Ditadura: Ser Magra

Em 23.10.2011   Arquivado em Beleza

Eu não quero ser hipócrita ou politicamente correta aqui, e o motivo desse post se baseia numa SÉRIE de reflexões que tive depois de ler um texto que vou adicionar aqui no fim do post. Meus comentários aqui se baseiam basicamente em opiniões pessoais sobre pessoas normais, que vemos por aí na rua.
Primeiro porque eu entendo que uma modelo, por exemplo, tem que ter o corpo perfeito e harmônico. O que não entendo é realmente o motivo pelo qual perfeito e harmônico significa com as costelas aparecendo pela pele. Eu nunca fui gorda e já fui um pouco magrela em épocas da minha vida, mas eu NUNCA deixei de comer nada que queria, nunca me matei de malhar, nunca tomei remédios ou fiz qualquer tipo de dieta. Mas no geral eu era “magra”. Entre aspas porque eu nunca pude ser 100% magra porque com um quadril desse tamanho, né minha gente, num dá. E também munca prestei atenção nisso, até que durante minha adolescência aconteceu a 1ª coisa na minha vida que me deixou muito encaducada sobre o tema. Fui experimentar uma calça uma vez, e achar calças no geral é MUITO DIFÍCIL PRA MIM, porque eu tenho a cintura fina e sou pequena, mas o quadril e a coxa não podem reclamar de nada, sempre foram bem servidos. Então se a calça entrar quer dizer que vai ficar grande no comprimento e larga na cintura, mas pra ficar direitinho é um sacrfício passar por essas coxas.
Mas enfim, foco… Eu vesti a calça e entrou linda e perfeita, até o comprimento tava ótimo, mas é LÓGICO que na cintura ficou gigante. Sendo assim a moça da loja colocou ali uns alfinentes pra ela mesma apertar. E quando fui tirar pra entregar pra ela é LÓGICO que não passava e os alfinetes saíram. E aí umas das pessoas que tavam comigo, que não vou falar quem é – mas claro que era parente – já começou uma falação de que se eu fosse magra que nem a Fulana – outra parente, evidentemente – isso não ia acontecer, e que a vendedora TINHA QUE CONHECER A FULANA por que o corpo dela é magro e lindooooooooo!!
Azar o da Fulana, a moça da loja apertou a cintura um pouquinho, eu conseguia vestir minha calça dando um pulinho só e as vezes era só usar um cinto fofo e discreto, eu tava feliz da vida e continuei assim. A Fulana, porém, tem todas as calças jeans que quer mas não consegueria usar a blusa infantil dessas que vem em Dvds Disney, e eu uso pela rua feliz da vida até hoje!! Há!!

Teve época da minha vida, no final do meu último ano do colégio, em que eu inchei e saí totalmente das proporções que sempre tive na vida, mas viajei com meus colegas de sala e até usei um biquini, coisa que não costumo fazer e faço desde então!! Mas depois eu “desinchei” tudo, entrei pra faculdade e lá pro 6º período encontrei com uma colega com quem não conversava muito desde o início do curso, porque ela trabalha e não pôde acompanhar direitinho com a gente, e ela falou “nossa, você deu uma engordadinha!! Seu rosto tá mais cheinho, que bom, eu te achava MUITO MAGRA”. E a melhor parte da história é que eu não tinha reparado na minha “engordadinha” e o comentário dela não mudou em nada no meu ato de reparar. Na verdade pela cara que ela fez eu considerei um elogio e pronto, ganhei meu dia.

A pessoa que tava comigo na loja gosta menos de mim porque minha perna dá duas da perna da Fulana?? NÃO!! Ela simplesmente gosta de ver as parentes dela bem magrinhas. E minha colega tava querendo ser boazinha comigo?? NÃO!! Ela olhou pra mim e sei lá, me achou mais bonitinha e comentou. E quando a gente vê caras comentando que não gostam de mulheres de perna fina e as meninas de perna fina reclamam que eles tão sendo só “politicamente corretos, duvido que eles gostem mesmo de perna grossa”, elas tão certas mesmo?? NÃO!! Deixa o cara gostar do que ele gosta, meu bem, isso não muda em na-da na sua vida. Porque se você é bonita, ou se você é inteligente ou se é simpática, realmente, a grossura da sua perna ou seu rosto redondo não vão mudar nada disso.

