Inclusive, saudades (II)

Em 30.12.2017   Arquivado em Escrevendo

Inclusive, saudades

Essa manhã acordei cheia de lembranças. Tem dias que são assim, elas me invadem de um jeito que dá pra sentir o tudo bem tátil na minha frente, a tensão tão carregada que nem um machado conseguiria quebrar. Às vezes o peito aperta tanto que dá vontade de chorar, como se o que quer que seja que está ali dentro pudesse transbordar pelos olhos. Hoje não, hoje as saudades foram gostosas de sentir, sabe? Aquelas que te faz ficar parada olhando pro nada meio boba até chega no ápice do recordar em que o coração acelera de excitação, como se estivesse correndo uma maratona… Causa arrepios, dos bons!

Lembrei que te conhecer foi como despertar de um pesadelo. Acho que todo mundo já passou por isso, o segundo exato em que a gente abre os olhos e percebe que nada daquele horror aconteceu ou vai acontecer… Um pesadelo longo, desses que ficam tempos nos atormentando mas chegam ao fim, é só questão de tempo até esquecer. Pois é, foi assim estar com você no primeiro instante. As borboletas da minha barriga se agitaram loucas como sempre, mas esse abrir de asas não embrulhou o estômago, mas fez abrir também sorrisos. O que se intensificava quando o SEU sorriso vinha, só de lembrar já sinto tanta falta. Ah, esse sorriso que causa mutações no olhar… Ele é fácil de amar!

Sentir você pela primeira vez, por outro lado, foi como entrar em um sonho. Quando os acontecimentos fogem do nosso controle e a gente vai deixando rolar apenas curtindo esse momento, seja lá como ele acontece. Isso vai contra tudo o que eu faço na vida! Estou sempre ensaiando, pensando mais do que devia. Mas do seu lado não funciona assim, funciona sem hesitar ou ter medo do que está por vir. E acaba sendo melhor do que foi criado nessa cabecinha preocupada, seja imaginando conscientemente ou na inconsciência do sono à noite. Eu, que já tinha colocado no papel todas as ideias de como tudo deveria ser, descobri que programar esse tipo de coisa está limitado ao que nós somos sozinhos. Mas na vida real as conexões só são ideais quando a gente faz junto…

Eu acordei do meu pesadelo de angústias, mas não precisei fazer o mesmo com o sonho saudoso. No fim das contas o ruim era só impressão e o bom é que rolou pra valer. Acho que por isso ainda estou “presa” nele, ainda que completamente livre para o que quer que venha a seguir, em qualquer aspecto. Existem mil coisas que eu gostaria de dizer, algumas jogadas em textos que julgo secretos e acabam não sendo, outras que acho que vou ter que guardar aqui no meu coração… Ou quem sabe soltar devagarzinho, naquelas horas que sua voz se transforma num ronronar no meu ouvido. Não importa! Sentir é mais importante que dizer, e não importa o que eu diga: já valeu, vale a pena (sempre!) poder te sentir e lembrar de você.

Inclusive, saudades!
  • Lulu on the sky

    Em 30.12.2017 | Uau!! Deixou 22 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Sei bem como é essa saudade que vc descreve no post. Temos que lembrar sempre dos momentos bons no coração.
    Feliz 2018!
    Big Beijos,
    LULU ON THE SKY

    [Reply]

  • Bruna Baez

    Em 30.12.2017 | Comentou 5 vezes. | [Citar]

    Que delícia de texto, que sensação gostosa de recordar também. Me fez pensar em sensações parecidas que já vivi! Beijos, feliz 2018!

    [Reply]