Categoria "Filmes"

Gnomeu e Julieta

Em 09.03.2011   Arquivado em Filmes

Gnomeo & Juliet

Gnomeu e Julieta (Gnomeo & Juliet) *****
Elenco (vozes): James McAvoy, Emily Blunt, Ashley Jensen, Michael Caine, Matt Lucas, Jim Cummings, Maggie Smith, Jason Statham, Ozzy Osbourne, Stephen Merchant, Patrick Stewart, Julie Walters, Hulk Hogan, Kelly Asbury, Richard Wilson, Dolly Parton, Julia Braams, James Daniel Wilson, Tim Bentinck, Julio Bonet, Neil McCaul, Maurissa Horwitz
Direção: Kelly Asbury
Gênero: Animação
Duração: 84min
Ano: 2011
Sinopse: “Gnomeu (James McAvoy) e Julieta (Emily Blunt) são anões de jardim cujas famílias são vizinhas e rivais. Um dia eles se apaixonam, para desgosto dos familiares. Para ficarem juntos, eles precisarão enfrentar diversos obstáculos.”

Comentários: Quando fiquei sabendo pela Lili que tava pra lançar um filme cuja trilha sonora era feita basicamente de músicas do Elton John e mais, que era uma versão fofinha de Romeu e Julieta, eu surtei. Comecei a procurar sobre o filme e vi que sairia em cartaz na sexta feira, dia 4. E aí no sábado nós já estávamos já dentro do cinema assistindo. E valeu a pena porque é lindíssimo, super recomendo! Foi meio triste porque só tinha dublado e eu queria ouvir a voz de Maggie Smith, Ozzy Osbourne e Julie Walters, e era 3D, que além de eu não gostar muito e ser caro, foi absolutamente desnecessário nesse filme, não teve nada de especial. Mas agora parece que tudo tem que ser em 3D, vai entender o motivo, então…

Achei fofíssimo! Adaptou a história de Romeu e Julieta de forma super criativa, os adultos se divertiam até mais que as crianças. Sem contar as músicas do Elton John são perfeitas em suas versões originais e nas novas para o filme, como “Crocodile Rock” junto com a Nelly Furtado, ficou bem gostosa e a gente ficou dançando e aplaudindo junto comum cara que tava na cadeira de trás do cinema.

Melhores Cenas: Eu ameeeeeei a Ama da Julieta, que no filme se chama Nanette e é uma sapa. Muito engraçadinha! A cena de “Your Song”, em que ela se apaixona de vez pelo Páris e vê ele como se fosse o Elton John foi minha favorita, porque ficou igualzinho, com óculos rosão e os dentinhos da frente saparados. Amor puro!
Gostei do final também, afinal é um filme infantil, e ver os dois gnominhos fofos “morrendo” no final seria MUITO triste. O próprio Gnomeu, que bateu um papo com a lápide do Shakespeare antes, disse que a versão deles é bem melhor!

Trailer:

