Cinderela

Em 14.04.2015   Arquivado em Disney, Filmes

Cinderella

Cinderela (Cinderella) *****
Elenco: Lily James, Richard Madden, Cate Blanchett, Helena Bonham Carter, Holliday Grainger, Sophie McShera, Alex Macqueen, Barrie Martin, Ben Chaplin, Derek Jacobi, Eloise Webb, Hayley Atwell, Leila Wong, Nonso Anozie, Bob Brydon, Stellan Skarsgård.
Direção: Kenneth Branagh
Gênero: Fantasia, Romance
Duração: 113 min
Ano: 2015
Sinopse: “A história segue a vida da jovem Ella (Lily James), cujo pai comerciante casa novamente depois que fica viúvo de sua mãe. Ansiosa para apoiar o adorado pai, Ella recebe bem a madrasta (Cate Blanchett) e suas filhas, Anastasia (Holliday Grainger) e Drisella (Sophie McShera), na casa da família. Mas quando o pai de Ella falece inesperadamente, ela se vê à mercê de uma nova família cruel e invejosa. Relegada à posição de empregada da família, a jovem sempre coberta de cinzas, que passou a ser chamada de Cinderela, bem que poderia ter começado a perder a esperança. Mas, apesar da crueldade a que fora submetida, Ella está determinada a honrar as palavras de sua falecida mãe: tenha coragem e seja gentil.” (fonte)

Comentários: Alô você aí que é doido por contos de fadas, pelo “felizes para sempre”, pelas lindas e inocentes princesas que estão em busca de um príncipe encantado e por pura magia Disney: esse filme é pra você assim como foi pra mim, viu, porque eita COISA LINDA! Nossa, gente, saí do cinema completamente encantada, foi maravilhoso do começo ao fim.

É engraçado porque quando eu vi o trailer só coloquei defeito: que o vestido tava muito escuro, que a atriz não tinha cara de Cinderela, que Helena Bonham Carter estava ali em mais um papel interpretando ela mesma, etc, mas eu estava errada e admito: o vestido é maravilhoso, Lily James NASCEU para ser uma princesa e até a Helena me surpreendeu, ficou ótima de Fada Madrinha (eu até acho ela boa, gente, mas ainda assim todo filme que vejo com ela é a mesma coisa, foi mal). E além disso muito mais, né, porque escolheram um príncipe liiindo e maravilhoso, tem a presença até mesmo de personagens animais do clássico Disney como Lúcifer e os ratinhos, as irmãs dela são nojentas mesmo que bonitas pra quebrar a ideia de que são más por serem feias e, claro, a cereja do bolo que fez toda diferença e valeu o filme todo: Cate Blanchett! Meu Deus, como é incrível, a gente tem PRAZER em torcer contra a madrasta que ela interpreta, é aquela que amamos odiar.

A Ella/Cinderela é encantadora num nível que as pessoas no geral chegam a ter antipatia por tamanha bondade e fofura, mas eu adoro! É legal porque ela é super boazinha, faz as coisas sempre sem querer nada em troca e ainda assim não é submissa, quando ela curva a cabeça para alguém é porque acredita ser melhor e tem um momento em que a madrasta começa com chantagens e ela se recusa a aceitar mesmo que isso vá prejudicá-la, simplesmente porque é o CERTO. Me deu raiva que a garota atrás de mim no cinema falou “que menina idiota” porque acho isso uma total inversão de valores: a maldade vem da pessoa esperta, mas a bondade vem da imbecil? Discordo totalmente, não só na ficção como na vida real! Obrigada, Kenneth Branagh, por essa obra de arte!

A única coisa que eu senti falta, de verdade, foram as músicas da animação. Rola até uma menção delas em alguns momentos e a Fada Madrinha chega a usar o “Bibbidi Bobbidi Boo”, mas faltou mesmo, principalmente a valsa que ela dança com o príncipe, a cena foi linda e teria ficado mais ainda se contasse com a música certa. Achei que a alteração das personalidades do rei e o Gran Duke iam me incomodar, mas no final eu já tinha me conformado e até gostado disso pro conjunto total da obra porque favoreceu o romance da história para não passar aquela imagem de “nem te conheço e já te amo”, sabe, foi bem mais desenvolvido do que isso.

Melhores momentos: Se me perguntassem meu momento favorito da animação eu responderia COM CERTEZA que é quando a Fada Madrinha cria o vestido da Cinderela nela, então nem preciso dizer que mesmo sendo cenas tão diferentes dessa vez foi igual, né? Lindo demais. E para quem gosta das músicas da Disney (e vai sentir falta delas como eu), vai meu aviso: fiquem até o final dos créditos finais porque tem a versão da Lily James cantando “A Dream Is A Wish Your Heart Makes” que teria me feito chorar se eu já não estivesse chorando!

Curta: E é LÓGICO que eu não ia terminar esse post sem falar de Frozen Fever, né? Foi lindo, gente! Elsa e Anna se amando, o Olaf ganhando baby-brothers de neve, Kristoff declarando seu amor, Sven sendo o melhor alívio cômico ever… Ao contrário do filme mesmo o curta é super alegre, mas ainda assim mantiveram a personalidade e principalmente o peso da relação dos personagens, amor puro e Disneyco! E com participação especial de Príncipe Hans e tudo mais!

Trailer: Agora depois de ver o filme vejo os trailers com outros olhos, vontade de ir ao cinema assistir de novo!

Mamma Mia!

