22
07/13
Arquivado em Família e Amigos às 15:14

Demorou muito tempo para eu e minha irmã entendermos que, no fundo, uma era a melhor amiga da outra. Na verdade a vida inteira quando se falava em “melhor amiga” a gente não tinha dúvidas: a dela era a Pati e as minhas mudavam, mas eram beeem definidas! Ela tinha receio de me falar alguma coisa e eu reagir com minha superproteção de irmã mais velha, ao mesmo tempo que eu morria de medo de falar coisas pra ela que depois fossem parar nos ouvidos de outras pessoas por maldadezinha de irmã mais nova. Normal. Mas chegava um certo momento em que a gente não conseguia porque só UMA pessoa no mundo nos entende tão bem: uma à outra.

rimazinha

Eu sempre quis uma “rimãzinha”. Eu pedia por uma sempre que tinha oportunidade. Dormia de bumbum pra cima, rezava pro presépio, torrava a paciência do papai e da mamãe. Quano ela finalmente estava a caminho veio a dúvida: e se for menino, como essa garota vai reagir? Aí minha mãe fez uma verdadeira lavagem cerebral em mim e eu vi que um “rimãozinho” ia ser muito mais legal: eu não teria que dividir meu quarto, não teria que compartilhar minhas bonecas, eu ainda seria a menininha da casa. Foi depois do ultrasom que confirmou que era menina que tudo mudou e me fizeram ver que menino é chato, vai brigar com você e te chutar, realmente uma irmãzinha vai ser muito mais legal: ela ia brincar comigo, me fazer companhia, nós íamos dividir tudo e eu teria muito mais coisa se contasse com as dela.
Aí chegou 30 de abril de 1995 e foi uma bagunça. Não sei o que eles fizeram pra me distrair, só lembro de alguém vindo até mim no dia seguinte e me contando que estava na hora, eu ia conhecê-la. Fomos ao hospital, entramos no quarto e quando eu vi ela era um neném. Um neném muito pequenininho. MUITO. O que eu ia fazer com aquilo? Como ela ia brincar comigo daquele jeito? Eita decepção… Nem usar ela de boneca ia dar, porque eu mal podia tocar no neném de tão sensivelzinho que era.

Sorte que o tempo foi passando. Um ano depois eu já botava ela pra ser minha filha nas brincadeiras e me jogava pra dentro do cercadinho pr’a gente ficar juntas. Mais uns dois anos e ela já conseguia decidir junto comigo qual filme da Disney a gente iria assistir no dia. Passou mais um cadinho e nós estávamos brincando de Barbie juntas e por causa dela a brincadeira ficou ainda mais divertida: a Pati apareceu na nossa vida e se tornou a “irmã número 3″, e nós não nos separávamos e fazíamos tudo juntas, mesmo eu sendo 5 anos mais velha.
O problema é que esses 5 anos que não pareciam nada começaram a fazer uma certa diferença. Eu e minhas amigas começamos a querer ter nossos segredinhos que elas não podiam entender. Eu tive que começar a me vestir menos com vestidinhos acinturados e mais com saias jeans para não me acharem muito “criancinha”. Não que eu deixasse de fazer as coisas que antes nós fazíamos, mas eu queria dividir as tardes brincando de Barbie com o tal do ICQ e a internet. E minha primeira paixão séria de verdade? Ai que difícil era para minha irmã entender o motivo de eu ter que ficar horas no telefone e não poder dar atenção pra ela… Aí a Pati ia lá pra casa e eu brincava com elas até, mas era só uma amiga minha chegar que a gente ia pra qualquer outro cômodo pra fofocar. Ela começou a associar esses momentos de bipolaridade comportamental à nossa mudança para Belo Horizonte, mas na verdade era a tal da adolescência que, logicamente, veio antes pra mim do que pra ela.
Mas a dela veio também. E assim como a minha teve seus momentos de mudanças conturbadas, a separação dos nossos pais, os problemas com as amiguinhas que queriam crescer mais rápido e ela queria continuar sendo criança. E nessas horas quem era tão bobona quanto ela, por pura ironia, era a irmãzona mais velha, já beirando a entrar na faculdade, com quem ela podia assistir desenhos, falar de brincadeiras que só nós entendemos e ser tudo o que era queria. E é incrível saber que era com ela que eu era tudo que queria também.

