Wishlist 3×3: Fashion Dolls e afins

Em 15.09.2017   Arquivado em Dolls

Colecionar bonecas é um caminho quase sem volta… Você se apaixona, pesquisa sobre, se assusta (muito) com os preços e, quando viu, tem sua primeira na estante. Jura que ela será única, claro, mas aos poucos vai nascendo uma família, e foi o que aconteceu comigo. No início, fazendo estágio e sem boletos pra pagar, eu gastava quase todo meu dinheiro com isso, mas a vida adulta de hoje não permite, né? Ainda bem que a Wish List foi ficando cada vez menor enquanto a quantidade de mini porcaria crescia, mas é claro que ainda tem uma “coisinha ou outra” que continuo querendo, ninguém é de ferro! E como estou empolgada com a BlytheCon Rio que foi no fim de agosto (tenho que postar sobre!) e o Projeto Psique que tá pra voltar resolvi entrar no embalo de vez e mostrar não só as Fashion Dolls que ainda quero, mas também o que compõe o mundo delas!

Wishlist: Fashion Dolls

01) Byul Paulia: Eu fiquei apaixonada por essa Byul desde que ela foi lançada em 2010 e ela já saiu e entrou na lista de desejos algumas vezes… Hoje é a única boneca que eu ainda QUERO MUITO MESMO TER! Já planejei tudo, que ela vai ter os cabelos rosa clarinhos e se chamará Lulu… Egocentrismo, né mores! Mas fala sério, não é linda? O que eu mais gosto nela é a cor da boca, é a única Byul que tem um “batom” escuro e alegre assim ao mesmo tempo! (Foto do Pullip Style)

02) Little Byul Garcon: As pessoas demoraram muito pra cair nos encantos das Little, e comigo isso foi acontecer quando saiu essa versão mini das Byuls, que é meu modelo de Fashion Doll favorito de todos! Esse é parte de um set Cinderela que a Groove lançou há uns anos e eu amo porque é um menininho! Tão difícil isso! Quando tiver o meu vai se chamar Bilbo, é cara dele e uma homenagem a um universo que amo. Ou, como diria uma amiga minha, Byulbo! (Foto da Ichigo Toys)

03) Zombie Gaga: Eu já falei aqui no blog da Monster High da Lady Gaga, que não só foi idealizada pela irmã da artista como também aborda um conceito incrível de valorização de diferenças que tem tudo a ver com essa linha da bonecas… E ELA É MARAVILHOSA! É bem cara também, mas não tem problema, quero mesmo assim… Estou morrendo de dó da Gaga ter desmarcado o show no RIR hoje, tanto por ela quanto por mais ou menos metade dos meus amigos que tá lá no Rio pra vê-la e meio que “perderam a viagem”. Muito triste! (Foto da Mattel)

04) Barbie Luciana: Porque é minha xará, gente! Na verdades quero as duas Barbies Luciana: não só essa Fashion Mode como também a Luciana Brasleira carnavalescca que saiu ano passado e é mais linda ainda. Eu não sei tara é essa que a Mattel tem de colocar esse nome nas bonecas colecionáveis deles, mas eu fico feliz demais em “me ver” nelas. Demonstra um bom gosto indiscutível por parte da marca, não é mesmo? E sempre são desejáveis. (Foto do Barbie Collection)

05) Obitsus 23cm: Várias da minhas Byuls ainda não têm corpos trocados, e quero muito! Pra quem é leigo pode não ter diferença mas colecionadores vão entender meu “drama”. No total eu “preciso” de três pras que já tenho e mais um pra que ainda quero, hahaha. E hoje, enquanto procurava as fotos desse post, descobri que existe também um de 24cm, então fiquei desejando pra uma delas ficar um pouquinho mais alta que as outras… E ele é lindo, mais “coxudo”, ah, eu amo! (Foto da Ichigo Toys)

06) Peruca mohair preta: A Esmeralda, minha Byul Tiger Lily, tem um tom de pele lindo de índia, e eu acho um desperdício não valorizar isso perto de tanta doll branquela. Sinto que com a peruca certa ela vai se transformar completamente. Por isso queria dar um mohair pra ela, que nem essa da foto, ou algo bem “bagunçado” igual. É uma boneca incrível demais pra ficar presa no cabelo sem graça que tem originalmente. (Foto da Pullip Art)

