Categoria "Leitura"

Top 5: Os melhores livros de 2015

Em 02.01.2016   Arquivado em Leitura, Vídeos

Hello, hello, pessoal, feliz ano novo! Para já começar no embalo vamos direto para o nosso primeiro vídeo do ano mostrando os meus 5 livros favoritos de 2015! Confesso que esse ano li bem menos do que gostaria e muitos deles não atenderam bem minhas expectativa de “boa leitura”, mas consegui separar essas indicações que têm um ponto crucial em comum: são todos livros pra chorar, que eu adoro!
Ali em baixo vou deixar os nomes e autores de todos direitinho, assim como o link dos que já fiz algum post sobre. Em breve farei sobre os que não fiz ainda, ‘guenta mão aí que tá nos planos, aí atualizo aqui!
Dessa vez a imagem ficou melhor mas o ÁUDIO tá bem ruim, acho que foi porque isolei demais o som e deu eco, já sei o que preciso mudar na próxima.
(Na verdade preciso mudar mesmo é minha câmera, né, mas a gente tem que resolver o que é possível primeiro, depois o que é necessário.)


Se inscrevam lá no canal para já começar o ano de olho em tudo!

Livros indicados:
01 – Auggie & Eu – R.J. Palacio (resenha aqui!)
02 – Por Lugares Incríveis – Jennifer Niven (resenha aqui!)
03 – A Arte de Ser Normal – Lisa Williamson (resenha aqui!)
04 – O Segredo de Brokeback Mountain – Annie Proulx (resenha aqui!)
05 – Love Is The Cure – Elton John (resenha da versão em português aqui!)
Menção honrosa: A Pirâmide Vermelha – Rick Riordan

No meu planejamento (que pretendo seguir direitinho) esse é só o primeiro de quatro vídeo para esse mês aqui no blog. Tenho também um de um novo projeto que vou começar agora e dois da viagem do Potter Club que vai acontecer no meio do mês, então vocês vão me ver falando um bocado ainda nesse começo de ano!

