Planner Tilibra 2020

Em 10.12.2019   Arquivado em Cotidiano

Minha maior meta para 2019 era estudar para ingressar no mestrado em 2020. A parte que me cabia até cumpri: redefini meu projeto de forma que ficou bem mais legal, comecei um canal no YouTube que inclusive me ajudou no feito anterior, fiz cursos legais e participei de grupos de estudo pra turbinar meu Lattes (e a mente, é claro), mas a aprovação que é bom não rolou, não… Quando passou a primeira prova, porém, eu tava mega confiante! Juro, achei que tinha ido super bem na redação, já tava conversando com alguns amigos pra saber como foram suas entrevistas pra chegar na minha preparada e um dia em meio a esse processo, passando pela Leitura pra comprar algumas coisas, dei de cara com uma bancada inteirinha CHEIA de Planner 2020 da Tilibra, pra todos os gostos!

Gente… Tinha planner de TODOS OS JEITOS que vocês podem imaginar! Em espiral, com capa decorada de bolinhas, divertidos, com página de adesivo, planner de mesa, focado em casamento, sério, tudo! Estava eu na fila do caixa admirando cada um deles e pensando em como seria bom providenciar algo assim pra essa nova jornada acadêmica (todo ano prometo que vou desenvolver um pra minha loja, mas nunca consigo) quando vi essa linha mais clássica, de capa de tecido texturizada, só com os dizerem em dourado no alto, super elegante e minimalista, o tipo de coisa que normalmente nem uso. Achei o verde musgo maravilhoso, abri pra ver como era por dentro e então achei essa mesma versão em cor de rosa. Foi aí que comprei meu primeiro planner!

Planner Tilibra 2020

Capa

A única especificação que encontrei na folha de rosto foi “Modelo 5”, então deve ser o “nome” dele, mesmo. Ele é em tamanho A5 (metade de um A4) e não só simples por fora, mas também por dentro. A Luly pré-Retorno de Saturno ia super querer algo mais descolado, uma página decorada aqui e outra ali, mas essa nova versão empolgadíssima com os 30 anos que estão batendo na porta ficou ENCANTADA em organizar sua vida nesse “ambiente” metido a adulto, sem firulas, pra levar pra cima e pra baixo sem ser lembrada como a menina dos cadernos de bichinho. Era essa minha imagem na faculdade e, por questões de esteriótipos que as pessoas carregam até sem perceber, fez com que eu nunca fosse levada a sério ali. É claro, continuo com minhas bonecas e desenhos e coisas rosa choque, mas esse planner foi TÃO significativo pro momento, sabe? Amor à primeira vista, etc e tal…

Apesar de simples, é bem completo no que eu preciso. Tem calendário 2020 e 2021, uma tabela de planejamento geral anual (que pretendo usar pra registrar ganhos e gastos financeiros) e, em seguida, já começa o mensal, com apenas uma folha quadriculada de intervalo. Nessa fiz um calendário menstrual, pra poder abandonar de vez esses apps de controle hormonal que ficam captando (e a gente bem sabe, distribuindo) nossos dados por aí. O planejamento mensal começa com um calendário do mês, com fases da Lua sinalizadas, onde você pode ter uma visão geral dos compromissos mais importantes, como aniversários e vencimentos. Tem também um espacinho em forma de “check list” que achei INCRÍVEL pra marcar as contas fixas e ter certeza que foram todas devidamente pagas, mas cada um usa do seu jeitinho…

Planner Tilibra 2020

Calendário de planejamento mensal

Por fim vem o planejamento semanal, com espaço pro dia da semana de um lado e linhas “de caderno” do outro. Sendo bem sincera ainda não decidi como fazer bom uso dessa parte, mas uma hora a inspiração vem, é meio que testando que a gente descobre como fazer a coisa progredir, né? No final de seus 12 meses e 52 semanas ele fecha com mais folhas quadriculadas e pautadas, novamente pra cada um dar seu próprio destino pessoal. E é isto! Simples, direto, fácil, básico, fim!