07) Set de mãos para obitsu 27cm: Apesar de só ter uma doll que usa o Obitsu 27cm, que é o mais “alto” deles nessa escala 1/6, ainda tem um set de mãos que não tenho e vale a pena comprar. Principalmente, confesso, por causa desse “V” com os dedinhos, acho muito fofo. (Foto do Dollfie World)

08) Customização da Joanne: Bom, vemos aqui um item que não sei se quero de verdade. A Joanne foi minha primeira Byul e sempre vem e vai uma vontade louca de mandá-la pra customização pra ganhar sardas! Já até fizemos uma simulação e ficou legal, mas sempre fico sem saber… Primeiro porque customizar exige muitos cuidados posteriores e segundo que ela usa óculos. Eles não ficam o tempo todo no rosto dela pra não estragar, só na hora das fotos e de encontros de colecionadores, mas aí fica a dúvida: será que esse tira-e-põe ia prejudicar a nova “maquiagem”? Nunca me decido quanto a isso…

09) Blythe Bow Wow Trad: Pra ser bem sincera eu não sinto TANTA vontade de ter uma Blythe, mas estava ficando sem itens pra essa lista (olha que humilde!)… Então resolvi citar a favorita! Eu sei que nunca terei porque a BWT é uma boneca MUITO CARA MESMO, mas sou apaixonada por ela. Porém de qualquer forma estou aceitando qualquer uma de cabelo pretinho ou colorido de uma cor que gosto, sem preconceitos, claro. (Foto do Blythe Happy)

Pra quem quiser conhecer minha familinha de Fashion Dolls é só acessar o meu muito abandonado Flickr ou o post onde mostrei todo mundo. E só um lembrete assim, nada relacionado com o post, mas meu aniversário é 10 de julho, tá? =D

Psiu! Prestenção!

Com exceção do item 08, as fotos usadas nesse mosaico foram tiradas de vários sites diferentes em setembro de 2017 e todos eles foram sinalizados ao longo do texto. Se você é o autor de qualquer uma e não gostaria de vê-la aqui, por favor, me avise para que eu possa retirar!

Mas… Você brinca de boneca?

Em 15.11.2016   Arquivado em Dolls

Quando eu era criança passava uma parte muito significativa do meu tempo brincando de Barbie, era minha atividade favorita na vida sem sombra de dúvidas, e isso se estendeu pelo início da adolescência também, na fase clássica de ter vergonha de admitir isso pras minhas amigas. “Essa vai ser sua última boneca, Lulu!” foi uma frase que minha mãe me disse várias vezes nesse período, porque ao mesmo tempo que ela tinha medo de que eu continuasse muito “infantil” não queria me poupar do que eu mais gostava quando pudesse, e não poupou. Mesmo depois que eu cresci e parei de realmente brincar, ou seja, sentar no chão e criar histórias com elas, isso continuou sendo recorrente, até meu presente por ter passado no vestibular foi uma Barbie, a “Princesa Luciana”, porque tinha meu nome e tudo mais. Pouco tempo depois eu comecei a colecionar Pullips e similares e isso qualquer um que me conhece um pouquinho sabe, elas são parte frequente na minha vida que faço questão de não esconder e viver intensamente, vira e meche posto foto das danadas ou mesmo das miniaturas que “complementam” esse universo delas. Já são 7 anos disso, 7 anos sem receio de admitir que bonecas em escala 1/6 de vários tipos são uma grande paixão minha, e desde o início eu já perdi as contas de quantas vezes eu tive que explicar que aquilo não me fazia mal, que eu não sou louca frustrada com a vida, que nos nossos encontros ninguém senta pra fazer chazinho “mamãe e filhinha” (e se fizesse também, hunf, azar o nosso!), que é um hobby como qualquer outro. Perdi as contas de quantas vezes tive que escutar, mesmo que a pessoa tivesse completamente encantada com elas, essa típica pergunta que quem faz até sente medo da resposta: “Mas, no final das contas, você AINDA brinca de boneca? É isso mesmo?”.

Você brinca de boneca?

