Potterbreak 2015

Em 06.08.2015   Arquivado em Harry Potter

Quando o Potter Club começou já existiam algumas “panelinhas” que formaram o início do fã clube e foram se tornando “panelonas” com o tempo. Nessa época todo mundo conhecia todo mundo, os eventos tinham uma ou outra pessoa nova e era super legal ver aquele grupão de pessoas, mas mais legal ainda tem sido que nos últimos dois anos em que isso começou a mudar um pouco. Claro que é ótimo ver o pessoal que já conhecemos, ver as amizades que foram feitas e tudo mais, mas o número de pessoas “novas”vem aumentando loucamente nos últimos tempos e com isso surge a oportunidade de conhecer mais gente legal ainda, de fazer mais e mais amigos que gostam das mesmas coisas que a gente. E foi pensando nisso, na vontade de unir a galera nova com a “antiga”, que nós promovemos um encontro/picnic para ajudar nessa interação e comemorar o aniversário do Harry e da J.K. Rowling, que foi dia 31 de julho.
O evento foi aberto ao público mesmo, sem regras ou qualquer coisa do tipo. No domingo, dia 2, nos encontramos no Parque Mangabeiras, cada um com sua comidinha, e fomos pra área das mesinhas para comer, conversar, passar tempo e, claro, participar de algumas atividades legais que valiam brindes no final. Algumas foram pensadas antes direitinho, outras nós inventamos na hora, mas o pessoal adorou!

potterbreak01
Uma foto tirada no início do evento com (quase) todo mundo que tava lá.

Foi tão divertido, gente! Morro de rir do pessoal se matando para conseguir levar as coisas que o Gil pede, e dessa vez como era um eventos aberto foram coisas bem malucas que deviam vir de pessoas de fora e outras loucurinhas assim, era de morrer de rir! Além disso teve Caça Palavras, reprodução de cena, cobertura do canal TV Fosizu (eles até me entrevistaram, o vídeo tá AQUI, Ó) e o principal: cantamos parabéns pros dois aniversariantes ilustres da tarde! O Gil fez um bolo reproduzindo o do Hagrid em “A Pedra Filosofal” que ficou igualzinho e MUITO GOSTOSO! Tem vídeo do parabéns e tals AQUI!
(Essa foto foi tirada antes do evento porque durante a tampa da caixa caiu em cima dele e deu uma boa estragada, precisou da super-Luly “restaurar” do jeito que tava, mas valeu ainda assim, hahahaha!!!)

potterbreak01
Tanto essa quanto a outra foto foram tiradas pelo Gil. Obrigada, querido!.

Aí depois de tudo o pessoal alugou uma quadra de vôlei e ficou jogando um pouquinho, aí quem não ia jogar (oi, EU!) ficou sentadinho batendo papo na sombra. Foram sete horas de evento e foi tão gostoso que estamos pensando em fazer mais um ainda esse ano, mais pro final. Quem sabe…

badge_post_01

Por Lugares Incríveis

Em 05.08.2015   Arquivado em Leitura

Por Lugares Incríveis

Por Lugares Incríveis (All The Bright Places) *****
Autor: Jennifer Niven
Gênero: Romance, Drama
Ano: 2015
Número de páginas: 336p.
Editora: Seguinte
Sinopse: “Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.”
(fonte)

Comentários: Senhoras e senhores, eu lhes apresento hoje o meu livro favorito de 2015 até agora, e dificilmente teremos algum outro roubando seu posto, estou apaixonada! Eu ganhei ele de aniversário do Gil, que me disse que escolheu esse presente porque viu muitas indicações de canais que acompanha. O que eu a gente não esperava (ele ao comprar e eu ao ganhar) era que esse é exatamente MEU tipo de livro, parece que foi escrito por mim ou para mim, simplesmente amo por romances/dramas feitos assim, baseados em experiências de vida e muita pesquisa!

