18
10/13
Arquivado em Música às 17:58

Na tag “Listening To” posto sobre bandas/artistas que gosto, mas isso não significa que vocês não possam dar sugestões!! Escolhe uma dessas daqui e pode ser que ela apareça da próxima vez!!

* Mais um dos “Greatest Moments” da “Greatest Tag” aqui do blog, porque vou falar da banda que mais gosto nessa minha vida. E olha que eu gosto de muuuita coisa, musicalmente falando.
Os Beatles eram compostos, basicamente, de quatro nomes que até hoje ecoam no mundo da música como os integrantes da maior banda de todos os tempos:: John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr. Ou quem sabe Paul McCartney-George Harrison, Ringo Starr e John Lennon, na minha ordem de preferência. Tanto faz. O que importa é que esses foram os 10 anos mais gratificantes da história da música MUNDIAL. E é por isso que eu gosto tanto de escrever sobre esse assunto por aqui: porque sempre tem muito mais o que falar, mas que fica guardado pra mim em forma de sentimento. Eu posso dizer para todos que não sei como isso começou, acho que já nasceu comigo, mas a verdade é que eu amo esses “meninos”. MESMO.
Mas chega de manifestação de afeto e vamos pra história propriamente dita, e vou tentar fazer um resumão bem geralzão se não ficaremos aqui até amanhã.
– A história da banda é bem comprida, mas simplificando tudo podemos dizer que começou com uma banda anterior, “The Quarrymen”, que evoluiu para essa que todos nós conhecemos ainda hoje aos poucos. Os Beatles mesmo começaram a usar esse nome em 1960 e é a partir daí que se leva em consideração a história deles em atividade. Além de Lennon, McCartney (que, até então, tocava basicamente guitarra na banda) e Harrison eles contavam com um baixista, Stuart Sutcliffe, que ficou um ano só e foi “substituído” pelo Paul na função; e um baterista, Pete Best, que os abandonou em 1962 e foi substituído por Ringo Starr sob diversos protestos dos fãs. E foi assim que se formou o nosso tão querido “Fab Four” que arrastou multidões por todo o mundo. A “Beatlemania”, como é conhecia, varreu o mundo e eles conquistavam fãs tão histéricas que era impossível ouvir a banda durante os shows de tão altos que eram os gritos. Acho que nunca existiu nada igual na história da música ou de qualquer tipo de arte, o amor das fãs era tanto que John Lennon tinha que esconder sua primeira esposa do público para que as garotas não soubessem que ele era casado.

* De 1960 a 1970 os meninos se tornaram adultos, se casaram, tiveram filhos e continuaram tocando. A chegada dos Beatles nos Estados Unidos em 1964 é citada com um grande acontecimento do século XX e isso só serviu pra aumentar a popularidade da banda. Nesse mesmo ano saiu o primeiro filme deles, “A Hard Day’s Night” (que no Brasil tem o nome horroroso de “Os Reis do Iê-iê-iê”) e passaram a fazer shows em outros países da Europa, América do Norte e Oceania. Acho que foi provavelmente o auge da banda, porque nos dois anos seguintes tiveram seus baixos: a declaração de John Lennon de que eram mais populares que Jesus Cristo, por exemplo, causou uma grande revolta. Mas nada marcou tanto a nova fase “madura” da banda do que a decisão de não fazer mais shows, já que eles saíam dos mesmos frustrados por não conseguir sequer ouvir o que estavam tocando, fazendo com que a partir de 66 eles apenas lançavam novos álbuns e singles.
Ninguém sabe exatamente o motivo “real” do fim da banda, mas na minha opinião foi o conjunto das coisas. A presença da Yoko que realmente incomodava todos os integrantes (segundo George Martin ela não se separava do John nem quando ele estava no estúdio ou mesmo no banheiro masculino), a vontade do George de ter mais destaque como compositor, a situação empresarial da banda, o início da carreira solo de cada um deles… O que se sabe é que em 1969 eles fizeram sua última apresentação no telhado da Apple Corps e no ano foi apresentado o documento para a dissolução da banda.

