LookBook: OUR PWR

Em 06.08.2018   Arquivado em Moda

Pois bem, podem esperar muitos posts de LookBook por aqui em agosto porque estou amando bastante esse cabelo e, confesso, o corpinho também! Viva o Sol em Leão! E junto ao fato de que outro dia recebi um pacotinho INCRÍVEL das meninas da MinKa Camisetas Feministas, bem, é a fome com a vontade de comer. Pra quem não viu meu post sobre elas (e vários looks que já fiz com as blusas), a MinKa não só vende camisetas nesse tema como é uma MARCA FEMINISTA, onde só trabalham mulheres justamente pra estimular essa nosso empoderamento financeiro! Uns meses atrás elas fizeram uma enquete com as clientes e algo que eu disse, e não fui a única, era o quanto queria os produtos delas em PRETO, porque antes era só branco e cinza. Elas não só atenderam nosso pedido (yey!) como se ampliaram com vestidos, ecobags e capas de almofada! Tão gostoso vê-las crescendo!

A modelagem delas mudou um pouco e o tecido também, ambos para melhor. Achei mais gostoso de vestir e a costura parece mais “forte”, sabe? No dia gravei uns Stories que estão destacados meu Instagram, mas vou mostrar tudo devagarzinho por aqui também. Resolvi começar pelo vestido porque EU TAVA DOIDA COM UM! Sério, elas acertaram demais, obrigada, meninas!

LookBook: OUR PWR

Vestido: MinKa Camisetas Feministas | Meia calça: Riachuelo | Coturno: s/m | Arco: Pink Biju. Veja também no Lookbook.nu

No último Lookbook falei que meu coturninho ia aparecer muito ultimamente, e vai mesmo. Temos que aproveitar o friozinho, né? A mesma coisa pras meias calça, é hora de tirar todas do armário! Essa corações eu não vestia há ANOS, então achei que devia pra não só matar saudades como também combinar com o preto e branco do vestido. Aquele “nada de mais” que acaba ficando bonitinho. Ai, gente, não adianta, eu gosto de roupa escura, vai ser sempre minha preferência, mesmo que passe calor em algumas épocas.

LookBook: OUR PWR

Lápis de olho: Pinkix da Quem disse, Berenice? | Batom: Mrs. Mia Wallace da Urban Decay | Máscara: The Colossal da Maybelline

Aí no meio da seção de fotos saiu essa “meio falando de olhos fechados”, daquelas que a gente até deleta, mas decidi mostrar porque o delineado cor-de-rosa ficou lindo demais pra ficar escondidinho. Preciso usar meus lápis coloridos mais vezes, é aquele plus que ninguem repara de cara, aí quando percebe fala que achou legal. Aconteceu nesse mesmo dia, inclusive.

LookBook: OUR PWR

Detalhes da meia e coturno!

Tô pensando em passar a postar meus looks assim a partir de agora, uma foto só como “principal” e, se for o caso, colocar outras em baixo. O que vocês acham? Preferem desse jeito ou aqueles “conjuntos” de três que normalmente faço? Posso variar também, adequar dependendo da ocasião…Enfim, opinem aí nos comentários!

Mentes Sombrias: 16 de agosto nos cinemas!

O Amor é brisa (e você, Sol)!

Em 03.08.2018   Arquivado em Escrevendo

Um dia desses aí, num faz nem uma semana, a querida Luh Souza propôs reflexão através de uma frase do filme “O Fabuloso Destino de Amelie Poulain”, que tanto ela quanto eu guardamos em cantinhos quentinhos desses corações tão cheios. “Uma mulher sem amor murcha como uma flor sem sol.” Entrei na conversa por lá, soltei o que tinha que soltar, mas essa frase continuou a me encasquetar – então é meio que meu momento de explorar as metáforas de jardinagem pra dessa aí discordar.

O Amor é brisa

O Fabuloso Destino de Amelie Poulain | Imagem via Conversando com a Lua

Pra começar, por que essa fala se refere tão diretamente à mulher, especificamente? Um homem também não vai murchar sem alguém para amá-lo? Por que somos sempre vistas e expostas como incompletas, semi plenas? Levando em consideração que a versão heteronormativa é sempre a que é esperada em um discurso, conclui-se que uma mulher sem um HOMEM é insuficiente. Mas isso não é verdade. A sociedade nos ensinou que sim, é claro, mas não é, não. Cara, a gente é suficiente pra caramba, tá?

