Harry Potter and the Cursed Child

Em 16.08.2016   Arquivado em Harry Potter, Leitura

Harry Potter and the Cursed Child

Harry Potter and the Cursed Child Parts I & II (Special Rehearsal Edition) *****
Autor: J.K. Rowling, Jack Thorne, John Tiffany
Gênero: Roteiro, Fantasia
Ano: 2016
Número de páginas: 320p.
Editora: Scholastic
Sinopse: “Sempre foi difícil ser Harry Potter e não é muito fácil agora, já que ele é um funcionário cheio de trabalho no Ministério da Magia, um marido e pai de três crianças na idade escolar. Enquanto Harry luta com um passado que se recusa a ficar onde pertence, seu filho mais novo, Alvo, precisa lidar com o peso de um legado de família que ele nunca quis. Enquanto passado e presente começam uma sinistra fusão, pai e filho aprendem uma verdade desconfortável, pois a escuridão vem de lugares inesperados” (fonte)

Comentários: Desde que “Relíquias da Morte” foi lançado os fãs de Harry Potter torcem pela chegada do oitavo livro, e desde então eu torço pelo contrário. Não que eu ache que J. K. Rowling não teria a capacidade de fazer algo que faz jus à obra como um todo porque se tem alguém que sabe escrever e sabe sobre o mundo que criou essa pessoa é ela, mas porque sempre achei que tudo precisa de um fim na vida, e se tava tudo tão perfeito PRA QUE mexer no que está quieto, não é mesmo? Ao mesmo tempo eu esperava que saíssem mais livros extras como “Hogwarts, uma história” e comemorei muito quando ela resolveu explorar personagens diferentes do passado como Newt Scamander em “Animais Fantásticos e Onde Habitam” (que tá chegando!), então quando foi anunciada a peça “Harry Potter and the Cursed Child”, que contaria uma história mais ou menos focada no filho do Harry, fiquei COMPLETAMENTE BIPOLAR. Por um lado eu ainda estava com uns dez mil pés atrás com isso de saber mais sobre o futuro dos personagens, mas por outro… Ai, gente, é Harry Potter, né, não tinha como eu ficar triste em saber disso, principalmente quando chegou a notícia de que um livro com o roteiro da peça seria publicado, meu coraçãozinho pulou emocionado contra minha vontade. E aí que a versão em inglês saiu, teve lançamento e tudo mais (que aqui em Belo Horizonte foi mediado pelo Potter Club, arrasamos) e eu finalmente tinha o “oitavo livro” nas minhas mãos. E uma vez que tava feito eu tinha que vir aqui contar pra vocês como foi essa experiência maravilhosa.

Harry Potter and the Cursed Child

Antes de mais nada, não se preocupem, eu não vou dar spoilers, sei que vocês não gostam e seria MUITA sacanagem, já que a edição em português só sai mesmo dia 31 de outubro, só vou contar algumas impressões gerais que tive e nem considero isso uma “resenha”. Bom, de cara a experiência é totalmente diferente daquela que tivemos tantos anos atrás, lendo os sete livros porque sequer se trata de um romance, é a versão transcrita do roteiro da peça MESMO, não tem como comparar. Aliás só o fato de ser algo feito para o teatro torna tudo muito novo, porque produzir uma obra para os palcos e para o cinema, por exemplo, também não é a mesma coisa, então quando alguém vem me falando que achou tudo muito surreal, muito forçado e etc eu já nem absorvo, porque o objetivo é esse mesmo, é ter a dramaticidade que a coisa pede, simples assim. Outro ponto muito importante é o fato de que não foi a J. K. que escreveu o livro e essa diferença para mim foi a mais violenta de todas, não dá para esperar que seja no nível dela. E nem pode, né, mais um vez: não é prosa, não é pra ser igual, etc. Como eu já tinha isso tudo em mente desde o início consegui gostar BASTANTE da obra de uma forma geral e avaliei tudo baseado nisso aí, e não comparativamente.

