Motivos para assistir E.R. – Plantão Médico

Em 13.08.2015   Arquivado em Séries e Desenhos

Eu sempre disse e sempre direi que E.R. é meu seriado favorito porque é e não tem jeito. Já assisti a muitas séries na vida de todos os gêneros, algumas que acompanhei/acompanho, outras que só vi algumas coisinhas e nunca nenhuma outra conseguiu ser (para mim) tão boa quando essa, amo desde novinha, tenho algumas temporadas, vivo lendo sobre os episódios que não vi ainda, sou mega fã! Imaginem a alegria que eu senti quando vi no Facebook da Warner que eles voltariam a reexibir a série? Eu tenho dvds em casa e no horário que passa estou trabalhando, mas não importa, saber que as pessoas vão poder assistir e vir a gostar tanto quanto eu já me deixa feliz, sem contar que nos fins de semana acabo vendo os episódios aleatórios que já sei de cor e isso sempre me gera sorrisos e comentários do tipo “Ah, esse é o cara que perde a esposa!” ou “Nossa, esse caso é muuuito lindo…”.

Inspirada por essa volta à tv brasileira, pelo fato que o programa completou 20 anos desde que foi lançado, minha completa falta de assunto para o post de hoje e pelo post da Thay sobre a série favorita dela resolvi vir contar pra vocês alguns dos vários motivos para assistir E.R. e se apaixonar assim como eu me apaixonei a tantos e tantos anos (e continuo me apaixonando a cada nova temporada que compro)!!

er_01
Imagem daqui!

01) É, indiscutivelmente, a melhor série de médicos que existe.

Desculpa, pessoal, eu não quero ofender os fãs de Grey’s Anatomy (que eu já vi e achei até legal), House (que eu não gostei de jeito nenhum) ou qualquer outra, mas realmente igual a E.R. não existe. O autor da série foi médico e teve consultoria de vários profissionais, então a gente vê casos corriqueiros e casos doidos que dão uma ideia de como é a vida maluca de um pronto socorro em Chicago. Inclusive foi assistindo essa coisinha linda que eu aprendi tudo o que eu sei sobre medicina, o que não é lá grande coisa mas ajuda que é uma beleza! E pra quem tem nojo de sangue, hospitais e tudo mais acaba se acostumando também, porque eles mostram com parcimônia, devagarinho, rola de ir relaxando com o tempo. Pra vocês terem uma ideia a série teve até um episódio que passou ao vivo nos EUA e, por causa do fuso horário, os atores atuaram duas vezes seguidas as mesmas coisas para a reprodução tanto na costa Leste quanto na costa Oeste. Tá pouco ou quer mais?

02) O elenco é maravilhoso.

Nem só de George Clooney viveu o seriado, durante as 15 temporadas vários atores grandes da TV americana fizeram parte do grupo de funcionários do County General Hospital e mais: o elenco de apoio também é espetacular! Como a cada dia o hospital tem um grupo diferente de pacientes é impossível dizer o número absurdo de pessoas que já participaram, só no início já rolou Ewan McGregor (que ganhou até um prêmio pelo episódio incrível que fez), Lucy Liu, Kirsten Dunst… É sempre legal quando aparece alguém que você conhece e você fica torcendo pra pessoa ficar bem e tudo mais. Isso sem contar que EITA HOMAIADA BONITA! Novamente: Clooney é só um começo, nós temos Goran Visnjic como Luka Kovac – meu! – (foto), Sharif Atkins como Michael Gallant (foto), Shane Wesr como Ray Barnett (foto), entre outros, todos salvando vidas na correria do dia a dia,fica difícil resistir!

03) Tem um bando de casais incríveis!

Pros super shippers (eu!) E.R. é uma prato cheio, tem todos os tipos de casais possíveis e imagináveis tanto nos personagens fixos quanto nos “passageiros”. Meus favoritos são Mark e Elizabeth (melhor de todos), Luka e Abby , Kerry e Sandy e, claro, Doug e Carol (mesmo adorando as fases em que ele está com a Diane e ela com o Shep, vai entender).

er_02
Imagem daqui!