É engraçado porque os “costumes infantis” que a sociedade julga ser “de menino” que são mantidos todo mundo lida como se fosse normal, mas os “de menina” não. Na minha cabeça a separação não devia existir, qualquer criança poderia brincar do que quisesse, mas na vida real ainda existe esse tipo de direcionamento, e o tempo que é aceitável continuar gostando da coisa também é diferente. O menino crescer e continuar gostando de futebol, video game, carros e afins tudo bem, é normal, conheço vários homens que colecionam miniatura, Lego, aeromodelos, action figures, toy art, a lista é tão extensa que nem vale a pena continuar. Mas e se a menina continua gostando de bonecas? Ah, aí é um problema! É ridículo, ela já passou da idade, devia estar pensando em namorar ou algo assim, vê se pode uma marmanja gastando dinheiro com uma coisa dessa, não tem louça pra lavar não? Eu já cheguei no ponto de ouvir da boca de parentes que COLECIONAM CARRINHOS que isso não era legal. E apesar de estar absolutamente nem aí para a opinião dessa gente ainda assim eu me questiono POR QUE não é legal? Em que momento minhas bonecas feriram a integridade de alguém? De que maneira o fato de eu comprar vestidos pra elas, e não para mim, ofendeu tão profundamente as pessoas? “Você tem dinheiro suficiente nessas bonecas pra comprar uma moto”, e de que isso adianta se foi ao gastar com elas que fiquei feliz? Alguém consegue, por favor, me explicar isso?

Eis que esse domingo minha mãe me chamou correndo para assistir televisão com ela porque estava passando uma matéria sobre o assunto na Record, que fiz questão de assistir inteira. O resultado? Bom, de acordo com o que vi ali nós somos loucas desequilibradas, vivemos fora da realidade, precisamos de apoio psicológico ou psiquiátrico e temos “falta de criança”. E como se não fosse ruim o suficiente esse preconceito externo nos julgando rolou o interno também: as próprias colecionadoras de bonecas menores ficaram ofendidas por terem sido colocadas no mesmo “patamar” de um casal que trata suas reborns, que são bebês super convincentes em tamanho real, como se fossem seus filhos. Gente, é sério isso? Ok, algumas coisas eu pessoalmente não acho legal, assim como em todos os assuntos da vida, mas quem sou eu, vocês ou mesmo um canal de televisão para julgar como as pessoas vivem ou deixam de viver sem causar nenhum mal a ninguém? Por favor, é diante de situações assim que nós devemos nos juntar para dar força e mostrar a todos que o que nos faz bem é única e exclusivamente da nossa conta! Isso me fez perceber que o preconceito é tão grande que até quem sofre com ele pode sentir, às vezes.

E quer saber a resposta pra tal pergunta tão repetida? Eu brinco de boneca SIM! Pode não ser da maneira “tradicional” com a qual brincava quando ainda era uma mini Luly, mas dou nomes a elas, deixo que elas ganhem sua personalidade, adoro criar histórias, me divirto HORRORES fotografado essas cabeçudas e outro dia eu e uma amiga que “arrastei” pra esse mundo comemoramos o aniversário do Reginald, Isul que ela me deu de presente, com bolo e muita risada, só pra curtir mesmo. Isso não me impede de trabalhar, estudar, ter uma vida saudável e nem de me relacionar com as pessoas, pelo contrário! Muitos dos grandes amigos que tenho hoje conheci foi por causa delas, mesmo que beeeeem indiretamente, então o resultado final foi totalmente positivo, e vai continuar sendo! E se ainda assim rolar a encheção de saco a gente apela pro clássico “quem gasta dinheiro com isso sou eu, e não você” e sai sorrindo bem prontinha pra continuar amando e se encantando com foto de outros colecionadores nas internets da vida, porque eita atividade gostosa que lava a alma e inspira!

Demi no Miss Blythe Brasil 2016

Em 27.10.2016   Arquivado em Dolls

Entre 2008 e 2011 o Blythe.com.br promoveu através do Flickr o “Miss Blythe Brasil”: concurso de miss para bonecas, e funcionava que nem o “de gente” mesmo, cada participante deveria cumprir etapas semanais através de fotos para, no fim, a favorita levar a “coroa”. Eu participei na categoria Pullip & Família Groove em 2010 com a Kim (até postei tudo aqui) e em 2011 com a Mimia e a Joanne, e depois disso rolou um longo hiatus até que esse ano uma nova equipe resolveu “ressuscitar” a ideia e promoveu uma nova edição, dessa vez via Facebook. E como eu acho mega divertido tudo isso entrei mais uma vez com a mais carismática das minhas bonecas, a Demi. Eu não tinha esperança nenhuma de ganhar porque as Byuls não são tão queridas assim, mas queria “brincar” de qualquer jeito e falei com as amigas “Do jeito que a Demi é, capaz de ela ser Miss Simpatia, isso sim”, E NÃO É QUE FOI MESMO? O resultado saiu no início do mês e foi oficializado na BlytheCon BH que aconteceu dia 15, fiquei tão feliz, minha pequerrucha merece! E já que é assim ela merece também um post especial mostrando cada fase da sua participação azulzinha!

