As Panteras (2019)

Em 01.12.2019   Arquivado em Filmes

As Panteras (Charlie’s Angels) *****
As Panteras Elenco: Elizabeth Banks, Ella Balinska, Kristen Stewart, Naomi Scott, Patrick Stewart, Noah Centineo, Chris Pang, Djimon Hounsou, Luis Gerardo Méndez, Nat Faxon, Robert Clotworthy, Sam Claflin
Direção: Elizabeth Banks
Gênero: Ação, Comédia
Duração: 119 min
Ano: 2019
Classificação: 14 anos
Sinopse: “As Panteras sempre estiveram a disposição para prover segurança e truques investigativos para clientes exclusivos e agora a Agência Townsend se expandiu a nível internacional, com as mais espertas, mais destemidas e mais treinadas mulheres do planeta. Mas quando um jovem engenheiro de sistemas vaza informações sobre uma perigosa tecnologia, cabe a um trio de Panteras (Kristen Stewart, Naomi Scott e Ella Balinska) entrar em ação, colocando suas vidas em risco para proteger a nós todos.” Fonte: Filmow.

Comentários: Esqueça os macacões colados, saias curtas, poses sensuais e flertes como método de trabalho! O novo “As Panteras” mostra um trio de espiãs mais forte do que nunca, com respeito absurdo aos filmes e série anteriores da franquia mas sob nova abordagem, com o “poder feminino” além da imagem, sem necessidade de sexualização e também em cargos de chefia. Para quem está cansado de reboots, já fica o aviso: não é disso que se trata o longa! A história soa como uma continuação dos anteriores, mostrando a nova versão globalizada agência Townsend, mas com personagens novas, de forma que funciona também de forma independente.

Nele Jane, Sabina e Elena, cada uma integrante de uma minoria política, ainda que isso não seja citado em momento algum (negra, não-hétero e asiática), são enviadas juntas em uma missão, lideradas pela Bosley Susan, o que por si só já é mudança em relação aos anteriores, onde cargos de poder eram todos ocupados por homens. As duas primeiras já trabalham como Panteras há anos, e Elena entra “de gaiato” após ser ameaçada por revelar os verdadeiras perigos de uma tecnologia inovadora que ajudou a desenvolver como engenheira. Essa união para impedir maiores catástrofes é apresentada com boas cenas de ação, pitadas de sentimentalismo e muito humor inteligente.

As Panteras

Imagem via Pop Sugar

As personagens principais têm personalidades definidas, mas sem uma apresentação escancarada ou assumindo um “título”. Não existe “a engraçada”, “a bonita” ou “a inteligente”, como acontece muitas vezes em filmes norte americanos, todas elas são mais de uma coisa, porque seres humanos nunca têm uma camada só, né? E mesmo dando para ler essas mulheres você fica curiosa pra vê-las a fundo, numa possível continuação que tem tudo pra acontecer. E o elenco… Ah, que elenco! Para quem está acostumada com Kristen Stewart apenas na Saga Crepúsculo, finalizada em 2012, vai se surpreender muito positivamente com a atuação dela como Sabina, está maravilhosa! Definitivamente é destaque no que diz respeito à atitude e carisma, mas sem ofuscar as outras, Jane de Ella Balinska é empoderadíssima e Elena de Naomi Scott adorável, se complementam como qualquer trio de amigas que vemos no nosso cotidiano por aí. E a cereja do bolo é Elizabeth Banks, que foi não só atriz como também diretora, provando que olhares femininos fazem total diferença em obras que têm mulheres como público alvo principal.

Outras presenças a serem destacadas, dessa vez no núcleo masculino da trama, é Noah Centineo (fora da Netflix!) e Sam Claflin, rostos muito conhecidos dessa vez em papéis coadjuvantes divertidos e pertinentes em dois “lados” distintos da história, causando mais risadas sem necessidade de exageros. Já como ponto negativo a cena inicial precisa ser mencionada, é demasiadamente acelerada com muitos cortes desnecessários, não faz justiça nenhuma ao resto, portanto não “julguem pela capa”, passa rapidinho e todo o resto é ótimo, principalmente o final que vem com, além de uma surpresinha delícia, a presença de várias das Panteras antigas, fan service presente e nem um pouco forçado. É pra ser sincera? Com todo respeito à série clássica dos anos 70/80 e à duologia do início da década 2000, mas esse é o melhor “Charlie’s Angels” de todos até hoje!

Trailer:

Crepúsculo

Em 12.01.2009   Arquivado em Filmes, Leitura

* Pessoal, que calor é esse?? Finalmente parou de chover, mas é impossível ficar confortável. Esse clima maluco, teve dia de inverno que fez 36°C, aí o verão tava um friozinho delicioso pra compensar, mas agora tá nisso…Que ódeo!!
Mas não é disso que eu vim falar não… FÃS MALUCAS E DESESPERADAS DE CREPÚSCULO: nããããããããããão leiam esse post, senão será o fim da minha reputação Blogueira!! Lembrem que sou legal, independente de ter gostado ou não da paixão de vocês. Quem não liga pra opiniões opostas: vá em frente!!

