Com Amor, Simon: representatividade, identificação, emoção!

Em 10.04.2018   Arquivado em Filmes

Com Amor, Simon

Com Amor, Simon (Love, Simon) *****
Elenco: Nick Robinson, Katherine Langford, Alexandra Shipp, Jorge Lendeborg Jr., Keiynan Lonsdale, Logan Mille, Jennifer Garner, Josh Duhamel, Alex Sgambati, Clark Moore, Colton Haynes, Mackenzie Lintz, Miles Heizer, Natasha Rothwell, Talitha Bateman, Tony Hale, Tyler Chase
Direção: Greg Berlanti
Gênero: Drama, Romance
Duração: 109 min
Ano: 2018
Classificação: 12 anos
Sinopse: “Aos 17 anos, Simon Spier aparenta levar uma vida comum, mas sofre por esconder um grande segredo: não revelou ser gay para sua família e amigos. E tudo fica mais complicado quando ele se apaixona por um dos colegas de classe, anônimo, na internet.” Fonte: Google (sinopse e pôster).

Comentários: Simon Spier é um adolescente com a vida bem comum. Ele sai com seus amigos, ajuda o pai a fazer um presente de aniversário de casamento para a mãe, vai à escola, coloca fotos de viagens e ícones dos filmes que gosta no mural que tem na parede do seu quarto. Porém ele tem um segredo, o maior de todos , que não quer mais precisar guardar, mas também não sabe como revelar a todos. Simon é gay. Nesse contexto ele descobre que um colega anônimo, Blue, vive a mesma coisa e resolve se comunicar com ele, também anonimamente, via e-mail, sob no nome de Jacques. Só que alguém acaba descobrindo o contato entre os dois e revelando a todos seus colegas o forçando a “sair do armário” antes que estivesse pronto pra isso.

Baseado no livro “Simon vs. a Agenda Homosapiens” de Becky Albertalli, o filme “Com Amor, Simon” é uma história adolescente que traz algo que ainda está a falta nas grandes produções de cinema norte americanas: um romance gay leve! É claro que ele tem questões com a sua sexualidade, e claro que elas são mais complexas do que seriam se fosse hétero, mas ainda assim não é o tipo de filme que te deixa cheio de agonia ou traz lágrimas de tristeza. As lágrimas sim, claro, o tempo inteiro, mas a grande maioria delas de emoção e alegria. Eu fui à pré-estreia há quase um mês, junto com alguns outros convidados, e desde então estou pensando em como expressar tudo o que queria dizer sobre ele… Sendo assim resolvi descrevê-lo em três palavras e desenvolver essa “resenha” a partir delas: representatividade, identificação e emoção!

Psiu! Prestenção! O conteúdo principal desse post está em forma de “fala” num vídeo postado no meu canal do YouTube. Se você estiver afim de ler, é só continuar aí em baixo! Mas se tiver mais interessado em ouvir corre lá pra conferir!

Representatividade

O tema principal por si só já é representativo, né? Afinal fala sobre as dificuldades de viver o amor de forma leve por parte da comunidade LGBT! Simon é um jovem imaginativo que expõe várias situações que mostram essas grandes diferenças, como por exemplo o fato de ele precisar contar à toda a população que é gay, enquanto seus amigos não precisam fazer o mesmo já que a heterossexualidade já é esperada e não causa nenhum tipo de reação forte ao ser manifestada. Também mostra as diferenças de personalidade que as pessoas podem apresentar e que isso é ok. Simon é “discreto”, ninguém desconfia da sua sexualidade, enquanto seu colega de sala Ethan, já assumido, é o esteriótipo no jeito de vestir, agir e falar… E TÁ TUDO BEM! Os dois merecem igual respeito e direito de ser quem são e quem querem ser! Quem não entende isso é que está infinitamente errado…

O filme também tem vários personagens negros, eles são maioria entre os amigos mais próximos do protagonista sem o clássico “garoto negro metido a engraçadão” e “menina negra exclusivamente gostosa”. Não, todos eles têm personalidades variadas como a de qualquer ser humano. Aliás, outro ponto legal, isso é bem presente no filme todo. Eles não são super populares e nem super excluídos, apenas… Adolescentes! Claro que tem o cara babaca meio ned e tudo mais, mas até ele tem mais de um lado, não é só uma coisa o tempo todo.