Longe de mim criticar Amelie Poulain. Principalmente porque, quando o assunto é amor romântico, rever esse filme foi o empurrão que eu precisava pra correr atrás de experiências maravilhosas. Foi ele que me ensinou de vez que eu não tenho ossos de vidro, posso aguentar os baques da vida e que se deixar passar certas chances, com o tempo meu coração pode ficar seco e quebradiço como o esqueleto de Duyfael. Essa citação já me caiu como uma luva e faço questão de “presentear” as pessoas que também podem fazer bom uso dela. Mas, cá entre nós, a gente não precisa concordar 100% com todos os aspectos de uma obra, né? E quanto à flor sem Sol, é, tenho lá minhas ressalvas…

Veja bem, não estou e nunca irei me posicionar contra relacionamentos, ainda mais sendo uma pessoa extremamente romântica e sentimental: aquela que não “fica afim”, já se apaixona de vez (e haja dificuldade pra desapaixonar). Mas é engraçado, quando se diz que não é obrigatório que haja o envolvimento tem gente que já interpreta que tá praticamente proibindo, né? Pera lá, ninguém falou isso aqui! Um amorzinho, na verdade, é gostoso por demais! É incrível se ligar a alguém disposto a manter essa ligação também… Pode ser carinho, beijo, pode ser sexo, ser só hoje e também durar vários amanhãs, mas enquanto houver troca, eu não truco. Vale a pena ter, só que, independente do gênero, o deixar de ter não pode te invalidar.

Agora, e se a gente mudar o sentido da frase? Se for ampliar essa ideia de amor?

Aí a coisa já muda de figura, já passo a concordar. Se “fundamental é mesmo o amor, é impossível ser feliz sozinho”¹, que seja em todos os sentidos da palavra! Amar fraterno, a família, os parentes, aquele laço de sangue que nem sempre é a coisa mais importante do mundo, mas que pode ser, se for o caso. Amar amigo, alguém com quem você ESCOLHEU se enlaçar, que nesse momento cabe direitinho dentro da sua vida. Amar admirando, um ídolo que sequer conhece e quer bem mesmo assim, ou de forma empática, sentindo algo bom por aquele que sequer ama de verdade. E amar-amando, o(s) seu(s) “alguém”, que é diferente dentro todos os outros amores mas de intensidade igual, ou não. E além de e (talvez) acima de todos esses, o que tanto se ouve falar, o amor próprio. Esse SIM é o Sol.

Você é seu Sol, que não deixa esse jardim cheio de flores de si mesma sucumbir. Que aquece e fortifica, que causa suas fotossínteses particulares espalhando o que consegue de melhor produzir aí dentro. Os outros? Bem, eles são brisa. O que pega o terreno de surpresa, que sacode suas pétalas de prazer e faz o agito, que espalha polens de alegria de pra lá e pra cá. É tão importante pro crescimento do jardim quanto o Sol, só não é – nunca – MAIS importante do que ele. E isso inclui o amar físico que, cá entre nós, é uma senhora brisa, ai que brisa de delícias!

¹ Tom Jobim. Wave. Wave. Santa Monica: A&M Records, 1967. Faixa 1.

''Todo Dia'', 26 de julho nos cinemas!

LookBook: WONDER-full!

Em 28.07.2018   Arquivado em Moda

Dia 10 foi meu aniversário e eu planejei toda uma sessão fotográfica do que vesti pra postar no Lookbook, até pensei num lugar legal aqui de casa que tá pra variar nas poses, e…

… como sempre, não fiz isso! Deixei as peças separadas por uns dias, antes de lavar, na esperança de que em algum momento faria, mas sempre deixo passar, é impressionante! Porém, ainda no dia certo, eu e minha irmã tiramos umas, sem muito capricho mesmo, pra brincar com o fato de que nasci no Dia da Pizza (tá lá no Instagram!) e arrumando meu back up vi que dava pra salvar alguma coisa e compartilhar aqui, então ‘bora fazendo, né? O cabelo tá bem sem graça, cá entre nós, mas as pessoas foram chegando e eu fiquei sem ter como pensar em algo bonitinho pra fazer com ele, então iremos desconsiderar e é isso aí!

Lookbook: WONDER-full!

