Elton John – 40th Anniversary of the Rocket Man em Belo Horizonte

Em 29.03.2013   Arquivado em Música, Vídeos

Quando eu fui ao show do Elton John na Praça da Aponteose, dia 19 de janeiro 2009, voltei dizendo que foi o melhor show da minha vida, que nunca haveria nenhum melhor, que estava pra chegar um dia mais especial que aquele pra mim… Em 9 de março de 2013, quatro anos depois, paguei língua! Foi o dia em que assisti a ele de novo, mas na MINHA Belo Horizonte, e agora sim eu posso dizer “I never knew me a better time and I guess I never will”!


Dêem um joinha, crianças!

No vídeo aí em cima tem uma pequena mostra de como foi esse dia incrível, mas agora eu vou contar tintim por tintim… Nós chegamos ao Mineirão (depois de rodar toda a Pampulha porque minha mãe não sabe andar lá depois das reformas) por volta das 14h30 e fomos direto pra onde o ingresso nos mandava ir. Chegamos lá e não tinha ninguém então, ótimo, formamos a fila, né? Mas eu tava achando tudo estranho, tinha um povo que não parecia que tava indo pro show, ninguém sabia informar nada… Aí fomos confundidas com o povo do “Posso Ajudar?” e foi quando finalmente consegui ser informada que estávamos na entrada de carros, que a gente podia ficar lá mas que seria melhor se fossemos para um portão que seria exclusivo para as Cadeiras Premium, então fomos e chegando lá… NÃO TINHA NEM UMA ALMA VIVA NO LUGAR. Sério. Nenhuma mesmo! A gente não sabia se ia atrás de mais informações, se formava fila… No final decidimos esperar a Pati chegar (fui com ela e a Dani na Cadeira Premium C, minha mãe e o Renato foram na Arquibancada) e acabamos sentando na grama debaixo da sombra, porque tava um Sol de lascar. Quando deu 17h30, mais ou menos, o povo começou a formar uma fila e aí fomos atrás. Foi meio burrice nossa porque poderíamos ter sido as primeiras, mas não pegar uma insolação acabou sendo melhor…

Já na fila fizemos uma amizades, tomamos Coca Cola e às 18h EM PONTO o primeiro portão abriu, para entrar para a esplanada, já que o estádio mesmo só deveria abrir às 19h, o que não aconteceu. Demorou 30 minutos depois do horário pra liberar pr’a gente entrar, teve uma confusãozinha por causa da fila prioritária, mas rapidinho estávamos correndo que nem LOUCAS pra conseguir um lugar legal, e ficamos na segunda fileira de cadeiras, do lado esquerdo que era o que a gente queria (porque é onde o piano fica), lugar super ótimo!

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Nós três na fila de fora.

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
A maior tietagem que já fiz na vida mereceu registro!!

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Nossas pulseirinhas, já lá dentro.

E foi só depois de sentar que eu senti o choque… Eu nunca fui ao Mineirão porque não gosto de futebol, mas olhando ao meu redor eu já estava certa de que ele não era daquele jeito antes da reforma, e depois me confirmaram porque ele tá lindo demais, fora das proporções. Meu padrinho (que eu encontrei lá dentro) me disse que parece outro estádio, gente, tudo organizadinho, as arquibancadas bonitinhas, os banheiros absolutamente limpos, a parte interna impecável com poltronas e tudo mais. E isso tudo somado ao fato de que estávamos nas cadeiras Premium, logo em cima do campo, então na nossa frente, onde tava o povo de cadeira marcada, tinha muito gente vestida como se tivesse indo pr’uma festa, salto alto e tudo mais. Fora que ainda rolou distribuição de Cappuccino Três Corações, nossa, foram 2 horas de puro glamour, hahahaha.

Faltando 10 minutos as luzes apagaram e eu senti meu coração acelerar. Ás 22h em ponto, britanicamente no horário, o palco se iluminou e ele entrou. Ai, gente, e eu fiquei sem conseguir mexer nenhum músculo voluntário do meu corpo, mas de repente eu tava pulando e gritando tão loucamente que uma senhora que estava lá disse “Uau, você é fã MESMO, hein?”. Eu estava alucinada, não tem outra palavra pra descrever. Ele abriu com “The Bitch is Back” e quando acabou e começou a segunda música eu caí na real e no choro junto. Nossa, foi uma sensação mil vezes melhor do que no Rio, parecia que era a primeira vez que eu o via ao vivo, mas eu sabia ao mesmo tempo que estava tendo a segunda oportunidade incrível de ter ele no mesmo lugar que eu. Não sei explicar, só sei que a moça da minha frente me entregou o binóculo dela e aí que eu chorei mesmo, nem conseguia enxergar. E aí o show foi indo, a gente sentava nas músicas mais calmas, levantava nas mais animadas. E foi quando aconteceu…