Ser irmã mais velha acaba sendo uma certa responsabilidade em vários sentidos. Se meus pais tinham que trabalhar eu tinha que me virar para busca-la na escola, fazer almoço sem saber cozinhar, ver se ela tava fazendo os deveres de casa direitinho. Além disso tem aquilo de servir de referência, porque eu era a maior inspiração daquela garota. A prova disso que é hoje ela gosta é daquilo que eu gosto… Nós ouvimos as mesmas músicas, temos os mesmos hobbies, frequentamos os mesmo lugares e somos as duas da Grifinória! Nós somos tão parecidas que as pessoas têm certeza que somos gêmeas (e da idade dela, obrigada carinha de criança). Não adianta você gostar de mim se não gostar da minha “rimazinha”. Não adianta você querer fazer qualquer programa comigo (na maioria das vezes, né!) se ela não puder ir junto. Minha irmã é quem eu mais amo nesse mundo e eu sou quem ela mais ama também. Sempre foi, ainda é e sempre será assim. Se a gente briga por algum motivo bobinho logo uma vai pra cima da outra dando abraço querendo des-brigar. Se eu vejo ela chorando eu vou lá e faço isso deixar de acontecer porque ela só pode sorrir e pronto. E se você tentar ter uma conversa com nós duas ao mesmo tempo se prepara: nós não pronunciamos NENHUMA frase inteira porque uma vai, ocasionamente e sem perceber, terminar a fala da outra!
Obrigada existir, Daninha!!

Kim n' Wendy

Tags: ,
By Luly

07
04/13
Arquivado em Blá-blá-blá, Cotidiano às 19:48

Acho que é a primeira vez em 2013 que venho contar sobre um mês aqui!! Que bom, tava com saudades.
Enfim, eu não faço IDEIA do que aconteceu com a sidebar aqui do blog, mas seja lá o que for aconteceu na hora certa: fiz mega mudanças no layout (pra não dizer que fiz um layout novo, já que ficou bem parecido) e acho que até mês que vem vou trocar isso, então não vai ficar feio assim por muito tempo. Até lá vamos aos fatos!!
ATENÇÃO: SE VOCÊ NÃO LEU O FINAL DA TRILOGIA DE “JOGOS VORAZES” AINDA PULE ESSA PRIMEIRA FOTO E VÁ DIRETO PRA PRÓXIMA!! EU AVISEI…

Rapidinhas de Março

E março para mim começou já com um final… Depois de ler “Jogos Vorazes” – que eu já tinha visto o filme – e “Em Chamas” no fim de fevereiro, assim que o mês começou eu devorei “A Esperança” logo de início. Eu não sei se vou chegar a escrever sobre os livros, mas apaixonei pela saga, gente!! Primeiro porque eu amo livros que você não consegue parar de ler e todos os três são assim: viciantes. E segundo porque acabei gostando da história mesmo, da inteligência como ela te leva a ver as coisas.
Mas aí… Terminei, ok. Depois de ter chorado em diversas mortes de todos os gêneros durante a saga eis que chega o final. O final feliz mais infeliz da história. Não que seja ruim em si (amor eterno ao Peeta… Aiai!!) mas porque você lê aquilo e perde totalmente sua fé no mundo!! Quando eu terminei o livro coloquei de lado e pensei “Puxa, imagina se o ser humano realmente fosse assim”. E aí desatei a chorar porque não era uma “se”: o ser humano já é exatamente daquele jeito e, sei lá, perdi qualquer tipo de fé que eu tinha na humanidade.
Mas gostei muuuito, recomendo, quero os livros pra mim e novembro não chega nunca pra eu ver a arena mais legal do mundo no cinema (aliás achei o 2º o melhor dos livros)…

Rapidinhas de Março

Aí que foi um grupo de Patrocínio lá no APM pra fazer um treinamento de preservação, conservação e armazenamento para que fosse aplicado lá no Museu/Arquivo que eles têm lá. Foram duas manhãs ensinando a fazer pequenos reparos nos livros, pensando em possíveis formas de manter bem armazenado o acervo deles (as moças me disseram que lá tem várias moedas e discos de vinil, isso rendeu muitas ideias) e, no final do segundo dia, uma surpresa: ganhamos café!! Na verdade eu nem tomo café, mas achei a coisa mais fofa elas terem levado pr’a gente, e meu pai disse que é uma delícia!!