A história é narrada pelos dois personagens principais, Theodore Finch e Violet Markey, que eram as duas pessoas com maior improbabilidade de começar qualquer tipo de relacionamento da escola (ela era certinha e popular, ele o cara estranho que ninguém quer por perto) até que se encontram à beira do desespero na torre do sino da escola, decidindo se devem pular dali. Violet está deprimida pela morte de sua irmã, Finch já vive com a depressão e os impulsos suicidas a um tempo, ambos estão na dúvida se querem mesmo fazer aquilo ou não até que a presença do outro impede que qualquer um dos dois faça. A partir daí eles formam uma dupla num trabalho de geografia onde devem conhecer locais interessantes do estado onde vivem e começam suas “andanças”, descobrindo cada vez mais um sobre o outro e sobre si mesmos. Até que chega ao ponto em que, claro, não resistem mais à tensão que há entre eles e transformam aquela amizade inusitada em um romance. Romance lindo, diga-se de passagem! Toda a parte dos dois juntos é incrível, tanto narrada por um quanto pelo outro. O dia que eles finalmente ficam juntos e “decretam Um Dia” – quem ler vai entender – é muito, muito, muito bonito MESMO, eu li várias vezes seguidas de tanto que gostei. É engraçado porque de início pode parecer que a ligação deles é muito mais física do que sentimental, mas depois você vê que não tem como duvidar daquele relacionamento, dá vontade de ver os dois ficando velhinhos juntos e cheios de clichês felizes para sempre.

Mas o livro não é sobre isso… É sobre duas pessoas que, por algum motivo, desistiram de viver e precisam uma da outra para se reerguer. E por mais que eu tenha amado profundamente cada pedaço dele tenho que alertar: não recomendo se você não confia na sua própria estabilidade mental porque é entrar afundo no ponto de vista de dois níveis de depressão diferentes mas, ainda assim, perturbadores em alguns momentos, mesmo quando você já sente o que vem em seguida consegue se surpreender com o que acontece logo depois. Também ajuda a entender a mente e quem pode estar se sentindo na beira do abismo, e com isso possibilita as pessoas a conseguir ajudar quem passa por isso ou aceitar. É livro “de chorar” super, com direito a momentos tristes do início ao fim, mas também de sorrir ao ver todas as coisas podem ser superadas e que tudo pode ter um lado bom, basta você querer! E o principal: ele te ensina que você não precisa apenas sobreviver, tem que VIVER! Isso sem contar que achei a capa uma fofura, e ele tem algumas pouquíssimas ilustrações desse tipo dentro também, muito amor puro! Nota 5/5, 10/10, 100%, total em qualquer escala que vocês quiserem usar!

badge_post_01

Rapidinhas de Julho (versão vídeo!)

Em 04.08.2015   Arquivado em Cotidiano, Vídeos

Hello, hello, pessoal! Fazia um tempinho já que eu não postava as Rapidinhas do Mês por aqui, então para matar as saudades resolvi que em julho elas viriam em forma de vídeo!
O vídeo foi feito meio sem planejamento (confesso), mas mesmo assim tentei mostrar as coisas principais que aconteceram. Para ninguém ficar perdido vou fazer um mini roteiro e mostrar que em julho eu:
Fui a uma apresentação da Orquestra Filarmônica de Belo Horizonte, assisti a Laurinha (minha prima) dançando muuuuito, fui ao lançamento do 2º livro do Guto, o “Um amor, um café e Nova York 2”, completei 25 anos de vida, comemorei várias vezes meu aniversário (a terceira não apareceu), trabalhei um cadinho, li dois livros que ganhei de aniversário (sobre os quais vou postar ainda esse mês), assisti “Homem Formiga” e o post já tá aqui, mudei de casa e tudo ficou de pernas pro ar porque mudança é sempre bagunçado!!
Ficou tudo meio misturado, alguns dias com registros seguidos e outros sem nada, mas cumpriu o objetivo e é isso que importa!


Já que esse mês vai ter mais vídeos eu acho que vocês deviam se inscrever lá no canal!

Em agosto não vou poder fazer, não, primeiro porque o mês começou surreal e bagunçado com a mudança (e vai demorar pra colocar tudo no lugar) e segundo porque vocês verão tudo detalhadinho aqui no BEDA, nem precisa, posts diários valem mais que mil vídeos juntos, né?

badge_post_01

Top 5: As coisas mais difíceis num relacionamento amoroso são: (41/52)

Em 03.08.2015   Arquivado em Memes e Tags

Esse era pra ser o post de amanhã e o de hoje era em vídeo, mas o YouTube está fazendo o favor de atrasar tudo e não carregar o vídeo em questão, logo teremos uma pequena inversão por aqui, ok? Ok!