Com Amor, Simon

Foto do The Playlist

Identificação

É claro que o filme em como principal objetivo abraçar jovens gays para que se aceitem, mas acaba também trazendo o reconhecimento de si próprio pra quem não está nesse grupo. Eu sou mais de dez anos mais velha que Simon, estamos em momentos da vida muito diferentes, e ainda assim consegui me identificar com ele… Principalmente nas suas conversas com Blue, onde ele nunca sabia o que digitar e pirava com qual poderia ser a resposta para o que tinha escrito… Em um momento uma amiga que estava ao meu lado falou “Podia ser ‘Com amor, Luly’ né!” porque sou bem assim… Também consegui sentir bem no fundinho do peito o aperto que foi o diálogo dele com sua melhor amiga de infância quando ela questiona o porquê de ele não ter contado a ela, já que o mesmo aconteceu comigo e um dos meus amigos mais antigos. Desde que ele me contou que era gay eu sentia uma certa tristeza por ter demorado tanto, como se houvesse a possibilidade da minha reação ser negativa, mas a fala dos dois ali se encaixou tão bem na minha vida que me veio um grande alívio, além da maior quantidade de lágrimas da noite.

Foi muito bacana estar numa sessão “especial”, com bate papo e tudo mais, porque tinha MUITA gente ali que levou os pais, que logo em seguida deram seus depoimentos sobre o que tinham visto. Fiquei imaginando como eles se sentiram vendo os pais do Simon descobrindo o filho e sua reação… Principalmente a mãe, interpretada por Jennifer Garner que está inda como sempre! Tenho um amigo que resolveu se revelar para sua família quando saiu do cinema, confiram a resenha super emocionante que ele escreveu também! Pra mostrar a força que um enredo aparentemente tão simples traz em nossas vidas…

Leia também: Garoto Encontra Garoto, resenha de um romance gay por David Levithan

Emoção

“Todo mundo merece uma grande história de amor” é o lema escolhido pela Fox par a divulgação, e não podia ser mais certeiro. Com Amor, Simon fala não só do amor romântico, mesmo que esse seja seu foco, mas também de amor fraterno! De como ele pode ser imperfeito às vezes, mas ainda assim nos ajudar a vencer as diversas fases difíceis da vida e, claro, a própria falta de amor. É pra trazer emoção pra pessoas de todas as idades, todos os gêneros, porque consegue passar o sentimento de um garoto e levar direto para o espectador. É pra quem a tem a mente aberta curtir do começo ao fim e quem tá precisando abrir ter o “empurrãozinho” que faltava pra isso acontecer!

E você aí, é de BH e ficou querendo ver o filme? Estou com dois pares de ingressos para dar aos leitores do blog que quiserem conhecer a história de Simon também! Os dois primeiros que disserem “Eu quero, Luly!” aí nos comentários e puderem pegar diretamente comigo no Centro da cidade entre quinta feira e sábado, ou na Fnac do BH Shopping dia 22, levam! Não esqueça de deixar alguma forma de contato pra gente combinar, hein Eles são válidos para ser usados de segunda à quarta, enquanto estiver em cartaz.

Trailer:

/p>

Foco Periférico: Fevereiro, 2018

Em 31.03.2018   Arquivado em Fotos

Fiquei quase um mês sem o blog. Pode ser que escreva sobre isso, pode ser que não: ainda preciso decidir. Mas enquanto essa decisão não é tomada já vou limpando a poeira e retomando minhas atividades por aqui. Porque, nossa, vocês não fazem IDEIA do quanto senti saudades… E pra (re)começar, é hora de mostrar as fotos que produzi em Fevereiro para o projeto fotográfico Foco Periférico do meu antigo grupo de 6 on 6! Foi um mês rápido, porém conturbado, e não consegui postar em uma das semanas cujo tema era Carnaval, mas nas outras rolou e é isso que importa!

Foco Periférico: Fevereiro, 2018

Antes tarde do que nunca

Semana 01. No fim do ano fizemos um amigo oculto desapego entre os participantes do grupo, mas com os Correios pirados alguns presentes demoraram pra chegar… E por isso motivo demoramos pra revelar! Fizemos isso via ligação de vídeo no Messenger, muito gostosinho os cinco conversando “ao vivo” pela primeira vez na vida. E aí, após finalmente abrir os presentes, encaixamos o tema Antes Tarde do que Nunca, porque eles PRECISAVAM ser registrados lá. Quem me tirou foi o Lucas e ele me deu um caderno minimalista e duas washi tapes lindas nas cores preto/branco/amarelo. Amei loucamente!

