Vision to End AIDS

Em 24.04.2014   Arquivado em Leitura

Tem MESES que estou maluca pra contar sobre o #VisionToEndAIDS que a Elton John AIDS Foundation organizou no fim do ano passado, mas queria fazer um post completão e isso requeria a boa vontade de qualquer que seja o sistema de entrega que eles usaram e, depois, dos Correios aqui no Brasil. Mas eu tô passando o carro na frente dos bois, vamos começar do começo…

A Elton John AIDS Foundation é uma organização sem fins lucrativos criada pelo próprio Elton John que roda o mundo tentando ajudar a acabar com a AIDS. Não se trata somente de tratar os pacientes já infectados, mas também tentar IMPEDIR que a AIDS atinja as pessoas através da educação, da aceitação e principalmente, segundo o fundador, do amor. Ele diz que se tivéssemos mais amor uns pelos outros as pessoas que estão mais suscetíveis à AIDS no mundo provavelmente correriam menos risco de serem infectadas e aqueles que já foram seriam mais bem tratados pela sociedade. O que é uma baita verdade.

No fim do ano passado a página do Facebook da EJAF fez um promoção em que ao postar uma foto no Instagram usando um par de “óculos estilo Elton” (ou seja: óculos chamativos) com a hashtag #VisionToEndAIDS sua foto iria para um aplicativo deles da página do Fscebook e estaria ali esperando por curtidas dos visitantes. As dez fotos mais curtidas ganhariam um exemplar do livro “Love is the cure”, de autoria do próprio Elton AUTOGRAFADO e ele escolheria uma dessas pessoas para ganhar também um par de óculos de sol que pertencia à sua coleção pessoal. E logicamente eu não podia deixar de participar, né? Peguei os óculos de plástico que comprei pro show dele em BH ano passado e postei a seguinte foto:

EJAF
via Instagram

O aplicativo é bem inteligente e funciona de forma que não tem como conseguir curtidas através de sites específicos para isso: a pessoa TEM QUE ENTRAR LÁ E CURTIR MESMO. A única coisa que se pode fazer é compartilhar a foto na sua timeline pedindo ajuda, e foi o que eu fiz. Mesmo assim não adiantou e eu estava longe de chegar entre os 10 primeiros, então passaram alguns dias e compartilhei de novo. Foi aí que a coisa aconteceu… Nesse dia alguns amigos meus também compartilharam e pessoas que tinham eles no Facebook mas não me tinham (algumas das quais eu conheço) começaram a fazer o mesmo e em um dia eu tinha a 6ª foto mais curtida da página, de repente. Quando o prazo expirou eu recebi um comentário da própria EJAF no meu Instagram dizendo que eu era uma das dez e pedindo meu endereço. Faltou pouco para eu morrer do coração, era quase natal e eu saí CORRENDO GRITANDO pela casa enlouquecida. Eu já tinha ganhado o livro de amigo oculto do Luke em português (com o título de “O amor é a cura”) e esperava ler em português mesmo, mas ter ele autografado era muita alegria pro meu pobre coração. Eu nem fui a escolhida final pra ganhar os óculos também, mas pra mim isso não fazia diferença, eu tava feliz demais.

Foram passando os meses e passando os meses… O pessoal me respondeu o e-mail falando que tinha enviado o livro e nada de ele chegar aqui. Até que essa semana meu pai me entregou um papel dos Correios pedindo que eu retirasse uma encomenda. Olhei o rastreamento e as dois dígitos finais eram GB: Grã Bretanha. No dia seguinte eu estava na porta com o papel e a identidade nas mãos pra pegar meu livro! Abri o pacote antes de chegar em casa no meio da rua e tive que guardar de novo correndo quando vi o autógrafo porque eu desatei a chorar quando abri, só de pensar que ele tinha tocado naquelas páginas. E vim aqui hoje mostrar essa coisinha mais linda da vida pra vocês:

EJAF

EJAF

EJAF

Com essa chegada eu comecei a lê-lo ontem, só que em português. É simplesmente incrível, conta a história de Ryan White, que foi um garoto que contraiu AIDS através de um tratamento para hemofilia e acabou tendo que sofrer todas as consequências da doença e que foi quem fez Elton John largar a vida de vícios deles em relação a drogas, bebida, comida e tudo, e mais tarde foi grande inspiração da EJAF. Conta também a história da própria organização e de diversas outras que eles auxiliam ao redor do mundo. Quem quiser conhecer mais do trabalho deles é só entrar no site e pra ajudar a divulgá-lo fiquem de olho na fan page onde eles postam suas ações e as datas para fotos no Instagram com a principal Hashtag deles: #LoveIsInMyBlood. Eu já fiz a minha também na última ação que foi no Valentine’s Day, ó ela aí:

EJAF
via Instagram

Top 5: Celebridades que eu queria ser BFF

Em 12.11.2013   Arquivado em Memes e Tags

Minha primeira blogagem coletiva, que alegria, que emoção, que coisa mais linda! Essa semana no Rotaroots o tema das postagens é as 5 celebridades que você queria ser BFF… Dispensa comentários, né? Adorei começar por ela porque fazia tempos que eu não postava um Top 5, e minha seleção foi feita de coração, por mais que tenha ficado MUITO sem noção…

5º lugar: Demi Lovato

Celebridades BFF

Sabe aquela sua amiga bem careta que quase nunca sai com a turma, mas que tá lá pra te dar uns bons conselhos que você dificilmente vai seguir? Pois é, eu seria essa pessoa pra Demi Lovato. Eu confesso que a Demi é uma atriz que gosto muito (como cantora nem tanto) e sinto mais saudades de Sunny Entre Estrelas do que consigo admitir, então seria incrível ter ela na minha vida pra eu falar uns bons ‘eu te avisei” quando ela aprontasse alguma loucurinha ou dar uns sacodes quando ela começasse a se fazer de vítima demais. Fora isso ela saberia da existência da minha Demi, seria madrinha dela e elas tirariam fotos juntas!

4º lugar: Dhani Harrison

Celebridades BFF

Dhani Harrison é a prova viva de que quando a genética é boa deve passar pelas gerações porque ele é realmente um George Segundo. Olha essa carinha fofa, tem como não amar? Mas minhas escolha pelo Dhani foi por outro motivo. Gente, nada melhor do que atender um telefone de uma velho amigo e ter o descendente de um dos Beatles do outro lado da linha! Fora o fato de que além de poder ter sua ilustre companhia nos meus aniversários, ser amigona do peito desse “garoto” me levaria a poder ser amiga também de tanto outros que deveriam entrar nesse Top 5 mas não couberam aqui: Paul McCartney, Ringo Starr e até Eric Clapton.

3º lugar: Yngwie Malmsteen

Celebridades BFF

Ok, agora chegamos num ponto delicado dessa lista em que não poderei abrir muito meu coração pra vocês não me acharem (mais) louca, então vamos nos ater ao básico… Mas é que sinto que mesmo com a enorme diferença de idade eu e “Lars” – olha a intimidade – poderíamos ser BFFs caso eu tivesse algum dote musical relevante. Se existe um cara nesse mundo com o qual eu adoraria pegar dicas sobre a vida artística, aprender a tocar guitarra e fazer um dueto, de verdade, esse cara é ele.

