LISTENING TO: Pink Floyd

Em 20.06.2017   Arquivado em Música

Eu adoro imaginar é como era a Inglaterra nas décadas de 60 e 70: VÁRIAS bandas incríveis nascendo a todo o momento, o país era provavelmente constituído somente de música, devia ser quase ilegal não gostar do assunto. Digo isso porque estou prestes a falar de uma das melhores de todos os tempos, mesmos aqueles que não gostam de rock já ouviram falar e conhecem alguma música. Uma banda da qual sempre gostei. Minha irmã, aos com 3 anos, ficava do lado do meu pai pra ouvir. Pink Floyd.

Listening to: Pink Floyd
Foto do BBC Music

A história é bem longa e difícil de contar (ainda mais pra uma leiga como eu), mas vou tentar dar uma ideia geral do que aconteceu. Em 1964 havia uma banda que teve vários nomes, e quando essa banda se separou naquele ano os integrantes Rado Klose (guitarra), Roger Waters (guitarra), Nick Mason (bateria) e Rick Wright (sopro) resolveram montar uma nova aproveitando um dos antigos nomes: “Tea Set”. Junto com eles estava o vocalista Chris Dennis, e logo depois o guitarrista e vocalista Syd Barrett, fazendo Waters assumir o baixo. Foi aí que surgiu o nome que hoje conhecemos, em homenagem ao músicos de blues Pink Anderson e Floyd Council.

No início eles faziam pequenas apresentações em pequenos lugares e até foram convidados para produzir músicas para um documentário, que sequer apareceram na versão final do filme. O primeiro álbum oficial saiu em 1967 e foi super bem aceito, até hoje é considerado o melhor primeiro álbum por alguns especialistas. A banda foi fazendo sucesso, mas as drogas tornaram a participação de Barrett inviável e os outros membros foram atrás de novos rumos sem ele. Foi aí que David Gilmour entrou para substituí-lo não só dentro do Pink Floyd, mas na história do Rock Progressivo. Na década de 70 atingiram um grande estouro e tiveram vários hits, seus álbuns de maior sucesso saíram nessa época: “Wish You Were Here” e “Dark Side of The Moon”, que é considerado o ápice deles.

Rolaram muitos trabalhos bons na década de 80 com Roger Waters assumindo o papel de “membro principal” da banda, como The Wall, que acabou ganhando um filme de mesmo nome. Naquela mesma década, porém, Water acabou saindo, deixando Gilmour no “controle”. Sua “era” só acabou com o fim da banda, em 1995/1996, quando foi indicada para o Rock and Roll Hall of Fame americano, com breve retorno em 2014 que resultou no álbum “The Endless River”. Em 2015 eles anunciaram o fim definitivo, mas continuam sendo uma referência em rock psicodélico e progressivo com suas letras carregadas de questões políticas, insanidade e críticas sociais.

Música Favorita

Não consigo sequer COGITAR falar de outra que não “Wish You Were Here”. Título do álbum lançado em 1975, e foi um grande tributo a Syd Barrett, que havia entrada em colapso mental, então são letras pesadas e muito, muito tristes, principalmente “Shine On You Crazy Diamond”, que é dividida em duas partes.

A verdade é que, apesar de ouvir vez ou outra, que eu sequer ligava tanto pro Pink Floyd até o final de 2009, quando ESSA música entrou na minha cabeça para nunca mais sair. Fiquei completamente viciada nela até que, enfim, se tornou uma das mais importantes da minha vida quando usei ela para ser título do meu primeiro livro. O meu “Wish You Were Here” ainda não foi publicado, apesar de já ter fanpage no Facebook, e tá rolando um evento criado pelos meus amigos pra ver se a gente acha uma editora que faça isso, já que infelizmente sozinha eu não po$$o. Mas enfim, acho que deu pra entender o tamanho do amor, né? Gosto forte mesmo!

Quer saber mais sobre o Pink Floyd?

Conheça a banda através do seu website oficial (em inglês) e das redes sociais: Facebook, YouTube, Twitter e Instagram! Tem também um artigo bem completinho com a história deles detalhada lá na Wikipedia, que eu usei pra confirmar algumas datas e fatos desse post.

Os novos clipes (LINDOS) de clássicos do Elton John!

