Árvore de Natal de Origami

Em 18.12.2016   Arquivado em Vídeos

Há uns quatro anos atrás uma amiga me deu de presente de natal uma árvore SUPER LINDINHA de origami que desde então está presente de forma fiel na “decoração de fim de ano” do meu quarto. Ela é super elaborada, tem com enfeite de bolinhas, estrelinhas coloridas e vem dentro de uma caixa parcialmente transparente de onde fica “exibida”, sério, um mimo! E aí esse ano no tradicional amigo oculto que rola num grupo de amigos eu tava pensando em fazer uma lembrancinha pra cada um que fosse bonitinha sem gastar (porque né…) e lembrei disso. Dando uma pesquisada pelas internets afora achei uma versão que estava dentro da minha capacidade motora e resolvi tentar, achando que na primeira já estaria de saco cheio de tanto dobrar… No fim das contas empolguei tanto que acabei fazendo a versão mini-mini delas com os restos de papel que iam aparecendo, hahaha, é uma delícia!

Árvore de Natal de Origami

Olha só que coisinha mais bonitinha da vida que fica! Meus creative papers tão acabando, então improvisei e ao invés de tudo igual rolou verdinha, verdona e até essas brancas “congeladas”.

Árvore de Natal de Origami

O primeiro “feito” das pequenininhas (que fiz num papel de 8x8cm) foi “decorar” as fotos da minha encadernação de natal, que por sinal foi a pior que já fiz até hoje, ficou muito ruim, destetei a coitadinha! Porém levando em consideração que tudo nela deu errado do início ao fim acho que ela até merece um crédito no fim das contas…

Árvore de Natal de Origami

Não resisti e botei a “Elsa Noel” pra posar com a versão “Frozen” delas, já tô guardando essa foto pra postar dia 21 que é aniversário da personagem (e também solstício de inverno no hemisfério norte).

Árvore de Natal de Origami

E temos foto com bonecas? Temos fotos com bonecas! Como não, né? Minhas três Little Byuls muito satisfeitas com seus feitos artísticos… E aí pra quem quiser fazer também (sério, é RIDÍCULO de fácil), gravei esse tutorialzinho em vídeo ensinando. Foi difícil pra caramba conseguir bons ângulos sem um tripé mas no fim valeu a pena, aperta o play aí pra aprender!

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Em 18.11.2016   Arquivado em Filmes, Harry Potter, Vídeos

É claro, óbvio e evidente que eu não ia deixar de escrever sobre o resultado da experiência maravilhosa pela qual esperamos por três anos de assistir o vulgo *Harry Potter e os Bicho* por aqui… A pré estréia de AFEOH aconteceu aqui no Brasil na virada do dia 16 para o dia 17 e entre as 19h de um e 3h do outro eu assisti ao filme duas vezes seguidas… Estou ENCANTADA! Gravei dois vídeos sobre ele, um sem spoilers e outro com, e agora deixo aqui também meu registro em forma de texto desse acontecimento tão especial na vida de todos os fãs da obra de J.K. Rowling!

Animais Fantásticos e Onde Habitam, via Filmow

Animais Fantásticos e Onde Habitam (Fantastic Beasts And Where To Find Them) *****
Elenco: Eddie Redmayne, Katherine Waterston, Dan Fogler, Alison Sudol, Colin Farrell, Ezra Miller, Carmen Ejogo, Jon Voight, Ron Perlman, Samantha Morton
Direção: David Yates
Gênero: Fantasia
Duração: 127 min
Ano: 2016
Classificação: 12 anos
Sinopse: “O excêntrico magizoologista Newt Scamander (Eddie Redmayne) chega à cidade de Nova York com sua maleta, um objeto mágico onde ele carrega uma coleção de fantásticos animais do mundo da magia que coletou durante as suas viagens. Em meio a comunidade bruxa norte americana que teme muito mais a exposição aos trouxas do que os ingleses, Newt precisará usar suas habilidades e conhecimentos para capturar uma variedade de criaturas que acabam saindo da sua maleta.” (fonte – sinopse e pôster)

Comentários: Absolutamente GENIAL! Eu sei que sou suspeita, sei que sou fã, mas também sei que não tem como não dar todo o crédito que essa obra merece! Estou cavando minha própria cova aqui nesse momento e dizendo com toda certeza que, como filme, “Animais Fantásticos e Onde Habitam” é melhor do que a série Harry Potter! Rowling conseguiu brilhantemente preservar a essência do livro didático de mesmo nome enquanto apresenta seu seu autor, o MAGNÍFICO Newt Scamander, e tudo isso no fundo é uma grande desculpa para contar a história de personagens e acontecimentos já conhecidos pelos seus fãs, que nós vamos acompanhar avidamente até essa série acabar ao final dos cinco filmes.