top5livros2015

O Segredo de Brokeback Mountain

Em 19.08.2015   Arquivado em Leitura

Brokeback Mountain O Segredo de Brokeback Mountain (Brokeback Mountain) *****
Autor: Annie Proulx
Gênero: Romance, Drama
Ano: 2007
Número de páginas: 72p.
Editora: Intrínseca
Sinopse: “Annie Proulx escreveu um dos contos mais originais e inteligentes da literatura contemporânea, e, para muitos leitores e críticos, O Segredo de Brokeback Mountain é sua obra-prima. Ennis del Mar e Jack Twist, dois peões de fazenda, se encontram num verão quando estão trabalhando como ovelheiro e coordenador num pasto acima da alameda. A princípio, dividindo uma barraca isolada, a atração é natural, inevitável, mas algo mais profundo os arrebata naquele verão. Ambos dão duro, se casam e têm filhos, porque é isso que os vaqueiros fazem. Mas, ao longo de muitos anos e de frequentes separações, essa relação se torna a coisa mais importante de suas vidas, e eles fazem tudo que podem para preservá-la. Numa linguagem deslumbrante que nos fica na cabeça, Proulx conta a difícil e perigosa relação entre dois vaqueiros, que sobrevive a tudo, menos à intolerância violenta do mundo. “ (fonte)
Comentários: Acho que todas as pessoas existentes no planeta já ouviram falar de “Brokeback Mountain” por causa do filme, que conta com Heath Ledger (brilhante, como sempre) no papel de Ennis e Jake Gyllenhaal no papel de Jack. Eu, porém, não sabia nada sobre ele quando comprei o livro na Bienal do Rio de Janeiro em 2011, mas era aquela parte do estande da Editora Intrínseca que tem livros por preços ABUSIVOS DE BARATOS e era legal, com capa dura e tudo mais por meros QUATRO REAIS, então trouxe pra casa e fiquei com ele guardado até que, logo depois, assisti ao filme e achei ma-ra-vi-lho-so, mas quando fui ler o conto ele já tinha se perdido na minha bagunça e fui adiando. Agora com a mudança achei o bendito no alto do guarda-roupas e decidi ver se era tão bom quanto o que eu tinha assistido.
Obviamente dei 5 estrelas, a história é maravilhosa. Infelizmente a tradução é bem mais ou menos, mas dá pra superar isso porque é super curtinho, com letras e espaçamento grande, é desses que dá pra ler todo de uma vez só. Apesar de que, tenho que confessar, acho que prefiro o filme porque mostra vários pontos de vista e situações que o livro não pode, já que ele gira em torno do ponto de vista do Ennis, mas mesmo as coisas que o personagem não sabe mas que o leitor precisa saber são citadas, então isso não atrapalha realmente.
Mas a história, de um modo geral, é a mesma. Ennis del Mar e Jack Twist são dois vaqueiros que são contratados para trabalhar juntos na montanha Brokeback e, antes que eles mesmos possam perceber o que está acontecendo, acabam se relacionando um com o outro nesse verão. A princípio o que eles têm parece ser meramente sexual, já que eles negam terminantemente a homossexualidade, mas é só eles se separarem pela primeira vez que percebem que alguma coisa a mais acabou batendo ali e que o nasceu entre eles foi um sentimento de verdade. O tempo passa, os dois se casam e quando finalmente se reencontram não conseguem segurar o que existe entre eles, passando a ter um caso na surdina, uma vez que seria impossível assumir isso para as pessoas na época em que a história se passa, entre as décadas de 1960 e 80.
Acho INCRÍVEL a gente ler um livro desses hoje em dia onde as pessoas acham que “não existe homofobia mais”, mas que é óbvio que existe e está aí para destruir com a vida de pessoas diariamente, em vários sentidos. O preconceito no livro está presente nos próprios personagens, que alegam “não sou bicha” como se estivessem falando da pior maldição do mundo, e naqueles que os cercam e são absolutamente incapazes de entender aquilo, fazendo com que o amor entre eles se torne impossível de ser realmente vivido até, enfim, separar os dois. Em diversos sentidos. Agora aqui estamos, 30 ou 50 anos depois, e pessoas ainda sofrem, apanham e morrem por causa disso, por causa da falta de empatia de alguns que simplesmente não consegue entender o que deveria ser a coisa mais fácil de se entender na vida: o amor. Existem incontáveis “Jacks e Ennis”, tanto homens quanto mulheres, que são privados se ser feliz por causa da cabecinha fechada de algumas pessoas. Me desculpem o termo, mas “modernidade” my ass!
Então, sei que perdi o fio da meada aqui nessa “resenha”, mas é que acho importante ressaltar esse aspecto. Se você aí ainda não consegue entender como pode existir o sentimento entre dois homens (ou duas mulheres) e que isso vem de dentro e não de fora (“Quem diria, não é mesmo, dois cowboys gays?”) recomendo muito que faça essa leitura super rapidinha com o coração e a mente abertos para tentar aceitar e respeitar. Porque difícil de aceitar mesmo é o fato de que tantas pessoas que eu gosto e muitas outras mais que nem conheço estão fadados a passar por um pouco (ou tudo) do que se passa nesse livro por causa de uma coisa tão bonita, como é o amor! Prometo que a simples visão de dois homens juntos não vai sacudir todas as suas células e te “transformar em um deles”, tá? Assim como o contrário não acontece…