Essa é a quadragésima primeira semana do Desafio 52 Semanas de Top 5 e o tema da vez é: As coisas mais difíceis num relacionamento amoroso são:
Eu pensei seriamente em simplesmente pular esse post do desafio porque me sinto um pouco desconfortável escrevendo sobre isso já que, para mim, não existem regras nesse assunto, cada casal é único e cada pessoa mais ainda. Pensei, refleti, pensei de novo e resolvi colocar aqui uma mistura entre as coisas que eu acho mais difíceis (as duas primeiras, para ser mais sincera) e as que vejo que as pessoas ao meu redor têm mais dificuldade em lidar, mas (in?)felizmente não é uma fórmula, né, todo mundo sabe disso perfeitamente!

A very happy christmas [5/5]

01: O antes e o começo

Conheço muita gente que adora essa parte da conquista, do flerte, do friozinho na barriga de algo novo que está no ar, pessoas que se divertem horrores e depois que isso passa morrem de saudades. Eu sou o contrário.
Minha “borboletas no estômago” na verdade são dores frequentes que não acabam, eu preciso medir cada palavra que vou falar e tomar coragem para fazer convites ou um simples elogio, meu Deus, só não é mais torturante do que esperar a resposta. Descobri que sou ótima para dar conselhos amorosos e péssima para aplicá-los na minha vida, a maior “covardona relacionamental” do mundo, hahahaha!!!!!
Mas tô melhorando, gente, juro que tô, me dá mais um tempinho…

02: Tempo

Alguns dizem que “tempo é a gente é quem faz”, mas lá no fundo isso não é verdade. Claro que a gente vai arrumando um tempinho aqui e outro ali, aproveita ao máximo o que dá, a gente se vira, mas nem sempre é possível porque a vida é sempre uma correria. Normal, gente, absolutamente normal, agora tenta explicar isso pra saudade que vai crescendo com o passar dos dias.

03: Equilíbrio entre ceder ou não

Um relacionamento amoroso é feito entre duas pessoas, então obviamente vão existir conflitos de interesse. Nem que sejam pequenininhos, nem que sejam raros: eles vão existir! E eu acho que não existem regras nesse caso, não que um dos dois tem que ceder sempre ou então bater os pés para tudo, o ideal é achar um balanço: às vezes você abre mão do que quer, às vezes o outro abre, às vezes são os dois e tem aquelas vezes em que nenhum faz isso. Só é preciso saber quando, onde, por que, como, qual…

04: Lidar com as influências externas

Gente que quer que dê certo, gente que quer que dê errado, gente que só quer dar pitaco mesmo sem “saber de nada, inocente”: sempre existirão pessoas para interferir na sua história com conselhos e opiniões, tanto pro bem quanto pro mal. Em alguns momentos essas interferências são justamente o que você precisa, mas em outros – ou melhor dizendo, na maioria deles – é preciso saber filtrar bem o que os outros dizem. Mesmo porque se a pessoa está com você é porque gosta de quem você é, não de quem esperam que você seja!

05: Respeito, em diversos sentidos

Eu acho a franqueza extrema algo um pouco super valorizado, considero que em alguns momentos é necessário abandoná-la um pouco para lidar com uma ou outra situação, mas existe muita diferença entre isso e ser desonesto. E tem diferença também entre ser honesto e falar tudo o que pensa.
Se você está com aquela pessoa, mesmo quando não quer mais estar ou algo assim, você deve a ela respeito, como deve a qualquer outro, independente do que ela pode ter feito de errado (a menos, é claro, que seja uma situação extrema, mas aí não é uma questão de respeito e sim de amor próprio). É preciso ser sincero com quem você ama e principalmente com que te ama.
Agora se você detesta profundamente a mãe do seu namorado, por exemplo, deixe para reclamar disso com sua melhor amiga que nunca vai contar pra ninguém, não para ele. Poxa, é aquela questão do equilíbrio novamente, você tem que ter o minimo de consideração com o outro, não é mesmo?
“Respeitar o próximo” pode ter vários significados, mas num relacionamento amoroso tem que ter todos!