Apesar dessa não aprovação que me derrubou com força (semanas se passaram e ainda não me conformei), essa compra vai ser mega útil ainda assim. Tenho que terminar minha especialização agora no primeiro semestre, incluindo a monografia, organizar os bilhões de tipos de produção de conteúdo que faço pra ver se consigo lidar com todos ao mesmo tempo e, depois de um breve descanso mental, retomar os estudos pra garantir classificação na faculdade que quero em 2021. Quando chegar a hora, daqui 1 ano, volto pra falar se a experiência foi boa e, caso seja, mostrar o novo planner da vez!

Planner Tilibra 2020

Planejamento semanal

Minha experiência na Amazon KDP (publicação, e-book e cópias físicas)

Em 09.12.2019   Arquivado em Leitura

Comecei a escrever meu romance em 2009 e, de lá pra cá, foram 10 anos até enfim publicá-lo. É óbvio que eu, como todo autor – ou a maioria, pelo menos -, queria que isso acontecesse nas mãos de uma editora, com sessão de autógrafos numa livraria pra depois vê-lo em vitrines físicas e virtuais por todo o país, mas isso não aconteceu e cansei de esperar. É óbvio que sempre temos a opção de PAGAR para alguma realizar esse desejo, também, mas nem em um milhão de anos eu teria condições para isso, então num impulso que misturava a força de vontade com a necessidade de ver esse ciclo encerrado em julho decidi, definitivamente, entregar Wish You Were Here: Um Romance Musical (que, até então, nem esse subtítulo tinha) para o mundo através da Kindle Direct Publishing, a ferramenta de publicação de e-books independentes da Amazon.

Leia também: Wish You Were Here: Um Romance Musical, post com a toda a nossa história juntos, minha e do meu livro!

Comecei pedindo opinião para o querido Guto, aka Augusto Alvarenga, que tinha publicado seu “fica por aqui” dessa forma, também. Ele me deu algumas dicas e fui atrás de outras mais. Descobri no próprio site do KDP que poderia, depois, pedir cópias físicas deles mais barato para ter também nessa tão sonhada versão, que tinham tipos diferentes de monetização, entre outras coisas que me fizeram ir atrás de mais informação, dessa vez vinda de outros autores e o que encontrei foi um grande nada. Pois é, sem depoimentos reais para me orientar sobre o que esperar. Ainda assim persisti, fui na cara e na coragem e hoje venho com esse post publicar o que queria ter lido desde o começo, pra (quem sabe?) servir de referência pras pessoas que desejam fazer o mesmo que eu e tantos antes de mim. Eis um relato em três partes da minha experiência com a Amazon KDP: publicação, e-book e cópias do autor!

Amazon KDP: minha experiência

Wish You Were Here: Um Romance Musical como ebook

Publicando seu livro:

“Luly, quero publicar meu livro na Amazon, e agora?” Agora, minha gente, você só precisa dele pronto, porque o processo em si é MUITO simples, eu diria até arcaico. Sério mesmo, fiquei surpresa com o layout meio “década de 2000”, esperava um sistema muito mais tecnológico e complexo, sendo que na verdade não é nada disso. Mas não é por ser fácil de usar que não tenho dicas para dar…

Uma vez que o Kindle oferece opções de modelos e tamanhos de fonte, além de seleção de textos até para salvar seus trechos favoritos, o arquivo enviado deve ser o seu texto EDITÁVEL, ou seja, nada de PDF! Entre os formatos aceitos estão arquivos de Word (.doc, .docx) e de página para internet (.html). A paginação do e-book depende das preferências de quem lê, então ela não estará visível no resultado final, mas outros elementos sim, tornando pertinente apostar em quebras de página e títulos selecionados para delimitar capítulos e notas de rodapé, quando necessário, eles estarão presentes tanto no aparelho quanto nos aplicativos para celular e computador.

Por outro lado não serão consideradas fontes diferentes, então atenção nisso! Meus inícios de capítulo contém um elefante e as pausas notas musicais, ambos vindos de fontes diferentes, e eu tive que converter isso em imagem, uma vez que o KDP transformou tudo em uma letra normal. Aliás, falando em imagem, elas funcionam normalmente, viu? Em preto e branco, claro, mas com qualidade e nitidez. Os caracteres especiais inseridos ao longo do texto, como formas e símbolos por exemplo, também funcionam, quanto a isso tudo tranquilo.