Assim que eu ouvi ele tocar o “pã-pã-pã-pã” inicial de “Goodbye Yellow Brick Road” eu saí do lugarzinho da minha cadeira e fui pra grade na frente, porque eu precisava ver aquilo o mais perto possível que minha pulseira me permitia. Só que foi só chegar lá (e tirar uma foto) que precisei voltar: eu estava aos prantos. Tenho certeza de que, até hoje, aquela música ali foi o melhor momento da minha vida. E quando voltei a Dani me abraçou e eu num tava nem aí de não conseguir assistir nada, eu só queria ouvir aquilo e continuar chorando loucamente do jeito que eu tava. O pessoal ao nosso redor achou a coisa mais fofa da vida meu desespero emocionado, hahahaha. E aí foi só a música acabar pra eu sentar e já ter que levantar chorando de novo, porque em seguida foi “Rocket Man”. Sério, duas músicas-ícone d’uma vez é sacanagem.

Tiveram vários momentos lindos. Todo mundo em pé cantando “The One”, quietinhos e sem errar… “Skyline Pidgeon” que a moça que ficou nossa amiga na fila apareceu no telão chorando (e o botton que dei pra ela apareceu junto)… “Tiny Dancer” que é uma das minhas favoritas e que foi dedicada a todas as mulheres, em especial uma lá na frente que tava fazendo aniversário. Tudo lindo! Quando eu vi que tava chegando acabando eu falei pras meninas pra irmos pra grade quando acabasse “Crocodile Rock”, que eu sabia que era no final, mas durante a música o povo foi levantando e indo devagarzinho, então nós três demos as mãos, passamos na frente de todo mundo e ficamos grudadinhas na grade até o fim. E aí quando ele saiu e voltou pro Bis desejou a todos “happiness” e “love” e fechou o show com “Your Song”. Ai. Só de lembrar eu arrepio, incrível!

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Tiny Dancer

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Philadeiphia Freedom

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Philadelphia Freedom

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Goodbye Yellow Brick Road

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Rocket Man

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Crocodile Rock

Elton John: 40th Anniversary of the Rocket Man
Biz… E fim!!

Saímos de lá e fomos pro estacionamento, e eu praticamente arrastada, porque não queria ir embora nunca mais. Foram 2 horas e meia de show, sem atrasos ou interrupções, e um SHOWZÃO, do nível que só alguém como Elton John consegue fazer. A gente riu, a gente chorou, a gente dançou, a gente lembrou de pessoas durante a música, a gente se abraçou. E eu fiz isso tudo em escala máxima! Demoramos uma hora pra conseguir sair do estacionamento e, quando chegamos em casa, fomos direto dormir… Eu tava tão rouca que não tinha nem como conversar. Tivemos que esperar o dia seguinte pra compartilhar fotos (a câmera da Pati é incrível, as dela ficaram ótimas) e, aí sim, lembrar de como foi o melhor show de todos os tempos. E só vai ter outro melhor se eu puder vê-lo de novo (dessa vez em algum lugar bem absurdo… Tipo Londres!).

Top 5: Músicas românticas mais lindas de todos os tempos!!

Em 27.05.2011   Arquivado em Música

Nem preciso falar, porque é só ler o blog um pouquinho, mas música é pra mim muito mais que “simplesmente música”. Eu não toco nada, eu não canto, mas adoro estudar sobre música, sobre minhas bandas, sobre minhas músicas. Aí em “parceria” com a Daninha resolvi montar um Top 5 das músicas românticas mais lindas de todos os tempos. Parceria porque montamos a lista juntas, e por esse motivo não farei as menções honrosas nesse post: passamos a discordar logo a partir da 6ª, hahaha. Então separem os lencinhos e vamos lá!

