Quem me ensinou a gostar de ler…

Em 16.08.2017   Arquivado em Escrevendo

Quando criança eu adorava ler gibis da Turma da Mônica e nada mais. Sério, eu podia passar horas afundada nas revistinhas, sempre ganhava o Almanaque de Férias quando chegava a hora, me divertia mais com os quadrinhos do que com as atividades, mas só isso. Na escola a gente tinha que ler um livro todo mês e fazer resenha/ilustração sobre ele, e eu escolhia o menor e mais simples entre as opções disponíveis, para simplificar o trabalho. Pegar um por conta própria, por diversão? Jamais! Era melhor usar meu tempo brincando de Barbie, obrigada! Escrever era outra coisa, amava e fazia bem feito, mas nem sempre uma coisa está ligada à outra e no mais caso não estava.

Meu pai, por outro lado, sempre leu de tudo. Nos fins de semana você sempre achava ele em casa ouvindo música, vendo futebol ou deitado com um livro nas mãos. Eu sabia que ele gostava de Saramago, que não precisava de nada pra enxergar bem ao contrário de todas nós, que iria levar a sério e até o final qualquer conjunto de páginas que caísse nas mãos dele. E não conseguia entender aquele fascínio mesmo assim…

Ele tinha uma edição de “Reinações de Narizinho”, do Monteiro Lobato, e me deu de presente. Eu tentava ler algumas páginas todas as noites, mas simplesmente não rendia… Acho que nunca me identifiquei tanto com o Sítio do Pica Pau Amarelo porque os valores da época já eram MUITO diferentes dos meus, mesmo tão novinha, mas insistia. Como incentivo ganhei o “Viagem ao Céu” novinho em folha para continuar a história quando acabasse o primeiro, e isso ficou na ideia porque nunca aconteceu. No desespero de me ver interessada pela coisa ele começou a comprar a Revista Recreio pra gente, que sempre vinha com uns fascículos da Varig que diziam que “Quem lê, aprende voando”, frase que eu já achava incrível, mesmo que não me identificasse. Foi numa dessas revistas que eu li sobre a série Harry Potter pela primeira vez, e enquanto fazia isso ele surgiu atrás de mim dizendo “Eu vou comprar esse livro pra você! Tá todo mundo falando dele, desse você vai gostar!”, a empolgação era evidente.

No fim daquele ano a irmã dele, minha madrinha, acabou fazendo isso. Me dar “A Pedra Filosofal” de presente, quero dizer. Meu pai terminou de ler antes de mim, que demorei 10 meses pra isso, e ameaçou que eu não poderia ver o filme com meus amigos até que terminasse. Às vezes acho que ele se arrepende um pouco de todo esse incentivo, tendo em vista que eu reli a história mais seis vezes antes de ganhar os outros. Tendo em vista que até hoje isso é uma paixão que não acaba… Ou então não, ou então se sentiu orgulhoso quando da adolescência, antes de ter que estudar pro vestibular, eu sempre estar com um livro debaixo do braço, varando as prateleiras da biblioteca atrás de algo legal que não tivesse pegado ainda e fazendo com que essa missão ficasse cada vez mais difícil. Já a missão dele foi cumprida… Meu pai, enfim, me ensinou a gostar de ler!

Quem me ensinou a gostar de ler... | Projeto 52 Perguntas em 52 Semanas
Foto tirado em meados de 1993, em Timóteo/MG, onde nós dois nascemos.

Projeto 52 Perguntas em 52 Semanas

Esse é o 3º texto do Projeto 52 Perguntas em 52 Semanas, traduzido para o português pela Bia Carunchio, que tem como objetivo “ajudar no processo de escrita da sua história de vida”. A pergunta da vez é “Quais lembranças você tem do seu pai? (nome, data e local de nascimento, quem eram os pais dele, etc.)” e foi isso que ela me inspirou a produzir!

O título desse post foi inspirado na dedicatória do meu primeiro livro, “Wish You Were Here”, que ainda não foi publicado. Vocês podem ler mais sobre na fanpage do Facebook e no evento que tem como objetivo achar uma editora para ele!

  • Clayci

    Em 16.08.2017 | Comentou 2 vezes. | [Citar]

    Que lindo!!!!
    Seu pai é nerd hahahahaha <3 Brincadeira..
    Aqui em casa meus pais (infelizmente( nunca ligaram para leitura. Teve uma época que minha mãe arriscava e comprava alguns livros, mas ela nunca parou para ler. Eu aprendi por causa da minha irmã que devorava todos los livros do Sidney Sheldon e quando eu quis ler, ela disse que não era para a minha idade haiuhauihaiuhauiha… Amei conhecer sua história e AMO sua relação com Harry Potter <3

    [Reply]

  • Camila Faria

    Em 16.08.2017 | Uau!! Deixou 129 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Nossa Luly, que legado maravilhoso o seu pai te deixou hein??? O meu pai não gostava tanto de ler, mas me lembro de ter começado a ler os livros dele quando era criança (meio escondido, porque não eram livros “para criança”, sabe?). E eu era essa criança que pegava livros na biblioteca da escola para ler nos finais de semana. Hahaha! Beijo, beijo :*

    [Reply]

  • Simone Benvindo

    Em 16.08.2017 | Uau!! Deixou 25 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Que lindo, gostei bastante e seu pai fez bem, ler é ótimo para o aprendizado e além de bom é algo que conecta vocês. Que legal que você escreveu um livro, vou dar uma olhada no face *.* Beijos

    [Reply]

  • Daninha

    Em 16.08.2017 | Uau!! Deixou 109 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Eternamente grata pelo ensinamento da literatura <3
    Espero conseguir passar esse legado para a próxima geração, porque além de achar muito importante é gostoso. Nada melhor que um livro!

    P.s.: I love you!

    [Reply]