Rapidinhas de Março

E dia 9 de março, ô dia que valeu a pena!! Foi o dia mais feliz da vida com Show do Elton John aqui em Belo Horizonte. Aiaiai, todas as vezes eu olhar pras fotos desse dia vou chorar de alegria só de lembrar, queria poder ter um por ano!!
Só tô triste agora porque não consegui ingresso pro Paul… É, né, fazer o que?

Rapidinhas de Março

Dia 21 também foi importante: EU FORMEI!! Foi o dia da minha colação de grau lindinha. Num teve beca, nem auditório lindinho, nem discurso grande. Foi na EBA mesmo, junto com os outros cursos de lá (Artes Visuais, Teatro e Moda), em plena quinta feira às 11h da manhã, mas foi ótimo mesmo assim, foram alguns familiares meus e tals. Aí Marina ainda levou o capelo da irmã dela e o canudo de quando ela formou em Turismo, então eu pude tirar fotos bonitinha com carinha de formada. E agora eu sou oficialmente bacharel em Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis!!

Rapidinhas de Março

No feriado de Páscoa a Pati veio aqui pra casa (e a gente se viu 2 meses no mesmo mês, ó que lindo!!). Seria a mesma diversão de sempre se não tivesse uma surpresa que deixou tudo melhor: nós demos uma Pullip pra ela de aniversário!! Na verdade a doll era usada, mas em perfeito estado de conservação, e como é ruivinha eu coloquei eyechips azuis nela e combinou perfeitamente com o nome que a Pati escolheu (que nós já sabíamos que escolheria): Anya, por causa do filme favorita dela que é Anastasia. Foi uma mega surpresa, nós fizemos o cartão e até uma caixa pra ela ter um “Box Moment”. Ela ficou apaixonada, foi melhor do que uma doll nova pra mim mesma. Tem fotos dela aqui!!
Fora isso nós vimos filmes, tiramos fotos, brincamos de Guerra de Travesseiros, comemos muito… O de sempre!!

Rapidinhas de Março

E por fim o mês acabou com PÁSCOA!! Ai, e como tem chocolate aqui em casa, vocês não têm noção. Mas o dia foi bom em outros sentidos também, tirando a baita dor de estômago que eu arrumei (não relacionada ao chocolate, por incrível que pareça) e que ficou me infernizando por uns dias… Mas, né, Páscoa é sempre bom!!

By Luly

20
06/12
Arquivado em Vídeos às 21:54

E maaaaaaais uma falação de meia hora junto com a Daninha!! Mas dessa vez é pra gente falar do que mais entendemos na vida: uma sobre a outra!!
Esse vídeo é mais “independente” do blog do que os outros que já fiz, coloca-lo aqui é mais como um meio de divulgação, então não vou ficar falando muito sobre ele, é melhor assistir logo de uma vez:

Para quem quiser, as perguntas da Tag estão na na descrição do vídeo no YouTube, se não tiver irmã/irmão chama um primo(a) próximo ou amigo(a) de infância que te conheça bem. O link é esse aqui!! Aproveitem para inscrever no Canal, dar um “Like” e fazer essas coisas que me deixam feliz!! hihihi

By Luly

12
12/10

– Ontem rolou aqui em Belo Horizonte nosso Amigo Oculto Bonequeiro desse ano. Em janeiro a gente teve um que era pra ter sido em dezembro do ano passado, mas foi tudo muito de última hora. Esse ano nós sorteamos em AGOSTO pra entregar agora, então deu pra fazer a festa, foi tudo planejado (e eu criando tópicos e mais tópicos no nosso Grupo do Flickr para que o planejamento fosse organizado), encomendamos um Kit Festa pra poder comer até e comemorar o aniversário da Aline e da Rita!! Foi muito bom, divertido, cheio de momentos engraçados super fotografados que merecem registro, porque acho que em 2011 será impossível de participar!!