Para quem está completamente por fora, um resumo geral: a história se passa a partir do epílogo de Relíquias da Morte, os clássicos “19 Anos Depois”. Nela Alvo Potter, Rosa Granger-Weasley e Scorpio Malfoy estão, os três, indo para Hogwarts e envolta deles existe uma carga enorme de expectativas, uma vez que as pessoas esperam que sigam os passos de seus pais tanto para o bem, quanto para o mal. Ao mesmo tempo no Ministério da Magia começa a rolar uma confusão graças à possibilidade de um Vira-Tempo ter sobrevivido ao longo dos anos e pior: ele é diferente dos outros, portanto os resultados do seu uso podem são imprevisíveis, deixando Harry e Hermione bem alarmados (parênteses para dizer que, assim como os filmes, essa peça deixa o Rony de lado em alguns momentos, o que acho uma injustiça sem tamanho). A partir daí brigas familiares, viagens no tempo, encontros de geração e revelações MUITO loucas constroem o resto da história, que sai completamente do que estamos acostumados, contrariando inclusive algumas coisas que foram ditas antes, mas sempre bem sustentada de forma a prender o expectados (e agora leitor) até o final. No fim das contas eu sequer considero Cursed Child uma continuação, para mim é como se fosse parte do Universo Expandido de Harry Potter, e nesse ponto é perfeito porque trata os leitores, as personagens e a autora com bastante respeito na maior parte do tempo. Se você é fã não pode deixar de ler e, se possível, assistir à peça, que imagino que seja uma experiência MARAVILHOSA, se eu pudesse já estava em Londres vivendo isso a muito tempo…

Harry Potter and the Cursed Child

BEDA2016

Top 5: Os melhores livros de 2014

Em 07.01.2015   Arquivado em Leitura, Vídeos

Hello, hello, minha gente, hoje tem vídeo! Tem muitos meses que eu não gravo nada, o que matou minha meta de um vídeo por mês, mas ano novo existe é pra isso, vou ver se consigo dessa vez, né… Enfim, hoje vim mostrar logo meu Top 5 Livros Favoritos de 2014 antes que fique tarde demais. Na verdade eu roubei master e são 10 livros (e acabei citando mais ou menos outros dois no final), mas consegui dividir num Top 5 e é o que importa! ‘Bora assistir e POR FAVOR me contem se vocês já leram um ou mais deles, se gostaram e quais foram seus livros favoritos do ano passado porque eu quero ver se leio 2 por mês esse ano e preciso de sugestões!
Aliás, pra quem não sabe, hoje é Dia do Leitor, então não poderia postar isso em data melhor, né? Feliz dia para todos os leitores (fanáticos ou não) aqui presentes!


Pra comemorar o ano novo se inscrevam lá no canal!

Top 5: Livros de 2014

Top 5: Livros de 2014

Top 5: Livros de 2014

Top 5: Livros de 2014

Espero que vocês tenham gostado do vídeo e MUITO OBRIGADA pelos comentários no post passado, gente, sério, amei de verdade! Vou responder todos com mais carinho ainda do que o normal.

“Animais Fantásticos e Onde Habitam” irá se tornar filme!

Em 13.09.2013   Arquivado em Harry Potter

Estou aqui vibrando de amor e emoção do fundo do meu coração para dar umas das melhores notícias que qualquer fã de Harry Potter poderia receber. Juro que eu não pretendia publicar dois posts sobre HP assim, um seguido do outro, mas não é minha culpa que J.K. Rowling e a Warner se uniram novamente para nossa alegria.
Saiu ontem em todos os jornais, todos os sites de notícias e todas as redes sociais… O livro “Animais Fantásticos e Onde Habitam” irá se tornar um filme!!!
Mas começaremos do começo pra situar quem não conhece a história.

“Animais Fantásticos e Onde Habitam” faz parte da lista de material de Hogwarts do Harry em “Harry Potter e a Pedra Filosofal” e é de autoria de um senhor chamado Newt Scamander. Inicialmente era só isso, um livro fictício que fazia parte da história de um outro livro, até que em 2001 ele foi publicado para o “mundo trouxa” pela Comic Relief. J.K. Rowling escreveu aquelas palavras em nome de Newt e os comentários em nome de Alvo Dumbledore e toda a renda arrecadada foi e é doada para ajudar as populações mais pobres do mundo. Esse não foi o único, existe também um livro da biblioteca de Hogwarts nesse formato, o “Quadribol Através dos Séculos”.
Essa edição “trouxa” de Animais Fantásticos é tão fantástica quanto seu título. É uma réplica do livro escolar usado pelo próprio Harry, com comentários e rabiscos feito por ninguém menos do que ele, Rony e Hermione. Ele é bem finiinho, tem menos de 70 páginas, mas é uma delícia de ler! Gente, significa estar lendo um livro usado em aulas de Hogwarts com registros dos três protagonistas da saga. Quem ainda não tem e é fã da saga pode providenciar assim que der, é item indispensável!