Em 27.05.2017   Arquivado em Música

É de conhecimento geral que Elton John é assim… Meu maior ídolo de todos os tempos! Pianista, cantor, compositor, produtor, filantropo e ativista na luta contra a AIDS, em 2017 ele e Bernie Taupin comemoram 50 anos escrevendo músicas juntos, a maior parceria entre músico e letrista de todos os tempos (e mais lindinha também)! São mais de 30 álbuns juntos e mais de 300 milhões de cópias vendidas, então não dava pra deixar essa data passar em branco, né? Por isso que no final do ano passado os dois, junto com o YouTube, lançaram o concurso “The Cut” para que os fãs produzissem videoclipes de três de suas canções clássicas, já que na época que foram lançadas não existia esse costume. Os vencedores teriam não só um clipe oficial do Elton no currículo completamente financiado por eles como também um prêmio de 10 mil dólares para investir em projetos futuros. A divulgação dos vencedores foi pelo canal oficial VEVO dele semana passada e, nossa, ficou a coisa mais linda dessa vida… Cada uma tinha uma exigência e o resultado final contém uma animação, um live-action e uma coreografia!

Rocket Man, a animação

Começando por “Rocket Man”, um dos maiores sucessos dessa longuíssima carreira que virou “apelido” do Elton e deu nome à sua gravadora. O vencedor foi o cineasta e refugiado iraniano Majid Adin, que criou uma versão extremamente melancólica digna da letra da música… Super sensível, uma história sobre aventura e solidão e como ambos se unem em certos momentos, encantador!

Tiny Dancer, o live-action

“Tiny Dancer” é conhecida pela maioria das pessoas hoje pelo filme “Quase Famosos”, mas a história por trás dela é ainda mais bonitinha… Foi escrita para a primeira esposa Bernie, que era costureira da banda na década de 70, meio que como uma homenagem ao espírito das mulheres californianas. E, gente, o vídeo conseguiu passar isso PERFEITAMENTE! Foi produzido por Max Weiland e não sei se é porque eu amo essa música ou se é porque tá muito fiel (acho que os dois), mas é como se tivesse sido feito na época mesmo, e não agora tantos anos depois!

Benny And The Jets, a coreografia

Por último, mas não menos importante, “Benny And The Jets”! Os vencedores foram uma dupla, Jack Whiteley e Laura Brownhill, que fizeram um show de dança meio futurístico tão divertida quanto a melodia! O legal é que mesmo sendo bem sincronizada não ficou com a impressão de algo milimetricamente ensaiado, sabe? Em resumo: um projeto incrível! Vai ser melhor ainda se rolarem outras edições, eu participaria com todo no meu amadorismo só pra saber que os juízes (cof, cof, o Elton) assistiram minha prévia, sério!

Acompanhe o Elton John também pelo site oficial, Facebook, Twitter, Instagram e também pelos vários posts que já escrevi sobre ele aqui, inclusive dois shows que já tive a chance de assistir!

6 on 6 Abril: Música (Playlist)

Em 27.04.2017   Arquivado em Fotos

Vinte e um dias, sim, três semanas foi o tempo que demorei para terminar o 6 on 6 desse mês e trazer aqui pra vocês. Mas é que não dava pra deixar passar um tema tão maravilhoso como MÚSICA, não é, gente? E dessa vez foi mais legal do que nunca porque decidimos fazer uma playlist do grupo onde cada um escolhia algo que gostava e no final, como somos só 5, votamos juntos em qual seria a sexta. Isso foi um baita desafio pra mim porque tive que retratar coisas completamente novas, já que nem a escolha de todos era uma que eu conhecia… No fim das contas tava tudo tão diferente, causando umas sensações tão boas no processo que, ah, recomendo demais que vocês também escutem (tá incorporada no fim do post) pra ver que grupo mais eclético formamos! E aí que em alguns momentos eu fui pelas memórias que surgiram, em outros peguei partes específicas, então resolvi colocar também os trechos “escolhidos” para serem representados, porque teve vez que só conseguia pensar naquilo e ignorei o resto da letra completamente!