Essa ferramente é dividida em três páginas no site. A primeira com informações sobre o livro, para colocar título, subtítulo (uma vez que meu título é em inglês escolhi um em português, por se tratar de uma loja internacional), sinopse, nome do autor, palavras chaves, categorias, entre outros. Preencha todos os campos que achar adequado com muita atenção, pois são eles que tornarão sua história uma busca certeira ao leitor quando for procurar por ela! A segunda página é para o conteúdo, onde é feito upload do arquivo de texto e da capa, que também pode ser feita na hora a partir de um “Criador de capas”, que não usei porque já tinha a minha, feita pela Mari, minha amiga. No final, após o fim do processamento, você pode pré-visualizar seu e-book para ver como vai ficar e até fazer download do arquivo .mobi para ler no seu ou outros aparelhos.

Vendendo o e-book:

E a terceira tela? Bom é nela que será definido o preço do e-book na loja Kindle! Eles te fornecem várias opções para que você opte pelo melhor: ONDE será comercializado (pode ser globalmente ou em territórios selecionados), quanto irá receber de royalties, o valor cobrado que deseja cobrar na moeda de sua preferência (e o próprio sistema gera conversão das outras baseado nisso!), se deseja permitir empréstimos entre usuários. Leia com bastante atenção essa parte e faça a venda com sabedoria! Não adianta querer cobrar muito por um conto curtinho e não faz sentido pechinchar numa produção didática, por exemplo, né? Se você não tiver noção alguma disso, como eu mesma não tinha, procure o valor de títulos semelhantes para se basear.

Depois existem duas opções: já publicar o e-book ou colocá-lo em pré-venda! Se optar pela segunda, a cobrança no cartão do leitor só chega no dia que ele é lançado e você ainda pode editar seu conteúdo até 72h antes da data escolhida. Aliás, minha dica pessoal aqui é ficar de olho no fuso horário do envio limite! Eu confundi e o pessoal que comprou antes recebeu uma versão que não era a final, com alguns erros bem chatos que até hoje não consegui enviar para eles a atualização, mesmo já tendo reenviado o livro corrigido. Essas pequenas coisas pegam a gente, às vezes, mas é errando (e chorando muito!) que se aprende, mesmo.

Amazon KDP: minha experiência

Versão impressa: livro com capa comum pedida como cópia do autor

Livro físico e cópias do autor:

Tá, o e-book é legal, mas se você REALMENTE quer ter seu livro físico nas mãos a Amazon também tem uma solução para isso: o livro de capa comum, que é impresso sob demanda do comprador. É uma edição BEM SIMPLES, com capa sem orelhas ou firulas do tipo, mas também possível de personalizar de algumas formas. Mais uma vez é enviado o arquivo editável, mas nesse caso ele vai ficar IGUALZINHO o que você criou, com paginação, elementos de topo de página e todas as coisas que já existiam na versão digital. Ele também tem um criador de capas, com opção de baixar o gabarito para montar manualmente em algum editor de imagem levando em consideração todas as medidas finais, como eu fiz, e ali mesmo é possível gerar ISBN e código de barras do seu volume. De fato é ter seu livro em mãos, com tudo o que tem direito, até opção de capa fosca ou brilhante, páginas brancas ou creme…

… mas nem tudo na vida é perfeito, né? A Amazon Brasil ainda não vende os livros de capa comum como esse, ou seja, para o usuário pedir um é preciso fazer isso em alguma loja internacional que fornece o serviço, o que com a conversão de moedas e frete pode sair bem caro… Por isso eles têm uma facilidade incrível chamada CÓPIAS DO AUTOR, onde você, que escreveu o livro, pode pedi-lo a preço de custo para fazer o que quiser, distribuir ou comercializar. E foi dessa forma que conseguimos ter meu “Wish You Were Here” à venda nesse formato!