– “Mas Luly, aposto que você não quer ver gente cheia de celulite na revista fazendo propaganda” Primeiro: eu não reparo celulites alheias em propagandas, eu tenho as minhas pra me preocupar já – e nem pra elas eu ando ligando muito. E segundo: tanto faz se a mulher não tem celulite na propaganda desde que as pessoas aceitem que na vida real ela TEM CELULITES e que aquilo é Photoshop. E tá certo usar o Photoshop, aquela mulher ALI realmente tem que ser perfeita, ter o corpo bonito -eu disse bonito, não magrelo-, ela tem que ser a mulher ideal para você comprar o produto querendo ser como ela. Chama-se publicidade. Mas uma menina que já tá com as costelas aparecendo se olhar no espelho e se achar gorda por causa da imagem perfeita que essa publicidade nos trás, aí eu acho errado. Porém você NUNCA vai ver uma menina olhando no espellho e pensando “olha, como tô magra, preciso engordar”. Toda mulher já acordou, se olhou no espelho, pensou “Tô uma baleia hoje” e ficou o dia todo comendo só salada, mas nenhuma dela olhou e pensou “Acordei muito magra” e comeu fast food pra compensar, não mesmo. A mídia não permite isso. Mas enquanto esse pensamento for assim, ocasional, for saudável e feliz, tudo bem, a gente vai continuar se olhando no espelho e vendo gorduras e espinhas, mas sem abrir mão de um chocolate, porque é BOM DEMAIS!! E se você é assim você não tá errada, porque nessa história toda a gente só falou de estética, “você é gorda”, “você é magra”, você tem peitão”, “você tem perna fina”, mas aquela menina ali do espelho que se achou gorda um só dai é feliz, mas aquela que se acha gorda sempre – não sendo – e luta todos os dias pra corrigir isso não tá interferindo só na estética dela: tá interferindo também na saúde!!
E assim como alguém que engorda MUITO e não se importa com isso pode estar interferindo na própria saúde também. E é aí que realmente me importa, de verdade, se alguém que eu gosto ou convivo engordou ou emagreceu demais. E aí eu chego e falo na cara da pessoa pra ela “fechar a boca, comer só coisa saudável e cuidar dela mesma”, de forma delicada, é claro. Mas porque me importo em vê-la viva, não em vê-la como uma supermodelo. Mas enquanto ela tiver bem tanto com ela mesma quanto com a saúde dela, de verdade, tanto faz!!

– Pra finalizar vamos à citação que falei no início do post. Traduzi “livremente” essas palavras da minha grande ídola J.K. Rowling que faz a gente pensar sobre isso. Ela é nada mais, nada menos, do que uma das mulheres mais ricas e brilhantes do mundo e o que trouxe isso para ela, que foram seus livros, num momento se tornou “menor” perto de como ela estava “magra”.

“Gorda” é geralmente o primeiro insulto que uma garota joga para a outra quando quer machuca-la.
Quer dizer, “gordo” é realmente a pior coisa que um ser humano pode ser? “Gordo” é pior que “vingativo”, “invejoso”, “superficial”, “vaidoso”, “chato” ou “cruel”?
Não para mim; mas então, você pode retrucar, o que eu sei sobre a pressão para ser magro? Eu não estou em um negócio de ser julgado pela minha aparência, e sim sendo escritora e ganhando a vida utilizando meu cérebro …

Eu fui ao British Book Awards aquela noite. Antes da cerimônia de entrega eu encontrei com uma mulher que não via a pelo menos três anos. A primeira coisa que ela me disse? “Você perdeu muito peso desde que te vi pela última vez”
“Bem”, eu disse, um pouco perplexa, “a últuma vez que você me viu eu tinha acabado de ter um bebê”.
O que eu quis dizer foi “Eu produzi meu terceiro filho e meu sexto livro desde que te vi pela última vez. Essas coisas não são mais importante, mais interessantes, do que meu tamanho?” Mas não – meu peso parecia mais baixo! Esqueça a criança e o livro: finalmente, algo a celebrar!

Eu prefiro que sejam independentes, idealistas, bons, opinativos, originais, divertidos – milhares de coisas, antes de “magro”. E honestamente, eu prefiro que não dêem uma rajada de uma fedorenta flatulência de Chiuahua se a mulher ao lado tem os joelhos mais carnudos que eles. Deixem que minhas as garotas sejam Hermiones, ao invés de Pansy Parkinsons.

E sinceramente… Eu sempre preferi ser e sempre serei uma Hermione!!


Imagem por Stellar Student Style

  • Beca

    Em 23.10.2011 | Comentou 10 vezes. | [Citar]

    Um assunto a se discutir, com certeza. Eu concordo com tudo o que você disse: a mídia tenta vender uma imagem cada vez mais inatingível de beleza, de produtos, de gostos, até de eletrodomésticos. Você não é julgada pelo o que você é, pensa ou produz: mas pelo o que você aparenta. E, a cada novo ‘lançamento”, milhares de consumidoras no mundo inteiro se afastam um passinho do “novo ideal” e ficam desesperadas com isso. É cruel, superficial e totalmente desnecessário. O homem dos seus sonhos não vai se casar com você porque você é magra. Magreza não sustenta um relacionamento. Não adianta nada ser magra e só comer alface e ser superficial, boba, imatura ou alienada. NADA.