6 on 6 Abril

01. “Agora eu quero ir, quero ir / Agora eu quero ir / Pra me reconhecer de volta / Pra me reaprender e me apreender de novo” Agora Eu Quero Ir – Anavitória (escolha da Maíra)

6 on 6 Abril

02. “Ei, você! / Aí fora além do muro / Quebrando garrafas no corredor / Você pode me ajudar? / Ei, você, / Não me diga que não há mais nenhuma esperança / Juntos nós resistimos, separados cairemos” Hey You – Pink Floyd (minha escolha)

6 on 6 Abril

03. “Eu estou sozinho? / Eu estou perto, pelo menos? / Porque eu estou desejando, / ainda almejando algo que eu possa sentir” Craving – James Bay (escolha do Lucas)

6 on 6 Abril

04. “Porque temos o fogo, fogo, fogo / Sim, temos o fogo, o fogo, o fogo / E vamos deixar queimar, queimar, queimar, queimar” Burn – Ellie Goulding (escolha da Renatinha)

6 on 6 Abril

05. “Porque hoje eles ouvirão a verdade sobre mim / Eu não vou mais aguentar isso / Eu só serei eu mesma / Só, só, só me deixe ser eu mesma” Bara Få Va Mig Själv – Laleh (escolha do Igor)

6 on 6 Abril

06. “Estou apaixonada pelos seus contornos / Nos atraímos e nos repelimos como um ímã / Embora meu coração esteja se apaixonando também / Estou apaixonada pelo seu corpo” Shape Of You – Ed Sheeran (nossa escolha)

LISTENING TO: Laura d’Ávila

Em 24.03.2017   Arquivado em Música

Ela nasceu em Barcelona, mas aos 6 meses de vida veio para o Brasil se juntar ao resto da família como nossa (então) caçulinha. Dois anos depois, no natal, já estava com um microfone na mão se “apresentando” como atração da noite! Foi com essa idade também que Laura d’Ávila, hoje com 14, começou o ballet, e o amor pela dança a acompanha até hoje: já foi protagonista em “O Mágico de Oz” na escola onde dançava, passou três vezes pela prova da Royal Academy of Dance e faz dança folclórica desde os seis anos no grupo Sarandeiros! E como se não bastasse tudo isso essa pequena dançarina também canta (e encanta).

Laura d'Ávila

“Cantar pra mim é uma dança da voz, você mexe o corpo, você tenta passar tudo o que você tá sentindo!” (fonte)

A influência veio da mãe, que já cantou profissionalmente, e foi a grande inspiração para ela. No início era só uma diversão, até que por volta de um ano e meio atrás começaram as aulas de canto, e foi quando a coisa começou a ficar séria, virou paixão e ela viu que podia levar isso pra vida! Depois de gravar alguns vídeos e se apresentar em recitais do colégio, ela teve a chance de estar nos palcos da segunda temporada do “The Voice Kids”, programa que é hoje uma das maiores audiências do país, e entrou no time dos também mineiros Victor e Leo no último dia de audições com a música “Erva Venenosa” da Rita Lee, uma das suas favoritas!

Laura d'Ávila

Suas maiores ídolas são Ivete Sangalo, Maria Gadú, Beyoncé e Ariana Grande, ela até cantou “One More Time” na fase das batalhas do programa. A Laura é super eclética, escuta de tudo, mas sua paixão mesmo é pop rock, o que dá pra ver claramente nos covers que ela já fez e estão pela internet afora. Agora que saiu do TVK ela começou também a fazer aula de teatro, então pelo visto o céu vai ser o limite pros dotes artísticos da garota! De vez em quando ela dá uma palinha soltando a voz em lives do Instagram e até participou do último “Encanta Kids” em BH, mas a ideia mesmo é começar um canal do YouTube, que vai sair em breve…

Laura d'Ávila

Música Favorita:

Tem outras músicas que eu adoro ouvir a “versão” da Laura, principalmente “The Climb” da Miley Cyrus, mas nunca nenhuma grudou tanto na minha cabeça quanto “Erva Venenosa”! Ficou uma delícia a maneira como ela foi “conversando” com a letra, aí abaixo tem uma prévia e dá pra ver a apresentação completa aqui!

Mais Informações:

Quer mais Laura d’Ávila? Vocês podem acompanhar a trajetória dela no programa através do perfil de Artista no Gshow e ir além dela nas redes sociais como fanpage no Facebook, YouTube, Instagram e Twitter. As fotos usadas nesse post foram tiradas pelo Lucas Furtado Guedes.

Página 1 de 1312345... 13Próximo