É claro que, uma vez que permanece sendo um pedido fora do país, não é tããããão baratinho quanto pra quem já mora na gringa. Eu pessoalmente recomendo a Amazon Americana, que tem frete em conta e é pago em dólar, que além de mais barato que o euro é um valor que sempre temos uma noção de como está por ser muito divulgado. Eles te permitem encomendar até 999 unidades por pedido, e quanto maior o volume mais barato fica, uma vez que é cobrado taxa de frete fixo além do individual. Para conseguir realizar o pedido eu fiz uma campanha de financiamento coletivo que arrecadou, dentro e fora da plataforma escolhida, o suficiente para pedir 200 unidades, me permitindo fazer uma manhã de autógrafos (postarei sobre ela depois!) e ter um estoque aqui em casa pra continuar vendendo meu “filhotinho” ao vivo e pela internet.

Psiu! Prestenção! Não se esqueça que essa é uma compra internacional, hein? Leve sempre em consideração a conversão do valor da moeda na qual fará o pedido no dia em que for feito e, principalmente, o IOF cobrado pelo seu cartão de crédito. A Receita Federal do Brasil NÃO COBRA IMPOSTO SOBRE IMPRESSOS, mas a taxa do cartão vai chegar na sua fatura, sim!

Após enviar seu arquivo, aprovar a pré visualização e realizar o pedido, existe uma grande possibilidade de ele chegar um pouco antes do prazo de entrega e quase nunca chega depois. Mesmo para exportações a Amazon leva isso bem a sério! Realizei a compra dia 4 de setembro e ela foi enviada entre os dias 14 e 16, demorou por volta de 10 dias para impressão, embalagem, etc. O envio foi divido em 5 caixas, 2 delas chagaram no dia 19, quinta feira, e o restante dia 23, segunda. A previsão era que chegasse até dia 2 de outubro, ou seja, duas semanas antes disso eles já estavam aqui comigo, o que foi super importante uma vez que o lançamento estava marcado para o dia 5. Dos 200 exemplares, 2 vieram com a capa levemente amassada, então preferi não vender e fiquei com eles, mas todo o restante está perfeito.

No fim das contas, valeu a pena? Valeu e muito! Eu queria um livro publicado e foi isso que tive, com muuuuuita ajuda e um pouquinho de esforço. Se você tem grande ambições quanto à comercialização e até mesmo o resultado final das cópias físicas é preciso analisar com carinho pra ver se não será decepcionante, mas se o objetivo é ser lido, tanto no digital quanto no impresso, a Amazon tem essa possibilidade incrível e bem acessível para transformar o sonho em realidade!

Links da Semana #11

Em 08.12.2019   Arquivado em Blog

TÁ ROLANDO BLOGMAS NO SWEET LULY, MENINES!!! Não sinalizei em lugar nenhum, até esqueci da tag em alguns posts (preciso corrigir isso aí) mas, vejam bem, a primeira semana passou e permaneço firme, forte e VIVA! Ok que não tá rolando de divulgar os posts, quase ninguém tem lido, mas não importa, eu precisava muito dessa maratona pra desenferrujar, já que esse ano bloguei super pouco e novembro bateu os recordes da negligência… Enfim, falemos de coisa boa, falemos de links da semana que é uma ótima força de não precisar gastar neurônios no post de domingo já que VOCÊS fornecem o conteúdo pra mim através dos seus textos, hahahaha! Todo mundo devia fazer isso de tempos em tempos, é sempre pertinente divulgar conteúdo bom, então vem ver o que apareceu de melhor na minha telinha entre 1º e 7 de dezembro.

Links da Semana

Uma curiosidade, inclusive, antes de começar oficialmente, é que todos eles visitei graças a numa interação de blogs que participei num grupo do Facebook, gente, olha como essas coisas acabam nos trazendo momentos de leituras gostosos, né?