5º LUGAR – You Make Me Feel Brand New – Simply Red


“God bless you, you make me feel brand new, for God blessed me with you”

Eu preciso dizer que sei que a maioria acha essa música brega até a morte, e preciso dizer também que SEI que ela não é do Simply Red. Mas mesmo assim ela é LINDA demais. E eu tenho toda uma história com ela, porque em 2004 tocava na novela “Celebridade” e foi a música-tema da minha vida no início do que, na época, parecia um romancinho adolescente… Eu não sabia o que ainda está por vir, hahaha!

4º LUGAR – Can’t Help Falling In Love (With You) – Elvis Presley


“Take my hand, take my whole life too, for I can’t help falling in love with you”

Elvis não é o “Rei do Rock” atoa, né minha gente… Eu me encantei por essa música pela 1ª vez quando assisti a um DVD do Andrea Bottelli na minha prova de Cor do 3º período da faculdade e quando cheguei em casa corri pra ouvi-la um bilhão de vezes. Todo mundo da sala riu porque chorei assistindo, mas é que é de chorar, não tem como. Escolhi esse vídeo pra representa-la, mesmo com a música cortada, porque o Elvis tá lindo demais nele, confesso!

3º LUGAR – Something – The Beatles


“Somewhere in her smile she knows that I don’t need no other lover…”

Minha favorito do caçulinha do “Fab Four”, tanto com os Beatles quanto em carreira solo. Tenho que dizer que se eu fosse a Pattie não trocaria ele nem por um milhão de Erics Claptons!! George era fofo e ela inspirou essa que é a segunda música mais regravada não só da banda, mas de todos os tempos (atrás apenas de Yesterday). Na verdade ela era danada, inspirou várias músicas lindas entre um marido e outro. Tá aí no clipe pra todo mundo, incrível de bonito, pra quem não conhece a Pattie ver o quanto ela era linda demais… E no “Across The Universe” essa cena tão linda que dá até angústia. Jude, te amo, fala com sotaque inglês no meu ouvido!

2º LUGAR – My Love – Paul McCartney


“It’s understood, it’s everywhere with my love and my love does it good”

E o primeiro que falar que sir James Paul McCartney não amava a Linda apanha. Olha isso, gente, presta atenção NISSO. Como assim, uma música pode ser assim?? É absolutamente perfeita. Vai tocar no dia do meu casamento, ainda não sei em que momento da cerimônia, mas vai. Quero “Chandler & Monica Feelings” meeeesmo, e amo assistir esse episódio de FRIENDS só pra chorar mais um pouquinho com a situação. Eu ia colocar o vídeo “original”, mas ele cantando em São Paulo foi o que me fez apaixonar pra sempre pela música quando vi na Globo (queria estar lá), e o pessoal gritando “Linda!! Linda!!” na platéia não tem preço.

1º LUGAR – Your Song – Elton John


“I hope you dont mind that I put down in words how wonderful life is while you’re in the world!!”

Não precisa muito, o Elton diz tudo: this is YOUR song. É minha, é sua, é nossa, é de todos. Difícil achar esse vídeo da vozinha dele de falsete antes da cirurgia, mas achei mesmo que em baixa qualidade! É a música mais linda de todos os tempos, foi escrita em 1970 e a mais de 40 anos faz sucesso no mundo todo inspirando qualquer romance possível. Antes de ser fãzona do Elton eu já era fãzona de “Moulin Rouge”, meu filme favorito, por causa dessa música e nem o Ewan McGregor com aquela voz dele consegue estragar. Elton e Bernie, queridos, obrigada por ela e todas as outras! Ter ouvido isso ao vivo, ainda mais sendo dedicada ao Obama, completou meu dia 19 de janeiro de 2009, e foi o momento mais emocionante da minha vida!

Gugui… Esse post é especial pra dizer que tô com saudades!! hihihi

Gnomeu e Julieta

Em 09.03.2011   Arquivado em Filmes

Gnomeo & Juliet

Gnomeu e Julieta (Gnomeo & Juliet) *****
Elenco (vozes): James McAvoy, Emily Blunt, Ashley Jensen, Michael Caine, Matt Lucas, Jim Cummings, Maggie Smith, Jason Statham, Ozzy Osbourne, Stephen Merchant, Patrick Stewart, Julie Walters, Hulk Hogan, Kelly Asbury, Richard Wilson, Dolly Parton, Julia Braams, James Daniel Wilson, Tim Bentinck, Julio Bonet, Neil McCaul, Maurissa Horwitz
Direção: Kelly Asbury
Gênero: Animação
Duração: 84min
Ano: 2011
Sinopse: “Gnomeu (James McAvoy) e Julieta (Emily Blunt) são anões de jardim cujas famílias são vizinhas e rivais. Um dia eles se apaixonam, para desgosto dos familiares. Para ficarem juntos, eles precisarão enfrentar diversos obstáculos.”