Newt é um “herói”, por falta de uma palavra melhor, completamente diferente do que estamos acostumados. Tímido e introvertido, sem jeito nenhum para lidar com seres humanos, ele se transforma COMPLETAMENTE quando está ao lado das criaturas mágicas que cria dentro de sua maleta encantada, dá pra ver claramente o quanto ele ama cada um deles e se dedica em mostrar para todos os motivos desse amor. E é por causa de uma das criaturas que esse britânico vai parar em Nova York durante a década de 20, onde um encontro com o divertido não-maj (maneira americana de se referir a um “trouxa”) Jacob e a auror Tina (e, consequentemente, sua adorável irmã Queenie) mudam completamente o rumo dessa viagem, feita numa hora que não podia ser menos oportuna. A cidade está sendo tomada por ataques que despertam o sentimento anti-bruxo em um grupo sensacionalista liderado pela opressiva mãe de Creedence, um garoto que claramente tem problemas psicológicos fortíssimos. Ainda no núcleo principal, estudando esses ataques e com suspeitas fortes do que supostamente está por trás daquilo temos o chefe da segurança da MACUSA – Congresso Mágico dos Estados Unidos da América, Percival Graves. O humor fica por conta da chance que temos de conhecer VÁRIOS dos protegidos de Newt, alguns que já citados nos livros de Harry Potter, como os muito fofos Tronquilhos e Pelúcio, outros estão no livro AFEOH, além de outros que serão de extrema relevância na história, como o Thunderbird, que é inclusive o símbolo de uma das Casas da escola de magia americana, Ilvermorny. Somos também apresentados a forças mágicas – muito sinistras – nunca antes vistas, que dão um toque sombrio ao enredo. Isso tudo retratado em torno da melhor parte de tudo que é FINALMENTE ver a dinâmica maravilhosa da vida de um bruxo adulto, que pode aparatar quando bem entender e usar todos os feitiços do mundo, o que causa uma nostalgia enorme já que os dois primeiros a serem executados são justamente velhos familiares vistos em “A Pedra Filosofal”. As lembranças dos filmes “anteriores” são intensificadas também pela trilha sonora, que mistura as notas clássicas antigas com outras novas e músicas tipicamente americanas da década retratada.

O elenco é MARAVILHOSO, com uma única exceção que, felizmente, não conseguiu atrapalhar a história (ainda). Eddie Redmayne e Scamander parecem ter sido feitos um para o outro, definitivamente foi meu personagem favorito, e olha que estava difícil escolher um só dentro do quarteto protagonista mais carismático que já vi. Toda a parte técnica é impecável, a versão 3D/IMAX tem efeitos de encantar qualquer um que gosta desse tipo de mídia sem ser o principal, o roteiro se sustenta lindamente sem isso mas também compensa o ingresso mais caro, se for o caso. A maleta do Newt é incrível, não só por causa das criaturas mas também pelo ambiente em si, dá pra perceber que eles estão em um local fechado e até meio improvisado, porém com simulações dos mais diversos ecossistemas tão bem feitos que só magia mesmo poderia proporcionar algo igual, e é ela mesma que proporciona. Essa cena é a MELHOR DE TODAS, dá vontade que não acabe nunca, que seja infinita. Outro momento super impactante é o grande clímax final da história, sobre o qual não dá pra falar nada porque precisa ser visto, eu sinceramente não esperava por aquilo.

Minha única decepção, tirando o ator queridinho das pessoas que INFELIZMENTE foi confirmado na série, foi a presidenta da MACUSA, Seraphina Picquery. Pelos trailers achei que ela seria uma imagem feminina MUITO forte, uma vez que estar em um cargo alto assim na época sendo mulher e negra é algo a se levar muito em conta, mas não aconteceu. Ao mesmo tempo não foi necessário porque Tina e Queenie deram conta do recado, elas são super fortes e à frente do seu tempo de maneiras diferentes e relevantes, dá vontade de ser uma mistura das duas! Enfim, vale a pena para quem já gosta desse universo, porque é claramente o público alvo, mas é bom o suficiente para encantar até quem não gosta. E agora vamos esperar os próximos porque tem MUITA coisa para se descobrir ainda: será que veremos outras escolas de magia? Ainda temos a segregação total com os não-majs nos EUA? Até que ponto as forças que conhecemos agora estavam presentes em personagens antigos? E o que aconteceu com personagens que supostamente estão “fora da história”? Continuaremos vendo Newt e seus “bichinhos”? Só o tempo vai nos mostrar, enquanto isso ‘bora teorizar e especular!