2º lugar: Rupert Grint

Celebridades BFF

Ai, gente… Com esse aí eu casava e vivia feliz pra sempre com filhos ruivos e acordando toda manhã com todo esse sotaque ao meu lado. Mas ok, estamos sendo humildes aqui pensando somente nas amizades, certo? Rupert é pra mim uma escolha indispensável e só perde pro primeiro lugar por motivos óbvios… Porque ele é lindo, ele é fofo, ele é inglês, ele é ruivo, ele é o Rony e ele trabalha bem como ninguém! Só de ele saber da minha existência eu já estaria feliz, imagina então ser alguém relevante na vida? Porque relevante na minha, de certa forma, ele já é. A presença dele nessa lista me faz adicionar ainda que eu colocaria J.K. Rowling nela fácil, mas me sinto desconfortável considerando uma autora de livros como celebridade, acho que são duas palavras que não combinam, então por isso ela ficou de fora.

1º lugar: Elton John

Celebridades BFF

Tava tudo muito bom, tudo muito bem, e eu queria ser MUITO ser amigona dessas quatro pessoas tão diferentes entre si, mas abro mão delas sem nem pensar por ele, pelo meu número um, pelo meu artista favorito, pelo meu ídolo do coração, pelo meu BFF dos sonhos: Reginald Dwight! Queria ser miga mesmo, daquelas que é madrinha do segundo filho (do primeiro foi a Lady Gaga, né, não rola de me comparar a ela), de chamá-lo de “Reg” ao invés de “Elton” e de ver essa pessoa maravilhosa chorando no meu casamento. Queria chegar na casa dele pra brincar com as crianças e ouvir o David me chamando de “Luly” vindo feliz me abraçar por ser uma das pessoas mais queridas pelos dois. Queria saber se ele tá em casa na Inglaterra ou nos EUA, queria oferecer minha casa de hospedagem e ir encontrá-lo cada vez que ele chegasse ao Brasil e ser reconhecida e bem vinda pela banda sempre. Queria fazer sir Elton John feliz, nem que fosse 5% do tanto que ele já me fez feliz na vida!

Acho que eu devia ter escolhido celebridades mais…. Mais com cara de “celebridades” mesmo, mas fui ser sincera e deu no que deu, hahaha! E vocês, quais famosos vocês queriam que fossem seus BFF? Algum em comum com essa minha lista maluca?

Rapidinhas de Março

Em 07.04.2013   Arquivado em Cotidiano

Acho que é a primeira vez em 2013 que venho contar sobre um mês aqui!! Que bom, tava com saudades… Enfim, eu não faço IDEIA do que aconteceu com a sidebar aqui do blog, mas seja lá o que for aconteceu na hora certa: fiz mega mudanças no layout (pra não dizer que fiz um layout novo, já que ficou bem parecido) e acho que até mês que vem vou trocar isso, então não vai ficar feio assim por muito tempo. Até lá vamos aos fatos.

ATENÇÃO: SE VOCÊ NÃO LEU O FINAL DA TRILOGIA DE “JOGOS VORAZES” AINDA PULE ESSA PRIMEIRA FOTO E VÁ DIRETO PRA PRÓXIMA!! EU AVISEI…

Rapidinhas de Março

E março para mim começou já com um final… Depois de ler “Jogos Vorazes” – que eu já tinha visto o filme – e “Em Chamas” no fim de fevereiro, assim que o mês começou eu devorei “A Esperança” logo de início. Eu não sei se vou chegar a escrever sobre os livros, mas apaixonei pela saga, gente! Primeiro porque eu amo livros que você não consegue parar de ler e todos os três são assim: viciantes. E segundo porque acabei gostando da história mesmo, da inteligência como ela te leva a ver as coisas. Mas aí… Terminei, ok. Depois de ter chorado em diversas mortes de todos os gêneros durante a saga eis que chega o final. O final feliz mais infeliz da história… Não que seja ruim, mas porque você lê aquilo e perde totalmente sua fé na humanidade Quando eu terminei o livro coloquei de lado e pensei “Puxa, imagina se o ser humano realmente fosse assim”, e aí desatei a chorar mais porque não era uma “se”: o ser humano já é exatamente daquele jeito… Mas gostei muuuito, recomendo, quero os livros pra mim e novembro não chega nunca pra eu ver a arena mais legal do mundo no cinema (aliás achei o 2º o melhor).

