Animais Fantásticos e Onde Habitam

Em 18.11.2016   Arquivado em Filmes, Harry Potter, Vídeos

É claro, óbvio e evidente que eu não ia deixar de escrever sobre o resultado da experiência maravilhosa pela qual esperamos por três anos de assistir o vulgo *Harry Potter e os Bicho* por aqui… A pré estréia de Animais Fantásticos e Onde Habitam aconteceu aqui no Brasil na virada do dia 16 para o dia 17 e entre as 19h de um e 3h do outro eu assisti ao filme duas vezes seguidas… Estou ENCANTADA! Gravei dois vídeos sobre ele, um sem spoilers e outro com, e agora deixo aqui também meu registro em forma de texto desse acontecimento tão especial na vida de todos os fãs da obra de J.K. Rowling!

Animais Fantásticos e Onde Habitam, via Filmow

Animais Fantásticos e Onde Habitam (Fantastic Beasts And Where To Find Them) *****
Elenco: Eddie Redmayne, Katherine Waterston, Dan Fogler, Alison Sudol, Colin Farrell, Ezra Miller, Carmen Ejogo, Jon Voight, Ron Perlman, Samantha Morton
Direção: David Yates
Gênero: Fantasia
Duração: 127 min
Ano: 2016
Classificação: 12 anos
Sinopse: “O excêntrico magizoologista Newt Scamander (Eddie Redmayne) chega à cidade de Nova York com sua maleta, um objeto mágico onde ele carrega uma coleção de fantásticos animais do mundo da magia que coletou durante as suas viagens. Em meio a comunidade bruxa norte americana que teme muito mais a exposição aos trouxas do que os ingleses, Newt precisará usar suas habilidades e conhecimentos para capturar uma variedade de criaturas que acabam saindo da sua maleta.” (fonte – sinopse e pôster)

Comentários: Absolutamente GENIAL! Eu sei que sou suspeita, sei que sou fã, mas também sei que não tem como não dar todo o crédito que essa obra merece! Estou cavando minha própria cova aqui nesse momento e dizendo com toda certeza que, como filme, “Animais Fantásticos e Onde Habitam” é melhor do que a série Harry Potter! Rowling conseguiu brilhantemente preservar a essência do livro didático de mesmo nome enquanto apresenta seu seu autor, o MAGNÍFICO Newt Scamander, e tudo isso no fundo é uma grande desculpa para contar a história de personagens e acontecimentos já conhecidos pelos seus fãs, que nós vamos acompanhar avidamente até essa série acabar ao final dos cinco filmes.

Newt é um “herói”, por falta de uma palavra melhor, completamente diferente do que estamos acostumados. Tímido e introvertido, sem jeito nenhum para lidar com seres humanos, ele se transforma COMPLETAMENTE quando está ao lado das criaturas mágicas que cria dentro de sua maleta encantada, dá pra ver claramente o quanto ele ama cada um deles e se dedica em mostrar para todos os motivos desse amor. E é por causa de uma das criaturas que esse britânico vai parar em Nova York durante a década de 20, onde um encontro com o divertido não-maj (maneira americana de se referir a um “trouxa”) Jacob e a auror Tina (e, consequentemente, sua adorável irmã Queenie) mudam completamente o rumo dessa viagem, feita numa hora que não podia ser menos oportuna. A cidade está sendo tomada por ataques que despertam o sentimento anti-bruxo em um grupo sensacionalista liderado pela opressiva mãe de Creedence, um garoto que claramente tem problemas psicológicos fortíssimos. Ainda no núcleo principal, estudando esses ataques e com suspeitas fortes do que supostamente está por trás daquilo temos o chefe da segurança da MACUSA – Congresso Mágico dos Estados Unidos da América, Percival Graves. O humor fica por conta da chance que temos de conhecer VÁRIOS dos protegidos de Newt, alguns que já citados nos livros de Harry Potter, como os muito fofos Tronquilhos e Pelúcio, outros estão no livro AFEOH, além de outros que serão de extrema relevância na história, como o Thunderbird, que é inclusive o símbolo de uma das Casas da escola de magia americana, Ilvermorny. Somos também apresentados a forças mágicas – muito sinistras – nunca antes vistas, que dão um toque sombrio ao enredo. Isso tudo retratado em torno da melhor parte de tudo que é FINALMENTE ver a dinâmica maravilhosa da vida de um bruxo adulto, que pode aparatar quando bem entender e usar todos os feitiços do mundo, o que causa uma nostalgia enorme já que os dois primeiros a serem executados são justamente velhos familiares vistos em “A Pedra Filosofal”. As lembranças dos filmes “anteriores” são intensificadas também pela trilha sonora, que mistura as notas clássicas antigas com outras novas e músicas tipicamente americanas da década retratada.