Blusa: C&A | Short: Caroline Won | Meias: Trifil | Coturno: s/m. Veja também no Lookbook.nu


Pra falar verdade no dia não teve nada de mais, só pessoas se reunindo pra comer, cantar parabéns, etc, mas era meu aniversário, oras, não custava nada ficar arrumada, né? Essa blusa liiinda da Mulher Maravilha é da C&A e foi comprada meses atrás pro carnaval, onde usei de forma bem parecida com essa, fiquei apaixonada por ela! É legal porque é um roupa “geek” com modelagem estilosinha, rola de usar nas festinhas sem muito esforço pra pagar de fashion. E como eu bem gosto de um look todo preto escolhi meus shorts imortais (sério, esses guerreiros quase andam sozinhos há anos!), meia arrastão e os primeiros coturnos da minha vida! Ganhei de presente uns dias antes e agora não tiro mais, podem esperar que vão aparecer muito por aqui.

O batom é meu vermelho caçula Bruna, da Linha Bruna Tavares. Tô AMANDO! Eu gosto de maquiagem matte de um modo geral, mas ainda prefiro batom em bala ao líquido, só que esse, sério… É uma delícia em todos os sentidos: cor, cheiro, textura e preço! Rola de comprar no site da Tblogs e também algumas lojas que revendem, achei ele na Renner! Vale muito a pena investir nos produtos da Bruna porque ela é incrível, tenho também o corretivo e gosto tanto que já gravei um vídeo sobre ele pro canal. Agora tô doida pra ter uma grana e comprar um dos iluminadores dela, são todos maravilhosos!

''Todo Dia'', 26 de julho nos cinemas!

Bonecando: Funko Pop! Rocks Elton John 70’s

Em 24.07.2018   Arquivado em Dolls

Eu sei, eu sei, eu SEI que Funko Pop! não é considerado como boneca, logo não eu não devia me referir a eles como se fosse. Já sei! Mas de algum modo, se parar pra pensar… É sim um boneco, uai! Ah, vai, a gente dá o nome que a gente quiser pra nossas coleções, e me dei ao direito de vir mostrar um aqui nesse meu momento “Bonecando” porque é, afinal de contas, especial. No final do ano passado foram anunciadas três figuras do Elton John na linha Rocks, e ganhei de presente de aniversário o que mais queria entre eles: o “Patriota” com visual anos 70!

Funko Pop! Elton John 70's

Junto com a Kombi britânica e o álbum “Wonderful Crazy Night”, que também foram presentes!

O mais incrível desse Funko é que, apesar de retratar um traje real específico do Elton John, remete a vários outros parecidos, como uma grande homenagem ao estilo que adotava na época. Vermelho, azul e branco é uma combinação que ele usou MUITO no início de carreira, não só por causa da bandeira do Reino Unido mas também dos EUA, onde fez um número enorme de shows memoráveis da sua carreira. Essa específica é quase uma bandeira americana mesmo, com as listras e estrelas! É bem bonitinho porque ele tem as entradas no cabelo, que o cantor teve desde bem novo, sapato social de salto alto e, CLARO, óculos de Sol gigantes! Estão até discretos se comparados com o histórico espalhafatoso do Elton, mas a presença por si só já faz jus à imagem, o que não podia era faltar. Também adorei esse microfone na mão, estou deixando na estante com o corpo de lado e a cabeça virada, justamente pra parecer que está “cantando”.

Funko Pop! Elton John 70's

Eu adoro como a empresa tem se importado BEM MAIS com a qualidade dos bonecos mais recentes do que tinha no inicio. A primeira que tive foi a versão rainha do gelo da Elsa, de Frozen, comprada há uns 4 anos. A pintura dela é MUITO RUIM, com o loiro do cabelo manchando a testa toda, o azul da manga não preenche o formato certo perto da mão e o vestido não tem detalhe NENHUM, basicão mesmo. Esse é completamente diferente! As estrelinhas da roupa são bem definidas, os pelos no peito formando um “desenho” que dá pra entender do que se trata mesmo sendo só alguns “risquinhos”, a calça listrada sem uma cor entrar no lugar da outra. Até os botões são bem pintados, mesmo que super pequenininhos! Muito bacana ver essa melhoria, principalmente porque lá fora é baratinho, mas importando pro Brasil eles normalmente saem meio caros.