animfantondehab
via Instagram

E agora sobre o filme em si. Lógico que ainda vai demorar bastante, lógico que nossa euforia vai ter que ser contida por um longo tempo, mas a própria J.K. Rowling anunciou a grande notícia para os fãs. A Warner a convidou para escrever o roteiro da adaptação do livro para filme porque somente ela conseguiria fazer tal feito. Não é um livro de história, não é uma narrativa: é um livro didático! Como fazer um filme inspirado em algo assim?
Ao que parece, J.K. vai usar como protagonista o próprio autor do livro, Newt Scamander. Ela disse que sempre teve em mente fatos sobre a vida dele e, apesar de ser uma personagem MEGA fora da história, é alguém de quem gosta muito. A prova disso é que ela casou o neto dele com uma das suas favoritas: Luna Lovegood!! Algumas pessoas não sabem disso porque ela divulgou depois fora da história, mas segundo ela o garoto é um naturalista e os dois tiveram gêmeos algum tempo depois do resto de seus colegas já terem filhos.
Essa notícia caiu assim nas nossas vidas de repente, o filme ainda está ganhando um roteiro e sóóó depois vai passar a existir finalmente. Mas já é motivo para os Potterhead começarem a comemorar e, quem sabe, um incentivo para outros projetos como esse. Eu adoraria ver “Os Contos de Beedle, o bardo” virando filme e “Hogwarts, uma história” (finalmente) sendo publicado como um livro em sua versão trouxa. Vamos esperar pra ver, né, cheios de ansiedade!

Pra fechar… Essa notícia merece uma dancinha comemorativa especial interpretada por um membro da família. Comemora aí, Luna!

lovegooddance

Magia Além das Palavras: A História de J.K. Rowling

Em 16.02.2012   Arquivado em Filmes, Harry Potter

Magia Além das Palavras: A História de J.K. Rowling Magia Além das Palavras: A História de J.K. Rowling (Magic Beyond Words: The J.K. Rowling Story) *****
Elenco: Poppy Montgomery, Emily Holmes, Antonio Cupo, Janet Kidder
Direção: Paul A. Kaufman
Gênero: Biografia
Duração: 90min
Ano: 2011
Sinopse: “Filme biográfico não-autorizado para televisão, antigamente intitulado ‘Strange Magic’, que conta a história de JK Rowling, a autora mais vendida do mundo, com mais de 400 milhões de cópias até Junho de 2008, desde a infância até alcançar a fama por ter escrito os livros sobre o jovem bruxo Harry Potter.” (fonte)
Comentários: Filme LINDO, porém bem mal feitinho!! Ainda mais por se tratar de algo tão específico… Uma ESCRITORA que ganha um filme biográfico antes da própria morte (ou até mesmo velhisse) é porque é alguém de muuuita influência mundial, é essa é J. K. Rowling: a 2ª mulher MAIS RICA DO MUNDO, ganhando todo esse dinheiro assim: escrevendo. Então logicamente é um filme voltado para os fãs.
O problema é que os fãs da J. K., eu pelo menos EU, como fã, sabem a história da vida dela com detalhes. Conhecem tudo. E para um filme feito para a televisão, sim, é bom. Mas, poxa vida!! Que fã de Harry Potter não sabe que o uniforme dela de colégio era MARROM E AMARELO, duas cores que ela odeia?? Isso não tá no filme. Algumas coisas importantes da vida dela que a gente sabe de cor não estão no filme. Aí é triste, não custava nada uma atenção maior. São detalhes sim, mas que fariam total diferença.
Porém… Eu chorei em cada cena do filme que passava. Porque a gente sabe as dificuldades imensas que ela passou na vida, e sabe como ela foi vencendo. Podem dizer que J. K. Rowling estava na hora certo e no lugar certo, ou que deu sorte, ou qualquer coisa. Mas ficar bilionária por vender livros, desculpa, não é pra qualquer um. Ela começou do nada, do desespero pra conseguir criar a filha dela sozinha, de realizar um sonho que muita gente não acreditava que ela conseguiria. E conseguiu. E criou um mundo todo novo que eu amo!! Que tanta gente ama.
E aí é legal ver momentos da vida dela que a gente sabe que são reais, muito emocionantes. Portanto se avaliar o filme no geral, avaliar a mídia para a qual ele foi feito, tudo, então ele merece uma boa avaliação.
Melhores Cenas: Eu chorei MUITO na cena em que a Di lê o livro pela primeira vez. E até “recitei” a dedicatória da “Pedra Filosofal”. A cena é bonita mesmo.
*calma, Luciana, não pega bem chorar escrevendo um post*
Outra cena LINDA é quando ela lê pro público, pouquíssima gente, achando o máximo aquilo. E os fãs malucos que sabem “Pedra Filosofal” de cor – em inglês e em português – vão falando junto com o filmes sem nunca ter assistido, haha. Lindo. É bonitinho também que eles vão colocando elementos do história no filme. Quando ela tá escrevendo, por exemplo, as velas começam a flutuar e tals. Bem legal.
– Agora a cena mais TOSCA é quando ela sonha com o Harry pela primeira vez, no trem. Sério, dava pra fazer uma cena linda e ela ficou parecendo uma mulher malucona delirante.
Trailer:

Ditadura: Ser Magra

Em 23.10.2011   Arquivado em Beleza

Eu não quero ser hipócrita ou politicamente correta aqui, e o motivo desse post se baseia numa SÉRIE de reflexões que tive depois de ler um texto que vou adicionar aqui no fim do post. Meus comentários aqui se baseiam basicamente em opiniões pessoais sobre pessoas normais, que vemos por aí na rua.
Primeiro porque eu entendo que uma modelo, por exemplo, tem que ter o corpo perfeito e harmônico. O que não entendo é realmente o motivo pelo qual perfeito e harmônico significa com as costelas aparecendo pela pele. Eu nunca fui gorda e já fui um pouco magrela em épocas da minha vida, mas eu NUNCA deixei de comer nada que queria, nunca me matei de malhar, nunca tomei remédios ou fiz qualquer tipo de dieta. Mas no geral eu era “magra”. Entre aspas porque eu nunca pude ser 100% magra porque com um quadril desse tamanho, né minha gente, num dá. E também munca prestei atenção nisso, até que durante minha adolescência aconteceu a 1ª coisa na minha vida que me deixou muito encaducada sobre o tema. Fui experimentar uma calça uma vez, e achar calças no geral é MUITO DIFÍCIL PRA MIM, porque eu tenho a cintura fina e sou pequena, mas o quadril e a coxa não podem reclamar de nada, sempre foram bem servidos. Então se a calça entrar quer dizer que vai ficar grande no comprimento e larga na cintura, mas pra ficar direitinho é um sacrfício passar por essas coxas.
Mas enfim, foco… Eu vesti a calça e entrou linda e perfeita, até o comprimento tava ótimo, mas é LÓGICO que na cintura ficou gigante. Sendo assim a moça da loja colocou ali uns alfinentes pra ela mesma apertar. E quando fui tirar pra entregar pra ela é LÓGICO que não passava e os alfinetes saíram. E aí umas das pessoas que tavam comigo, que não vou falar quem é – mas claro que era parente – já começou uma falação de que se eu fosse magra que nem a Fulana – outra parente, evidentemente – isso não ia acontecer, e que a vendedora TINHA QUE CONHECER A FULANA por que o corpo dela é magro e lindooooooooo!!
Azar o da Fulana, a moça da loja apertou a cintura um pouquinho, eu conseguia vestir minha calça dando um pulinho só e as vezes era só usar um cinto fofo e discreto, eu tava feliz da vida e continuei assim. A Fulana, porém, tem todas as calças jeans que quer mas não consegueria usar a blusa infantil dessas que vem em Dvds Disney, e eu uso pela rua feliz da vida até hoje!! Há!!

Teve época da minha vida, no final do meu último ano do colégio, em que eu inchei e saí totalmente das proporções que sempre tive na vida, mas viajei com meus colegas de sala e até usei um biquini, coisa que não costumo fazer e faço desde então!! Mas depois eu “desinchei” tudo, entrei pra faculdade e lá pro 6º período encontrei com uma colega com quem não conversava muito desde o início do curso, porque ela trabalha e não pôde acompanhar direitinho com a gente, e ela falou “nossa, você deu uma engordadinha!! Seu rosto tá mais cheinho, que bom, eu te achava MUITO MAGRA”. E a melhor parte da história é que eu não tinha reparado na minha “engordadinha” e o comentário dela não mudou em nada no meu ato de reparar. Na verdade pela cara que ela fez eu considerei um elogio e pronto, ganhei meu dia.

A pessoa que tava comigo na loja gosta menos de mim porque minha perna dá duas da perna da Fulana?? NÃO!! Ela simplesmente gosta de ver as parentes dela bem magrinhas. E minha colega tava querendo ser boazinha comigo?? NÃO!! Ela olhou pra mim e sei lá, me achou mais bonitinha e comentou. E quando a gente vê caras comentando que não gostam de mulheres de perna fina e as meninas de perna fina reclamam que eles tão sendo só “politicamente corretos, duvido que eles gostem mesmo de perna grossa”, elas tão certas mesmo?? NÃO!! Deixa o cara gostar do que ele gosta, meu bem, isso não muda em na-da na sua vida. Porque se você é bonita, ou se você é inteligente ou se é simpática, realmente, a grossura da sua perna ou seu rosto redondo não vão mudar nada disso.