* Dizem que eles ainda não se bicam (ou pelo menos os que estão vivos, que são Paul e Ringo), que John Lennon fez músicas pra atacar o Paul depois. Outros dizem que, como o tempo, a banda até voltaria a tocar junta se John Lennon não tivesse sido assassinado, e alguns deles chegaram a ser encontrar novamente em estúdios e nos palcos depois disso. Quem está certo e quem está errado não importa nessa história. O que importam são os cinco filmes, 13 álbuns em estúdios, inúmeras músicas e a GIGANTESCA influência popular nos Beatles nos sáculos XX e XXI. Você pode não ser fã da banda, mas com certeza gosta de alguma música deles nem que seja em cover. E quem nunca salvou no computador uma imagem de seus personagens favoritos “fantasiados” de Beatles, como Os Simpsons atravessando a Abbey Road. E por fim, mas não menos importante: sempre tem alguma música dos Beatles em algum musical famoso que usam canções de artistas variados, né? Eles até já ganharam um musical só com músicas deles, o “Across The Universe”, que é um dos filmes mais lindos que já vi na vida…

More »

By Luly

19
02/11
Arquivado em Música às 02:57

Na tag “Listening To” posto sobre bandas/artistas que gosto, mas isso não significa que vocês não possam dar sugestões!! Escolhe uma dessas daqui e pode ser que ela apareça no próximo mês!!

* Um milagre eu postar nessa Tag, tinha esse e mais uns 4 Drafts aqui. Agora vou colocar em dia.
E mais milagre ainda é a banda da vez não vir do Reino Unido!! Porque os Scorpions surgiram em 1965 na ALEMANHA!! Inicialmente formada pelos irmãos Michael Schenker e Rudolf Schenker (ambos na guitarra) e seus amigos Klaus Meine (vocal), Lothar Heimberg (baixo) e Wolfgang Dziony (bateria), porém a formação “final” iniciada em 2004 contava apenas com Meine e Rudolf Schenker do quinteto original, tendo também Matthias Jabs (guitarra), Pawel Maciwoda (baixo) e James Kottak (bateria).

– Na verdade Rudolf e Klaus já estavam “sozinhos” desde a década de 70 quando a banda começou a atingir algum sucesso, mas não desistiram do projeto e continuaram levando adiante e conseguiram muito sucesso na década de 80, participando de festivais e lançando vários albúns. No início dos anos 90 sofreram uma pequena queda quando precisaram reestruturar a banda mas isso não os afetou: em 2000 o álbum “Moment of Glory” teve muita aceitação e músicas favosíssimas como “I’m Still Loving You”, e em 2001 eles fizeram o show “Acoustica” em Lisboa, e eu imagino que esse seja o show mais lindo e conhecido deles.
Em 2010 foi anunciado o fim da banda com o álbum “Sting in the Tail” e shows pelo mundo afora, inclusive vários no Brasil (e tinha BH!!), mas acho que acabaram não acontecendo, ou pelo menos não aqui. Mesmo assim, eles dizem que pretendem rodar o mundo ainda um pouquinho, então a esperança é a última que morre.

* Eu conheço Scorpions desde sempre, assim como todas (!!) as bandas que gosto, porque meus pais – nesse caso meu pai principalmente – é que gostavam dessas bandas e passaram o gosto pra mim. Mas foi ouvir mesmo por volta de 2005 e tinham 2 músicas deles que eu realmente gostava: “I’m Still Loving You” e “Dust In The Wind”. Inclusive fiquei muito chateada por não ir no show de 2008 (e compartilhei isso aqui). Mas ano passado eu comecei a pesquisar mais sobre a banda e suas músicas e acabei conhecendo (e re-conhecendo) várias outras e agora sei que se eles vierem em BH mais um vez vou fazer o possível e o impossível para ir porque eles estão entre minhas 10 bandas favoritas com certeza.

More »

By Luly

16
06/10
Arquivado em Música às 23:45

Na tag “Listening To” posto sobre bandas/artistas que gosto, mas isso não significa que vocês não possam dar sugestões!! Escolhe uma dessas daqui e pode ser que ela apareça no próximo mês!!

