O Rei Leão 3D

Em 12.09.2011   Arquivado em Disney, Filmes

Um milhão de assuntos atrasados!! Fui ao Rio esse fim de semana e voltei com coisas legais pra trazer pra cá, maaaaaaaas antes eu preciso falar sobre isso antes que o Dvd chegue aqui em casa e eu já tenha outro post do mesmo tema pra escrever.

O Rei Leão 3D title= O Rei Leão 3D (The Lion King 3D) *****
Elenco (vozes): James Earl Jones, Matthew Broderick, Jonathan Taylor Thomas, Moira Kelly, Niketa Calame, Madge Sinclair, Jeremy IronsErnie Sabella, Nathan Lane, Rowan Atkinson, Robert Guillaume, Whoopi Goldberg, Cheech Marin, Jim Cummings, Zoe Leader
Direção: Rob Minkoff, Roger Allers
Gênero: Animação
Duração: 89 minutos
Ano: 1994/2011
Sinopse: “O Rei das bilheterias está de volta aos cinemas, pela primeira vez em 3D! A história conta as aventuras de Simba, um filhote de leão que está ansioso para se tornar rei. O REI LEÃO é um Clássico Disney que encanta os olhos e desperta a curiosidade para os ciclos da vida, aos quais todos nós fazemos parte.” (fonte)
Comentários: Antes de falar do filme, quero falar de um tema muito importante que vai ser meu meio de mostrar pra vocês a intensidade desse post. Vocês lembram o PRIMEIRO filme que viram no cinema?? Eu lembro… Foi em 1994, com minha mãe e meus primos. Eu nunca vou esquecer aquela tela gigante na minha frente, quando ainda existia cinema fora de shopping em Belo Horizonte. E a cena que mais lembro desse filme naquela telona era o Zazu voando em direção à Pedra do Rei.
Pois então. O primeiro filme que eu vi no cinema foi “O Rei Leão”. E no ano seguinte esse filme foi o tema do meu aniversário de cinco anos e eu ia pra casa da minha avó todo dia assistir ao VHS que minha tia tinha comprado pra me dar na ocasião antes mesmo de ela me entregar. E aí esse é provavelmente o primeiro filme que minha irmã viu na vida, porque eu voltava a assistir sempre lá em casa. Eu venho chorando o assistindo muitas vezes na minha vida desde então, foi por causa dele que comecei a gostar do meu grande ídolo, Elton John, e quando fiquei sabendo que ele sairia em 3D no cinema significou para mim reviver aquela sensação que vivi a nada mais, nada menos do que 17 anos atrás.
Eu comentei aqui em “comentários” minha história com o filme e não comentei sobre ele em si porque “O Rei Leão” não foi criado pra ser comentado: foi criado pra ser ASSISTIDO, e dá pra entender o quanto gosto dessa história depois do que contei aqui.
Melhores Cenas: A melhor cena do filme, simplesmente do filme, é óbvia… Quem nunca se emocionou vendo Simba subindo na Pedra do Rei e ouvindo Mufasa dizer “Lembre-se” [*insira aqui uma Luly com os olhos cheios de lágrimas*] que atire a primeira pedra.
Mas o que eu acho que devia ser destacado meesmo é o que ficou bom na versão 3D. Porque não tem leãozinho pulando em cima de você (apesar de o Zazu ter passado bem pertinho da minha orelha na cena que comentei lá em cima) e nem poeira entrando nos seus olhos, afinal é um filme que já existia e não foi criado pra existir em 3D. Porém o que é mais lindo é ver a profundidade maravilhosa que essa nova versão tem… A savana tem várias camadas e plantas e relevos que você só passa a perceber ali, quando aquilo está destacado e brilhando. A música do Scar tem um final mais lindo ainda quando cada montanha ressalta da tela. Quando tem a debandada parece que tem MUITO MAIS bicho do que realmente tem. Em “Hakuna Matata”, os três andando em cima do tronco e você nem percebe a presença deles porque o fundo é bonito demais. Eeeee na cena mais fofa de todas em que Simba e Nala estão ao som de “Can You Feel The Love Tonight” (queria ter assistido legendado só por isso) a cachoeira é de outro mundo. MARAVILHOSA. Vale a pena, só pra poder rever essa obra prima Disney e aproveitar essas novas “percepções”.
E aproveitem pra ficar até o fim dos créditos finais e ouvir Elton John!!
Trailer: (me digam que não sou só eu que choro quando assisto esse trailer!!)