O elenco é MARAVILHOSO, com uma única exceção que, felizmente, não conseguiu atrapalhar a história (ainda). Eddie Redmayne e Scamander parecem ter sido feitos um para o outro, definitivamente foi meu personagem favorito, e olha que estava difícil escolher um só dentro do quarteto protagonista mais carismático que já vi. Toda a parte técnica é impecável, a versão 3D/IMAX tem efeitos de encantar qualquer um que gosta desse tipo de mídia sem ser o principal, o roteiro se sustenta lindamente sem isso mas também compensa o ingresso mais caro, se for o caso. A maleta do Newt é incrível, não só por causa das criaturas mas também pelo ambiente em si, dá pra perceber que eles estão em um local fechado e até meio improvisado, porém com simulações dos mais diversos ecossistemas tão bem feitos que só magia mesmo poderia proporcionar algo igual, e é ela mesma que proporciona. Essa cena é a MELHOR DE TODAS, dá vontade que não acabe nunca, que seja infinita. Outro momento super impactante é o grande clímax final da história, sobre o qual não dá pra falar nada porque precisa ser visto, eu sinceramente não esperava por aquilo.

Minha única decepção, tirando o ator queridinho das pessoas que INFELIZMENTE foi confirmado na série, foi a presidenta da MACUSA, Seraphina Picquery. Pelos trailers achei que ela seria uma imagem feminina MUITO forte, uma vez que estar em um cargo alto assim na época sendo mulher e negra é algo a se levar muito em conta, mas não aconteceu. Ao mesmo tempo não foi necessário porque Tina e Queenie deram conta do recado, elas são super fortes e à frente do seu tempo de maneiras diferentes e relevantes, dá vontade de ser uma mistura das duas! Enfim, vale a pena para quem já gosta desse universo, porque é claramente o público alvo, mas é bom o suficiente para encantar até quem não gosta. E agora vamos esperar os próximos porque tem MUITA coisa para se descobrir ainda: será que veremos outras escolas de magia? Ainda temos a segregação total com os não-majs nos EUA? Até que ponto as forças que conhecemos agora estavam presentes em personagens antigos? E o que aconteceu com personagens que supostamente estão “fora da história”? Continuaremos vendo Newt e seus “bichinhos”? Só o tempo vai nos mostrar, enquanto isso ‘bora teorizar e especular!

Vídeo SEM spoilers: A versão com spoilers tá AQUI, OH!

