Sombras da Noite

Em 03.07.2012   Arquivado em Filmes

Sombras da Noite Sombras da Noite (Dark Shadows) *****
Elenco: Johnny Depp, Michelle Pfeiffer, Bella Heathcote, Chloe Moretz, Gulliver McGrath, Ivan Kaye, Jonny Lee Miller, Michael Sheen, Susanna Cappellaro, Helena Bonham Carter, Eva Green, Christopher Lee, Jackie Earle Haley, Alice Cooper, Thomas McDonell
Direção: Tim Burton
Gênero: Comédia/Drama
Duração: 113min
Ano: 2012
Sinopse: “No ano de 1752, Joshua, Naomi Collins e seu filho Barnabas, foram embora de Liverpool, Inglaterra, para começar uma nova vida na América. Mas mesmo um oceano não foi suficiente para escapar da misteriosa maldição que atormenta sua família. Duas décadas se passaram e Barnabas (Johnny Depp) tem o mundo aos seus pés, ou pelo menos a cidade de Collinsport, Maine. Capitão do Collinwood Manor, Barnabas é rico, poderoso e um playboy inveterado … até que ele comete o erro grave de quebrar o coração de Angelique (Eva Green), uma bruxa, em todos os sentidos da palavra, Angelique condena-o a um destino pior que a morte, transformando-o em um vampiro e enterrando-o vivo. Dois séculos mais tarde, Barnabas é libertado de seu túmulo, e surge nos dias modernos.” (fonte)
Comentários: Antes de começar quero dizer que tenho um problema com Tim Burton. Não vou dizer que já vi todos os filmes dele, mas dentre os que vi o mais normal foi o 1º Batman e, cá entre nós, de NORMAL aquele filme não tem nada. O último que eu vi, porém, foi “Alice no País das Maravilhas” que no dia achei lindo e foi só o tempo passar pra eu tomar mais e mais antipatia do negócio. Não acho que o trabalho dele seja ruim (eu gosto de vários), mas ele tenta fazer uma coisa psicodélica disfarçadinha de cult – ou quem sabe o contrário – que não cola em mim.
Foi assim, com essa opinião na cabeça, que eu estava quando “Sombras da Noite” surgiu em minha vida. E aí eu assisti ao filme e vi que Tim Burton finalmente conseguiu fazer algo que é DELE, inteiramente dele, porque foi quando ele admitiu que não é psicodélico, não é cult. Ele é SEM NOÇÃO MESMO. O filme é absurdamente sem noção. E é sem noção de incrível também!!
Não sei mais o que eu posso falar sobre. Só o fato de um ótimo diretor ter finalmente encontrado o que dá mais certo na vida dele já vale a pena ser assistido. Sem contar que tem vampiros, tem muitas músicas boas (Elton Jooohn, toca Elton Joooooohn!!!!) e tem Christopher Lee aos 90 anos de idade parecendo ter muuuito menos que isso mesmo. Não sei como ele consegue.
Melhores Cenas: Já que estamos falando de música, ehr. A melhor sequencia do filme pode ser resumida em duas palavras: Alice Cooper. E só assistindo pra entender como ele acaba se tornando a “mulher mais feia que eu já vi”. Alice Cooper com maquiagem pra parecer novo e corpo ainda de velho. Cantando. Não acreditei quando vi o nome desse cidadão nos créditos iniciais e aí uma pequena pesquisa no Filmow nos indicou seu personagem: “Himself”. Gente, bom demais!!
Trailer:

Rapidinhas de Junho

Em 30.06.2012   Arquivado em Cotidiano

Pessoal, quem ainda não participou do Sorteio Potterhead de 8 Anos do SL corre lá. O sorteio será nessa terça feira, dia 03!!

E em junho a UFMG entrou em greve, oh meu Pai!! Que mês mais esquisito, minhas gente, eu estava a duas aulas das minhas férias, já quase de mãos dadas com o fim do semestre quando recebemos a notícia. Eu sei que é por uma boa causa, mas tinha que atrapalhar meu último ano, tinha??
Anyway, vamos aos fatos porque o mês passou muito rápido e metade de 2012 já se foi.