Em 20.09.2008   Arquivado em Filmes, Música

O luto acabou, o céu se abriu, o universo se iluminou… Rulfaram os tambores, soltaram as gaivotas, surgiram arco-íris, rosas voam em direção ao infinito e eu, Sistah e Lu fomos no Shopping Cidade hoje e assistimos Mamma Mia!


E pra aqueles que estavam esperando que eu fizesse um post especial pro filme… Sim, estou fazendo um post especial pro filme!!
Mamma Mia!Sinopse I: “Donna (Meryl Streep) é dona de um pequeno hotel e mãe solteira da espirituosa Sophie (Amanda Seyfried), que vai casar. Donna precisa superar o fato de que irá ficar sozinha e convida duas amigas especiais para o casamento da filha, do tempo que era vocalista de uma banda chamada Donna and the Dynamos. Procurando conhecer a verdadeira identidade de seu pai, Sophie convida secretamente três homens especiais.”
Sinopse II: Adaptação para as telas da popular montagem da Broadway sobre uma jovem que acaba de ficar noiva e decide encontrar o pai que nunca conheceu. Isso porque pretende convidá-lo para que ele a leve ao altar no dia de seu casamento. Toda a história é narrada usando famosas canções do ABBA, grupo sueco de enorme sucesso nos anos de 1970.
Trilha Sonora: I Have A Dream; Gimme! Gimme! Gimme! [instrumental]; Honey, Honey; Money, Money, Money; Mamma Mia; Chiquitita; Super Trouper; Dancing Queen; Our Last Summer; Lay All Your Love On Me; Gimme! Gimme! Gimme! (A Man After Midnight); Voulez-Vous; SOS; Does Your Mother Know; Slipping Through My Fingers; The Winner Takes It All; Under Attack” (instumental); Knowing Me, Knowing You” (instrumental); I Do, I Do, I Do, I Do, I Do; When All Is Said And Done; Take A Chance On Me; Mamma Mia (Reprise); I Have A Dream (Reprise); The Name Of The Game.
Dancing Queen at Mamma Mia! O negócio foi o seguinte… A gente ia pro Mangabeiras amanhã denovo e a Lu ia junto… Aí eu ia aproveitar pra pegar minhas encomendas da Avon e o celular antigo dela que nos compramos pra Sistah e pagar tudo, lógico… Mas a Amiguinha tá com o PC meio bichado e o técnico vai lá amanhã e tivemos que adiar e aí a magia aconteceu…
“Mamãe, eu preciiiiiiiiso pagar a Lu, preciiiiiso pegar meu rímel… Por que você não leva a gente no Cidade e aí a gente encontra com ela e aproveita pra… hããã… ver Mamma Mia! néééééé??”
E aí minha mãe super apoiou a causa e lá fomos nós!! E descobri a incrível praticidade que é comprar entradas no caixa lá de débito/crédito!! O que foi uma sorte porque enquanto fui lá, Sistah ficou garantindo lugar na fila e assim que consegui usar o caixa voltei pra me encontrar com ela (e tira-la da fila) os ingressos esgotaram e se a gente tivesse ficado pra comprar pelo caixa “normal” não teríamos assistido… Deus é Pai, amém!! Agora só vou usar esses caixas e serei absolutamente feliz em todos os dias da minha vida.
Aí vimos o filme… Quase dancei dentro do cinema, ficava “mexendo a boca” na hora das músicas…. As vezes me descontrolava e cantava junto!! Meus olhos super-brilharam na hora de “Dancing Queen”, super-pensei no Gugui em “Honey, Honey”… Todas as músicas super se encaixaram nos momentos e não paravam de tocar um minuto… Sem contar que MORRIÉ de rir (Julie Walters, só de olhar pra ela eu comecei a gargalhar) e tive carinho triplicado ao pensar que Björn e Benny no auge dos seus *60 e alguma coisa* anos produziram aquilo.
É… sem mais palavras!!
ALIÁS, ÚLTIMAS PALAVRAS!!
Tirei até foto com o cartaz *__* Hihihi… Taí de ladinho pra vocês verem com muito amor!! E viva o Abba e suas músicas perfeitas!!
No mais… Eu ia colocar fotos das minhas últimas compras e tals, mas tô cansada de digitar e de reduzir imagens… Mas foi basicamente: um chaveiro de celular de sapo que eu queria a muito tempo (mas a magia acabou por causa do que vem a seguir e ele mudou-se pro mural de fotos), rímel da Avon pra salvar minha vida e o *mini-gloss* daqueles de pendurar no celular super lindo da Avon também (Deus abençoe as amigas que vendem Avon)… E mamãe trouxe pra mim 6 imãzinhos de sapinho também pro mural e agora ele é o universo Frogolino mais fowfo de todos!!
Aliás, comprar o chaveirinho fez com que eu completasse o número mágico de 50 (eu disse 50, meia centena) sapos na coleção, sem contar roupas e o mural em si com seus ímãs…
E eu fiquei super tentada a comprar a trilha-sonora do filme na hora que fomos na Leitura, hehehe… Lulynha quando seu cartão de débito está ligeiramente cheio torna-se um periiigo!! Também quis comprar uns ímãs que tinha lá… Um escrito “Artes” pra mim e… heheheh, um escrito “Administração” pro Gugui (ããã… o que ele ia fazer com isso??), mas os ímãs tavam caros e a trilha eu posso terminar de baixar no eMule.
E é melhor eu calar a boca… Beijãozão pra vocês!! Luv Ya, bye!! =*

Ouvindo: Mamma Mia – Abba (éééé… agora é isso, passar o resto do FDS ouvindo tanto as originais do Abba quanto as do filme que eu baixei aqui)

– Comentários