Rapidinhas de Março

Aí que foi um grupo de Patrocínio lá no APM pra fazer um treinamento de preservação, conservação e armazenamento para que fosse aplicado lá no Museu/Arquivo que eles têm lá. Foram duas manhãs ensinando a fazer pequenos reparos nos livros, pensando em possíveis formas de manter saudável o acervo deles (as moças me disseram que lá tem várias moedas e discos de vinil, isso rendeu muitas ideias) e, no final do segundo dia, uma surpresa: ganhamos café! Na verdade eu nem tomo café, mas achei a coisa mais fofa elas terem levado pr’a gente, e meu pai disse que é uma delícia!

Rapidinhas de Março

E dia 9 de março, ô dia que valeu a pena!! Foi o dia mais feliz da vida com Show do Elton John aqui em Belo Horizonte. Aiaiai, todas as vezes eu olhar pras fotos desse dia vou chorar de alegria só de lembrar, queria poder ter um por ano! Só tô triste agora porque não consegui ingresso pro Paul… É, né, fazer o que?

Rapidinhas de Março

Dia 21 também foi importante: EU FORMEI!! Foi o dia da minha colação de grau lindinha. Num teve beca, nem auditório decorado, nem discurso grande. Foi na EBA mesmo, junto com os outros cursos de lá (Artes Visuais, Teatro e Moda), em plena quinta feira às 11h da manhã, mas foi ótimo mesmo assim, foram alguns familiares meus e tals. Aí Marina ainda levou o capelo da irmã dela e o canudo de quando ela formou em Turismo, então eu pude tirar fotos bonitinha com carinha de formada. E agora eu sou oficialmente bacharel em Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis!

Rapidinhas de Março

No feriado de Páscoa a Pati veio aqui pra casa (e a gente se viu 2 meses no mesmo mês, ó que lindo!). Seria a mesma diversão de sempre se não tivesse uma surpresa que deixou tudo melhor: nós demos uma Pullip pra ela de aniversário! Na verdade a doll era usada, mas em perfeito estado de conservação, e como é ruivinha eu coloquei eyechips azuis nela e combinou perfeitamente com o nome que a Pati escolheu (que nós já sabíamos que escolheria): Anya, por causa do filme favorita dela que é Anastasia. Foi uma mega surpresa, nós fizemos o cartão e até uma caixa pra ela ter um “Box Moment”. Ela ficou apaixonada, foi melhor do que uma doll nova pra mim mesma. Tem fotos dela aqui! Fora isso nós vimos filmes, tiramos fotos, brincamos de Guerra de Travesseiros, comemos muito… O de sempre!

Rapidinhas de Março

E por fim o mês acabou com PÁSCOA! Ai, e como tem chocolate aqui em casa, vocês não têm noção. Mas o dia foi bom em outros sentidos também, tirando a baita dor de estômago que eu arrumei (não relacionada ao chocolate, por incrível que pareça) e que ficou me infernizando por uns dias… Mas, né, Páscoa é sempre bom!

Elton John – 40th Anniversary of the Rocket Man em Belo Horizonte

Em 29.03.2013   Arquivado em Música, Vídeos

Quando eu fui ao show do Elton John na Praça da Aponteose, dia 19 de janeiro 2009, voltei dizendo que foi o melhor show da minha vida, que nunca haveria nenhum melhor, que estava pra chegar um dia mais especial que aquele pra mim… Em 9 de março de 2013, quatro anos depois, paguei língua! Foi o dia em que assisti a ele de novo, mas na MINHA Belo Horizonte, e agora sim eu posso dizer “I never knew me a better time and I guess I never will”!


Dêem um joinha, crianças!