O Diário de Nisha, por Memorialices: Bom, vou pular a parte em que sou suspeita pra falar da Lu pois absolutamente ADORO essa pessoa incrível, pipipi, popopo, pra falar dessa resenha maravilhosa que ela fez de “O Diário de Nisha”… Não vou comentar a temática do livro porque quero que vocês passem lá pra ler (né, gente!), mas eu simplesmente CHOREI no post dela, de tão sensível que a história é! Fora que o livro é maravilhoso, tem desenhos delicados no corte de página, nossa, sem defeitos.

Livros: Ted Bundy – Um Estranho ao Meu Lado, por Shiny Bubbles: Mais uma resenha de livro, e mais resenha de livro da Dark Side Books! Essa um pouco mais impactante, por não ser ficção e sim um relato da vida de um dos psicopatas americanos mais famosos de todos os tempos por alguém que foi próxima dele. Pessoal e, de acordo com a Paty, sem romantizações. Vale a pena o frio na espinha depois, hein…

Bolo de limão, decorações de natal e a saga do cabelo, por Abacate Tati: Eu estou absolutamente APAIXONADA por esse post pessoalzão cheio de assuntos delícia da Tati! Ela falou de conexão com natal, mostrou mais uma etapa de uma mudança que tá fazendo nos cabelos e, aaaaah, deu uma RECEITA DE BOLO DE LIMÃO VEGANO que me deixou aqui com siricutico de fazer também. MARAVILHOSA!

Na última vez que fiz esse tipo de post, 2 anos atrás, rolou um apelo de mim pra mim mesma pra renovar a imagem dessa tag aqui no blog em 2018… Pois bem, não foi lá, não foi agora e fica aqui no ar a esperança de eu tomar tento na cara em 2020 e finalmente fazer isso, porque essa resiste firme e forte desde a primeira edição dos Links da Semana… Que vergonha, Luly Lage, que vergonha…

Entre Cartas e Amores

Em 07.12.2019   Arquivado em Blog

Eu lembro direitinho qual foi o primeiro post do Entre Cartas e Amores que me marcou pra valer… O título era “Amores Estrela Cadente” e foi parar numa lista de Links da Semana aqui, de tanto que gostei. Sabe quando você sente que poderia ter escrito cada uma daquelas palavras? Foi assim mesmo. Eu tinha acabado de voltar de uma viagem muito especial que tinha me dado o que eu achava que se encaixava ali (mal sabia o que estava por vir), o frio na barriga das lembranças que essa leitura me causou foi tão forte que parecia que tava acontecendo tudo de novo.

Entre Cartas e Amores

Depois disso me tornei fã da escrita da Karol. Até quando ela produz sobre o que não posso me identificar eu tô lá, cheia de sentimentos. Acho que falar de amor tem disso, não importa muito como foi o sentimento, mas se já sentiu alguma vez consegue visualizar um pouco o do outro, ainda que nunca seja 100% igual. Talvez por isso o blog dela seja tão gostoso de acompanhar: a gente não sabe se é “baseado em fatos reais”, mas sempre poderia ser. Mesmo quando o texto é de um dos colaboradores é sempre ótimo, faz jus ao estilo, dá aquele match que leva ao casamento, de tão perfeito pra todo e qualquer momento. É um blog que conversa com o coração, e taí alguém com quem é bom a gente deixar um interlocutor falar.

Não foi à toa que ela é, inclusive, a autora de um dos dois depoimentos de blogueiros (e leitores beta) que foi parar na quarta capa do meu livro quando decidi colocar a tão sonhada versão impressa dele pra acontecer! Eu queria dois, um de cada gênero, e ela e o Adriel foram os primeiros nomes que me vieram à mente porque vejo ambos publicando livros ao longo dos tempos que estão por vir… Não dava pra colocar qualquer pessoa, mesmo porque não foi qualquer pessoa que recebeu antes da hora. Ainda assim, podia ter mandado pra outros e tirar os textinhos dali, né? Mas não precisei, já tinha quem era ideal e vai ser sempre com orgulho pessoal que vou saber que eles topara entrar pra sempre na minha história, em todos os sentidos da palavra, desse jeito.