Caminhos da Floresta

Em 01.02.2015   Arquivado em Disney, Filmes

Into The Woods Caminhos da Floresta (Into The Woods) *****
Elenco: Meryl Streep, Emily Blunt, James Corden, Anna Kendrick, Lilla Crawford, Daniel Huttlestone, Johnny Depp, Chris Pine, Mackenzie Mauzy, Billy Magnussen, Christine Baranski, Tracey Ullman, Annette Crosbie, Frances de la Tour, Lucy Punch, Tammy Blanchard, Barrie Martin, Joanna Riding, Richard Glover, Simon Russell Beale
Direção: Rob Marshall
Gênero: Musical, Fantasia
Duração: 125 min
Ano: 2015
Sinopse: Uma bruxa (Meryl Streep) está decidida a dar uma lição em vários personagens famosos dos contos de fadas, como Chapeuzinho Vermelho, Cinderela e Rapunzel. Cabe a um padeiro e sua esposa a tarefa de enfrentá-la, de forma a colocar as histórias e seus personagens em ordem.” (fonte)
Comentários: Primeiramente: esqueçam COMPLETAMENTE essa sinopse horrenda que tá sendo divulgada por aí porque o filme não tem absolutamente nada a ver com isso. “Segundamente”, já que não estão divulgando muito isso: esse filme é um MUSICAL, e daqueles que tem música e diálogos cantados e rimados o tempo inteiro e sem parar, então é bom ir preparado já para isso porque é um estilo que não agrada muita gente. Tendo isso em consciência vai em frente porque o filme é maravilhoso. Sério, pura magia Disney!
A história é um mix de contos de fadas diversos (Cinderela, Rapunzel, João e o Pé de Feijão e Chapeuzinho Vermelho) que se entrelaçam o tempo todo com a história de um padeiro e sua esposa que não conseguem ter filhos. O que faz eles se encontrarem é uma missão dada por uma bruxa (interpretada pela Meryl Streep que tá ultrapassando seus limites de diva suprema do cinema) que acaba levando esse casal para a floresta ao mesmo tempo dos outros personagens. E aí que nesse meio tempo tem músicas que grudam lindamente na cabeça, um monte de atores bons de serviço, romance, humor, aventura, drama: TUDO! Tem tudo, gente, simples assim, e é tudo misturado direito de uma forma que só a Disney consegue fazer. E mais: mesmo com o final “diferente” a história é super fiel ao original dos contos de fadas, com os momentos impactantes e tudo mais, a parte da Cinderela deixou o pessoal que estava no cinema (e provavelmente não conhece a história) até meio chocado.
Eu vi muita gente falando mal do filme desde ontem e não tô entendendo, sério. O povo reclama dos clichês de contos de fada, aí vem um filme que mostra tudo de forma bem humorada até acabar quebrando com o que é esperado e o povo reclama. Tem Johnny Depp fazendo o MESMO PAPEL DE SEMPRE que é só o que ele tem feito desde Piratas do Caribe e todo mundo idolatra, e a galera diz que a aparição dele foi desvalorizada (apesar de ser igual a todas as outras). Tem Meryl Streep mais maravilhosa do que nunca e me fazendo até arrepiar na cadeira (sério, vontade de me ajoelhar aos pés dela) e só o que o povo consegue dizer é que nem ela consegue salvar a história. Não acreditem nisso, crianças, assistam ao filme porque eu garanto que é maravilhoso. Ele une as histórias e dá um final, mas ao mesmo tempo ficam algumas possibilidades soltas pra você ver que nem tudo na vida acaba ou tem um felizes para sempre. (Como é o caso, por exemplo e com um leve spoiler, da Rapunzel e do padeiro, que nunca chegam a se conhecer por mais que você ache que isso vai acontecer devido à história deles).
O que eu achei mais incrível é que é uma história de fantasia que funciona bem sem mocinhos nem vilões: todo mundo ali tem erros e acertos! Até mesmo a bruxa, que tem a aparência meio perversa, é assim e as letras das músicas dela estão sempre mostrando isso, que nós somos humanos e que tem bem e mal em todo mundo. Eu sou daqueles que torce pro herói e quer ver o vilão morrendo SEMPRE e não me decepcionei, gostei de absolutamente to-dos os personagens.
Melhores momentos: A hora mais engraçada é quando os dois príncipes irmãos (o da Cinderela e o da Rapunzel) cantam uma música digna de vergonha alheia e hilária mostrando o lado engraçado desses “príncipes encantados”. A gente ria de rolar. Quanto às histórias de contos de fadas minhas partes favoritas eram as do Jack/João: eu não conhecia o Daniel Huttlestone mas achei o garoto incrível, acho que tem mega futuro e é a cara do Reginald, meu Isul, impossível não morrer de amores.
Mas ninguém, ninguém, NINGUÉM ganha da bruxa, jamais. Ela é absolutamente maravilhosa, uma atuação fora do normal, as músicas eram as melhores, impecável. Meu apelo pessoal é: deem mais um Oscar pra essa mulher porque ela merece e muito! Quero muito o dvd depois pra ver e rever porque amei tudo, mas principalmente por causa dela!
Trailer:

Sombras da Noite

Em 03.07.2012   Arquivado em Filmes

Sombras da Noite Sombras da Noite (Dark Shadows) *****
Elenco: Johnny Depp, Michelle Pfeiffer, Bella Heathcote, Chloe Moretz, Gulliver McGrath, Ivan Kaye, Jonny Lee Miller, Michael Sheen, Susanna Cappellaro, Helena Bonham Carter, Eva Green, Christopher Lee, Jackie Earle Haley, Alice Cooper, Thomas McDonell
Direção: Tim Burton
Gênero: Comédia/Drama
Duração: 113min
Ano: 2012
Sinopse: “No ano de 1752, Joshua, Naomi Collins e seu filho Barnabas, foram embora de Liverpool, Inglaterra, para começar uma nova vida na América. Mas mesmo um oceano não foi suficiente para escapar da misteriosa maldição que atormenta sua família. Duas décadas se passaram e Barnabas (Johnny Depp) tem o mundo aos seus pés, ou pelo menos a cidade de Collinsport, Maine. Capitão do Collinwood Manor, Barnabas é rico, poderoso e um playboy inveterado … até que ele comete o erro grave de quebrar o coração de Angelique (Eva Green), uma bruxa, em todos os sentidos da palavra, Angelique condena-o a um destino pior que a morte, transformando-o em um vampiro e enterrando-o vivo. Dois séculos mais tarde, Barnabas é libertado de seu túmulo, e surge nos dias modernos.” (fonte)
Comentários: Antes de começar quero dizer que tenho um problema com Tim Burton. Não vou dizer que já vi todos os filmes dele, mas dentre os que vi o mais normal foi o 1º Batman e, cá entre nós, de NORMAL aquele filme não tem nada. O último que eu vi, porém, foi “Alice no País das Maravilhas” que no dia achei lindo e foi só o tempo passar pra eu tomar mais e mais antipatia do negócio. Não acho que o trabalho dele seja ruim (eu gosto de vários), mas ele tenta fazer uma coisa psicodélica disfarçadinha de cult – ou quem sabe o contrário – que não cola em mim.
Foi assim, com essa opinião na cabeça, que eu estava quando “Sombras da Noite” surgiu em minha vida. E aí eu assisti ao filme e vi que Tim Burton finalmente conseguiu fazer algo que é DELE, inteiramente dele, porque foi quando ele admitiu que não é psicodélico, não é cult. Ele é SEM NOÇÃO MESMO. O filme é absurdamente sem noção. E é sem noção de incrível também!!
Não sei mais o que eu posso falar sobre. Só o fato de um ótimo diretor ter finalmente encontrado o que dá mais certo na vida dele já vale a pena ser assistido. Sem contar que tem vampiros, tem muitas músicas boas (Elton Jooohn, toca Elton Joooooohn!!!!) e tem Christopher Lee aos 90 anos de idade parecendo ter muuuito menos que isso mesmo. Não sei como ele consegue.
Melhores Cenas: Já que estamos falando de música, ehr. A melhor sequencia do filme pode ser resumida em duas palavras: Alice Cooper. E só assistindo pra entender como ele acaba se tornando a “mulher mais feia que eu já vi”. Alice Cooper com maquiagem pra parecer novo e corpo ainda de velho. Cantando. Não acreditei quando vi o nome desse cidadão nos créditos iniciais e aí uma pequena pesquisa no Filmow nos indicou seu personagem: “Himself”. Gente, bom demais!!
Trailer:

Alice no País das Maravilhas

Em 10.05.2010   Arquivado em Filmes

Assim como metade da população mundial, eu também fui conferir “Alice de Tim Burton” no dia primeiro. A gente ia antes, na estréia, mas enfrentar cinema de madrugada com um bando de gente gritando na nossa cabeça não tava encaixando bem nos planos, aí ficou assim mesmo. E não fomos no 3D porque além de ser muito caro eu ouvi MAIS DE UMA pessoa falando que não valia muito a pena. O objetivo era ver a adaptação e não participar dela.

Alice no País das Maravilhas Sinopse: “Alice, agora aos 19 anos, está em uma festa da nobreza em Oxford, onde vive, até que descobre que está prestes a ser pedida em casamento. Desesperada, ela foge seguindo um coelho branco, e vai parar no País das Maravilhas, um local que ela visitou quando tinha seis anos mas não se lembrava mais. Onde é saudada pelo Coelho Branco, o Ratão, o Dodo, Tweedledee e Tweedledum e várias flores falantes. Eles discutem sobre a sua identidade como ‘A verdadeira Alice’, que matará o Jaguadart e derrubará a Rainha Vermelha no ‘Glorian Day’,devolvendo o poder á Rainha Branca.”
Elenco: Mia Wasikowska, Johnny Depp, Helena Bonham Carter, Anne Hathaway, Matt Lucas, Crispin Glover, Geraldine James, Alan Rickman, Timothy Spall , Michael Sheen, Christopher Lee, Eleanor Tomlinson, Stephen Fry, Imelda Staunton.

Comentários: Bom, o que eu poderia dizer de um filme de Tim Burton, todo colorido e lindo, cheio de personagens que todo mundo já adora e com o mesmo elenco de sempre? Simplesmente que é amor puro! Uma nova história, mas mesmo assim fiel ao “Alice clássico”. As personagens antigas continuam incríveis e as novas são tão incríveis quanto. Eu já sou fã de carteirinha de Helena Bonham Carter e Anne Hathaway, mas dessa vez elas se superaram! Duas rainhas incríveis, divertidas, diferentes, queria ser a rainha-mãe das duas!! Tem Johnny Depp que está fazendo seu papel tradicional dele mesmo, mas acaba roubando a cena, SEMPRE, é a versão Chapeleiro Maluco do Jack Sparrow, tornando o mais maluco da história. Mas vou confessar que esse pseudo-romancinho dele com a Alice me desagradou. Achei forçado, só pra ter romancinho, sem noção! E meu eterno favorito, Cheshire… TCHUCO! Toda vez que ele aparecia eu e Lili fazíamos um “ooown”, hihihi. Ficou a coisa mais linda desse mundo, ele!

Mas a questão principal do filme, na minha opinião, é que ele tem um “final feliz” pra todos os personagens “do bem”. Na história da Alice mesmo o final feliz é só dela, nesse o bem vence o mal e todos ficam felizes. Mesmo com o roteiro meio chato achei o cenário lindo, fotografia linda, figurino lindo, tudo lindo!