Bonecontro Amigo Oculto BH/MG - 11/12/10 Bonecontro Amigo Oculto BH/MG - 11/12/10
(cliquem nas fotos para acessa-las no Flickr)

– Tava planejado começar às 14h (eu, Lili e Daninha chegamos antes pra ajudar a Dri a arrumar tudo), e o pessoal foi chegando no horário certinho. Nós arrumamos tudo, as meninas levaram uma faixa de “Feliz Aniversário” Hello Kittyca pra Line, e fomos comendo e rindo e logo que todo mundo chegou, se instalou e bebeu um refrigerantezinho (porque tava calor pra caramba) começamos. Ou melhor, eu comecei:

Bonecontro Amigo Oculto BH/MG - 11/12/10 Bonecontro Amigo Oculto BH/MG - 11/12/10
Eu tirei a Renata, que tirou a Aline…

Bonecontro Amigo Oculto BH/MG - 11/12/10 Bonecontro Amigo Oculto BH/MG - 11/12/10
…. que tirou a Gabi, que tirou a Dri…

Bonecontro Amigo Oculto BH/MG - 11/12/10 Bonecontro Amigo Oculto BH/MG - 11/12/10
… que tirou a Nanda, que tirou a Rita…

Bonecontro Amigo Oculto BH/MG - 11/12/10 Bonecontro Amigo Oculto BH/MG - 11/12/10
… que tirou a Lili, que tirou a Daninha…

Bonecontro Amigo Oculto BH/MG - 11/12/10 Bonecontro Amigo Oculto BH/MG - 11/12/10
… que tirou a Mari que me tirou!!

Presentes de Amigo Oculto Presentes de Amigo Oculto
E me deu muuuita coisa linda, foram 2 caixas (e um anexo ainda). Mari, você arrasou!!

– Aí nós cantamos parabéns, comemos muito, a Lili sorteou um chaveiro de Vinylmation que a Renata ganhou e um Vinylmation mesmo que, cahã, eu ganhei (marmelada, marmelada!!), algumas de nós fomos fotografar as dolls no playground (e umas até brincaram também, ehr) e saímos de lá de noitãozão!! Foi divertido e cheio de risadas, todo mundo deu caixonas com presentes lindos e nos divertimos horrores. As dolls eram a razão principal, mas já não passam de mais uma desculpa pra gente se encontrar, comer e rir!!

By Luly

18
10/10
Arquivado em Humor às 19:37

– Túnel do Tempo pra quem já visita o blog desde sempre, hehehe. Enfim. No meu aniversário de 18 anos teve uma baita farra lá em casa e gravamos uns vídeos que foi pro YouTube depois. Entre esses vídeos tinha eu e Camila cantando “Fim do Harry”, nossa paródia tosca de “Tears in Heaven” (do Eric Clapton). Tanto nós duas quanto Daninha e Lorena, que ajudaram a escrever a nova letra, amamos essa música e ela TINHA que ser a música do “nosso vídeo”. Aí eu cometi a proeza de POSTAR O VÍDEO AQUI, porque pagar mico é comigo mesmo.
– E aí a letra da música tava aqui quase esquecida nesses 2 anos que passaram, assim como as imagens que eu tinha separado para finalmente fazer o vídeo. Hoje deu um trem aqui e resolvi que começaria o vídeo… E juntando isso com minha incapacidade de fazer as coisas pela metade, ta-dã, finalmente vocês podem ler a letra de Fim do Harry:

– Pra ver a versão micosa cantada o link é esse aqui!!
Depois eu volto com algo interessante… Se não achar nada eu mostro meu novo corte de cabelo, que não é interessante mas tá bonito, tem foto-tosca no Flickr!!

By Luly