01) Apresentação

A foto de apresentação não vale ponto, mas é obrigatória de qualquer forma, e cada ano tem um tema diferente. Dessa vez foi Natureza, então aproveitei o dia que fomos fotografar as dolls no Parque Mangabeiras para fazer essa da Demi com parte do outfit original dela, toda de elefantinha! Gostei do local que escolhi porque se forçar muito a barra rola de fingir que é um savana africana e tudo mais!

Demi no Miss Blythe Brasil 2016

02) Traje Típico

A primeira etapa que valia ponto era o traje típico e eu fiquei PIRADA porque não fazia ideia de que roupa escolheria. Todas as minhas dolls têm nacionalidade e a Demizinha é alemã, mas não tinha nada legal por aqui do país dela, até que depois da manifestação de 7 de setembro tive o insight de colocá-la representando a galera que foi às ruas pedir “Diretas Já” aqui no Brasil mesmo! As cores ficaram incríveis com o cabelo dela e ainda consegui levantar um tema sério, fiquei toda feliz! (Desculpem uma foto em pé no meio de todas as outras deitadas, mas infelizmente se cortasse não ia ficar tão legal.)

Demi no Miss Blythe Brasil 2016

03) Traje de Banho

Um maiô emprestado (obrigada, Lili!), algodãozinho na barriga pra ficar gordinha, picolé pra dar aquela refrescada e… Boias improvisadas do Dumbo! Eu fiz elas com algodão e decotape, uma ideia que até já tinha colocado em prática a um tempo atrás, acho que fica tão bonitinho! Todo um jeitinho de criança que ainda não sabe nadar, hahaha!

Demi no Miss Blythe Brasil 2016

04) Aptidão

Outra que eu não fazia IDEIA do que fazer quando me inscrevi foi a aptidão, até cogitei colocar ela de cantora por causa do nome mas não achei uma ideia tão legal. E depois pensei que a característica principal da Demi é e sempre foi comer, ela nunca está sem um pirulito ou algum docinho nas fotos, então taí, não podia ser melhor! De início ia rolar só o sanduíche e um suco ao lado, mas na hora fui empolgando e colocando mais e mais comida na mesa… A única parte triste é que no celular a foto parecia estar linda, mas jogando pro computador ficou MUITO RUIM… Bom, o que vale é a intenção!

Demi no Miss Blythe Brasil 2016

05) Carisma e Inteligência

O “carisma” mostrando como ela é pela foto, a “inteligência” respondendo perguntinhas que nos foram enviadas por e-mail… Então é isso aí, mais Dumbo, mais roupa azul (ela SEMPRE usa essa cor), mais pirulito e as respostas estão AQUI!

Demi no Miss Blythe Brasil 2016

06) Traje de Gala

Fechando lindamente com a roupa mais importante de todas: o traje de miss! Pra esse eu tinha várias ideias que não consegui executar, fui adiando, enrolando, deixando pra última hora… Literalmente, a foto foi tirada na data limite à noite! No fim das contas resolvi aderir a essa vibe meio “Elsa”, mas a roupa da minha boneca dela fica GIGANTE pra Demi, então peguei uma emprestada com minha irmã pra substituir. Na hora não gostei muito, enviei meio contra gosto, mas depois quando vi ela impressa no porta retratos que ela ganhou por ser Miss Simpatia (que é da dor dos cabelos dela!) passei a amar, ficou muito fofufinha!

Demi no Miss Blythe Brasil 2016

Agora tenho até agosto pra decidir quem será a participante do ano que vem, hahaha! E aí, o que vocês acharam da participação da Miss Demi? Qual foi a foto que mais gostaram? Me conta!

Zomby Gaga: a Monster High da Lady Gaga!