    Você me conhece ne Luly (beeem até demais!) e sabe que eu sou uma dessas pessoas “abençoadas” com um corpo nada cheinho. E posso dar meu testemunho aqui? EU NÃO SOU FELIZ EM SER MAGRA COMO UM VARA PAU. Aí metade das pessoas vai dizer “Você ta doida? Olha suas pernas fininhas… Você pode comer o que quiser, eu daria tudo pra ser assim”.

    É, eu POSSO e COMO o que eu quero, mas eu sempre fiz isso. Só que usar manequim 36 significa que eu nunca encontro calças baratas. E, olá? Eu sou POBRE. Eu não posso ficar gastando meu dinheiro na Planet Girls com calças de 300 mangos todo mês. Eu daria tudo por COXAS que me permitissem comprar uma calça da Renner. TUDO. Aí sempre que eu vou comprar uma calça é aquela agonia: Não preciso que ela passe nas coxas, porque elas não são tão mais grossas que a batata ta perna, mas preciso que ela não fique larga na cintura, que é um pouco mais fina. Pra isso, só posso recorrer à calças com lycra, que grudam nos meus ossinhos e me vestem melhor. É uma bosta porque calça assim sempre fica pega frango (parece que as lojas acham que só pessoas de 10 anos tem perna fina) e eu sempre morro pra achar calça.

    Outra coisa ruim: eu não sou “cheia” nos lugares “certos”, se é que me entendem. Eu acho que toda vez que você se aproxima do “ideal” eles arrumam outra coisa melhor pra te jogar pra baixo. Por exemplo: sou magra. Só recebo elogios por isso? Não! Sempre sofri um “bullying reverso”. “Eu sou magra demais. Eu não tenho seios. Eu não tenho bunda. Eu sou tão desinteressante para o sexo masculino… Eu deveria ser como a Juliana Paes.. Ah, ela sim, ela tem o corpo perfeito!”

    Aí imagina: na faculdade ou nas reuniões de família qual é o comentário master? “Rebeca, você ta doente? Você é tão magrinha…” ou “As duas coxas da Rebeca dão uma da Fulana” (aqui deu pra sacar que é um jeito de jogar pra baixo a minha pessoa e a Fulana). E aí eu me olho no espelho e começo a me achar magra demais. E fico com vergonha de usar short (eu não uso mesmo!) e disfarço o corpo com saias com bastante volume, pra ver se da uma ‘encorpada’. Posso dizer que pra uma pessoa que é magra porque é e não porque faz regime, engordar é tão difícil quando emagrecer é para uma mais ‘cheinha’.

    A solução pra mim foi continuar levando. Não vou tomar remédio pra engordar, vou apenas tentar levar uma vida saudável, comendo de tudo. Eu sei que talvez seja minoria (uma menina magra que se olha no espelho e se acha magra demais) mas, acreditem, existe. E existe porque, de um jeito ou de outro, nós nunca seremos perfeitas. A perfeição imposta pela publicidade é e vai ser sempre algo inatingível.

    Pra finalizar (eu escrevi um texto!): gente, vamos nos aceitar como somos. Nunca vamos ser perfeitas. A beleza começa de dentro pra fora: quando você se acha bonita isso transparece e as pessoas começam a te achar bonita.

    Beijos Luly!

    [Reply]

  • Lili

    Em 23.10.2011 | Uau!! Deixou 210 comentarios, VIP!! | [Citar]

    G-zuis, a Beca se empolgou no comentário dela… rs…

    Concordo e assino em baixo com tudo o que você escreveu. Eu realmente não entendo essa paranoia de emagrecer e de alimentação e de contar pontos e de dieta… Porque no fim das contas vamos todos pro mesmo lugar… E que eu saiba no além ninguém tá preocupado se você é gordo ou magro… Por que na terra o povo se preocupa tanto com isso? E outra coisa que me estressa é isso de alimentação saudável… Alimentação saudável vai me trazer vida eterna por um acaso? Não pombas… Então me deixa comer o que eu quero… Aliáis, comemamos o que queremos e sejamos todos felizes…
    Smacks…

    [Reply]

  • Juli

    Em 23.10.2011 | Comentou 13 vezes. | [Citar]

    O importante é ser saudável! Também sou magrinha e como tudo o que eu quero! Mas não é por isso que minha saúde é nota 100! As vezes tenho que maneirar nos doces.. é..