Pra quem gostar MUITO da versão 3D vale a pena pagar 30 reais a mais na hora de comprar a edição Diamante em Dvd e Blu-ray, que também existe só em 2D, e RÁPIDO, porque essas edições Diamante (o re-lançamento das Platinum) só ficam disponíveis por um tempo limitado e depois o filme some das lojas por 7 anos (saibam mais aqui). O meu já foi pedido e tá a caminho aqui de casa para eu poder re-ver o filme e aproveitar os créditos que incluem Demi Lovato cantando “Circle of Life”!!

Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2

Em 27.07.2011   Arquivado em Filmes, Harry Potter

Chega de adiar o inadiável… Vou finalmente escrever sobre o filme do ano, da década, e escrever MUITO!! Tentarei não colocar cena por cena, juro!!

Harry Potter and the Deathly Hallows - Part 2 Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 (Harry Potter and the Deathly Hallows – Part 2) *****
Elenco: Daniel Radcliffe, Rupert Grint, Emma Watson, Ralph Fiennes, Adrian Rawlins, Alan Rickman, Bonnie Wright, Chris Rankin, Ciarán Hinds, Clémence Poésy, Dave Legeno, David Bradley, David Thewlis, Devon Murray, Domhnall Gleeson, Emma Thompson, Evanna Lynch, Gary Oldman, Geraldine Somerville, Guy (I) Henry, Helen McCrory, Helena Bonham Carter, James Phelps, Jason Isaacs, Jessie Cave, Jim Broadbent, John Hurt, Johnpaul Castrianni, Josh Herdman, Julie Walters, Katie Leung, Kelly Macdonald, Louis Cordice, Maggie Smith, Mark Williams, Matthew Lewis, Michael Gambon, Natalia Tena, Nick Moran, Oliver Phelps, Robbie Coltrane, Rod Hunt, Scarlett Byrne, Suzanne Toase, Tom Felton, Warwick Davis
Direção: David Yates
Gênero: Aventura, Fantasia
Duração: 120 minutos
Ano: 2011
Sinopse: “Na segunda parte do final épico da série, a batalha entre o bem e o mal no mundo da magia se torna uma guerra entre centenas de bruxos. Os riscos nunca estiveram tão altos e nenhum lugar é seguro o suficiente. Assim, Harry Potter precisa se apresentar para fazer o seu último sacrifício, enquanto o confronto final com Lorde Voldemort se aproxima. Tudo acaba aqui.” (fonte)
Comentários: Como não dar 5 estrelas?? Porque no aspecto cinematográfico é perfeito: os atores são ótimos (até Daniel e Emma estão trabalhando direitinho, finalmente, desde a Parte 1), o sotaque é lindo, os efeitos impecáveis, os cenários bem feitos e a trilha sonora de encher os olhos. Mas não podemos esquecer que é uma adaptação, e cuja “matriz” tem fã muito fiéis e exigentes, mas eles conseguiram satisfazer esses fãs. Na verdade não por sua fidelidade, porque as cenas foram praticamente todas modificadas (e nem foi por falta de tempo e recurso, foi “aleatório” mesmo), mas ainda assim tem TUDO o que tem no livro. David Yates, obrigada, você compensou todos os seus erros do passado aí, nesse grande final que dirigiu.
Apesar de que, assim, ele realmente não sabe “capturar” o Voldemort e transformou o vilão numa atração comediante do filme. É hilário, claro, pra quebrar o clima tenso e triste daquelas duas horas, mas, né… Voldemort não deveria abraçar o Draco e nem dar uma risadinha tipo “êhehe” – que já ganhou Remix e virou bordão. Mas mostra o quão “doidão” ele tava pela falta das almas, a gente perdoa.
E ouvir o “êhehe” denovo sempre vale a pena!!
As cenas antes de Hogwarts ficaram ótimas, o Chalé das Conchas é lindinho e Helena Bonham Carter como Hermione merece o Oscar. O cofre fcou exatamente como eu sempre imaginei e depois, quando o Voldemort mata todo mundo foi uma cena SINISTRA, super sanguinária e tensa, coisa de doido!!
