorando… A gente não queria sair dali, ficamos ainda até o palco ficar apagado, sabíamos que eles não iam voltar, a Pati tinha que ir porque meia noite já era o ônibus pra ela voltar pra Timóteo (o show durou praticamente duas horas, acabou faltando cinco minutos pras 23h, por aí)… Mas a gente não queria mesmo porque, né?? MARAVILHOSO!! Os caras que compõe a banda são incrível, vieram de bandas incríveis e, azar,podem falar o que for: O RINGO É INCRÍVEL!! Super alegre no palco, nem o disco de uma menina bater na cabeça dele quando ela mandou pro palco abateu aquele homem, era 1/4 da MAIOR BANDA DE TODOS OS TEMPOS ali cantando e tocando pr’a gente, valeu muito a pena, principalmente ao lado das duas que são irmã-amiga e amiga-irmã.

Ringo Starr and his All Starr Band

Bipolaridade total, feliz em ter ido e triste por já ter acabado!! Quem quiser ver algumas das fotos que tirei (além dessas do post) tem lá no Flickr.

Versão em Lego de Capas de Álbuns dos Beatles

Em 10.08.2011   Arquivado em Artes Visuais, Música

Eu AMAVA Lego quando era criança, deixava até uma caixa na casa da vovó pra poder brincar todos os dias que quisesse mesmo, estando em casa ou não, ia pra casa da Patiquinha e o Rodrigo, irmão dela, tinha MUUUITO, nossa, a gente construía coisas do arco da velha. Eu ainda tenho um que era meu favorito, de parque de diversões, e a um tempão atrás fiz com ele uma casinha e ela está praticamente montada guardada lá na casa da mamãe me esperando buscar.
Então quando junta Lego com qualquer coisa que eu AMO dá nisso: empolgação sem tamanho. Aí eu achei no Whiplash capas de álbuns dos Beatles em versão Lego e tive que vir aqui mostrar meus favoritos!!

Abbey Road

beatlego_01


Revolver (tem até o nome do album adaptado!!)

beatlego_02


A Hard Days Night

beatlego_03


With The Beatles

beatlego_04


E tem várias capas lindas de outras bandas lindas. Fique abismada com o capricho pra The Division Bell (Pink Floyd) e a do Nevermind (Nirvana) ficou basurdamente perfeita!!

beatlego_05

beatlego_06

Se você digitar “Lego” no WeHeartIt aparecem coisas muito legais, inclusive várias capas de álbuns assim. Pena que é difícil achar a origem =( Eu tenho uma montagem com a capa de Abbey Road LINDA aqui e meu medo de jogar na internet é justamente nunca saberem que fui eu que fiz, coloquei os créditos pequenininho de lado mas dá pra cortar, e marca d’água grandona ia estragar o trabalho todo…

Eu achei isso aqui, aqui e aqui, os três no mesmo site!!

“Hey Jude” on Music Box

Em 05.06.2011   Arquivado em Música

– Eu adoro ver vídeos de Hand Crank Music Box das músicas que gosto, inclusive vivo procurando de “Hedwig’s Theme” pra mim no eBay, mas nunca acho. Ano passado eu tava na casa da Lili e ela me mostrou a que tinha comprado pra Dri de natal, com “Over The Rainbow” e a dela própria que era com “Hey Jude”… E eu rodei TANTO, mas TANTO a manivela da caixinha dela que ela acabou colocando na minha caixa de natal e me deu!! (brigada denovo, amore!!). Outro dia a Patiquinha veio aqui e contei isso pra ela e falei “mas não adianta, pode rodar pra sempre que eu não sou boazinha que nem a Lili” e ela morreu de rir. Mas é porque é lindo mesmo.
Desde então eu tava louca pra também gravar um vídeo rodando a caixinha e sismei que seria hoje!! E aí está!!
(justo hoje que minha unha do dedão quebrou TODA e vai sair feia na imagem…)

Top 5: Músicas românticas mais lindas de todos os tempos!!

Em 27.05.2011   Arquivado em Música

Nem preciso falar, porque é só ler o blog um pouquinho, mas música é pra mim muito mais que “simplesmente música”. Eu não toco nada, eu não canto, mas adoro estudar sobre música, sobre minhas bandas, sobre minhas músicas. Aí em “parceria” com a Daninha resolvi montar um Top 5 das músicas românticas mais lindas de todos os tempos. Parceria porque montamos a lista juntas, e por esse motivo não farei as menções honrosas nesse post: passamos a discordar logo a partir da 6ª, hahaha. Então separem os lencinhos e vamos lá!

5º LUGAR – You Make Me Feel Brand New – Simply Red


“God bless you, you make me feel brand new, for God blessed me with you”

Eu preciso dizer que sei que a maioria acha essa música brega até a morte, e preciso dizer também que SEI que ela não é do Simply Red. Mas mesmo assim ela é LINDA demais. E eu tenho toda uma história com ela, porque em 2004 tocava na novela “Celebridade” e foi a música-tema da minha vida no início do que, na época, parecia um romancinho adolescente… Eu não sabia o que ainda está por vir, hahaha!

4º LUGAR – Can’t Help Falling In Love (With You) – Elvis Presley


“Take my hand, take my whole life too, for I can’t help falling in love with you”

Elvis não é o “Rei do Rock” atoa, né minha gente… Eu me encantei por essa música pela 1ª vez quando assisti a um DVD do Andrea Bottelli na minha prova de Cor do 3º período da faculdade e quando cheguei em casa corri pra ouvi-la um bilhão de vezes. Todo mundo da sala riu porque chorei assistindo, mas é que é de chorar, não tem como. Escolhi esse vídeo pra representa-la, mesmo com a música cortada, porque o Elvis tá lindo demais nele, confesso!