Em 09.10.2016   Arquivado em Dolls

Little Monsters, podem ir começando a chorar desde já! A Mattel anunciou no início do mês a sua mais nova boneca que vai entrar pro time das alunas de Monster High: Zomby Gaga! Ela foi desenhada pela irmã da cantora, Natali Germanotta, em uma parceria com a Born This Way Foundation, organização da própria Lady Gaga que visa ajudar o bem estar de crianças para que o ambiente delas seja mais gentil, e é toda inspirada no visual do clipe da música de mesmo nome. O mais legal dessa história é que a fundação tem TUDO a ver com o conceito das Monster Hogh, cuja ideia é justamente o “estranho ser fabuloso”, ou seja: as diferenças são não só aceitas como também celebradas! Existem vários episódios da web série delas que abordam essa temática contra o preconceito nas escolas e já até rolou uma ação conjunta com outras campanhas anti-bullying, então acho que isso só torna a coisa toda mais bonita ainda!

zombygaga_01 Foto da Mattel, via PR Newswire

Fala sério, gente, MARAVILHOSA! eu já sou completamente fã de como as Monster High são feitas, de como cada detalhe delas é completamente trabalhado e pensado. Eles pegam cada peça de roupa, sapato e acessório e fazem com que tenham elementos temáticos dos monstros representados, e ainda assim conseguem com que o conjunto fique bonito e harmônico, inclusive em relação à boneca em si, já que os cabelos, maquiagem e até tom de pele também respeitam isso, algumas têm corpos “especiais” de formato adaptado. Essa, é claro, não poderia ser diferente! Ela tem o rabão de cavalo em tons pastéis, a máscara pintada de monstro incrível com uns toques de brilho na sombra, a boca num formato que, pelo que entendi, dá pra encaixar um chiclete, tatuagem com o nome nas mãos e o melhor: os dedos em forma de “garrinha” para ela ficar na pose da coreografia da música! Estou tão encantada que acho que vou ter que encaixar uma segunda MH aqui em casa pra fazer companhia pra minha Spectra… E pra pirar a gente de vez eles soltaram uma foto das monstrinhas tradicionais da turma ao lado dela, cada uma com roupas nas suas cores clássicas agregadas a um penteado diferente da Gaga, parece que a linha não se resume só nela e vai dar vontade de colecionar tudo!

zombygaga_02 Foto da Mattel, via PR Newswire

Ela vai começar a ser vendida nos Estados Unidos dia 17 de outubro por U$29,90, provavelmente na loja virtual oficial da Mattel. Quando vem pro Brasil e com que preço a gente só pode especular, mas a vantagem das Monster High é que ela são de facílimo acesso, qualquer loja de brinquedo vende, e não custa exatamente uma fortuna: se for considerar como brinquedo é cara, mas no quesito “fashion doll” é provavelmente a mais acessível que existe!

Bonecando: Minha “familinha” Groove!

Em 12.09.2016   Arquivado em Dolls, Vídeos

Dois anos atrás a Marcelle, que acompanha o canal no YouTube, me pediu pra gravar um vídeo mostrando minhas Pullips e outras bonecas da “família” Groove, ou seja, minhas fashion dolls. Eu não gosto muito de chamar de “coleção” porque não trato elas muito assim, mas no fundo acho que é isso que elas são, então podem usar o termo que quiser. Essa história começou em 2009 quando eu comprei a Kimberly, que já vinha desejando a um tempo e seria a única, mas uma coisa foi levando à outra, o amor foi aumentando… Hoje eu tenho três Pullips, um Isul, cinco Byuls e três Little Byuls, além de uma dDung fake que considero como uma delas mesmo não tendo nada a ver (isso sem contar 2 na wish list). Bem, é só apertar o play e ver o resultado desses últimos 7 anos em movimento e cores!

Algumas delas têm posts aqui no blog, outras não, e eu não tenho foto de família atualizada desde que a Esmeralda chegou, então achei melhor deixar aí em baixo essas individuais com os links dos álbuns de cada no Flickr, porque lá vocês encontram fotos de antes, de agora e informações sobre as customizações que cada uma passou, inclusive os modelos específicos de peruca, olhos e corpos, quando for o caso. E eu digo “elas” na maioria das vezes mesmo tendo o Reginald no meio porque as meninas são a maioria, então acho mais justo! Ah, e a Kim é cibernética, então sigam ela no Facebook, Twitter e Instagram!

Familia Groove
Kimberly (Pullip Chill), Mimia (Pullip Veritas), Lilica (dDung Fake), Elle (Pullip My Melody)

Familia Groove
Joanne (Byul Eris), Demi (Byul Dumbo), Benny & Kenny (docolla Byuls Creamy Mami e Oompa Loompa), Penny Lane (Byul Hermine)

Familia Groove
Silena (Byul Pinoko), Reginald (Isul Light), Agnes (Little Byul My Melody), Esmeralda (Byul Tiger Lily)

Página 1 de 812345678