Across the Universe

Em 03.03.2011   Arquivado em Filmes, Música

Across the Universe Across the Universe *****
Elenco: Evan Rachel Wood, Jim Sturgess, Joe Anderson, Dana Fuchs, Martin Luther, T.V. Carpio, Spencer Liff, Lisa Hogg, Nicholas Lumley, Michael Ryan, Angela Mounsey, Erin Elliott, Robert Clohessy, Curtis Holbrook, John Jeffrey Martin, Bono
Direção: Julie Taymor
Gênero: Musical
Duração: 133
Ano: 2007
Sinopse: “Nas letras das canções mais famosas do mundo existe uma história que nunca foi contada… Inusitados encontros proporcionam a Sadie, JoJo, Prudence e aos irmãos Lucy e Max, singulares experiências que não aconteceriam se não fosse a iniciativa do jovem estivador Jude (Jim Sturgess) de deixar Liverpool em busca do pai, um ex-soldado que constituiu família nos Estados Unidos. Across the Universe é um musical revolucionário de rock, com amores, diferenças ideológicas, sociais e belíssimas canções que recria, com delicadeza e psicodélica criatividade, a América do turbulento período do fim da década de 60.”
Comentários: Que filme MARAVILHOSO. Se eu soubesse que ia resolver comprar o Dvd não teria postado o top 10 filmes favoritos em dezembro, porque esse com certeza tirou um daqueles da lista!!
Desde que eu soube que Across The Universe “existia” queria assistir, mas na época não gostava muito de cinema. Ainda assim, desde então estava sempre visitando o site oficial (que é fantástico), olhando, ouvindo os pedacinhos das músicas. Quando foi em janeiro eu decidi parar de enrolar e comprar o Dvd logo de uma vez e fui assistir cheia de espectativas assim que chegou (no inicinho de fevereiro). E eu fiquei simplesmente APAIXONADA!! Não só por ser somente composto de músicas dos Beatles e remeter à vida e carreira deles a todo momento, mas principalmente pela história, composição, união das músicas aos momentos e beleza estética mesmo: mesmo os ambiente “feios”, que compõe grande parte do cenário, são todos MUITO LINDOS!! Uma das críticas que li dizia que é o tipo de filme que você assiste várias vezes como se estivesse ouvindo um dos seus álbuns favoritos, e isso aconteceu comigo, porque simplesmente não me canso dele.
– O filme conta a história de Jude, interpretado por Jim Sturgess, que é lindo e fica mais ainda cantando ou falando com aquele sotaque maravilhoso que eu aaamo. Ele vai de Liverpool, onde mora, aos EUA atrás de seu pai biológico, mas acaba conhendo Max e aos longo dos tempos outras pessoas que compõe a história: Jude se apaixona pela irmã do Max, Lucy, eles fazem amizade com a cantora Sadie, que encontra um novo guitarrista, JoJo e por fim acolhem Prudence. E aí a história vai se baseando em Max sendo chamado para servir na guerra, o desepero de Lucy e os conflitos internos de cada personagem. Lógico que, como um musical, foi escrito para se adequar às músicas, porém existe uma HISTÓRIA ao longo do tempo e é fascinante!! Dizem que 90% das músicas foram gravadas na hora, sem dublagem, e eu não consigo ver como eles fizeram isso, muito fantástico mesmo.
Melhores Cenas: As cenas que mais gostei foram “I’ve Just Seen a Face” e “If I Fell”, que são as que mostram que Jude está apaixonado pela Lucy e vice-e-versa. Mas tiveram outras que me encantaram também MUITO e eu não queria que acabassem, como “Because”, “Strawberry Fields Forever”, “Across The Universe” e “Hey Jude”, que é uma música que amo (me arrisco a dizer que pode até ser minha favorita dos Beatles, e olha que eu não sei definir isso) e que ficou incrível.
Mas o mais legal em ser fã deles não é só ouvir as novas versões das músicas, mas perceber os momentos em que eles são citados. A gravadora da Sadie, por exemplo, cujo logo é um morango, fazendo referência à Apple Records, e o filme termina com um show no telhado da gravadora, assim como a última apresentação dos “meninos de Liverpool”. Além disso são VÁRIAS outras coisas, umas que li e outras que fui percebendo, há referências físicas ao John Lennon a todo momento, por exemplo, e o clipe de “Strawberry Fields Forever” me lembrou o original, assim como “A Little Help From My Friends”, que não lembra o original mas sim um outro da banda que não me lembro qual. Isso acontece O TEMPO TODO. E claro, tem o nome de todos os personagens, sejam eles principais ou secundários: todos foram tirados de músicas dos Beatles também!!
– Mas já que falei das melhores, tenho que confessar e citar a pior… Agora quando re-vejo o filme sempre pulo a da música “Being For The Benefit Of Mr. Kite”, achei beem chatinha!! E a da “I Am The Walrus”, cantada pelo Bono, é legal, mas muito berrante e as vezes cansa. Inclusive essa cena foi considerada uma das mais bizarras da atualizade, segundo li na Wikipedia. Inclusive é legal ler o artigo de lá sobre o filme porque tem muita informação que quem não é fã não vai entender, e lá cita. Eu percebi algumas, mas tiveram umas 2 que quando li lá achei muito fantástico.
Trailer: Que é quaaase tão lindo quanto o filme. Mas eu lembro vagamente de quando assisti pela primeira vez e acho que passa uma ideia meio errada da história. Não sei ao certo qual porque mesmo assistindo denovo eu já sei o que tudo aquilo representa então não adianta:

De Pernas Pro Ar

Em 14.01.2011   Arquivado em Filmes

Acho que nunca assisti tantos filmes seguidos na minha vida, como dá pra perceber com a quantidade de posts sobre o assunto. Eu achei que ia acabar logo essa overdose e que ia ter tempo pra ler, mas não acaba. Então, como ainda tenho quase 2 meses de férias, vamos aproveitar!!