Funko Pop! Elton John 70's

Leia também: Vision To End AIDS, o relato de como foi ganhar um livro autografo da própria Elton John AIDS Foundation!

Além desse tem uma versão do mesmo, porém brilhante, que é limitada da Fye, e o de terno branco e chapéu representando a capa do álbum “Greatest Hits”, com músicas lançadas entre 1970 e 2002. Esse segundo, apesar de ser bem mais simples e, de certa forma, um pouco menos icônico para quem não é super fã, eu confesso que ainda fico querendo ter… A linha Rocks conta também com artistas como Kurt Colbain, Amy Winehouse, Michael Jackson, Elvis, membros do KISS, os Beatles em Yellow Submarine (além do próprio Submarino Amarelo!) e vários outros… Dá pra ver todos no site oficial da Funko!

Funko Pop! Elton John 70's

Ei! Quer saber mais sobre o Elton John? Na tag dedicada a ele aqui no Sweet Luly tem vários posts legais sobre lançamentos, curiosidades, seleção de música e como foram, tim-tim por tim-tim, os dois shows que pude ir! É só entrar e se jogar na leitura!

''Todo Dia'', 26 de julho nos cinemas!

Exposição “Arquitetura da Paisagem”, no Fórum Lafayette

Em 19.07.2018   Arquivado em Artes Visuais

Sendo de origem (provavelmente) chinesa e já presente na história da arte desde o século VI, a xilogravura é uma técnica de gravação em madeira, entalhando o desenho desejado pelo artista para, depois, ser impresso sobre o papel – ou qualquer suporte adequado para tal. O resultado dessa impressão, a xilografia, é uma versão espelhada do que foi gravado, dando ao artista ainda mais trabalho, graças às necessidade de projetá-lo dessa forma. E é utilizando desse processo, lado a lado das propriedades orgânicas da própria matriz, que a artista e professora da Escola de Belas Artes da UFMG, Eliana Ambrósio, construiu as obras da exposição “Arquitetura da Paisagem”, aberta à visitação no Espaço Cultural Fórum Lafayette.

Exposição Arquitetura da Paisagem

A abertura aconteceu na noite do dia 26 de junho (no aniversário de 14 anos do blog!) e eu precisei ir prestigiá-la pois a Eliana foi, além de primeira professora universitária, minha orientadora no TCC, onde restaurei a reimpressão de uma das primeiras gravuras em metal produzidas no Brasil. Desde então ela vem se aprofundando cada vez mais na área, se tornando agora professora do curso de Artes Visuais da EBA.

“Arquitetura da Paisagem” é um conjunto de obras cujo nome é autoexplicativo: ela utiliza das formas e força da própria natureza para construir exemplos da interferência humana no ambiente, sem necessariamente se deixar limitar pelas bordas do desenho. São 22 obras com referências ao movimento art nouveau (sobre o qual ela mesma me ensinou!) e cheias de formas e movimentos que carregam uma elegância enorme no modo de entralhar.

Exposição Arquitetura da Paisagem

Exposição Arquitetura da Paisagem

Além dela, há também no saguão do Fórum, 4º andar e na unidade Raja Gabaglia uma Mostra Paralela com mais de 50 trabalhos de seus alunos da UFMG. Esse conjunto, que não se limita a estilos ou temáticas, apresenta a xilogravura de forma diversificada, com variação de suporte, cor e técnicas complementares. Elas contém cores, degradês, referências das mais variadas, cada uma seguindo o traço de seu autor e passando o que ele quis retratar. Minha favorita, de autoria da Lucianita Moraes, representa um elefante num contraste de cores complementares lindíssimo – e ainda pude conversar com ela na hora, compartilhando minha paixão por esse animais. Vale a pena estender a visita a elas também!

Exposição Arquitetura da Paisagem

Exposição Arquitetura da Paisagem

A visita às mostras é gratuita, das 8 às 18h, no TJMG (Av. Augusto de Lima, 1.549, Barro Preto), entre 26 de junho e 26 de julho de 2018. As datas e horários também são válidas para a outra unidade (Av. Raja Gabáglia, 1753, Luxemburgo). Para saber mais, assista à entrevista feita pela TV UFMG em https://ufmg.br/comunicacao/noticias/professora-e-alunos-da-ufmg-expoem-xilogravuras-no-forum-lafayette

Página 3 de 2141234567... 214Próximo