Rapidinhas de Junho

Dia 30 de maio foi aniversário da mamãe, então fomos pra casa dela comemorar na sexta, dia 1º. Foi legal, um pessoal legal foi, o Renato fez umas comidas gostosas e eu pude estreiar minha meia calça vermelha que eu tanto queria e que eu tanto amo.
Mas o objetivo de falar sobre isso era mostrar o Henrique!! Não tinha foto dele aqui desde que nasceu em outubro e acho que merecia uma quase exatamente 7 meses depois. Ele tá tão esperto, outro dia até descobriu o quão legal é ser meu primo quando eu o peguei no colo e ele percebeu o quão legal é brincar com os óculos das pessoas e tals…

Rapidinhas de Junho

No dia seguinte teve Bonecontro aqui em BH. O tema foi “Lolita e moda kawaii” e como no mesmo dia a Julia ia me entregar o outfit da Pullip Aquel que ela vendeu pra Daninha levei a Mimia e vesti ela de lolitinha por lá. Não ficou a coisinha mais fofinha do mundo?? Aliás, foi pouca gente, mas todas as dolls ficaram super fofas. Foi o único do mês, mas em julho teremos dois.

Rapidinhas de Junho

E eu tinha-tinha-tiiiinha que mostrar minha comprinha na I Love Acessórios porque são os colares mais lindos ever: UK Flag e London Bus!! São meus dois símbolos britânicos favoritos e eu coleciono ambos, então fiquei vigiando a loja até meu salário sair, louca, hahahaha. Eu já postei no Lookbook um com o da bandeira, mas é o do ônibus que tô usando mais porque né?? Coisa mais fofinha dessa vida.
(Só uma observação pra quem não sabe: ESSA NÃO É A BANDEIRA DA INGLATERRA, É DO REINO UNIDO. Parem de falar o contrário. Obrigada.)

Rapidinhas de Junho

Dia 12 fui com a Lili buscar as entradas pra Sessão Exclusiva Potter Club que vai acontecer dia 15 de julho. Junto com minhas duas entradinhas (e minha e a do Gugui) peguei a da Daninha também. Ficamos um tempão na Cia do Ponto conversando sobre a saga, vendo as coisinhas da Mari (quase comprei uma ecobag da Mione, mas a Lili pediu pra me dar de aniversário, haha) e ainda busquei meus bottons de SW que tinha encomendado com o Gil. Acabei ganhando também um sabre de luz da Lili (azul-Obi-Wan, yey) e depois ela me levou na loja onde comprou e acabei comprando uma pra Kim, que é do Dark Side. Não vim pra casa tarde não, era terça feira e tals, mas foi um dia divertido.

Rapidinhas de Junho

E Junho é mês de que?? Última festa junina da Daninha no colégio… Aiaiaiai… Chegamos no fim de tarde e ficamos quase até o final. Conheci muuitos dos colegas dela, re-vi uns que eu tinha conhecido já ao longo do ano, eles dançaram e foi lindo, mas a melhor parte foi quando conheci o amor da minha vida: algodão doce, querido, saudades de vocês!!

Rapidinhas de Junho

Depois de morrer de vontade com os trailers foi assistir Sombras da Noite logo na semana depois da estréia. Eu vou ver se escrevo sobre o filme e tals (nem que demore) mas preciso dizer que Tim Burton finalmente aprendeu a fazer a coisa direito. Eu já gostava de algumas coisas em alguns filmes dele, mas essa tentativa de parecer psicodélico e esconder que ele é nonsense com força sempre atrapalhava. Nesse não, ele escrachou de vez, hilário!!

Rapidinhas de Junho

Por último, mas não menos importante… Estão vendo essa coisa LINDA?? Pois então… Ela é da irmã mais velha da Marina que vem guardando a aaaanos em perfeitíssimo estado de conservação, só faltam os adesivos. E a melhor parte é que vai ficar aqui comigo durante todo o mês de julho (eu tenho essa 1ª quinzena de férias no APM e a Marina a 2ª, então só vamos nos ver em agosto) não somente pra providenciar uma maneira de dar pra ela os adesivos de volta, mas também pra tirar muitas fotos das minhas pequetitas =D Não dá pra explicar o grau de perfeição, tem até papel pra embrulhar os hambúrguers e a máquina de refrigerante funciona, muito amor puro Mc Donaldico em escla 1:6…

– E como, dito acima, estou de férias desde o meio dia de ontem. Tenho até dia 15 pra dormir, ler, dormir, ver filmes, dormir, assistir todas as temporadas de Clone Wars, dormir, passear, dormir e dormir também!!