No vídeo aí em cima tem uma pequena mostra de como foi esse dia incrível, mas agora eu vou contar tintim por tintim… Nós chegamos ao Mineirão (depois de rodar toda a Pampulha porque minha mãe não sabe andar lá depois das reformas) por volta das 14h30 e fomos direto pra onde o ingresso nos mandava ir. Chegamos lá e não tinha ninguém então, ótimo, formamos a fila, né? Mas eu tava achando tudo estranho, tinha um povo que não parecia que tava indo pro show, ninguém sabia informar nada… Aí fomos confundidas com o povo do “Posso Ajudar?” e foi quando finalmente consegui ser informada que estávamos na entrada de carros, que a gente podia ficar lá mas que seria melhor se fossemos para um portão que seria exclusivo para as Cadeiras Premium, então fomos e chegando lá… NÃO TINHA NEM UMA ALMA VIVA NO LUGAR. Sério. Nenhuma mesmo! A gente não sabia se ia atrás de mais informações, se formava fila… No final decidimos esperar a Pati chegar (fui com ela e a Dani na Cadeira Premium C, minha mãe e o Renato foram na Arquibancada) e acabamos sentando na grama debaixo da sombra, porque tava um Sol de lascar. Quando deu 17h30, mais ou menos, o povo começou a formar uma fila e aí fomos atrás. Foi meio burrice nossa porque poderíamos ter sido as primeiras, mas não pegar uma insolação acabou sendo melhor…

Já na fila fizemos uma amizades, tomamos Coca Cola e às 18h EM PONTO o primeiro portão abriu, para entrar para a esplanada, já que o estádio mesmo só deveria abrir às 19h, o que não aconteceu. Demorou 30 minutos depois do horário pra liberar pr’a gente entrar, teve uma confusãozinha por causa da fila prioritária, mas rapidinho estávamos correndo que nem LOUCAS pra conseguir um lugar legal, e ficamos na segunda fileira de cadeiras, do lado esquerdo que era o que a gente queria (porque é onde o piano fica), lugar super ótimo!

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Nós três na fila de fora.

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
A maior tietagem que já fiz na vida mereceu registro!!

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Nossas pulseirinhas, já lá dentro.

E foi só depois de sentar que eu senti o choque… Eu nunca fui ao Mineirão porque não gosto de futebol, mas olhando ao meu redor eu já estava certa de que ele não era daquele jeito antes da reforma, e depois me confirmaram porque ele tá lindo demais, fora das proporções. Meu padrinho (que eu encontrei lá dentro) me disse que parece outro estádio, gente, tudo organizadinho, as arquibancadas bonitinhas, os banheiros absolutamente limpos, a parte interna impecável com poltronas e tudo mais. E isso tudo somado ao fato de que estávamos nas cadeiras Premium, logo em cima do campo, então na nossa frente, onde tava o povo de cadeira marcada, tinha muito gente vestida como se tivesse indo pr’uma festa, salto alto e tudo mais. Fora que ainda rolou distribuição de Cappuccino Três Corações, nossa, foram 2 horas de puro glamour, hahahaha.

Faltando 10 minutos as luzes apagaram e eu senti meu coração acelerar. Ás 22h em ponto, britanicamente no horário, o palco se iluminou e ele entrou. Ai, gente, e eu fiquei sem conseguir mexer nenhum músculo voluntário do meu corpo, mas de repente eu tava pulando e gritando tão loucamente que uma senhora que estava lá disse “Uau, você é fã MESMO, hein?”. Eu estava alucinada, não tem outra palavra pra descrever. Ele abriu com “The Bitch is Back” e quando acabou e começou a segunda música eu caí na real e no choro junto. Nossa, foi uma sensação mil vezes melhor do que no Rio, parecia que era a primeira vez que eu o via ao vivo, mas eu sabia ao mesmo tempo que estava tendo a segunda oportunidade incrível de ter ele no mesmo lugar que eu. Não sei explicar, só sei que a moça da minha frente me entregou o binóculo dela e aí que eu chorei mesmo, nem conseguia enxergar. E aí o show foi indo, a gente sentava nas músicas mais calmas, levantava nas mais animadas. E foi quando aconteceu…