* Grande Reino Unido!! Quando eu começo a gostar de um artista/banda e vou pesquisar sobre o mesmo já nem me surpreendo mais quando vejo de onde eles vieram, eu nasci no país errado MESMO.
Nazareth é uma banda escocesa de hard rock e heavy metal formada no final da década de 1960 e tinha como formação original Dan McCafferty (vocal), Manny Charlton (guitarra), Pete Agnew (baixo) e Darrell Sweet (bateria). Na verdade a banda já existia antes, mas o nome “Nazareth” só foi adotado em 1968, quando Charlton se uniu a eles. A partir daí pararam de fazer covers, passaram a compor suas próprias canções e de mudaram para Londres, onde lançaram o primeiro álbum em 1971. Depois do segundo álbum o som foi ficando mais pesado e em 1973 Roger Glover foi escolhido como produtor do 3º álbum, fazendo com que a banda estourasse de vez, atingindo seu grande auge. Os anos 70 foram o ponto alto da história no Nazareth, que passou por um período difícil na década seguinte. Em 1990, Manny Charlton saiu da banda, e todos pensaram que seria o fim, mas foi aí eles passaram a se recuperar. Mesmo sofrendo vários problemas ao longo dos anos, várias mudanças em sua formação, até hoje têm grande influência quando se trata de rock, e atualmente ainda contam com vocal e baixo do quarteto original. Seu último álbum lançado foi em 2008, “The Newz”, quando a banda completou 40 anos.

* Cada post sobre música que escrevo eu destaco o fato de que tenho a sorte de ter pais com exelente gosto musical, e mais, pais que me passaram isso. Nazareth é mais uma dessas bandas que escuto desde sempre. Mas ao contrário das outras, que logo que comecei a gostar de música (por volta de 2004) eu adoro, eu só passei a ouvi-los recentemente, no fim do ano passado. E, sinceramente, acho que se todo mundo nesse mundo ouvisse algumas músicas deles o heavy metal seria um estilo musical menos “odiado”, porque pelo menos de UMA vai agradar, é humanamente impossível não gostar de nenhuma música deles, juro que é!!
Mas é humanamente possível gostar de todas, vide eu mesma.

More »

By Luly

25
03/10
Arquivado em Música às 15:51

Na tag “Listening To” posto sobre bandas/artistas que gosto, mas isso não significa que vocês não possam dar sugestões!! Escolhe uma dessas daqui e pode ser que ela apareça no próximo mês!!
A de hoje é especial, porque é aniversário de 63 anos dele ^^

* Eis o post “Listening To” mais importante, especial e bem feito de todos os tempos… O post de “feliz aniversário” do maior e melhor ídolo da minha vida. Daquele de quem já falei tantas vezes (principalmente em janeiro de 2009: a época do grande show), mas que hoje ganha um post na minha Tag preferida: Sir Elton Hercules John.
Reginald Kenneth Dwight nasceu em Londres no dia 25 de março de 1947. A família inteira tinha um bom conhecimento sobre música, mas “Reg” não tinha tanto apoio assim. Um primo jogava futebol e para a família esse era uma carreira “ideal”, ele estava se tornando conhecido. Enquanto isso, Reginald tocava piano sem -até então – nunca ter assistido uma aula: ele aprendeu ouvindo. Eu já assisti um documentário inteiro sobre a vida dele todia, e até tenho em dvd, mas acho que vou ter que simplificar bastante… Sua vida musical começou pra valer ma banda Bluesology, que ele “abandonou” por querer trabalhar não só como pianista, mas também como vocalista. Isso foi possível quando, aos 20 anos, foi apresentado a Bernie Taupin, letrista, o autor das letras de praticamente toda sua discografia. A parceria de Elton e Bernie é provavelmente a maior que já existiu entre compositor e letrista, e eles são grandes amigos até hoje. São 40 anos de sucesso juntos, por mais que Bernie não seja tão mundialmente conhecido, mas no fundo ele conquistou realmente o que queria.
O nome “Elton John” é uma homenagem a Elton Dean e Long John Baldry, saxofonista e vocalista da Bluesology, respectivamente. Elton John é um ícone. Nos anos de 70 foi considerado o 2º melhor da década. É conhecido não só pelas roupas e atitudes extravagantes, mas também pela filantropia, pelos duetos e tributos. Exemplos claros disso são as músicas “Empty Garden”, escrita para seu amigo (e, na minha opinião, maior ídolo) John Lennon, e “Candle in the Wind”: a música original falava de Marilyn Monroe e em 1997 ganhou uma nova letra para homenagear sua amiga Diana, princesa de gales.
É difícil descrever a magnetude da sua obra… Tantos albúns bem classificados na Billboard, tantas homenagens… Ele compõe, toca, canta e encanta!!