A Dama de Ferro

Em 18.03.2012   Arquivado em Filmes

A Dama de Ferro A Dama de Ferro (The Iron Lady) *****
Elenco: Meryl Streep, Jim Broadbent, Olivia Colman, Alexandra Roach,, Harry Lloyd, Michael (I) Pennington, Iain Glen, Victoria Bewick, Emma Dewhurst, Michael Culkin, Amanda Root, Clifford Rose, Michael Cochrane, Jeremy Clyde, Michael Simkins, Nicholas Farrell, Phoebe Waller-Bridge, Alice da Cunha, Richard E. Grant, Anthony Head, Roger Allam, Hugh Ross, David Westhead, Susan Brown, Matthew Marsh, Pip Torrens, Angela Curran, Angus Wright, Julian Wadham, John Sessions
Direção: Phyllida Lloyd
Gênero: Biografia/Drama
Duração: 105min
Ano: 2011
Sinopse: “Cinebiografia de Margaret Thatcher, ex-Primeira Ministra britânica, que retrata desde a sua infância até o período mais impopular do seu governo, em 1982, quando ela tentava salvar sua carreira nos 17 dias que antecederam a Guerra das Malvinas.” (fonte)
Comentários: Que eu choro em 90% ou mais dos filmes que assisto não é novidade. No carnaval eu assisti “Sempre ao Seu Lado” e quando me olhei no espelho meus olhos tavam praticamente fechados de tão inchados. Existem filmes que choro sempre que assisto, filmes que choro MUITO e filmes em que só saem lágrimas. Choro porque me emociona, sendo uma emoção triste ou feliz. Porém acontece de vez em quando, muito raramente, de o filme me causar algo pessoal. Não sei de “machuca” mesmo, não sei como, mas naquele filme eu estou chorando porque me atingiu com força. A última vez que isso tinha acontecido foi na 2ª vez que assisti “Relíquias da Morte – Parte 2”, eu chorei durante, depois, eu soluçava. MESMO.
Mas aí eu vi “A Dama de Ferro” e o efeito foi mais ou menos o mesmo. Não chorei TANTO assim, mas foi um choro pessoal mesmo, eu chorava pelo filme, eu saí dali soluçando e depois do filme eu precisei evitar de sentar, porque sabia que se isso acontecesse ia acabar chorando denovo.
O filme é maravilhoso em todos os sentidos da palavra. É uma biografia maravilhosa, é um romance maravilhoso, um drama maravilhoso e principalmente: é um filme sobre POLÍTICA maravilhoso. Ao longo da duração eu fui vendo muita gente no cinema impaciente, o cara que tava na minha frente olhou as horas no celular várias vezes e eu entendo… Se você não tem interesse nenhum nesse gênero não vale a pena. E eu confesso que eu não gosto de ver filmes políticos brasileiros, americanos ou o que quer que seja… Mas quando se trata de um filme BRITÂNICO isso muda, porque todo mundo sabe o quando eu sou apaixonada pelo Reino Unido e sua história, seja ela qual for.
Foram dois Oscars merecidos. Meryl Streep inclusive merece o Oscar sempre, e mulher é fantástica-sacana em “Diabo Veste Prada”, muda pra fantástica-ABBA em “Mamma Mia!” e é também fantástica-Primeira Ministra nesse. E pra complementar veio a maquiagem, também vencedora que conseguiu torna-la IRRECONHECÍVEL. A gente só percebia que se tratava dele quando ela dava aquele sorrisinho lateral dela. Rejuveneceram e depois envelheceram a mulhar uns 20 anos durante a história, você acredita que ela tinha 40 e acredita que tinha 80. FÁCIL. Lógico que a interpretação ajuda. Mas a questão é que fazer maquiagem de monstro, de machucado, de qualque exagero é fácil de fazer bem feito perto de fazer a PELE de alguém. Eu estou absolutamente apaixonada pelo filme, apaixonada pela Margaret Thatcher e pela história dela, eu acho que deveria ter ido assistir antes. Nota 10 ou mais.
Melhores Cenas: Quando ela vence a Guerra das Malvinas, com toas aquelas bandeiras do Reino Unido ao redor dela (o quarto dos meus sonhos, ahaha) e depois de ter dado um tapa de luva de pelica nos EUA. Ela arrisca tudo, perde muito e ganha. Foi uma sequencia maravilhosa, cheia de cenas REAIS misturadas com as gravações – aliás, o filme todo. Ótima mesmo. Desde o ataque da Argentina até a vitória do Reino Unido.
Mas se tratando da parte do “romance”… Quando ela desiste de ver o Denis “indo embora” mesmo depois de ter visto que era melhor pra ela, meu Deus, toda vez que lembro dessa parte entendo o motivo de ter soluçado tanto. Sem contar que conseguiram duas combinações de atores bonitas pra formação do casal, tanto quando jovens como o casal “oficial”, já bem adultos e velhinhos (e eu adoro Jim Broadbent aka “professor Slugue”, que também é vencedor do Oscar, né…). E aí ela vai lavar as xícaras, ai, lindo!!
Trailer:

Magia Além das Palavras: A História de J.K. Rowling

Em 16.02.2012   Arquivado em Filmes, Harry Potter

Magia Além das Palavras: A História de J.K. Rowling Magia Além das Palavras: A História de J.K. Rowling (Magic Beyond Words: The J.K. Rowling Story) *****
Elenco: Poppy Montgomery, Emily Holmes, Antonio Cupo, Janet Kidder
Direção: Paul A. Kaufman
Gênero: Biografia
Duração: 90min
Ano: 2011
Sinopse: “Filme biográfico não-autorizado para televisão, antigamente intitulado ‘Strange Magic’, que conta a história de JK Rowling, a autora mais vendida do mundo, com mais de 400 milhões de cópias até Junho de 2008, desde a infância até alcançar a fama por ter escrito os livros sobre o jovem bruxo Harry Potter.” (fonte)
Comentários: Filme LINDO, porém bem mal feitinho!! Ainda mais por se tratar de algo tão específico… Uma ESCRITORA que ganha um filme biográfico antes da própria morte (ou até mesmo velhisse) é porque é alguém de muuuita influência mundial, é essa é J. K. Rowling: a 2ª mulher MAIS RICA DO MUNDO, ganhando todo esse dinheiro assim: escrevendo. Então logicamente é um filme voltado para os fãs.
O problema é que os fãs da J. K., eu pelo menos EU, como fã, sabem a história da vida dela com detalhes. Conhecem tudo. E para um filme feito para a televisão, sim, é bom. Mas, poxa vida!! Que fã de Harry Potter não sabe que o uniforme dela de colégio era MARROM E AMARELO, duas cores que ela odeia?? Isso não tá no filme. Algumas coisas importantes da vida dela que a gente sabe de cor não estão no filme. Aí é triste, não custava nada uma atenção maior. São detalhes sim, mas que fariam total diferença.
Porém… Eu chorei em cada cena do filme que passava. Porque a gente sabe as dificuldades imensas que ela passou na vida, e sabe como ela foi vencendo. Podem dizer que J. K. Rowling estava na hora certo e no lugar certo, ou que deu sorte, ou qualquer coisa. Mas ficar bilionária por vender livros, desculpa, não é pra qualquer um. Ela começou do nada, do desespero pra conseguir criar a filha dela sozinha, de realizar um sonho que muita gente não acreditava que ela conseguiria. E conseguiu. E criou um mundo todo novo que eu amo!! Que tanta gente ama.
E aí é legal ver momentos da vida dela que a gente sabe que são reais, muito emocionantes. Portanto se avaliar o filme no geral, avaliar a mídia para a qual ele foi feito, tudo, então ele merece uma boa avaliação.
Melhores Cenas: Eu chorei MUITO na cena em que a Di lê o livro pela primeira vez. E até “recitei” a dedicatória da “Pedra Filosofal”. A cena é bonita mesmo.
*calma, Luciana, não pega bem chorar escrevendo um post*
Outra cena LINDA é quando ela lê pro público, pouquíssima gente, achando o máximo aquilo. E os fãs malucos que sabem “Pedra Filosofal” de cor – em inglês e em português – vão falando junto com o filmes sem nunca ter assistido, haha. Lindo. É bonitinho também que eles vão colocando elementos do história no filme. Quando ela tá escrevendo, por exemplo, as velas começam a flutuar e tals. Bem legal.
– Agora a cena mais TOSCA é quando ela sonha com o Harry pela primeira vez, no trem. Sério, dava pra fazer uma cena linda e ela ficou parecendo uma mulher malucona delirante.
Trailer:

Star Wars – A Ameaça Fantasma 3D

Em 10.02.2012   Arquivado em Filmes

Eu nunca comentei realmente sobre Star Wars aqui no blog. Eu SEMPRE conheci a história e seus elementos principais, mas só fui assistir aos filmes ano passado e desde então sou fãzona. Agora com o lançamento dos filmes em 3D vou poder dar minha opinião não só sobre essa nova versão, mas também sobre o enredo de cada um deles em si!!