Comentários: Quando fiquei sabendo pela Lili que tava pra lançar um filme cuja trilha sonora era feita basicamente de músicas do Elton John e mais, que era uma versão fofinha de Romeu e Julieta, eu surtei. Comecei a procurar sobre o filme e vi que sairia em cartaz na sexta feira, dia 4. E aí no sábado nós já estávamos já dentro do cinema assistindo. E valeu a pena porque é lindíssimo, super recomendo! Foi meio triste porque só tinha dublado e eu queria ouvir a voz de Maggie Smith, Ozzy Osbourne e Julie Walters, e era 3D, que além de eu não gostar muito e ser caro, foi absolutamente desnecessário nesse filme, não teve nada de especial. Mas agora parece que tudo tem que ser em 3D, vai entender o motivo, então…

Achei fofíssimo! Adaptou a história de Romeu e Julieta de forma super criativa, os adultos se divertiam até mais que as crianças. Sem contar as músicas do Elton John são perfeitas em suas versões originais e nas novas para o filme, como “Crocodile Rock” junto com a Nelly Furtado, ficou bem gostosa e a gente ficou dançando e aplaudindo junto comum cara que tava na cadeira de trás do cinema.

Melhores Cenas: Eu ameeeeeei a Ama da Julieta, que no filme se chama Nanette e é uma sapa. Muito engraçadinha! A cena de “Your Song”, em que ela se apaixona de vez pelo Páris e vê ele como se fosse o Elton John foi minha favorita, porque ficou igualzinho, com óculos rosão e os dentinhos da frente saparados. Amor puro!
Gostei do final também, afinal é um filme infantil, e ver os dois gnominhos fofos “morrendo” no final seria MUITO triste. O próprio Gnomeu, que bateu um papo com a lápide do Shakespeare antes, disse que a versão deles é bem melhor!

Trailer:

Top 10 Bandas Favoritas

Em 21.02.2011   Arquivado em Música, Vídeos

Ehr, bandas e artistas, porque algum desses têm carreira “solo” =D Nesse vídeo eu me SUPEREI, ficou com mais de meia hora, eu entrei em pânico pensando em como reduzi-lo pela metade, mas quando fui olhar descobri que o YouTube agora deixa eu carregar vídeos com mais de 15 minutos, então aí está, se alguém conseguir me ouvir falando por mais de 20 minutos:


Eu percebi que 2 meses mal saindo de casa me fez precisar de um solzinho mais que nunca…

Comentários:
Eu nããããããão troquei de câmera, continua sendo a Kodak Easyshare de sempre, simples e básica. Mas dessa vez gravei de dia e com o computador desligado, o que melhor e imagem e o som! E eu tava sem maquiagem também (yey!), mas sem chapinha não dá, vocês nunca vão me ver gravando sem chapinha;
O post sobre “Across The Universe” vai sair, gente! Não sei quando, mas sai. Mas é que eu realmente quero que fique bom, então preciso pesquisar mais um pouco;
Ignorem a carinha ouvindo Dancing Queen, eu não sabia como agir nesses segundos que a música durou e fiquei calada.

Os posts da tag “Listening To” dessas bandas citadas que já escrevi foram Elton John, ABBA, Scorpions, Nazareth. Quando eu escrever mais vou editando aqui!

Ah, na hora que citei “Helloween” e pareceu que eu esqueci o que ia falar é porque esqueci mesmo! Só queria citar que minha música favorita deles é “If I Could Fly” (que é a música favorita da Kimberly, hihi). E esse caso do Janick Gers, guitarrista do Iron Maiden, é verdade mesmo, gente. É a pessoa mais famosa que já vi de perto, a 3 metros de distância dando sopa no Minas Shopping, aiai…

Por fim… A nail arte de oncinha eu aprendi a fazer aqui e adaptei com as cores que tenho em casa (ficou assim), e citei a Lud no finzinho porque ela passoooou em medicina e tá indo pro Rio estudar. Uma felicidade sem tamanho que vai deixar uma saudade maior ainda.