Foco Periférico: Fevereiro, 2018

Janela

Semana 02. Aaaaah, tava até demorando pra dona Arwen aparecer numa foto minha, né? Mas é que antes mesmo de a gente definir uma semana para Janela eu tinha feito uma sessão dela aqui na do meu quarto que ficou INCRÍVEL! Tive que aproveitar, né? Sem contar que minha gatinha linda merece ser modelo, já que é realmente quem faz meu coração bater mais forte de inspiração.

Foco Periférico: Fevereiro, 2018

Doce

Semana 03. E fechamos o mês da folia, e menorzinho do ano, de forma muito… Doce! Pra essa foto eu tinha muitas ideias, mas olhando pra um pacote de M&M’s que comprei um dia fiquei achando tão bonito, tão colorido… Coloquei numa taça de vinho e foi isso aí! Pra dar um pouquinho de cor aos meus dias que andaram bem cinza ultimamente…

Agora não deixem de conhecer os blogs dos outros participantes do Foco Periférico: Igor, Lucas, Maíra e Renatinha!

Tour Pelo Meu Quarto

Em 21.02.2018   Arquivado em Vídeos

Eu amo assistir vídeos de tour pelo quarto. Sei que é meio estranho começar um texto assim, toda direta sem nem apresentar o assunto direito, mas é porque essa é uma daquelas curiosidades fortíssimas sobre mim: amo, amo, amo. Na verdade eu já amava tours por quartos antes mesmo de assistir um tour por quarto. Ensaiava gravar o meu quando nem ao menos existia YouTube: em 2004, quando criei esse mesmíssimo blog, eu já “brincava” de mostrar meu quarto pra câmera e apagava tudo depois, lamentando que não existisse a possibilidade de ter um programa na internet pra mostrar essas coisas…

Pouquíssimo tempo depois essa possibilidade passou a existir, e eu continuei não gravando pra valer ainda assim… Mas assistia muito! Vários canais que hoje acompanho me ganharam como inscrita quando eram pequenininhos, mostrando seus quartinhos pela primeira vez. A paixão evoluiu, passei a gostar de ter uma visão micro de suas casas e escritórios, e a macro das estantes e penteadeiras… Já assisti tours por varandas, geladeiras, sapateiras, coleções e, bem recentemente, até mesmo pelos corpos. Eu adoro todos eles!

Mas os quartos permanecem sendo os favoritos. Cheguei a ter o cor-de-rosa com o qual tinha sonhado a vida toda e sempre tive vontade de mostrá-lo, o que nunca aconteceu. Mudei, mudei de novo, mais de uma década se passou e um belo dia, olhando para o quarto onde “moro” atualmente pensei que eu devia resolver isso. Principalmente porque estou com planos de me mudar para um casinha que tem nos fundos da minha casa, então isso aqui logo vai deixar de existir. Se queria fazer o bendito tour, a hora era agora. E foi. A visão geral, total, real e oficial vocês só têm no vídeo, mesmo… Mas como sei que alguns não curtem tanto “apertar o play”, trouxe também alguns fatos e fotos para saciar os gostos de todos!

Assim que você entra a primeira coisa que encontra (e não tem como não ver, porque ela é enorme), é a minha cama. Ano passado a de solteiro que eu tinha saiu daqui quando ganhei uma tamanho queen, então nem preciso dizer o quanto ela é querida, né? É provavelmente o lugar onde passo maior parte da minha vida, não só dormindo mas assistindo filminhos, séries e vídeos, escrevendo e às vezes, quando é um dia tranquilo, trabalhando também. Do lado dela tem um criado que, como todo o quarto, é bem bagunçado: livros empilhados, enfeites mal encaixados, abajur equilibrado e um prato bonito com alguns produtos que uso muito dentro. Na gaveta dele também tem muita bagucinha útil e acima, preso na parede, está o meu mural do amor… Ali eu deixo fotos, postais, desenhos, citações, lembranças, um tanto de coisa que me faz feliz quando paro pra olhar! É lotado de porcaria mas sempre tem lugar pra mais alguma nova!