04) Você pode pegar a história em qualquer ponto sem ficar (muito) perdido.

Claro que ver tudo direitinho do início ao fim é melhor, que sempre tem uma continuidade e tudo mais, mas no grosso você vai lidar com histórias independentes, com novos personagens todos os dias e com tramas que mudam rápido, afinal é um hospital e é assim que um hospital funciona! Isso é muito comum em séries de comédia, mas na categoria “drama” é difícil achar uma assim porque normalmente elas têm seus plots específicos. Nesse caso não existe nem mesmo um protagonista já que o “personagem” principal do programa é nada mais, nada menos que o próprio pronto socorro! Eu mesma só fui pegar as temporadas cronologicamente e certinha depois de aaaaanos, no início via tudo picado quando dava!
(Esse tópico é legal pra quem não quer comprar as temporadas ou assistir on line, porque é difícil de achar, e também não pode ficar esperando a hora de passar na televisão todo santo dia: é só ver quando dá.)

05) Não tem mesmice, não dá pra cansar!

Mais ou menos a mesma coisa da categoria anterior, mas é verdade: a história é sempre diferente a cada episódio, nem os personagens são sempre os mesmos porque 01) os pacientes mudam e 02) o quadro de funcionários também, claro. E além da vida no trabalho também temos a vida pessoal de cada um deles, então são vários momentos pra acompanhar tanto juntos quanto separadamente. Pra quem é leigo no assunto tem também o fator “aprendizado” porque você vai vendo os diagnósticos, descobrindo coisas novas, entendendo mais sobre o motivo de cada doença… Depois de algum tempo já está expert adivinhando as tretas antes deles, se bobear.

06) Você vai rir, vai chorar, vai ter todos os sentimentos.

No meu caso PRINCIPALMENTE chorar. Como mostra o cotidiano de pessoas “normais” é isso aí mesmo, cheio de momentos engraçados e acontecimentos tristes pra você viver intensamente junto com os personagens, torcer por eles, amá-los loucamente e sentir falta quando “perder” um deles. E.R. – Plantão Médico é maravilhosa porque dá pra acreditar que tudo aquilo está acontecendo nesse exato momento em vários lugares do mundo, e realmente está! Olha, eu posso viver mil anos só revendo cada episódio sem parar e ainda assim não vou cansar, vou querer sempre mais e passarei por tudo de novo como se fosse a primeira vez!

badge_post_01

My dog watches E.R.

Em 11.10.2010   Arquivado em Vídeos

– A Pakita é MUITO engraçada. Ela não é branca nem marrom: é branca com partes marrons. Quanto mais limpa ela tá, mais escuro fica o pelo dela, o que deveria ser o contrário. Ela é poddle, mas não sabe disso, porque eu nunca vi um poodle tão vira-lata na minha vida, além de não ter o biotipo ideal de poodle. Além disso ela não late. Nunca. Nunca mesmo. Eu só vi a Pakita latindo em raríssimas ocasiões de medo e/ou susto (e SURTO). Ela anda mancando com uma das patas sem nunca ter machucado aquela pata. Ela abraça a perna d’a gente quando chegamos em casa como se tivéssemos ficado 50 anos fora. Quando leva bronca, nossa, ela faz questão de fazer a coisa que mais me irrita: deita perto do meu travesseiro (eu sou muito chata com meu travesseiro, não gosto que ninguém nem encoste nele). Ela nunca ligou pra televisão. Pode passar qualquer coisa que ela não tá nem aí. Exceto, de acordo com uma descoberta que fizemos hoje, quando passa E.R.

– A Pakita AMA E.R. O médico favorito dela é o dr. Greene, mas ela não vai com a cara do Benton e nem do Ross, sempre late quando eles aparecem. Hahahaha!!