Vídeo SEM spoilers: A versão com spoilers tá AQUI, OH!

Rapidinhas de Outubro

Em 09.11.2016   Arquivado em Cotidiano, Vídeos

Um terço de novembro já passou e eu vou falando sobre outubro agora porque this is me, antes tarde do que nunca! Mais uma vez tentei gravar um vlog mensal e mais uma vez ficou daquele jeito meio mais ou menos mostrando poucos dias e de forma bem avacalhada, mas acho que no fim das contas o legal é isso mesmo, nenhum mês da nossa vida é organizadinho do jeito que a gente gostaria de retratar, né? Enfim, o importante é fazer, então ‘bora fazendo!

Rapidinhas de Outubro

Comissão organizadora da BlytheCon BH 2016! Só fomos tirar essa foto depois do evento quando tava todo mundo descabelada, mas o importante são os sorrisos de “Conseguimos!” estampados nos rostinhos felizes! (Tem lookzinho lindo desse dia aqui.)

Rapidinhas de Outubro

Enquanto isso a gente já tá se preparando porque a BlytheCon 2017 será no Rio de Janeiro! A comissão deles já está a todo vapor cheia de novidades, inclusive levaram blusas pra fazer propaganda da chapa na daqui, então aproveitei pra fazer essa foto de “união” da Kim com a nossa mini-blusinha “botando os pés” em Copacabana enquanto não estamos lá ao vivo!

Rapidinhas de Outubro

Essa foto foi tirada pra divulgação do meu post que foi feito pra concorrer a Correspondente Kipling e achei que as cores ficaram muito bonitas, então veio pra cá também, hahaha!

Rapidinhas de Outubro

Por fim, mas não menos importante, um registro de Lulynha no palco ao microfone no dia que mais aparece no vídeo: 31 de outubro, dia das Bruxas, Potter Day e lançamento de “Harry Potter e a Criança Amaldiçoada” em português! O Potter Club mais uma vez mediou o evento aqui em BH e foi MUITO DIVERTIDO, tinham vários brindes, sorteios, brincadeiras, fizemos um bingo e, claro, contamos um pouquinho do que tem rolado no mundo mágico! Agora é contar os dias pra estréia de “Animais Fantásticos e Onde Habitam” semana que vem, porque vai ser lindão!

Vídeo-Tag: Halloween

Em 31.10.2016   Arquivado em Memes e Tags, Vídeos

A primeira festa de Halloween que fui na vida foi aos 12 anos, na minha casa mesmo. Minha mãe dava aula de inglês e a turma infantil dela, que tinha crianças entre 6 e 8 anos principalmente, ficou MUITO empolgada com a ideia, então colocamos em prática. Eu, já muito alucinadinha por Harry Potter mas numa época em que a gente ainda não se vestia como os personagens, fui de bruxa, toda empolgada com a ocasião… Afinal de contas eu sentia que estava comemorando “meu dia” e tals, em alto estilo com a criançada se divertindo horrores. Queria tanto ter achado as fotos pra mostrar pra vocês, foi muito bacana mesmo, rolou até decoração temática e tudo mais…

Até hoje eu adoro essa data, então quando vi no canal da Karol Pinheiro a Tag Halloween TIVE que vir dar um “Hello, hello” respondendo ela também! São 13 perguntinhas, um número altamente apropriado, e no final juro que fiquei pensando COMO É POSSÍVEL uma pessoa ser corajosa o suficiente pra dormir em casas mal assombradas e ir a cemitérios a noite, mas morrer de medo de filminho de terror (morro mesmo, socorro)! Além disso amei o resultado final da edição, então valeu mais a pena ainda.

Perguntas:
01. O que você não gostaria de encontrar a noite numa floresta?
02. Qual seu monstro ou vilão favorito?
03. Qual foi a coisa mais assustadora que aconteceu com você quando estava sozinha?
04. Se te desafiarem a dormir numa casa mal assombrada, você toparia?
05. Você é supersticiosa?
06. Você acredita em universos paralelos?
07. Você se assusta facilmente?
08. Você iria a um cemitério a noite?
09. Você prefere ir a uma festa de Halloween vestida de monstro ou com uma fantasia bonitinha?
10. Em um filme de terror você é a que morre primeiro, a sobrevivente ou a assassina?
11. Com quantos anos assistiu seu primeiro filme de terror?
12. Qual foi a primeira fantasia de Halloween que você usou na vida?
13. Se pudesse ter um animal de estimação de Halloween, qual seria? (Um gato preto? Uma coruja? Um morcego? Um lobo?)