– “Mas Luly, aposto que você não quer ver gente cheia de celulite na revista fazendo propaganda” Primeiro: eu não reparo celulites alheias em propagandas, eu tenho as minhas pra me preocupar já – e nem pra elas eu ando ligando muito. E segundo: tanto faz se a mulher não tem celulite na propaganda desde que as pessoas aceitem que na vida real ela TEM CELULITES e que aquilo é Photoshop. E tá certo usar o Photoshop, aquela mulher ALI realmente tem que ser perfeita, ter o corpo bonito -eu disse bonito, não magrelo-, ela tem que ser a mulher ideal para você comprar o produto querendo ser como ela. Chama-se publicidade. Mas uma menina que já tá com as costelas aparecendo se olhar no espelho e se achar gorda por causa da imagem perfeita que essa publicidade nos trás, aí eu acho errado. Porém você NUNCA vai ver uma menina olhando no espellho e pensando “olha, como tô magra, preciso engordar”. Toda mulher já acordou, se olhou no espelho, pensou “Tô uma baleia hoje” e ficou o dia todo comendo só salada, mas nenhuma dela olhou e pensou “Acordei muito magra” e comeu fast food pra compensar, não mesmo. A mídia não permite isso. Mas enquanto esse pensamento for assim, ocasional, for saudável e feliz, tudo bem, a gente vai continuar se olhando no espelho e vendo gorduras e espinhas, mas sem abrir mão de um chocolate, porque é BOM DEMAIS!! E se você é assim você não tá errada, porque nessa história toda a gente só falou de estética, “você é gorda”, “você é magra”, você tem peitão”, “você tem perna fina”, mas aquela menina ali do espelho que se achou gorda um só dai é feliz, mas aquela que se acha gorda sempre – não sendo – e luta todos os dias pra corrigir isso não tá interferindo só na estética dela: tá interferindo também na saúde!!
E assim como alguém que engorda MUITO e não se importa com isso pode estar interferindo na própria saúde também. E é aí que realmente me importa, de verdade, se alguém que eu gosto ou convivo engordou ou emagreceu demais. E aí eu chego e falo na cara da pessoa pra ela “fechar a boca, comer só coisa saudável e cuidar dela mesma”, de forma delicada, é claro. Mas porque me importo em vê-la viva, não em vê-la como uma supermodelo. Mas enquanto ela tiver bem tanto com ela mesma quanto com a saúde dela, de verdade, tanto faz!!

– Pra finalizar vamos à citação que falei no início do post. Traduzi “livremente” essas palavras da minha grande ídola J.K. Rowling que faz a gente pensar sobre isso. Ela é nada mais, nada menos, do que uma das mulheres mais ricas e brilhantes do mundo e o que trouxe isso para ela, que foram seus livros, num momento se tornou “menor” perto de como ela estava “magra”.

“Gorda” é geralmente o primeiro insulto que uma garota joga para a outra quando quer machuca-la.
Quer dizer, “gordo” é realmente a pior coisa que um ser humano pode ser? “Gordo” é pior que “vingativo”, “invejoso”, “superficial”, “vaidoso”, “chato” ou “cruel”?
Não para mim; mas então, você pode retrucar, o que eu sei sobre a pressão para ser magro? Eu não estou em um negócio de ser julgado pela minha aparência, e sim sendo escritora e ganhando a vida utilizando meu cérebro …

Eu fui ao British Book Awards aquela noite. Antes da cerimônia de entrega eu encontrei com uma mulher que não via a pelo menos três anos. A primeira coisa que ela me disse? “Você perdeu muito peso desde que te vi pela última vez”
“Bem”, eu disse, um pouco perplexa, “a últuma vez que você me viu eu tinha acabado de ter um bebê”.
O que eu quis dizer foi “Eu produzi meu terceiro filho e meu sexto livro desde que te vi pela última vez. Essas coisas não são mais importante, mais interessantes, do que meu tamanho?” Mas não – meu peso parecia mais baixo! Esqueça a criança e o livro: finalmente, algo a celebrar!

Eu prefiro que sejam independentes, idealistas, bons, opinativos, originais, divertidos – milhares de coisas, antes de “magro”. E honestamente, eu prefiro que não dêem uma rajada de uma fedorenta flatulência de Chiuahua se a mulher ao lado tem os joelhos mais carnudos que eles. Deixem que minhas as garotas sejam Hermiones, ao invés de Pansy Parkinsons.

E sinceramente… Eu sempre preferi ser e sempre serei uma Hermione!!


Imagem por Stellar Student Style

Página 1 de 41234