Assim que eu ouvi ele tocar o “pã-pã-pã-pã” inicial de “Goodbye Yellow Brick Road” eu saí do lugarzinho da minha cadeira e fui pra grade na frente, porque eu precisava ver aquilo o mais perto possível que minha pulseira me permitia. Só que foi só chegar lá (e tirar uma foto) que precisei voltar: eu estava aos prantos. Tenho certeza de que, até hoje, aquela música ali foi o melhor momento da minha vida. E quando voltei a Dani me abraçou e eu num tava nem aí de não conseguir assistir nada, eu só queria ouvir aquilo e continuar chorando loucamente do jeito que eu tava. O pessoal ao nosso redor achou a coisa mais fofa da vida meu desespero emocionado, hahahaha. E aí foi só a música acabar pra eu sentar e já ter que levantar chorando de novo, porque em seguida foi “Rocket Man”. Sério, duas músicas-ícone d’uma vez é sacanagem.

Tiveram vários momentos lindos. Todo mundo em pé cantando “The One”, quietinhos e sem errar… “Skyline Pidgeon” que a moça que ficou nossa amiga na fila apareceu no telão chorando (e o botton que dei pra ela apareceu junto)… “Tiny Dancer” que é uma das minhas favoritas e que foi dedicada a todas as mulheres, em especial uma lá na frente que tava fazendo aniversário. Tudo lindo! Quando eu vi que tava chegando acabando eu falei pras meninas pra irmos pra grade quando acabasse “Crocodile Rock”, que eu sabia que era no final, mas durante a música o povo foi levantando e indo devagarzinho, então nós três demos as mãos, passamos na frente de todo mundo e ficamos grudadinhas na grade até o fim. E aí quando ele saiu e voltou pro Bis desejou a todos “happiness” e “love” e fechou o show com “Your Song”. Ai. Só de lembrar eu arrepio, incrível!

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Tiny Dancer

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Philadeiphia Freedom

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Philadelphia Freedom

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Goodbye Yellow Brick Road

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Rocket Man

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Crocodile Rock

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Biz… E fim!!

Saímos de lá e fomos pro estacionamento, e eu praticamente arrastada, porque não queria ir embora nunca mais. Foram 2 horas e meia de show, sem atrasos ou interrupções, e um SHOWZÃO, do nível que só alguém como Elton John consegue fazer. A gente riu, a gente chorou, a gente dançou, a gente lembrou de pessoas durante a música, a gente se abraçou. E eu fiz isso tudo em escala máxima! Demoramos uma hora pra conseguir sair do estacionamento e, quando chegamos em casa, fomos direto dormir… Eu tava tão rouca que não tinha nem como conversar. Tivemos que esperar o dia seguinte pra compartilhar fotos (a câmera da Pati é incrível, as dela ficaram ótimas) e, aí sim, lembrar de como foi o melhor show de todos os tempos. E só vai ter outro melhor se eu puder vê-lo de novo (dessa vez em algum lugar bem absurdo… Tipo Londres!).

Top 5: Músicas românticas mais lindas de todos os tempos!!

Em 27.05.2011   Arquivado em Música

Nem preciso falar, porque é só ler o blog um pouquinho, mas música é pra mim muito mais que “simplesmente música”. Eu não toco nada, eu não canto, mas adoro estudar sobre música, sobre minhas bandas, sobre minhas músicas. Aí em “parceria” com a Daninha resolvi montar um Top 5 das músicas românticas mais lindas de todos os tempos. Parceria porque montamos a lista juntas, e por esse motivo não farei as menções honrosas nesse post: passamos a discordar logo a partir da 6ª, hahaha. Então separem os lencinhos e vamos lá!