E vocês, comemoraram o dia das bruxas esse ano? Com que fantasia? Eu não pude fazer o repeteco da minha Branca de Neve Dark do ano passado, mas tem o look AQUI e a foto maravilhosa que minha irmã tirou aí em baixo:

Snow White

Cada macaco no seu galho

Em 18.10.2016   Arquivado em Moda, Vídeos

Toda transição, por melhor ou mais comum que seja, deixa marcas na nossa vida, e o período escolar não poderia ser diferente. Na Educação Infantil entramos praticamente bebês para iniciar o processo de socialização, passamos para o Ensino Fundamental onde somos crianças que aprendem coisas diferentes todos os dias, aí vem o Ensino Médio cheio de seus adolescentes que aprofundam ao máximo o que foi dado antes até, enfim, ir para faculdade mergulhar de vez na vida adulta. Eu senti MUITO essas transformações, lembro direitinho de cada uma delas, de como eu só tinha dois cadernos no terceiro período (e de tarefa e o de atividade) e na primeira série passei a ter um para cada matéria, de como deixei de ser uma simples estudante e virei vestibulando ao terminar a 8ª e ir para o primeiro ano… Lembro TANTO de como foi difícil ter entrado na faculdade tão novinha e descobrir sozinha que meus trabalhos deveriam ter cabeçalho e ser digitados, que não tinha mais uniforme e eu teria que escolher o que vestir de manhã… Mas ainda assim o mais marcante de abrupto de todos foi um “meio do caminho”, da 4ª para a 5ª série, porque aquilo definiu de vez que eu não era mais criança, era uma pré-adolescente mesmo não querendo entrar nessa fase nova e continuar amando minhas Barbies ao invés de decidir quem era o cara mais bonito do colégio.

É impressionante como adolescer é um verbo que vem cheio de regras, né? Mesmo se eu passasse o fim de semana inteiro brincando com a minha irmã ou até com as amigas, não poderia deixar ninguém saber de uma “infantilidade” daquelas (e vejam só, eu “brincando” de boneca até hoje!). No natal ganhei um fichário de um personagem que não gostava tanto, mas usei mesmo assim porque ninguém usava caderno mais. E a mochila de rodinhas então? Em menos de uma semana eu puxei pra fora as alças dela e passei a usá-la nas costas porque era coisa de criança! E ainda assim ela continuava não sendo o ideal porque, ah, o real símbolo de maturidade naquela escola era ter uma mochila da Kipling! As meninas mais legais tinham não só isso, mas também estojo e bolsa para sair, e SEMPRE que alguém ganhava uma rolava alvoroço, era algo que não deixavam passar. Não podemos esquecer do também o lado “do contra”, uma das minhas amigas até tinha uma, mas deixava em casa para viajar e coisas do tipo, só para não aderir à “moda”. Eu confesso que não dava muita bola pra isso até completar 12 anos quando ganhei não só uma, mas DUAS delas.

Antes do dia certo minha mãe veio me contar da primeira que meu padrinho e “padrinha” (que é como chamo a minha tia esposa dele) me dariam uma, na época eu morava em Timóteo e assim que viemos passar uns dias em Belo Horizonte e recebi aquela beleza alaranjadinha fiquei tão feliz que até queria que as férias acabassem logo pra poder usar, mas isso nunca aconteceu porque logo em seguida minha madrinha me deu uma também de aniversário (essa de surpresa), que foi a que virou minha escudeira inseparável. Aquela transversal vermelhona suportou não só livros e cadernos, mas mudança de cidade, excursões, noites passadas na casa de amigas. Hoje eu ainda tenho ambas, tão usadas que nem se lavar mil vezes dá pra achar a cor original, mas ainda em PERFEITO estado prontas pra todas as ocasiões! Elas seguem pelo Fundamental, Médio, UFMG e vida afora, ganhando cada mais mais companheiras da marca, parecendo galhos coloridos onde meus macaquinhos vão se pendurando por aí. E dando uma olhada no Lookbook descobri que eu realmente sou apaixonada pelas danadas das bolsas, porque elas são SEMPRE lá! Dá uma olhada só nisso:

Selecao Kipling

Selecao Kipling

Selecao Kipling

E isso é só uma seleção entre outros que aparecem aqui e ali enquanto vamos descendo a página, o melhor é que foi tudo se adaptando às minhas necessidades, o que antes era material de estudo hoje é de dia a dia, as bolsas da categoria Everyday se encaixam em todos esses momentos, é só procurar a sua na loja virtual! Já se passaram 14 anos desde que Blake, meu primeiro macaco, chegou e tá todo mundo aqui firme e forte formando uma família, é o tipo de coisa que se compra (ou dá de presente!) pra durar a vida toda!

E que venham muitas outras!

Página 1 de 1012345... 10Próximo