badge_post_01

Os Adoráveis

Em 12.08.2015   Arquivado em Leitura

Os Adoráveis Os Adoráveis (Adorkable) *****
Autor: Sarra Manning
Gênero: Romance, Comédia
Ano: 2013
Número de páginas: 384p.
Editora: Novo Conceito
Sinopse: “Jeane é blogueira. Seu blog, o Adorkable, é um blog de estilo de vida — na verdade, o estilo de vida dela — e já ganhou até prêmios na categoria “Melhor Blog sobre Estilo de Vida” pelo e Guardian e um Bloggie Award. Adora balas Haribo, moda (a que ela cria, comprando em brechós) e colorir (ou descolorir totalmente) os cabelos. Cheia de personalidade e meio volúvel, ainda assim Jeane é bacana — mesmo nos momentos em que se transforma numa insuportável. Mas, certamente, ela não olharia duas vezes para Michael. Porque Michael é o oposto de Jeane. Ele é o tipo de cara que namoraria a garota mais bonita da escola. E compra suas roupas na Hollister, na Jack Wills e na Abercrombie. Além disso, diferente de Jeane, que é autossuficiente, Michael é completamente dependente do pai, o Clínico Geral que condena açúcar, e ainda permite que sua mãe compre suas roupas! (Embora, para Jeane, o pior mesmo sobre Michael é que ele baixa música da internet e nunca paga por isso). Jeane e Michael têm pouco em comum, além de algumas aulas e uma maçante dupla de “ex” — Scarlett e Barney. Mas, apesar disso, eles não conseguem se desgrudar desde que ¬ ficaram pela primeira vez.” (fonte)
Comentários: Eu ganhei esse livro de aniversário e assim que li a sinopse soube de cara o motivo pelo qual ele foi escolhido pelos meus tios para mim: a protagonista é blogueira! E, olha, não é uma blogueira qualquer não, ela é completamente alternativa e bem sucedida, você passa o livro inteiro desejando que o seu blog, Adorkable, realmente exista só pra poder acompanhar suas roupas malucas, suas mudanças de cores exóticas de cabelo e seus textos cheios de opinião.
E é essa garota que é trocada pelo namorado pela namorada de Michael, um cara certinho da escola que sempre agrada a todo mundo. Estando nessa situação de terem sido “chutados” eles acabam se envolvendo um com o outro e a partir do momento em que ficam pela primeira vez, meio sem querer, não conseguem se desgrudar mais.
O livro é super divertido, foi ótimo ler algo engraçado depois de ter terminado um livro pesado como Por Lugares Incríveis, que eu também ganhei de aniversário. A Jeane tem uma ideias completamente piradas e consegue te convencer de que elas estão certas enquanto você lê a narração dela e o Michael com toda aquela pose de “garoto normal” também não fica muito atrás, os dois são malucos de modos tão diferentes que parece muito errado que não fiquem juntos.
A maneira como ele vai entrando na vida dela, primeiro sem ela saber pelo Twitter e depois quebrando a perna da garota, é bem divertida, mas confesso que fui ficando incomodada com alguns pensamentos dele em relação a ela à medida que eles vão ficando juntos, uma ideias bem machistas e preconceituosas que me davam vontade de socar o rapaz, ainda bem que com o tempo ele supera isso! Fora isso gostei de todo o livro, mesmo as cenas que eram descritivas além do limite (+18) eram divertidas, uma leitura rápida, leve e os personagens são bem humanos e têm seus defeitos, qualidades, problemas e histórias de vida bem planejados. Recomendo principalmente para quem tem (e ama) blogs, por mais que não seja a temática principal – que vai mudando ao longo do livro à medida que as coisas vão acontecendo, o que é legal também – é uma coisa super forte na história! Nem o final “clichê” incomoda, na verdade eu adoro e achei perfeito.
(Fora o plus de se passar na Inglaterra que é meu amorzinho e tudo mais, eu ficava imaginando o sotaque deles o tempo todo querendo cada vez mais poder acessar o site…)
A capa do livro não impressiona tanto a primeira vista, mas depois que você começa a ler só consegue imaginar os dois desse jeito e é ótimo pra quem vai visualizando as cenas na cabeça como se fosse um filminho (acho que todo mundo faz isso, né?) e fica esperando desesperadamente a hora em que ela vai aparecer com os cabelos laranjões para ficar 100% fiel à modelo – apesar de que na capa gringa ela tem os cabelos grisalhos, que é como começa a história, então acho que esse “efeito” só acontece com a gente mesmo…