É legal porque depois que a gente conhece a pessoa as coisas fazem ainda mais sentido, sabe? É óbvio que uma libriana convicta teria um espaço pra registrar relações, com foco nesse plural! É sentimento demais emanando de uma pessoa só pra não deixar em público. Fico feliz demais que ela tenha optado por fazer isso, o que começou em mim com uma metáfora astronômica se transformou em sorrisos frequentes de canto de rosto a cada palavra. Já são (mais de) 3 anos fazendo questão de acompanhar, e eu sei que não é por aí que vai parar. Obrigada, Karol, por transformar suas cartas e seus amores em deleite pra leitores, sua maneira é a melhor possível que existe pra converter o presente numa forma de nos presentear.

“Sempre que me perguntam, digo que escrevo sobre amor. Mas essa é a maior mentira que eu conto. Eu não escrevo sobre amor. Escrevo sobre você. – Entre Cartas e Amores

Interação United Blogs

Esse post faz parte da BLOGAGEM COLETIVA de dezembro do United Blogs, que tem como tema da vez AMIGO SECRETO: “escolha um blog que você conheceu através do nosso grupo, ou um blog que você acompanha e que faz parte do grupo e faça um post dedicado a ele”. Veio ao ar bem início do mês porque pra escolher o ECEA (assim como no caso do livro) eu nem precisei parar pra pensar… Vjea outros textos participantes em Imprevistos Musicais, Mundinho da Hanna, Essência de Flor, Estante da Pipoca, Mais Paz e Amor e Epílogo em Branco

Mulheres Incríveis

Em 06.12.2019   Arquivado em Feminismo, Leitura

Mulheres Incríveis (Rad Women Worldwide) *****
Mulheres Incríveis Autoria: Kate Schatz | Perfis brasileiros por Jules de Faria, ilustrações de Miriam Klein Stahl e tradução Regiane Winarki
Gênero: Biografia
Ano: 2017
Número de páginas: 138p.
Editora: Astral Cultural
ISBN: 978.858.246.548-6
Sinopse: Feche seus olhos e pense numa pirata. Agora imagine uma espiã. Ou uma presidenta. Pense numa guerreira em ação. Uma grande pintora ou na maior jogadora de futebol de sua época. Estas são apenas algumas das mulheres incríveis que você encontrará neste livro. São 44 perfis de mulheres extraordinárias, numa coleção de histórias que começa em 430 antes de Cristo e alcança os dias de hoje. Da Mesopotâmia até a Antarctica, “Mulheres Incríveis” conta a história de vida de jovens e adultas transgressoras, que subverteram leis, lutaram por menos desigualdade entre gêneros e ajudaram a construir um futuro melhor para todos nós.” (fonte – capa e sinopse)

“Escolher escrever é rejeitar o silêncio.” – Chimamanda Ngozi Adichie

Comentários: Já faz dois anos que ganhei esse livro do meu querido Gil, num amigo oculto de natal que participamos juntos, e só agora parei pra recomendá-lo aqui, mas é uma recomendação “daquelas”! “Mulheres Incríveis” é um livro que se vocês puder ler e ter, leia e tenha! São 40 mulheres (44 na versão brasileira) de 30 países diferentes, listadas por se destacarem seja qual for sua área de atuação, ativismo e luta antes mesmo da existência da expressão “feminista”. Atletas, cientistas, artistas, realeza, pesquisadoras, mães com esperança de um dia encontrarem seus filhos perdidos… Todas ganham um pouquinho de notoriedade nessas páginas encabeçadas por um citação provenientes das mesmas e diagramadas de forma LINDA, colorida e especial, com direito a capa dura e falso cabeceado, tudo pensado para te impressionar e, claro, emocionar demais! Eu, manteiga derretida como sou, cheguei ao final de absolutamente TODAS as histórias cheia de lágrimas no rosto, mesmo naquelas (poucas, confesso) que já conhecia.

Mulheres Incríveis

Foto feita dois anos atrás, para um look de natal!