Tour Pelo Meu Quarto

A Cama e suas almofadas

Tour Pelo Meu Quarto

Criado mudo: livros, objetos de decoração, abajur e tralhas diversas

Tour Pelo Meu Quarto

Mural do amor com fotos e outras lembranças

Tour Pelo Meu Quarto

Sempre tem uma tela de computador ligada…

De frente pra cama temos dois móveis. O primeiro é a estantezinha, que já ganhou um tour só dela uma vez e, mesmo que continue mais ou menos igual, tá sempre com uma coisa diferente! Nela ficam meus livros favoritos, alguns discos, canecas e mais itens que algumas pessoas chamariam de “decoração”, mas eu chamo de “bagulho”… Do lado fica a mesa do computador/escrivaninha, onde guardo também alguns materiais de encadernação e restauração (isso tem espalhado pra todo lado!), caixa de maquiagem e as três únicas bonecas que ficam expostas. Minhas Pullips e família, infelizmente, se “mudaram” pra dentro do guarda roupas para ficar à prova de gata…

Na outra parede, onde fica o guarda roupas em questão, tem outro criado com a máquina de escrever que era do meu avô, recém herdada por decisão minha mesmo, e mais materiais. Ali fica também meu melhor amigo de todos os tempos conhecido como O VENTILADOR! Nesse espaço rola um “cantinho Arwen”: arranhador, água, comida e milhões de bolinhas de papel que ela espalha pela casa. Quando mudei pra cá a decoração de tudo era bem mais definida, mesmo eu sendo super desorganizada, mas desde que ela chegou isso fica impossível. Por esse motivo que eu mantenho de propósito a “bagunça organizada”, se ela tira alguma coisa do lugar tá tudo bem, já que nada tem uma ordem de verdade!

Tour Pelo Meu Quarto

A estante – que já tem um tour só dela!

Tour Pelo Meu Quarto

Algumas bonecas, vários materiais!

Tour Pelo Meu Quarto

Herança do vovô, sua máquina de escrever

Tour Pelo Meu Quarto

Arwen, minha “colega de quarto”

Aqui é uma suíte e eu AMO meu banheiro! Ele não tem nada de mais, é só um banheiro de casa velha normal, mas não tô nem aí. Gosto tanto que essa backgroud cinza geométrica aqui do blog é uma reprodução do azulejo das paredes dele! Não coloquei foto porque, bem, é só um banheiro: pia, privada, box, lixeira, itens de beleza/higiene… E, como não poderia ser diferente, a caixa de areia. Eu compro uma areia premium, que sai bem mais caro mas vale a pena, é só dar manutenção direitinho todos os dias que ela dura sem mau cheiro por quase duas semanas, que é quando tiro TUDO, esfrego com bucha e reabasteço bem limpinha.

Na verdade esse quarto não é só meu, com a Arwen aqui acabou virando nosso. Às vezes ela dorme comigo na cama, para minha imensa alegria, em outras de baixo dela e, quando tá muito calor, acaba deitando dentro da pia mesmo, por isso tenho que secá-la depois de usar á noite. “Filhos”… Mas enfim, alguém aí também adora ver o quarto das outras pessoas? Gostaram dessa minha zona enfeitada e bonitinha? Você já postou em algum lugar um tour pelo seu quarto ou qualquer outra parte da sua casa? Me conta aí nos comentários!

Maquiagens facinhas para o carnaval

Em 09.02.2018   Arquivado em Beleza, Vídeos

Hello, hello, Carnaval! Olha o samba no pé aí, batendo na nossa porta com muita cor, alegria, brilho, música, descanso, diversão e o que a gente quiser! Se você der uma olhadinha nos arquivos desse blog vai me achar claramente chamando a data de “carma-val” até uns anos atrás, mas o maravilhoso de se tornar adulto é que a gente entende que, mesmo que não curtindo o que agrada a galera lá fora, dá pra ser feliz com os dias de feriado aqui dentro! A coisa foi bem gradual… Primeiro eu oficialmente odiava! Depois, só não gostava… Eis que fiquei neutra, tava tudo bem, até que chego agora a gostar ao ponto de trazer pra vocês duas maquiagens fáceis, com produtos acessíveis, para os dias de folia que estão por vir!

Quando eu digo “fáceis” quero dizer REALMENTE FÁCEIS! São coisas que consegui reproduzir sem tutorial, só olhando fotos de referência, e se eu dou conta vocês também dão, pode ter certeza. E sobre os produtos é real também. A maioria é nacional e nada caro, os poucos importados são facilmente substituíveis por algo semelhante que você tem em casa ou acha numa farmácia aí perto! Pra facilitar dividi a lista em três… Na primeira, os produtos em comum aos dois vídeos, nas outras os específicos de cada um. É tudo de boa, mesmo os contornos são suuuper básicos, aquela make que não precisa ficar perfeita e nem de acessórios elaborados pra complementar, em uma hora tá todo mundo pronto e se borrar no processo, tanto faz, é carnaval!