* Minha irmã ganhou o bendito livro e eu li meio “assim”, mas esperando que fosse bom o bastante pra ter virado essa febre que virou. Mas aí eu li e, bem… Enfim, aí hoje fui assistir o filme com ela e com meu pai e devo admitir que, depois de ter uma opinião formada sobre a história, o que me levou mesmo a ir lá foi Robert “Coisa Linda” Pattinson #gatcheenho pegael… Cheguei lá, meio que quebrei a cara e vocês estão prestes a ver algo inédito por aqui: EU gostando mais de que vi do que o que li!!

CrepúsculoLivro Crepúsculo – livro
– Autora: Stephenie Meyer
– Sinospe: “Isabella Swan chega à nublada e chuvosa cidadezinha de Forks – último lugar onde gostaria de viver. Tenta se adaptar à vida provinciana na qual aparentemente todos se conhecem, lidar com sua constrangedora falta de coordenação motora e se habituar a morar com um pai com quem nunca conviveu. Em seu destino está Edward Cullen.
Ele é lindo, perfeito, misterioso e, à primeira vista, hostil à presença de Bella o que provoca nela uma inquietação desconcertante. Ela se apaixona. Ele, no melhor estilo “amor proibido”, alerta: Sou um risco para você. Ela é uma garota incomum. Ele é um vampiro. Ela precisa aprender a controlar seu corpo quando ele a toca. Ele, a controlar sua sede pelo sangue dela. Em meio a descobertas e sobressaltos, Edward é, sim, perigoso: um perigo que qualquer mulher escolheria correr.
Nesse universo fantasioso, os personagens construídos por Stephenie Meyer – humanos ou não – se mostram de tal forma familiares em seus dilemas e seu comportamento que o sobrenatural parece real. Meyer torna perfeitamente plausível – e irresistível – a paixão de uma garota de 17 anos por um vampiro encantador.”

– Comentários: Aaaaaah não, gente!! Alguém me diz O QUE, POR FAVOR, tem de tão incrível nessa história?? Eu não entendo, não entendo, não entendo!! As personagens, nossa, gostei de pouquíssimos… Basicamente o Charlie (fofo!). Achei a Bella tão chatinha =/ E aí vem o enredo. É narrado por uma menina bobinha, você lê 300 páginas sem ver nada demais e de repente começa o clímax de história mais besta que já vi!!
No início eu achei meio Romeu e Julieta, tipo “nem te conheço direito e já morro por você”, mas depois fui pensando e tals… Acho que ele é meio irresistível demais, então não conto mais isso como defeito.
Enfim, minha opinião… legalzinho. Nada mais e nada menos que isso!! Fim!!

CrepúsculoFilme Crepúsculo – filme
– Elenco: Robert Pattinson, Kristen Stewart, Taylor Lautner, Michael Welch, Justin Chon, Peter Facinelli, Kellan Lutz, Cam Gigandet, Anna Kendrik
– Duração: 120 min.
– Sinopse: “Isabela Swan vai morar com seu pai em uma nova cidade, depois que sua mãe decide casar-se novamente. No colégio, ela fica fascinada por Edward Cullen, um garoto que esconde um segredo obscuro, conhecido apenas por sua família. Eles se apaixonam, mas Edward sabe que quanto mais avançam no relacionamento, mas ele está colocando Bella e aqueles à sua volta em perigo. Quando ela descobre que Edward é, na verdade, um vampiro, ela age contra todas as expectativas e não tem medo da sede de sangue de seu grande amor, mesmo sabendo que ele pode matá-la a qualquer momento.”
– Comentários: Em toda minha vida eu gostei muito mais de ler um livro mil vezes do que ver mil filmes diferentes. Eu, apaixonada com Harry Potter como sou, ODEIO os filmes, acho horrível. Não consigo gostar 100% de adaptações. Mas talvés porque achei a história fraca e tals, eu preferi o filme!! JURO POR DEUS!! Ah, nem, tô toda errada, viu!!
Só não gostei das maquiagens (muito mal-feitas), do Jacob (velho demais) e do Charlie… Imaginei ele um típico policial-simpático, mei-gordo, mei-careca de cabelos brancos, estragou minha magia.
A cena que eu mais quera ver era ele mostrando pra ela como fica no sol, porque quando li não conseguia imaginar muito bem. Ficou bem próximo do que minha cabecinha gerou, só que mais bonito.
No mais, ri muito, e até meu pai riu, nas cenas Charlie + Edward (meus faavoritos), da espingarda e pré-baile, e gostei da maneira como a história foi levada. A Kristen tem uma voz forte que fez a Bella ficar menos besta, apesar de trabalhar mal pra caramba, e o Robert… Aaaaah, ingleses e seu sotaque impossível de disfarçar, ninguém pediu minha opinião não, gente, mas ele é LINDO!! Aquela hora que eles chegam na escola juntos pela primeira vez, que ele sai do carro de óculos de sol, aí abre a porta e depois ainda abraça ela, ah, se fosse comigo!!

* Depois do filme nós comemos pizza com Coca Cola, tomamos sorvete no McDonalds e agora eu QUERO MUITO ir no “Marley & Eu”, porque virou meu livro-não-HP favorito e mais “chorável”…

.. ah nem, viu, eu devo estar meio chata ou meio velha… Vamos fazer de conta que só falei do filme, tá, pra vocês não boicotarem meu blog, hehehe.

Ouvindo: Guilty – Bee Gees

– Comentários