Listening To: Elton John

Em 25.03.2010   Arquivado em Música

Na tag “Listening To” posto sobre bandas/artistas que gosto, mas isso não significa que vocês não possam dar sugestões! Escolhe uma dessas daqui e pode ser que ela apareça no próximo mês! A de hoje é especial, porque é aniversário de 63 anos dele…

* Eis o post “Listening To” mais importante, especial e bem feito de todos os tempos… O post de “feliz aniversário” do maior e melhor ídolo da minha vida. Daquele de quem já falei tantas vezes (principalmente em janeiro de 2009: a época do grande show), mas que hoje ganha um post na minha Tag preferida: Sir Elton Hercules John.
Reginald Kenneth Dwight nasceu em Londres no dia 25 de março de 1947. Toda sua família inteira tinha um bom conhecimento sobre música, mas ainda assim “Reg” não tinha tanto apoio quanto seu primo, por exemplo, que jogava futebol e era uma carreira “ideal”, estava até se tornando conhecido já. Enquanto isso, Reginald tocava piano sem – até então – nunca ter assistido uma aula, aprendeu ouvindo mesmo, e sua vida musical começou pra valer ma banda Bluesology, de onde ele tirou o nome “Elton John”: é uma homenagem aos membros Elton Dean e Long John Baldry, saxofonista e vocalista, respectivamente. Com o tempo, porém, ele abandonou a banda porque queria trabalhar não só como pianista, mas também como vocalista. Isso foi possível quando, aos 20 anos, foi apresentado a Bernie Taupin, o autor das letras de praticamente toda sua discografia. A parceria de Elton e Bernie é provavelmente a maior que já existiu entre compositor e letrista, e eles são grandes amigos até hoje, são 40 anos de sucesso juntos, por mais que Bernie não seja tão mundialmente conhecido quanto Elton em si.

* Elton John é um ícone. Nos anos de 70 foi considerado o 2º maior artista da década. É conhecido não só pelas roupas e atitudes extravagantes, mas também pela filantropia (principalmente o ativismo na luta contra a AIDS), pelos duetos e tributos. Exemplos claros disso são as músicas “Empty Garden”, escrita para seu amigo John Lennon, e “Candle in the Wind”: a música original falava de Marilyn Monroe e em 1997 ganhou uma nova letra para homenagear sua grande amiga Diana, princesa de Gales. É difícil descrever a magnitude da sua obra… Tantos álbuns bem classificados na Billboard, tantas homenagens… Ele compõe, toca, canta e encanta!!

* Eu conheço as músicas dele desde sempre, mesmo que eu não soubesse quem ele era, sempre tinha uma música do Elton John na minha vida: “Your Song” no Moulin Rouge, “I Want Love” na novela O Clone. Mas tudo começou MESMO por causa d’O Rei Leão… Eu pegava os CDs da minha mãe SÓ pra ouvir “Can You Feel The Love Tonight” e foi por causa dessa música que peguei um DVD do meu show favorito dele no início de 2006 para testar meu então novo computador. A partir desse momento a música virou UMA das milhares que eu amo e ele se tornou meu grande ídolo! O show dele no Rio em Janeiro do ano passado foi provavelmente o dia mais feliz da minha vida. Toda vez que escuto Rocket Man tenho vontade de chorar de novo por causa disso! Ele já teve tripla internação para curar seu vício em álcool, drogas e a bulimia. Ele é egocêntrico, teve ataques de diva antes de shows e já fez tantas coisas tidas como “erradas” pela sociedade… Mas mesmo assim… No meu post sobre o Abba eu disse que devia muito a eles… Mas a verdade é que, Elton… Eu devo TUDO a você! Feliz aniversário!

Música Favorita:

* É cada vez mais difícil para mim definir isso. Bom, na verdade isso sempre foi definido: minha música favorita dele é Goodbye Yellow Brick Road. Mas mesmo assim, até mesmo quando postei 11 vídeos achei pouco… Nos últimos anos TODOS os momentos tiveram Elton John como trilha sonora, talvez não como “principal”, mas como mais importante. E como eu só posso escolher uma, vai a favorita num dueto com Billy Joel, outro grande amigo dele. Essa versão foi o motivo pelo qual me apaixonei por ela:

Mais Informações:

Elton John – Website Oficial (em inglês)
Eltonography – Discografia Completa (em inglês)
Rocket Club – fã Clube OFICIAL e um sonho de consumo (em inglês)
Elton John – pela Wikipédia
Elton John’s Corporation – fã clube brasileiro do qual faço parte (não ativamente)

Página 3 de 512345