Produtos em comum das duas maquiagens:
BB Cream Creme 5 em 1 cor Clara, da L’Oréal Paris;
Pó Compacto Color Trend cor Porcelana, da Avon;
Esponja para maquiagem Love & Beauty Blender, da Forever 21 (resenha aqui!);
Beauty Book Snow and Ice, da E.L.F. + Disney (linha Queen Elsa);
Lápis de olho preto Kajal Una, da Natura;
Demaquilante bifásico para olhos e boca, da Quem Disse, Berenice?
Máscara para cílios The Colossal Volum’ Express, da Maybelline.

Maquiagem David Bowie

Maquiagens facinhas para o carnaval: Ziggy Stardust

Pra galera dos bloquinhos de rock n’ roll temos ele, Ziggy Stardust em pessoa! Ano passado o aniversário do Gil, meu amigo, foi na semana seguinte com o tema “Carnameme”, então eu aproveitei e fiz essa “Tô de Bowie” improvisada com os materiais que tinha em casa. Para quem não conhece, é inspirada na cada do álbum “Alladdin Sane”, do David Bowie, representando um de seus alter egos. Muita gente faz com tinta e glitter, mas nessa vibe de não gastar nada eu fui lá e fiz tudo com LÁPIS DE OLHO! Sério, marcar fica muito fácil, e por mais que colorir seja um saco, fixa super bem!

Originalmente o raio é vermelho e azul, com o contorno e sombra vermelhos também… Só que rosa é minha cor favorita, era a que eu tinha aqui, então foi adaptada. O batom dele também é beeeem nude, mas vocês me conhecem… Eu não ando com batom claro/cor de pele DE JEITO NENHUM, então também já mudei prum rosão e fui feliz! (Apesar de que ano passado a ousadia foi maior e usei um azulão, olha a foto aqui!)

Outros produtos usados:
Blush em pó True Color cor pêssego, da Avon;
Lápis de olho cores Pinkix e Azulton, da Quem Disse, Berenice?
Iluminador líquido High Beam, da Benefit;
Batom Faces cor Cereja, da Natura;
No Beauty book: sombras Anna e Olaf.

Maquiagem Gatinha

Maquiagens facinhas para o carnaval: Gatinha

E não poderia faltar uma homenagem à minha “pessoa” favorita no mundo: a Arwen! Nas vésperas do natal eu comprei orelhinhas com o intuito de já usar no carnaval e fazer um momento “tal mãe, tal filha” com minha gatinha… Tinha que ter maquiagem pra complementar! Ela também é feita basicamente com lápis de olho e o rosto contornado, e para isso eu também usei coisas bem básicas: sombra marrom (que uso no decote, hehehe) e pancake branco. Ficou beeeem mais legal que imaginei, estou apaixonada! Pra falar bem a verdade só não vou usá-la mesmo porque no fim das contas o arco aperta demais, e curtir feriado com dor de cabeça num tá com nada, né?

Outra presença importante nela foi meu batom preto que VOCÊS ODEIAM! Sempre que posto look com ele é uma chuva de comentários contra, hahahaha! Mas não tem problema, o bonito se mostra muito útil em momentos como esse, é um vencedor!

Outros produtos usados:
Sombra em pó cor Marrondito, da Quem Disse, Berenice?
Pancake branco, da Colormake;
Batom Lust, da LA Splash;
No Beauty Book: sombras Hans e Olaf, iluminador Snow Queen.

Agora me digam aí: qual delas foi sua favorita? Vocês acham legal esse tipo de vídeo que não chega a ser um tutorial e sim um passo a passo para você se inspirar? Conta aí nos comentários, porque eu particularmente me diverti tanto no processo que estou cogitando continuar com essa “série” fora de época mesmo. Aproveitem MUITO o carnaval, com respeito e carinho com o próprio corpinho e o do próximo, hein! Nada de assédio e usem sempre camisinha, pra chegar todo mundo feliz na quarta feira de cinzas prontinhos pro do ano que vem!

Foco Periférico: Janeiro, 2018

Em 04.02.2018   Arquivado em Fotos

Durante dois anos participei, junto com quatro outros blogueiros muito queridos, do Projeto 6 on 6. Todos os meses um tema era definido e nós postávamos 6 fotos inéditas e autorais dentro dele cada um. Porém esse grupo no qual entrei já existia há anos, os dois participantes iniciais já estavam cansados dessa mesmice… E no fundo nenhum de nós dava realmente conta de participar ativamente, quando saía era algo bem improvisado, já rolava há meses no nosso grupo de Whatsapp a ideia de renovar e inovar… Continuar fotografando juntos, mas numa coisa só nossa! E depois de meses discutindo o assunto finalmente saiu o Foco Periférico!