Star Wars - A Ameaça Fantasma

Star Wars: Espisódio I – A Ameaça Fantasma (Star Wars – The Phantom Menace) *****
Elenco: Ewan McGregor, Ian McDiarmid, Liam Neeson, Jake Lloyd, Natalie Portman, Ray Park, Samuel L. Jackson, Frank Oz (Voz), Kenny Baker, Andrew Secombe, Peter Serafinowicz (Voz), Anthony Daniels, Lewis Macleod, Keira Knightley, Ahmed Best (Voz)
Direção: George Lucas
Gênero: Ficção Científica
Duração: 131min
Ano: 1999/2011
Sinopse: “Quando a maquiavélica Federação Comercial planeja invadir o pacífico planeta Naboo, o guerreiro Jedi Qui-Gon Jinn (Liam Neeson) e seu aprendiz Obi-Wan Kenobi (Ewan McGregor) embarcam em uma aventura para tentar salvar o planeta. Viajam com eles a jovem Rainha Amidala (Natalie Portman), que é visada pela Federação pois querem forçá-la a assinar um tratado que é para eles muito importante. Eles têm de viajar para os distantes planetas Tatooine e Coruscant em uma desesperada tentativa de salvar o mundo de Darth Sidious (Ian McDiarmid), o demoníaco líder da Federação que sempre surge em imagens tridimensionais (a ameaça fantasma). Durante a viagem Qui-Gon Jinn conhece um garoto de nove anos que deseja treiná-lo para ser tornar um Jedi, pois o menino tem todas as qualidades para isto. Mas o tempo revelará que nem sempre as coisas são o que aparentam.” (fonte)

Comentários: Ah, gente, que cara é essa?? Só porque o filme é o pior dos seis?? Mas é legal, vai!! Legal porque pra quem viu começando da antiga triologia significa saber, FINALMENTE, “what the hell is a Jedi”. A gente escuta na trilogia original falando de Jedi isso, Jedi aquilo, mas nunca vê Jedi em ação, não conhece os costumes deles. E é o que eu gosto na nova trilogia, principalmente essa relação Padawan-Mestre que eu acho o máximo. Isso é colocado de forma liinda nessa filme na relação do Qui-Gon com meu personagem favorito da série, Obi-Wan. Vê-lo ali ainda de trancinhas, tendo que baixar a cabeça pra alguém como o Qui-Gon (que eu acho, de longe, o personagem mais imbecil da série), precisando de um impulso pra poder fazer as coisas e assumindo uma responsabilidade por fidelidade é lindo. E ponto final.

O problema do filme é que ele gasta muito tempo com pouca coisa. A Corrida de Pod, por exemplo, é legal, os sons são incríveis, muito importante, tá. Mas PÔ, reduz isso mais – porque era pra cena ser mais longa ainda! Acaba uma rodada e ainda tem outra rodada e depois mais OUTRA rodada. Que saco, George Lucas! Essa realmente me cansa.

Uma coisa que acho bem legal, por sua vez, é apresentação dos personagens aos poucos. Eles só mostram e aí, de repente, soltam o nome dele, e eu imagino quando o filme saiu no cinema originalmente e o pessoal ouviu “Obi-Wan”, “Anakin”, “Mestre Yoda”, “C-3PO” e “R2-D2” a primeira vez, deve ter sido uma gritaria atrás da outra. Sobre o 3D, num tem muito o que dizer, uma vez que um filme que não é em 3D não pode ter realmente muito efeito legal. É a mesma coisa, nada pulando da tela ou algo assim. Só profundidade. E “profundidadezinha”.

Ah, o Yoda foi modificado, como já era de se esperar, para personagem de CG. Mas num gostei não. Gosto dele nos episódios II e III, mas esse ficou com a cara esquisita, acho que eu até prefiro ele versão “muppet”… Não sei exatamente o que me incomodou, preciso ver de novo pra descobrir.

Melhores Cenas: “Anakin Skywalker, meet Obi-Wan Kenobi.” Lágrimas. Isso é lindo. Sem mais. Mas como isso não é uma cena, é só uma frase… Vamos partir pras BATALHAS! O final tem aquele 4 em 1 que eu adoro. Você vê de um lado Anakin, aí muda pra Rainha Amidala e aí Jar Jar… E você acha tudo muito legal até aparecer uma luta de Sabre de Luz bem na sua frente. Amo. Super coreografada, super bem feita… Quando tá Darth Maul versus Qui-Gon eu fico torcendo pro lado Negro (justo eu, a pessoa mais “Lado Luminoso” que conheço), e aí quando Obi-Wan assume mudo de lado, claro, ele faz movimentos fantásticos pra combater duas lãminas com uma só, até arrepio.

Trailer:

Página 8 de 19«1 ...456789101112... 19Próximo