badge_post_01

Homem Formiga

Em 02.08.2015   Arquivado em Filmes

Homem Formiga Homem Formiga (Ant Man) *****
Elenco: Paul Rudd, Michael Douglas, Evangeline Lilly, Corey Stoll, Michael Peña, Abby Ryder Fortson, Judy Greer, Bobby Cannavale, Anthony Mackie, David Dastmalchian, Gregg Turkington, Hayley Atwell, John Slattery, Jordi Mollà, Martin Donovan, Wood Harris, Chris Evans, Sebastian Stan , Stan Lee
Direção: Peyton Reed
Gênero: Ação, Comédia
Duração: 117min
Ano: 2015
Sinopse: “Armado com a incrível habilidade de se diminuir em escala, mas aumentar sua força, o vigarista Scott Lang (Paul Rudd) deve aceitar seu herói interior e ajudar seu mentor, Dr. Hank Pym (Michael Douglas), a proteger o segredo por trás do seu espetacular traje de Homem-Formiga de uma nova geração de crescentes ameaças. Contra vários obstáculos, Pym e Lang devem planejar e executar um golpe que salvará o mundo.” (fonte)
Comentários: Mas gente, sério, que filme é esse! Um herói cheio de anti-heroísmos e com uma história tão pouco conhecida a ser descoberta, uma ligação básica com os filmes de outros personagens da Marvel para você esperar o que mais vai sair daquilo, muitas cenas de humor hilárias, um toque de emoção para as manteigas derretidas (sim, eu) chorarem a vontade, personagens secundários carismáticos… Eu simplesmente amei o filme! Amei mesmo!
Primeiramente porque conhecia muito pouco sobre o Homem Formiga, jamais imaginaria que a história partiria do ponto que partiu. Em resumo: Scott Lang acaba de sair da prisão e está atrás de um emprego honesto para se provar merecedor de ser o herói da vida de sua filha (e pagar uma pensão alimentícia para ela, claro) ao mesmo tempo em que o Dr. Hank Pym procura alguém para usar seu antigo traje de Homem Formiga, assim como sua fórmula para diminuir de tamanho e ganhar uma “super força”, com o objetivo de impedir a ideia do lançamento da “Jaqueta Amarela”, que mais tarde se torna o vilão do filme. Pym então consegue convencer Lang a trabalhar para ele de uma forma super divertida e eles colocam o plano em ação.
Eu não vou dar detalhes porque o legal é assistir ao filme e ir vendo o que vai acontecendo, PRINCIPALMENTE as pequenas dicas que surgem para próximos filmes (não só do personagem, mas também de outros heróis do mesmo universo), mas existem dois pontos da história que preciso ressaltar. O primeiro é que para mim o único defeito foi o vilão que é fraquíssimo, você não consegue entender direito o motivo de tamanho surto por mais que eles tentem explicar no meio da história, simplesmente não me convenceu, o que é uma pena. E em segundo lugar preciso dizer que dessa vez a Marvel brilhou eternamente em meu coração porque conseguiu me fazer gostar da heroína que eu mais detestava na minha vida, a Vespa. Sério, eu tinha ódio mortal e aí vem esse filme e me deixa louquinha para que ela apareça de novo porque até chorei com a história dela, quero mais e a primeira cena pós crédito me prometeu isso!
Por fim: meus parabéns a Michael Peña por ter dado vida a um dos personagens mais engraçados de filmes de super heróis, é de rir até quase chorar de tão bom!
Melhores momentos: As sequencias em que ele vai reduzindo de tamanho e depois voltando ao normal são incríveis, assim como os momentos em que ele faz isso também com outros objetos, tudo muito divertido. Principalmente no início quando o mundo entrava em “modo macro” pelas primeiras vezes, muito bem feitas e realmente passa a sensação de que nós viríamos o mundo dessa maneira se fosse possível ser reduzido a esse tamanho!
Mas o melhor de tudo são as duas cenas pós créditos que já te deixam completamente curioso pra volta do personagem, não só numa continuação como também como participação especial em outros filmes. NÃO SAIAM DO CINEMA ATÉ O FINAL MEEEESMO, porque teve gente que só esperou até a primeira delas e perdeu a do finalzão que foi ótima!
Trailer: Eu cheguei a ver o trailer no cinema bem antes do lançamento, mas não era tão bom quanto esse aí em baixo:

badge_post_01

Página 6 de 9123456789