Na verdade originalmente o projeto se chamava Quase Fotógrafos, e apesar de gostar muito do nome ele me incomodava. Eu me colocava no lugar de quem tem essa profissão pensando “E se fizessem um projeto amador de restauração chamado Quase Restauradores? Eu não ficaria ofendida?”, e a resposta era sim, ficaria. Coloquei o assunto em pauta e os meninos, mesmo discordando em partes, toparam repensar (porque é todo mundo lindo, sério) e foi assim que saiu o novo nome. Foco Periférico é nossa pequena antítese: ao mesmo tempo que focamos num tema, existe ali a visão periférica de cinco pessoas diferentes para retratá-lo. Lindo, né?

Mas se somos os mesmos e se isso de cada um retratar sua visão do mesmo tema permanece, o que mudou? Bom, pra começar temos um Instagram só pra isso, o resultado de todo mundo sai junto, e não cada um em seu blog. Além disso os temas são semanais, então ao invés de produzir seis fotos num mesmo assunto ao mês, serão 52 ao longo do ano, cada um no seu dia especifico. Eu, por exemplo, “abro” a semana publicando a minha na segunda feira, e aí de terça a sexta eles seguem o resto da ordem. É assim, de boa, sem cobrança, tentando fazer seu melhor mas sem pirar! E “no privado” continuamos sendo um grupo de amigos que se apoia em todos os aspectos, levando carinho e conselhos uns aos outros sempre que possível e/ou preciso.

Foco Periférico: janeiro, 2018

Semana 01. E aí migramos pro Instagram, ok. Mas isso não significa que eu ia deixar de fazer um post mensal com as minhas fotos, né? O objetivo inicial era produzir conteúdo pro blog e assim permanece! Por isso aqui estão as cinco de janeiro, e a primeira delas tem o tema ideal pra retratar o que rolou com a gente: Recomeço! Fiz esse aviãozinho de papel pra simbolizar todas as chances que temos de alcançar “voos” cada vez mais altos nos 365 dias do novo ano, já que 2018 começou numa segunda e a primeira foto postada foi ao ar dia 1º. É, foi perfeito!

Foco Periférico: janeiro, 2018

Semana 02. Todo projeto fotográfico explora a Formas Geométricas em algum momento, né? É algo MUITO frequente na nossa vida, o tempo todo… Desde forma óbvia como fiz aí, através da tábua de corte medida em quadrados e um compasso pronto para virar círculo, até os prédios pelos quais passamos todos os dias – que coincidentemente foi o que todos os outros participantes fotografaram, muita sintonia!

Foco Periférico: janeiro, 2018

Semana 03. Sim, uma das minhas bonecas. Logo de cara, logo no primeiro mês! Mas é que quando se fala em Hobby eu não poderia escolher outro. Tenho vários, desde os que só posso ter de vez em quando até os que fazem parte do cotidiano diariamente, mas esse é, definitivamente, o principal. E a Demi é frequentemente escolhida nesses momentos porque adoro como essa pequena é coloridinha!

Foco Periférico: janeiro, 2018

Semana 04. “Tríade, trinômio, trindade, trímero, triângulo, trio, trinca”… TRÊS! Não tinha como retratar esse número sem cogitar o “trio de ouro”, né? Peguei esse Harry coisa-mar-linda-da-vida emprestado com minha irmã pra complementar o cenário do meu casalzinho favorito. É aquele tipo de foto que não precisa ser explicada, a gente só fecha os olhos e sussurra junto “Sonserina, não… Tudo menos Sonserina!”, hahaha.

Foco Periférico: janeiro, 2018

Semana 05. E a última semana do mês já começou bem cedo… Mais precisamente De Manhã! Meu dia não acorda direito se eu não tomar um leitinho com Toddy, e com o friozinho leve que tem feito em Belo Horizonte graças a essa chuva maravilhosa o chinelo nosso de cada dia foi trocado por meias e pantufas. Se eu que sou calorenta tô nesse nível, imagina o resto!

Agora não deixem de conhecer os blogs dos outros participantes do Foco Periférico: Igor, Lucas, Maíra e Renatinha!

Página 8 de 214«1 ...456789101112... 214Próximo