badge_post_01

Por Lugares Incríveis

Em 05.08.2015   Arquivado em Leitura

Por Lugares Incríveis

Por Lugares Incríveis (All The Bright Places) *****
Autor: Jennifer Niven
Gênero: Romance, Drama
Ano: 2015
Número de páginas: 336p.
Editora: Seguinte
Sinopse: “Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.”
(fonte)

Comentários: Senhoras e senhores, eu lhes apresento hoje o meu livro favorito de 2015 até agora, e dificilmente teremos algum outro roubando seu posto, estou apaixonada! Eu ganhei ele de aniversário do Gil, que me disse que escolheu esse presente porque viu muitas indicações de canais que acompanha. O que eu a gente não esperava (ele ao comprar e eu ao ganhar) era que esse é exatamente MEU tipo de livro, parece que foi escrito por mim ou para mim, simplesmente amo por romances/dramas feitos assim, baseados em experiências de vida e muita pesquisa!

A história é narrada pelos dois personagens principais, Theodore Finch e Violet Markey, que eram as duas pessoas com maior improbabilidade de começar qualquer tipo de relacionamento da escola (ela era certinha e popular, ele o cara estranho que ninguém quer por perto) até que se encontram à beira do desespero na torre do sino da escola, decidindo se devem pular dali. Violet está deprimida pela morte de sua irmã, Finch já vive com a depressão e os impulsos suicidas a um tempo, ambos estão na dúvida se querem mesmo fazer aquilo ou não até que a presença do outro impede que qualquer um dos dois faça. A partir daí eles formam uma dupla num trabalho de geografia onde devem conhecer locais interessantes do estado onde vivem e começam suas “andanças”, descobrindo cada vez mais um sobre o outro e sobre si mesmos. Até que chega ao ponto em que, claro, não resistem mais à tensão que há entre eles e transformam aquela amizade inusitada em um romance. Romance lindo, diga-se de passagem! Toda a parte dos dois juntos é incrível, tanto narrada por um quanto pelo outro. O dia que eles finalmente ficam juntos e “decretam Um Dia” – quem ler vai entender – é muito, muito, muito bonito MESMO, eu li várias vezes seguidas de tanto que gostei. É engraçado porque de início pode parecer que a ligação deles é muito mais física do que sentimental, mas depois você vê que não tem como duvidar daquele relacionamento, dá vontade de ver os dois ficando velhinhos juntos e cheios de clichês felizes para sempre.

Mas o livro não é sobre isso… É sobre duas pessoas que, por algum motivo, desistiram de viver e precisam uma da outra para se reerguer. E por mais que eu tenha amado profundamente cada pedaço dele tenho que alertar: não recomendo se você não confia na sua própria estabilidade mental porque é entrar afundo no ponto de vista de dois níveis de depressão diferentes mas, ainda assim, perturbadores em alguns momentos, mesmo quando você já sente o que vem em seguida consegue se surpreender com o que acontece logo depois. Também ajuda a entender a mente e quem pode estar se sentindo na beira do abismo, e com isso possibilita as pessoas a conseguir ajudar quem passa por isso ou aceitar. É livro “de chorar” super, com direito a momentos tristes do início ao fim, mas também de sorrir ao ver todas as coisas podem ser superadas e que tudo pode ter um lado bom, basta você querer! E o principal: ele te ensina que você não precisa apenas sobreviver, tem que VIVER! Isso sem contar que achei a capa uma fofura, e ele tem algumas pouquíssimas ilustrações desse tipo dentro também, muito amor puro! Nota 5/5, 10/10, 100%, total em qualquer escala que vocês quiserem usar!

badge_post_01

Página 3 de 121234567... 12Próximo