Senti falta de mostrar o Percy voltando (eu gosto do Percy, gente), pra mostrar que ele merece ser perdoado… Mas o Percy tava lá!! Gostei bastante da briga do Harry com o Snape e ele fugindo (e eu e mais meio dúzia de gatos pingado gritando “COVARDE” no cinema). Gostei da Luna, sempre a Luna, incrível em todos os momentos em que aparece, mas mais incrível ainda chamando atenção do Harry. Não gostei do romance sub-entendido entre Neville e Luna (não faz sentido, não existe no livro e ambos são muito bem casados, obrigada!!). Gostei da citação do Lupin querido. Gostei muuuuito da fuga dos Malfoy. Gostei do Harry explicando pros amigos o motivo pelo qual a varinha só obedecia a ele. Gostei do beijo inexistente do Harry e da Gina, já que no filme não mostra os pensamentos dele, a Gina precisa mostrar pros fãs que é muito mais do que a atuação feia da Bonnie. Gostei da cena da Floresta, o único momento na vida do Harry em que ele pode conversar com os pais dele. Gostei da morte da Nagini – muito – apesar de parecer que baixou uma alma no Neville e fez ele querer mata-la, porque não mostra o Harry pedindo isso pra ele. Gostei das 3 mortes de “vilões” mais importantes – Nagini, Bellatrix e Voldermot – porque eles simplesmente viraram purpurina pó e nunca mais vamos ter que olhar pra cara daqueles cretinos.
Melhores Cenas: A melhor cena do filme foi para mim a minha cena favorita na série. O beijo de Rony e Hermione não é no meio da confusão, não teve amor aos elfos envolvido e não tem Harry “atrapalhando”, como é originalmente. Mas ficou lindo!! Na Câmara Secreta (e eu sempre digo que acho que realmente rolou algo ali na história), depois de um susto sem tamanho, altamente PERFEITO. Não foi mais um daqueles beijinhos toscos como os que Harry deu em cada uma de suas cenas românticas. Não mesmo. Esse aí era especial, era intenso, era apaixonado e, usando as palavras de Emma Watson, era o momento para expressar “eu te amo, você é o amor da minha vida”. Nas duas vezes que assisti ao filme com o Potter Club e pude apaludir e gritar foi NESSA cena que exagerei, que fiquei rouca, que minhas mãos doeram e que eu não consegui parar de rir. Pude falar quantos “oooowns” eu quis, e também nas outras cenas incríveis dos dois juntos. Ele grita pro Goyle que ela é namorada dele, eles se isolam juntos quando o irmão dele morre, eles se abraçam MUITO quando acham que Nagini ia devora-los, eles mostram pro Harry que estão juntos de mãos dadas e no final cada um deles tem uma aliança dourada na mão esquerda. Rony e Hermione formam o casal mais incrível da ficção, simples assim!!
Agora vamos esquecer Rony e Hermione e dar destaque à nossa querida Minerva McGonagall que foi a atração do filme. Todas as falas, expressões e momentos dela merecem ser assistidos com amor, merecem aplausos, merecem entrar pra história, merecem PRÊMIOS de verdade. Ela lutando contra o Snape foi de arrepiar os cabelos e “eu sempre quis usar esse feitiço” foi a melhor fala do filme. Entre todas as outras.
E a cena que eu nunca vou me cansar mesmo se assistir todos os dias vai ser Molly matando Bellatrix. Primeiro porque eu amo todos os Wealsey e a Molly em especial, ela é toda maravilhosa. Segundo porque a Bellatrix é uma vagabunda cretina, nunca vai existir personagem da ficção que eu odeio mais do que ela (e se você gosta do Neville sabe muito bem o motivo). Ver ela explodindo me faz feliz hoje e sempre.