3º LUGAR – Something – The Beatles


“Somewhere in her smile she knows that I don’t need no other lover…”

Minha favorito do caçulinha do “Fab Four”, tanto com os Beatles quanto em carreira solo. Tenho que dizer que se eu fosse a Pattie não trocaria ele nem por um milhão de Erics Claptons!! George era fofo e ela inspirou essa que é a segunda música mais regravada não só da banda, mas de todos os tempos (atrás apenas de Yesterday). Na verdade ela era danada, inspirou várias músicas lindas entre um marido e outro. Tá aí no clipe pra todo mundo, incrível de bonito, pra quem não conhece a Pattie ver o quanto ela era linda demais… E no “Across The Universe” essa cena tão linda que dá até angústia. Jude, te amo, fala com sotaque inglês no meu ouvido!

2º LUGAR – My Love – Paul McCartney


“It’s understood, it’s everywhere with my love and my love does it good”

E o primeiro que falar que sir James Paul McCartney não amava a Linda apanha. Olha isso, gente, presta atenção NISSO. Como assim, uma música pode ser assim?? É absolutamente perfeita. Vai tocar no dia do meu casamento, ainda não sei em que momento da cerimônia, mas vai. Quero “Chandler & Monica Feelings” meeeesmo, e amo assistir esse episódio de FRIENDS só pra chorar mais um pouquinho com a situação. Eu ia colocar o vídeo “original”, mas ele cantando em São Paulo foi o que me fez apaixonar pra sempre pela música quando vi na Globo (queria estar lá), e o pessoal gritando “Linda!! Linda!!” na platéia não tem preço.

1º LUGAR – Your Song – Elton John


“I hope you dont mind that I put down in words how wonderful life is while you’re in the world!!”

Não precisa muito, o Elton diz tudo: this is YOUR song. É minha, é sua, é nossa, é de todos. Difícil achar esse vídeo da vozinha dele de falsete antes da cirurgia, mas achei mesmo que em baixa qualidade! É a música mais linda de todos os tempos, foi escrita em 1970 e a mais de 40 anos faz sucesso no mundo todo inspirando qualquer romance possível. Antes de ser fãzona do Elton eu já era fãzona de “Moulin Rouge”, meu filme favorito, por causa dessa música e nem o Ewan McGregor com aquela voz dele consegue estragar. Elton e Bernie, queridos, obrigada por ela e todas as outras! Ter ouvido isso ao vivo, ainda mais sendo dedicada ao Obama, completou meu dia 19 de janeiro de 2009, e foi o momento mais emocionante da minha vida!

Gugui… Esse post é especial pra dizer que tô com saudades!! hihihi

Yellow Submarine

Em 10.05.2011   Arquivado em Filmes, Música

Yellow Submarine Yellow Submarine *****
Elenco: John Lennon, Paul McCartney, George Harrison, Ringo Starr, Paul Angelis (voz), John Clive (voz), Dick Emery (voz), Geoffrey Hughes (voz), Lance Percival (voz)
Direção: George Dunning
Gênero: Animação/Musical/Fantasia
Duração: 90min
Ano: 1968
Sinopse: “A história do desenho animado sobre Pepperland, um paraíso situado a oitenta mil léguas submarinas cercado de cor e música. Os Blue Marines atacaram Pepperland para acabar com a música. Os Beatles embarcam no submarino amarelo com o intuito de salvar Pepperland. Até chegarem a Pepperland, viajam passando por The Sea of Time (onde cantam “When I’m sixty-four”) The sea of science (onde cantam “Only a Northern Song”), The sea of Monsters, The sea of nothing (onde cantam “Nowhere Man”) e The sea of holes. Ao final os Beatles tocam imitando a Sgt. Pepper’s Band e devolvem a música, a cor e a alegria a Pepperland. O álbum com a trilha sonora foi lançada 6 meses após o filme. E continha somente algumas músicas presentes no filme e mais as composições de George Martin.”
Comentários: Opinião de Beatlemaníaca vale?? Espero que sim!!
Como tudo que esses meninos fizeram nesses maravilhosos 10 anos da banda o filme é psicodélico, meio surtado e tem uma mensagem meio “não usem drogas, crianças, ou ficarão assim um dia”. Mas é ao mesmo tempo FANTÁSTICO!! Uma história baseada nas músicas do album “Yellow Submarine” (só tem 1 musiquinha que não é do álbum), cheia de frases sem sentido e imagens então, nossa, nem se fala!! Mas se você é fã e se gosta de animação, VALE A PENA!! É engraçado mesmo sendo completamente nada-com-nada, o visual é todo bonito e alegre e, claro, a trilha sonora é mais perfeita impossível.
Ah, não são eles que dublam a própria voz, tá gente!! Eu também pensei que seriam, mas foi só o Ringo abrir a boca que percebi que não. Mas eles aparecem no final em carne-e-osso e é a parte em que chorei. Lindos!!
Melhores Cenas: Como decidir isso?? É como escolher entre um dos filhos, entre os pais, entre Coca Cola e internet!! hehe Mas teve UM MOMENTO em especial, uma pequena frase que eu ri desesperadamente nas duas vezes que assisti e que virou jargão aqui em casa: “I do not miss Ringo”. Muito bom!! Adoro as frases se noção do filme.
Das cenas de música a que mais gostei foi “All You Need Is Love”. Não queria que acabasse. E fiquei triste demais que “With A Little Help From My Friends” só tocou pouquinho.
– E, claro, carinho especial pela cenas final em que meus meninos aparecem e tem reprise de “All Together Now” que eu amo!! Aliás, amo tudo o que tem a ver com esses quatro caras incríveis.
Trailer:

Página 2 de 3123