Como educadora, os livros da Kate focam bastante no empoderamento de meninas, para que as próximas gerações de mulheres tenham em quem se inspirar para chegar onde quiserem. Por esse motivo a leitura é muito fácil, fluída e até didática, o que a torna bastante inclusiva. A pesquisa é acadêmica, mas o público alvo vai desde crianças e sem limite de idade, porque ser simples não a torna medíocre de forma alguma! Os dados e informações estão presentes, só não são expostos de maneira rebuscada, sabe? Pro público adulto isso é bem legal também, porque o número de culturas apresentadas é bem variado e você é apresentada a elas a todo momento, absorvendo conhecimento sem sentir o “peso” dele (como muitas vezes acontece em artigos acadêmicos, por exemplo).

O livro é também COMPLETAMENTE ilustrado: todas as personalidades têm uma caricatura minimalista formada de luz e sombra, feitas pela artista Miriam Klein Stahl que, assim como a autora, é educadora e ativista feminista. É muito legal porque mesmo com poucos traços, nada delicados, é fácil visualizar direitinho a aparência da pessoa retratada e, em alguns casos, até o ambiente onde ela estava inserida. Uma parceira bacana demais, já que ela também ilustrou outros livros da autora que seguem a mesma temática… Aquela história de incentivo da parceria entre mulheres colocado na prática, além de discursos, bonito e necessário.

Mulheres Incríveis

Leia Também: Tina: Respeito, resenha da HQ da Fefe Torquato para o selo Grapihc MSP que tem como tema principal assédio no trabalho.

Pra mim, pessoalmente, foi uma boa fonte de nomes de artistas para o Vênus em Arte, meu canal sobre visibilidade feminina na história das artes plásticas. Ele tá parado? Tá. Mas uma hora vai ter que voltar? Vai! Descobri mais sobre as Guerrilla Girls dos Estados Unidos, grupo contemporâneo que busca igualdade de gênero nos museus americanos, conheci a Bastardilla, uma pintora de rua colombiana anônima e, claro, revi a história de Frida Kahlo que já sei de cor… Frida é, inclusive, quem está em maior destaque na capa. Apesar de eu problematizar essa atual super exposição dela (isso rendeu um vídeo, gente), pra mim é o tipo de lugar onde faz total sentido vê-la estampando.

“Eu acho que a mulher do fim do mundo é aquela que busca, é aquela que grita, que reivindica, que sempre fica de pé. No fim, eu sou essa mulher.” – Elza Soares
Mulheres Incríveis

Chimamanda Nogozi Adichie (Nigéria), páginas 42 e 43

A edição “original” norte americana de Mulheres Incríveis já conta com uma brasileira, a artilheira Marta, mas nossa tradução tem outros quatro perfis adicionais escritos por Jules de Faria, fundadora da ONG Think Olga. A escrita dela é um pouco diferente do da autora, um pouco menos didática e mais jornalística, mas de forma alguma isso é um ponto negativo. Mesmo com a diferença ficou tudo bem integrado, como um conjunto: Elza Soares (cantora), Débora Diniz (antropóloga, professora e pesquisadora), Maria da Penha (farmacêutica) e Sônia Guajajara (líder indígena), todas com o nome de Jules sinalizado e um asterisco em baixo, informando onde o texto foi publicado originalmente.

No final do livro, após os artigos, tem uma listagem com outros 250 nomes, 4 deles também do Brasil, de mais mulheres que merecem ser conhecidas ao redor do mundo, também variadas no que diz respeito à época e ocupação. Entre elas estão, por exemplo, Winnie Mandela, Princesa Isabel e Lili Elbe, organizadas em ordem alfabética primeiro por país e depois pelo primeiro nome. Como existe uma breve descrição em baixo, apenas pontuando as atividades de cada, é também uma fonte interessante de referências para quem tem foco ou vontade de estudar trabalhos femininos em áreas específicas.

Mulheres Incríveis

Maria da Penha (Brasil), por Jules de Faria, páginas 56 e 57

Conheça mais da Kate Schatz, ativista feminista americana e educadora, no site da autora, Twitter e Facebook. Ela tem também um site para o projeto Rad Women, que além desse, com mulheres do mundo todo, tem livros específicos sobre americanas, meninas mais novas e afins, nele constam informações não só das publicações mas também visitas em escolas e outros eventos.

Página 3 de 2311234567... 231Próximo