Piores Cenas: “Pior” pode ter vários sentidos, e eu vou falar de cada um deles. A pior cena de assistir foi a morte do Fred (é a que mais me faz chorar) porque ver a família inteira chorando é pesado e logo em seguida mostra os corpos do Lupin (tchutchuco) e da Tonks, e é MUITO PESADA a cena. Sem contar que pouco antes a Lilá morre, sendo que no livro está especificado “o corpo ainda vivo de Lilá Brown”. A menina é um pé no estômago, mas não a ponto de matarem a coitada.
A cena mais tosca foi Harry e Voldemort pulando do penhasco, pelamor de Deus, o filme tava indo muito bem até esse momento. Foi desnecessário, esquisito e não gostei. Mas depois que eles “pousaram” e começou a correria pra pegar as varinhas compensou, muito foda!!
E as cenas mais decepcionantes foram, para mim, as lembranças do Snape. Eu não são fãzona dele e detesto o casal Lílian/Snape, mas falaram que iam ser cenas incrivelmente tocantes e não foram. Não mostrou o motivo pelo qual ele se arrependeu, que foi o fato de ELE ter contato da profecia, a maquiagem que colocaram no Alan Rickman pra ficar jovem fez ele parecer o Michael Jackson em sua pior fase e o final da sequência foi horrível, ele abraçando a Lily morta com uma expressão de choro falsa que eu não acreditei que era o melhor ator do filme fazendo. Trash. É uma pena, porque a morte dele foi absurda de linda, a expressão no rosto dele é algo que nunca vi alguém fazendo tão bem feito!!
Senti falta da história do Dumbledore, queria ouvi-la PELO MENOS pelo ponto de vista do Aberforth, gosto dele e só assim as pessoas veriam o quanto ele é incrível. Sem contar que eu tenho CERTEZA que foi o Dumbledore que matou a Ariana, e quem assiste os filmes nunca vai poder suspeitar disso. E não faltava tempo porque o filme foi curtíssimo!!
“19 Anos Depois”: Impossível não dedicar um pedacinho à frase que me encheu os olhos de lágrimas na 1ª vez que vi e depois, quando vi denovo, foi ali que comecei a soluçar loucamente (a 2ª vez é sempre pior…). Chorei MUITO, gente, de tremer, saí do cinema sem conseguir ver para onde tava andando e nunca recebi tanto abraços de consolo ao mesmo tempo.
A cena ficou ótima. Explorou pouco o papel do Tiago (eu gosto muuuito mais dele do que o Alvo e seu nome horroroso) e a menina que faz a Rosa não parece ter 11 anos, mas o resto ficou tão perfeito… Eu não tava gostado deles de maquiagem nas fotos e vídeos que vi, mas parece que depois, quando regravaram, ficou BEM MELHOR, super bem feito. O Daniel ficou a CARA do pai dele, o Rupert a imagem perfeita do que imaginei um Rony-pai e a Emma tava LINDA DEMAIS. Não vejo a hora das cenas deletadas chegarem aqui em dvd para ver se não vemos Victorie e Teddy “in love” =D
Maaaaaas mesmo sendo uma cena perfeita, não é só por isso que temos que falar sobre ela em especial. Ela significa outra coisa, significa muito mais… Significa o fim, mais uma vez. Vimos ali o Expresso de Hogwarts partindo levando não só os filhos de Harry, Rony e Hermione, mas também 10 anos de emoção e dedicação. Não sei mais quantas vezes vou assistir esse filme ao longo da minha vida, mesmo porque acho que não será um número “contável”, mas tenho certeza que vou chorar muito em cada uma delas, triste e emotiva por não ter mais filmes da série pra curtir, e feliz e emocionada porque “tudo estava bem”.