Carnaval infernal, Menino Cálcio, Chocolate, Hello Kitty com boca

Em 07.02.2008   Arquivado em Filmes


* I’m back e depois de mais de uma semana, descuuulpinha!! Mas é que ontem tive que dar preferência entre aqui e o Expresso Rosa e escolhi lá porque tava com saudades, né?? Hihihi!! E, na verdade, eu num preciso pedir desculpas porque nem tenho obrigação de postar… É por puro prazer de postar que tô até hoje com isso aqui. Hum… vamos aos fatos, num quero introduções grandes hoje…
* Acho que viram a imagem ao lado e perceberam que sou Destaque no Shining Star!! Lary, muito OBRIGADA, linda… Te adoro muitãozão, viu??
Mas agora vamos falar sobre aquele inferno chamado carnaval que acabou ontem graças a Deus. Caramba, gente, será que SÓ EU detesto essa meleca toda e acho isso uma palhaçada enorme?? É incrível: o país inteiro PARA pra assitir mulheres e homens semi-nus ou ouvir aquela tralharia danada que toca com mais força nessa época. Como alguém pode esperar uns 365 dias pra viver isso tudo denovo?? É incrível, só brasileiro mesmo… Como se não bastasse esse calor insuportável!! (Gugui, vão pro Canadá logo?? A hora que você quiser eu tô lá!!)
– Mas então… Eu passei de sábado a quarta dentro de casa na maior alegria e emoção, totalmente emocionada por não ter que participar de toda essa festaria. O que eu acho incrível é que em BH algumas pessoas TENTAM fazer algo pra comemorar, mas a cidade continua sendo o lugar perfeito pra quem, como eu, num gosta disso tudo. Eu acho que deviam fazer um festival de jazz por aqui no Carnaval… Ou de música clássica!! Assim quem sabe num lucrava um bocadinho com o turismo trazendo pra cá pessoas dotadas de bom gosto. Povo burro ¬¬ eu me tornaria alguém mais feliz.
Mas até que eu me diverti!! Sexta eu fui na casa da Lu e nós assistimos Menino Cálcio (tinha que ser Orlando Bloom, né?) e depois tiramos fotos e eu pude ficar lá até mais tarde porque a mamãe dela “Tia Lúcia” me trouxe aqui em casa!! E nem fui a toa, né?? Comemoração adiantada do aniversário dela que foi no domingo, huhu!!

No sábado o Gu me ligou e ligou ontem denovo (agora perceberam o motivo da alegria da criança, né??). Coisa maaaais bonita do meu coração. E todo cheio de novidades, ele. Pena que nem teve churrasco aqui em casa na segunda, senão eu o chamaria pra gente super se divertir!! E hoje eu lembrei dele na hora que tava assintindo “Chocolate” (que é muuuito bom, mas comam pelo menos uma caixa de batom durante o filme senão num rola) e fiquei com mais³ saudades dele =/ mas… No geral foi só isso tudo mesmo.

* Esses dias eu ando de-ses-pe-ra-da pra ir no salão retocar as raízes do meu cabelo e fazer unha e sombrancelha e chapinha… Apesar de que eu decidi que não vou fazer chapinha direto não. Andei conversando com a Alê (minha filha-fofa^^) e agora descobri que só é preciso (muuuuuito³) creme pros meus caixinhos/ondinhas/sei-lá-o-que-é-isso-que-tenho se comportarem bem. Sinceramente, o pessoal todo tá aprovando e só falta o MALDITO repicado do fim de 2006 chegar no tamanho normal pra eu adotar isso de vez.
Agora vamos pra parte divertida!! Tem algo que as fãs da Hello Kitty PRECISAM VER: Hello Kitty sem nariz e COM BOCA!! Sim, sim, sim, criação da própia Sanrio: CLIQUEM AQUI PARA VER!! Eu, sinceramente, num gostei não… Tira toda a minha teoria fofa de que “Hello Kitty se alimenta de amor, portanto não precisa de boca e ‘come’ com o coração”. Mas, tem quem queira!!
E eu quero que vocês visitem o Expresso Rosa que eu postei ontem, o Shining Star porque eu fiz lay pra lá e que participem do Concurso Power Rox também. E eu já postei de mais, então vou embora. Luv Ya, bye!! =*

Ouvindo: Something About The Way You Look Tonight – Elton John (lógico, quem mais? ^^)

– Comentários