5º LUGAR – You Make Me Feel Brand New – Simply Red


“God bless you, you make me feel brand new, for God blessed me with you”

Eu preciso dizer que sei que a maioria acha essa música brega até a morte, e preciso dizer também que SEI que ela não é do Simply Red. Mas mesmo assim ela é LINDA demais. E eu tenho toda uma história com ela, porque em 2004 tocava na novela “Celebridade” e foi a música-tema da minha vida no início do que, na época, parecia um romancinho adolescente… Eu não sabia o que ainda está por vir, hahaha!

4º LUGAR – Can’t Help Falling In Love (With You) – Elvis Presley


“Take my hand, take my whole life too, for I can’t help falling in love with you”

Elvis não é o “Rei do Rock” atoa, né minha gente… Eu me encantei por essa música pela 1ª vez quando assisti a um DVD do Andrea Bottelli na minha prova de Cor do 3º período da faculdade e quando cheguei em casa corri pra ouvi-la um bilhão de vezes. Todo mundo da sala riu porque chorei assistindo, mas é que é de chorar, não tem como. Escolhi esse vídeo pra representa-la, mesmo com a música cortada, porque o Elvis tá lindo demais nele, confesso!

3º LUGAR – Something – The Beatles


“Somewhere in her smile she knows that I don’t need no other lover…”

Minha favorito do caçulinha do “Fab Four”, tanto com os Beatles quanto em carreira solo. Tenho que dizer que se eu fosse a Pattie não trocaria ele nem por um milhão de Erics Claptons!! George era fofo e ela inspirou essa que é a segunda música mais regravada não só da banda, mas de todos os tempos (atrás apenas de Yesterday). Na verdade ela era danada, inspirou várias músicas lindas entre um marido e outro. Tá aí no clipe pra todo mundo, incrível de bonito, pra quem não conhece a Pattie ver o quanto ela era linda demais… E no “Across The Universe” essa cena tão linda que dá até angústia. Jude, te amo, fala com sotaque inglês no meu ouvido!

2º LUGAR – My Love – Paul McCartney


“It’s understood, it’s everywhere with my love and my love does it good”

E o primeiro que falar que sir James Paul McCartney não amava a Linda apanha. Olha isso, gente, presta atenção NISSO. Como assim, uma música pode ser assim?? É absolutamente perfeita. Vai tocar no dia do meu casamento, ainda não sei em que momento da cerimônia, mas vai. Quero “Chandler & Monica Feelings” meeeesmo, e amo assistir esse episódio de FRIENDS só pra chorar mais um pouquinho com a situação. Eu ia colocar o vídeo “original”, mas ele cantando em São Paulo foi o que me fez apaixonar pra sempre pela música quando vi na Globo (queria estar lá), e o pessoal gritando “Linda!! Linda!!” na platéia não tem preço.

1º LUGAR – Your Song – Elton John


“I hope you dont mind that I put down in words how wonderful life is while you’re in the world!!”

Não precisa muito, o Elton diz tudo: this is YOUR song. É minha, é sua, é nossa, é de todos. Difícil achar esse vídeo da vozinha dele de falsete antes da cirurgia, mas achei mesmo que em baixa qualidade! É a música mais linda de todos os tempos, foi escrita em 1970 e a mais de 40 anos faz sucesso no mundo todo inspirando qualquer romance possível. Antes de ser fãzona do Elton eu já era fãzona de “Moulin Rouge”, meu filme favorito, por causa dessa música e nem o Ewan McGregor com aquela voz dele consegue estragar. Elton e Bernie, queridos, obrigada por ela e todas as outras! Ter ouvido isso ao vivo, ainda mais sendo dedicada ao Obama, completou meu dia 19 de janeiro de 2009, e foi o momento mais emocionante da minha vida!

Gugui… Esse post é especial pra dizer que tô com saudades!! hihihi

Página 3 de 6123456