A paixão de junho

Em 12.06.2017   Arquivado em Escrevendo

A Paixão de Junho

Esse pode ser considerado o “mês dos namorados”, mas eu vou chamar de “mês dos apaixonados”, porque todas as vezes que me apaixonei na vida foi em junho. Ou, pelo menos, as vezes em que caí na real em relação a isso, já que esse tipo de sentimento não é da noite pro dia, é construído de passinho em passinho… A história começou bem no meio mesmo, pertinho do dia doze. Não acho que exista amizade preto-e-branco, qualquer relação tem várias tonalidades em seu redor, mas foi ali que se iniciou o processo de viver uma amizade colorida pra valer. Subindo a ladeira, descobrindo que “quem canta seus males espantas”. Uma jaqueta quentinha compartilhada e antes que eu percebesse estava sujeita a sentir, ainda pré-adolescente, o que praticamente todo mundo já sentiu na vida: fogo que arde sem se ver, ferida que dói e não se sente, contentamento descontente. O não querer mais que bem querer e o melhor é que não era solitário andar por entre a gente¹.

Um longo tempo se passou e não havia dúvidas de que eu tinha encontrado o “amor da minha vida”. E acho que tinha mesmo, só não da vida inteira! Não precisa ser imortal posto que é chama, mas sim infinito enquanto dura², é o que realmente importa. Veio, ficou, passou e antes que eu estivesse pronta para novas chances uma nova porta se abriu no final daquele mesmo mês que foi marcado por isso já tantos anos atrás. E quando digo que a porta abriu não é uma metáfora bonita pra uma nova oportunidade, não, foi um “Toc-toc-toc” mesmo, e quando virei a maçaneta deixei a mão cair porque não esperava alguém aparecendo assim, aleatoriamente num dia comum e gostosinho de trabalho. Literalmente à primeira vista, porém foi nela mesmo que ficou. Aquele dia ficaria marcado como o dia em que a pior melhor coisa da minha vida aconteceu, sem dúvidas, mas com o tempo até essas pequenas certezas se tornam mentiras.

Porque o junho seguinte tornou essa dorzinha exagerada em irrelevante. Não me fez esperar muitos dias e me trouxe o coração batendo acelerado logo de cara! Aliás, não só isso, né? Teve borboleta no estômago, cabeça no ombro, tensão no ar, mãos encostando e um cheiro tão característico que dá pra lembrar exatamente qual mesmo com o passar do tempo. Teve expectativa sem decepção, muito pelo contrário, foi melhor ainda que o esperado… De um jeito que dava vontade de escrever pro mundo saber que isso existe, mas ao mesmo tempo sem essa necessidade porque tem coisas que a gente prefere guardar a dois. Elevou toda essa historia de coincidências a um novo nível, transformou a vontade em realidade.

Inclusive, saudades…

¹ “Amor é um Fogo que Arde sem se Ver”, Luís Vaz de Camões. Lisboa, 1524-1580.
² “Soneto de Fidelidade”, Vinícius de Moraes. Rio de Janeiro, 1913-1980.

Festa Junina, vídeo

Em 14.06.2008   Arquivado em Cotidiano

* Quem é viva SEMPRE aparece, e cá estou, hihihi!! Tudo bem com vocês, meus xuxus mais lindos do mundo?? Como passaram nos últimos dias?? Comigo tudo rolou muito bem, muito ótimo, obrigada!! Muita coisa pra fazer nessa vida minha: motivo do meu DESAPARECIMENTO!! Antes que qualquer coisa OBRIGADA pelas 17mil visitas *-* e pelos comentários… Já escureci o rosa da fonte, agora dá pra todo mundo ler o que eu escrevo direitim!! Num tenho MUITA coisa pra falar não, mas o post num pode sair gigante, então chega dessa lenga-lenga e vamos aos fatos!!

* Sábado passado foi a festa junina do São José!! E é, a gente forma mas fica todo mundo grudado no colégio, né?? Foi TÃO bom, não lembro de festa junina melhor ao longo dessa minha vida. Foi quase todo mundo, hehehe!! Eu, Amiguinha e Daninha chegamos lá eram 18:15hs, por aí. Aí depois que o povo foi chegando (com’assim, Luciana MOREEEEEEEENA?? Cê num era LOIRA, menina?? Agora a gente olha pra Daninha e num sabe quem é quem!!) e tals. Matamos as saudades, hehehe!!
E bem no início da festa, quando eu e Amiguinha estávamos andando procurando alguém, fosse colega ou professor, demos de cara com a Lu O.O que isso!! É que eu tinha comentado com ela da festa, aí ela resolveu aparecer lá. Hahahah!! Tiramos muita foto feliz, inclusive usando os arcos-de-anteninha-peludinhos que ganhamos na pescaria… Só não mostro foto porque to com “pregui” de ficar redimensionando todas elas, hehehe!!
Só faltou mesmo meu convidado de honra, né Gugui?? Que teve que ensaiar =/ aí num daria tempo nem de aproveitar se ele fosse, porque ia chegar lá no final. Mas eu te perdoo, viu meu amor?? Cê já compensa tudo me fazendo feliz só em pensar em você!! Hihihi!!

* E ao longo desses dias eu tive foi muita coisa da faculdade pra fazer e num parei um segundo… A única coisa mais emocionante que teve foi o aniversário da vovó quarta feira!! Aí lá fomos nós, todo mundo jantar lá na Momo… Aquele lugar é o periiiigo³!! Foi muito bom… Heheeh!! Quando junta a primaiada (que faltou Limão, tadinho, devia tar estudando) num tem como ficar bom!! Amo muito³!!
E ante-ontem, o dia mais romântico do ano teve Especial Dia dos Namorados lá no Expresso Rosa!! Tá explicado a plakinha e os marcadores de coraçãozinho aqui desse post, né?? Hihihi!! Mas eu tava inspirada pra fazer essas coisas, fiz até seção nova: Correio Elegante!! Pra saber do que se trata, passem lá!!
E minha inspiração se deve ao fato de que, no dia, depois da aula em que eu fiquei 4 minutos no telefone e só não foi mais tempo porque meu ônibus chegou e tive que desligar… Ai, Guguinho, que SAUDADES que eu tô de você, meu anjo…

* E como eu não tenho mais na-da pra falar vou deixar aqui um vídeo da viagem de formatura no Hopi Hari ano passado… Eu misturei uns vídeos que o Portuga gravou lá com umas (pouquíssimas) das fotos no meio e deu no que deu, o povo adorou!! A música chama-se “Funkytown” e ficou ótima, tá aí:

Por hoje é só, pessoal!! Tô indo responder os comentários!! Beijão!! Luv Ya, bye!! =*

Ouvindo: Have You Ever Really Loved a Woman – Bryan Adams

ps.: no post passado Twitter, hoje é o Plurk!! Meu nomezinho lá é “sweetluly” TAMBÉM, adicionem-me, por favor!!

– Comentários