Agora e Sempre

Em 22.05.2011   Arquivado em Filmes

Now and Then Agora e Sempre (Now and Then) *****
Elenco: Christina Ricci, Rosie O’Donnell, Thora Birch, Melanie Griffith, Gaby Hoffmann, Demi Moore, Ashleigh Aston Moore, Rita Wilson, Devon Sawa, Cloris Leachman, Lolita Davidovich, Janeane Garofalo, Bonnie Hunt, Hank Azaria, Rumer Willis, Walter Sparrow, Brendan Fraser
Direção: Lesli Linka Glatter
Gênero: Drama
Duração: 110min
Ano: 1995
Sinopse: “Depois de vinte e cinco anos, quatro amigas de infância que tiveram rumos diferentes na vida se reencontram quando uma delas, Chrissy Williams (Rita Wilson), vai ter um bebê. Uma delas é Roberta Martin (Rosie O’Donnell), sua ginecologista, e as outras que chegam na cidade são Tina Tercyll (Melanie Griffith), que se tornou uma famosa atriz, e Samantha Albertson (Demi Moore), que é uma conhecida escritora. Juntas elas recordam as férias de 1970, quando tinham apenas doze anos e viveram as primeiras emoções do início da adolescência.”
Comentários: Eu sei que soa ridículo eu ficar dando 5 estrelas para todos os filmes que avalio aqui, mas fazer o que?? Se não gosto do filme não tenho vontade de postar e se gosto é pra valer. Não dá pra dar uma nota menor pra esse, simples assim!!
Acho que a palavra ideal para caracteriza-lo é “imprevisível”. Porque pra começar quando vi a capa do filme pensei que se tratava de mães e filhas porque as atrizes que interpretam a versão jovem das quatro protagonistas são A CARA das que interpretam a versão adulta. Mas aí logo de início já mostra que não, que são as mesmas pessoas e tudo ficou bem.
Aí eu passei o tempo todo sem saber qual seria o foco: o suspense, os dramas familiares, os romances… Não sabia se uma das meninas ia virar a protagonista, se ia acontecer um “BAM” pra fazer com que elas se separassem, só realmente quando foi chegando no final que entendi que o sentido do filme era óbvio, tava logo ali: a amizade delas.
O que eu sempre reparo, porque é algo que gosto, é a trilha sonora. E nesse caso além de ser cheia de músicas ótimas, elas não tocam só pra deixar tudo mais bonitinho, fazem parte do filme mesmo, os personagens também escutam e cantam aquelas músicas e isso torna mais legal ainda a presença das mesmas. Pena que o dvd seja difícil de achar… Eu achei em uma única loja a mesma versão do que usei para assistir, com audio e legenda somente em inglês. Mas vale muito a pena, é lindo!!
Teve uma cena, uma única, que achei meio pesada, em que as meninas fumam. Eu não deixaria minha filha adolescente fazendo uma cena assim, mas pelo menos mostrou o quanto algumas ficaram desconfortáveis e a única que gostou cresceu e fumava maços por dia. Mas não se enganem, crianças, fumar não te torna uma Demi Moore da vida…
Melhores Cenas: Essa parte é impossível escrever sem spoiler, mas vamos lá… Eu ADORO a Christina Ricci (percebe-se aqui) e então as cenas principais dela eram minhas favoritas, e as mais lindas de todo o filme são quando a Roberta e o Scott se beijam, é muito fofo e engraçado. E depois ele para de “zuar” as quatro, e ela para de ter vergonha do próprio corpo, muito bonitinho. Aliás depois eu fui “descobrir” que ele fez Gasparzinho junto com ela no mesmo ano, interpretando o Gasparzinho vivo, então muito bem, Devon Sawa, você beijou uma das atrizes mais caras da época duas vezes no mesmo ano.
O final obviamente também é lindo. A cena da casinha da árvore, elas sentadinhas apertadinhas jogando “Verdade ou Desafio”. Amor puro!!
Trailer:

Yellow Submarine

Em 10.05.2011   Arquivado em Filmes, Música

Yellow Submarine Yellow Submarine *****
Elenco: John Lennon, Paul McCartney, George Harrison, Ringo Starr, Paul Angelis (voz), John Clive (voz), Dick Emery (voz), Geoffrey Hughes (voz), Lance Percival (voz)
Direção: George Dunning
Gênero: Animação/Musical/Fantasia
Duração: 90min
Ano: 1968
Sinopse: “A história do desenho animado sobre Pepperland, um paraíso situado a oitenta mil léguas submarinas cercado de cor e música. Os Blue Marines atacaram Pepperland para acabar com a música. Os Beatles embarcam no submarino amarelo com o intuito de salvar Pepperland. Até chegarem a Pepperland, viajam passando por The Sea of Time (onde cantam “When I’m sixty-four”) The sea of science (onde cantam “Only a Northern Song”), The sea of Monsters, The sea of nothing (onde cantam “Nowhere Man”) e The sea of holes. Ao final os Beatles tocam imitando a Sgt. Pepper’s Band e devolvem a música, a cor e a alegria a Pepperland. O álbum com a trilha sonora foi lançada 6 meses após o filme. E continha somente algumas músicas presentes no filme e mais as composições de George Martin.”
Comentários: Opinião de Beatlemaníaca vale?? Espero que sim!!
Como tudo que esses meninos fizeram nesses maravilhosos 10 anos da banda o filme é psicodélico, meio surtado e tem uma mensagem meio “não usem drogas, crianças, ou ficarão assim um dia”. Mas é ao mesmo tempo FANTÁSTICO!! Uma história baseada nas músicas do album “Yellow Submarine” (só tem 1 musiquinha que não é do álbum), cheia de frases sem sentido e imagens então, nossa, nem se fala!! Mas se você é fã e se gosta de animação, VALE A PENA!! É engraçado mesmo sendo completamente nada-com-nada, o visual é todo bonito e alegre e, claro, a trilha sonora é mais perfeita impossível.
Ah, não são eles que dublam a própria voz, tá gente!! Eu também pensei que seriam, mas foi só o Ringo abrir a boca que percebi que não. Mas eles aparecem no final em carne-e-osso e é a parte em que chorei. Lindos!!
Melhores Cenas: Como decidir isso?? É como escolher entre um dos filhos, entre os pais, entre Coca Cola e internet!! hehe Mas teve UM MOMENTO em especial, uma pequena frase que eu ri desesperadamente nas duas vezes que assisti e que virou jargão aqui em casa: “I do not miss Ringo”. Muito bom!! Adoro as frases se noção do filme.
Das cenas de música a que mais gostei foi “All You Need Is Love”. Não queria que acabasse. E fiquei triste demais que “With A Little Help From My Friends” só tocou pouquinho.
– E, claro, carinho especial pela cenas final em que meus meninos aparecem e tem reprise de “All Together Now” que eu amo!! Aliás, amo tudo o que tem a ver com esses quatro caras incríveis.
Trailer:

Trailer OFICIAL de “Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2”!!

Em 28.04.2011   Arquivado em Filmes, Harry Potter

RdM-pt2Eu sou uma moça de família, fina e educada, uma Lady. Mas em uma situação como essa só consigo achar três mágicas e maravilhosas palavrinhas pra descrever:

PUTA QUE PARIU!!

– Pessoal do Potterish, eu AMO vocês!! Obrigada por disponibilizar essas coisas assim, com legenda e tudo, e ainda com códigozinho pra eu colocar aqui no blog e surtar até a morte. Eu juro que achei que minhas pernas iam cair de tão dormentes. Meu coração parava e dava UM PULÃO de repende, minhas mãos tremem até agora e eu fiquei bem uns 10 minutos sem conseguir produzir qualquer tipo de som. É isso aí, minha gente, depois de anos de dedicação, amor, devoção e fanatismo, temos anunciado hoje, 28 de abril, o fim de uma era sem precendetes. Nunca houve nada antes que se comparasse a Harry Potter, e nunca haverá nada depois.

– O começo, mostrando imagens isoladas, tocando “nossa música”, como se nada precisasse ser dito (mas é que realmente não precisa, né minha gente!!). As cenas, textos jogados, os personagens que tanto amamos e que, quando vemos, lembramos seu muito triste ou muito feliz fim. E aí a gente grita, a gente ri, a gente se emociona, a gente chora. 15 de julho de 2011 será o dia mais bipolar da minha vida, porque ao mesmo tempo que eu vou estar MUITO ARRASADA em ver que não tenho mas nada para me consolar, vou estar feliz em lembrar, pra sempre, que “tudo estava bem”.

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

(é, não publiquei ainda, mas vou fazer isso agora. Só esperem eu parar de tremer e chorar!!)

Página 9 de 19«1 ...5678910111213... 19Próximo