    [Reply]

  • Thiany

    Em 23.10.2011 | Comentou 5 vezes. | [Citar]

    Tem que ser saudável, sou magra mais tento controlar sempre o que como sempre não por medo de engordar mas sim pela saúde 🙂

    [Reply]

  • Lu

    Em 23.10.2011 | Comentou 12 vezes. | [Citar]

    Oie!
    Achei esse seu post aqui e tenho que comentar, ainda que você já tenha me ouvido falar uma coisinha que será incluída aqui.
    Em primeiro lugar: Percebeu que hoje em dia a mulherada se mata de fome e todo mundo reclama que tá solteira? E percebeu que as não tão magrelas desencalham? Sério, é engraçado pensar nisso, ainda mais considerando que antigamente (Do início do século XX para antes) os caras preferiam as mais cheinhas. Pensando do jeito deles, dá até para entender (Tirando o lado safadjeeeeeeenho da desculpa de “ter onde pegar”) o motivo: Se a menina não é tão magrela assim, dá a impressão que é saudável. Acho que é por isso que as meninas que citei anteriormente desencalham. E as magrelas ficam a ver navios.

    GRAÇAS A DEUS E AO BILL que deixei de ser cismada com meu corpo. Sério. Te falei que esse foi um dos pontos positivos do fanatismo. Justamente por ele falar que prefere meninas com quadris mais largos (Apesar de não ter te dito com essas palavras educadas 😳 ) que passei a olhar no espelho e gostar do que vejo. Mesmo com um mundaréu de estrias (Herança do senhor meu pai – pasme) para tudo quanto é lado e celulites, confesso que tô me achando gostosa 😆 (Só o busto pequeno que não satisfaz muito, mas aí são outros 500) Ainda mais que os caras raramente reparam nisso.

    Brincadeiras à parte e verdade seja dita: Eu sou essa criatura aí que você falou, que olhou para o próprio reflexo e pensou: “Tenho que engordar”. Sério, me dá agonia ver a finura dos meus braços… E eu nunca quis ser tão magra feito umas e outras. Como besteira sim, senão tomar cuidado, engordo sim, mas ainda estou em busca de uns poucos quilinhos a mais.

    Enfim, adorei o post 😉

    [Reply]

  • Luly

    Em 23.10.2011 | Administradora do blog. | [Citar]

    Lu on January 23, 2012 at 3:01 am said:

    Oie!
    Achei esse seu post aqui e tenho que comentar, ainda que você já tenha me ouvido falar uma coisinha que será incluída aqui.
    Em primeiro lugar: Percebeu que hoje em dia a mulherada se mata de fome e todo mundo reclama que tá solteira? E percebeu que as não tão magrelas desencalham? Sério, é engraçado pensar nisso, ainda mais considerando que antigamente (Do início do século XX para antes) os caras preferiam as mais cheinhas. Pensando do jeito deles, dá até para entender (Tirando o lado safadjeeeeeeenho da desculpa de “ter onde pegar”) o motivo: Se a menina não é tão magrela assim, dá a impressão que é saudável. Acho que é por isso que as meninas que citei anteriormente desencalham. E as magrelas ficam a ver navios.

    GRAÇAS A DEUS E AO BILL que deixei de ser cismada com meu corpo. Sério. Te falei que esse foi um dos pontos positivos do fanatismo. Justamente por ele falar que prefere meninas com quadris mais largos (Apesar de não ter te dito com essas palavras educadas 😳 ) que passei a olhar no espelho e gostar do que vejo. Mesmo com um mundaréu de estrias (Herança do senhor meu pai – pasme) para tudo quanto é lado e celulites, confesso que tô me achando gostosa 😆 (Só o busto pequeno que não satisfaz muito, mas aí são outros 500) Ainda mais que os caras raramente reparam nisso.

    Brincadeiras à parte e verdade seja dita: Eu sou essa criatura aí que você falou, que olhou para o próprio reflexo e pensou: “Tenho que engordar”. Sério, me dá agonia ver a finura dos meus braços… E eu nunca quis ser tão magra feito umas e outras. Como besteira sim, senão tomar cuidado, engordo sim, mas ainda estou em busca de uns poucos quilinhos a mais.

    Enfim, adorei o post 😉

    Que bom ver esse comentário aqui!!
    Esse foi um post do tipo que não escrevo, porém quero escrever. E é incrível os comentários que leio aqui, você foi mais uma que deu um depoimento de identificação, é muito bom!!
    Esse post vai ganhar uma versão mais focada em um outro blog logo, aviso quando!!

    [Reply]

  • Escola dieta

    Em 23.10.2011 | Comentou 5 vezes. | [Citar]

    Otimo artigo adorei

    [Reply]