* Eu conheço as músicas dele desde sempre… Primeiro porque minha mãe sempre ouvia, e eu sempre sentava ao lado dos meus pais pra ouvir as músicas deles (a prova disso é o gosto musical que tenho hoje). Mesmo que eu não soubesse quem ele era, sempre tinha uma música do Elton John na minha vida: “Your Song” no Moulin Rouge, “I Want Love” na novela O Clone. Mas tudo começou MESMO por causa d’O Rei Leão… Eu pegava os CDs da minha mãe SÓ pra ouvir “Can You Feel The Love Tonight”… E foi por causa dessa música que peguei um DVD do meu show favorito dele no início de 2006 para testar meu então novo computador. A partir desse momento a música virou UMA das milhares que eu amo e ele se tornou minha grande paixão musical.
E… No show dele no Rio em janeiro do ano passado foi provavelmente o dia em que eu mais chorei na minha vida. Toda vez que escuto Rocket Man tenho vontade de chorar denovo por causa disso!!
Ele já teve tripla internação para curar seu vício em álcool, drogas e a bulimia. Ele é egocêntrico, aprontou tudo que podia, teve ataques de diva antes de shows, já foi casado com uma mulher, é casado com um homem e já fez tantas coisas tidas como “erradas” pela sociedade… Mas mesmo assim… No meu post sobre o Abba eu disse que devia muito a eles… Mas a verdade é que, Elton… Eu devo TUDO a você!! Feliz aniversário!!

More »

By Luly

12
09/09
Arquivado em Música às 18:53

Na tag “Listening To” posto sobre bandas/artistas que gosto, mas isso não significa que vocês não possam dar sugestões!! Escolhe uma dessas daqui e pode ser que ela apareça no próximo mês!!

* Hoje tô aqui com um dos “greatest moments” da minha tag preferida!! Vou falar da banda que marca meu gosto musical completamente… O grande, lindo, incrível, espetacular……. ABBA!!
O ABBA foi um grupo sueco formado por Björn Ulvaeus e Benny Andersson, dois músicos e compositores, e suas então noivas, as vocalistas Agnetha Fältskog e Anni-Frid Lyngstad (ou Frida), respectivamente. Inicialmente não tinham um “nome”, era simplesmente “Björn-Benny Agnetha-Frida” mas então juntaram as iniciais dos quatro integrantes e formaram esse nome que é um ícone!!
O estilo musical era bem disco e pop/europop, o que tornou algumas músicas da banda algo bem… “esteriotipado”, mas as vezes eles chegavam perto de um rockzinho também!! Foi 2º grupo de maior sucesso na história da música mundial, perdendo apenas, e logicamente, para os mestres supremos Beatles. E eles duraram um tempo relativamente pequeno, de 1972 a 1982, é realmente um período curto se comparado às grandes bandas que surgiram nos anos 60 e estão aí até hoje.
Imagino que era previsível que durasse pouco, uma vez que eram dois casais trabalhando juntos. Quando Björn e Agnetha se divorciaram eles até conseguiram manter, mas aí Benny e Frida fizeram o mesmo, eles acabaram indo atrás de projetos separados e foi o fim… Pena!! Mesmo assim, sendo só 10 anos, foram oito álbuns de estúdio e uma média de 370 milhões de discos vendidos… Hoje em dia eles ainda vendem 3 milhões de discos por ano (dados retirados da Wikipédia, acesso em 06/09/2009). Em 1999 foi lançado o musical Mamma Mia! que em 2008 virou filme, somente com músicas da banda. Mas disso eu já falei antes e SIM, eu amo o filme!!

* Acho que nem preciso dizer que o ABBA é muuuuuito importante para mim, tanto que esse post foi desenvolvido todinho através dos anos em que venho “estudando” a história deles. Minha principal fonte é meu dvd “Abba Gold”, onde Björn ajuda a contar história e, cá entre nós, o final do depoimento dele me fez chorar!! Vamos pro momento romântico:
Em 2004… Pouco tempo depois de ter completado 14 anos… Bom, eu ainda era uma garota que ouvia rádio, não tinha realmente um gosto musical. Lógico que já puxava a preferência pro lado das música mais “antigas”, mas isso não era definido ainda. Então um belo dia minha mãe chegou para mim e disse (com essas palavras):
“Se você quiser uma festa de 15 anos essa música aqui vai tocar com certeza, ESCUTA!!”
A música era Dancing Queen. NESSE DIA meu gosto musical começou a se formar e Dancing Queen se tornou minha eterna música favorita. Eu me tornei fã dessas 4 pessoas maravilhosas e nos últimos dias, quando voltei a “estudar” sobre para postar isso aqui senti todo um aperto ao ve-los velhinhos…
Björn, Benny, Agnetha, Frida… Devo MUITO a vocês!!

More »

By Luly