De Pernas Pro Ar De Pernas Pro Ar *****
Elenco: Ingrid Guimarães, Flávia Alessandra, Maria Paula, Bruno Garcia, Denise Weinberg, Marcos Pasquim, Antonio Pedro, Cristina Pereira
Direção: Roberto Santucci
Gênero: Comédia
Duração: 107min
Ano: 2010
Sinopse: “Alice (Ingrid Guimarães) é uma mulher de 30 e poucos anos, casada com João (Bruno Garcia), mãe de um filho e muito bem-sucedida profissionalmente. Alice é uma típica workaholic, que tem no trabalho o seu maior e único prazer. Por outro lado, sua vida pessoal não existe: afetividade zero, libido zero, vida pessoal zero. E se faltam afetividade e sexo na vida de Alice, sobra no apartamento de sua vizinha, a estonteante Marcela (Maria Paula). Uma verdadeira expert no assunto, Marcela é dona de uma sex shop e sabe tudo quando o tema é a busca do prazer. Como nas típicas comédias de erros, a vida de Alice e de Marcela vão se cruzar e ambas sofrerão grandes transformações a partir desse encontro.”
Comentários: Eu cofesso que fiquei um pouco decepcionada com esse filme, porque eu vi o trailer a MESES e tava doida pra ver, inclusive assisti Muita Calma Nessa Hora achando que era ele, então fui ao cinema toda alegre e saltitante, deliz da vida e………… Não era tudo aquilo!!
Lógico, é MUITO engraçado. Não é filme de criança também, porque é um humor adulto, mas dá pra rir muito!! Muito mesmo. Mas não é só porque o filme é uma comédia que ele não precisa ser levado de maneira legal, e alguns momentos eu achei meio repetitivo. Por exemplo, quando ela volta pro marido eu achei que então era o momento “felizes para sempre” do filme, e aí veio mais problema, mais coisas, e briga denovo pelo mesmo motivo. Porém é um roteiro original, não típico besteirol brasileiro. Acho que coloquei espectativa demais no filme, imaginei meio diferente, não sei.
Melhores Cenas: Em uma comédia as partes mais engraçadas são sempre as melhores e nesse caso não poderia ser diferente. A cena da loja da Marcela, quando ela entra ali e até o momento em que se apaixona pelo coelho é absolutamente hilária (ainda mais pelas fanáticas por Harry Potter que lembram do “a varinha escolhe o bruxo”). É hilária, e só não é melhor que a do jogo de futebol do filho dela. Nessa eu encolhia o corpo de tanto rir, de verdade!!

Sabrina

Em 12.01.2011   Arquivado em Filmes

Sabrina Sabrina *****
Elenco: Humphrey Bogart, Audrey Hepburn, William Holden, Walter Hampden, John Williams, Martha Hyer, Joan Vohs, Marcel Dalio, Marcel Hillaire, Nella Walker, Francis X. Bushman, Ellen Corby, David Ahdar, Marjorie Bennett, Colin Campbell, Otto Forrest
Direção: Billy Wilder
Gênero: Romance
Duração: 113min
Ano: 1954
Sinopse: “Dois irmãos pertencem à uma poderosa família, sendo um deles (Humphrey Bogart) é um empresário incansável e o outro (William Holden) é um playboy incorrigível. Mas quando a filha do motorista (Audrey Hepburn) retorna de viagem, após passar dois anos em Paris, o playboy se modifica e, como ela sempre foi apaixonada por ele, tudo seria muito fácil de acontecer. Mas se os dois se casarem um poderosa fusão deve ser prejudicada, assim o irmão empresário decide intervir e também acaba se apaixonando por ela.”
Comentários: Dos três filmes da Audrey que assisti recentemente para conhecer o trabalho (incrível) dela (e falei dos outros dois aqui e aqui), Sabrina foi o que menos gostei, o que não significa que não gostei porque realmente é muito bom!! Na verdade foi um caso meio triste, porque um dia eu cheguei da aula morta de sono e fui assistir ao filme para “acordar”, mas acabei dormindo porque tava MUITO cansada e aí depois disso demorei muito para pegar e assistir denovo. Quando finalmente tomei coragem fiz questão de fazer isso bem sentada numa cadeira, e amei, claro!!
O triângulo amoroso é carismático e interessante, a Audrey mais uma vez faz uma personagem original e que consegue ser meiga e forte ao mesmo tempo, e não é um filme previsível!! Eu confesso que durante o enredo fiquei imaginando o final e consegui visualiza-lo de umas três formas diferentes e a que mais me agradava era realmente a que se provou verdadeira quando o filme acabou.
É legal também porque você não vê o filme passando. Acontecem várias coisas, mostra vários momentos da vida e do amadurecimento dela, são quase duas horas e mesmo assim você não sente, os diversos momentos se ligam entre si e dá a continuidade ao enredo. O filme não tem um clímax, tem vários, acho que existem três histórias dentro de uma só, três Sabrinas, tipo “garota inocente amadurece fora do país”, “garota determinada conquista a paixão da sua vida”, “garota encontra o verdadeiro sentido do amor”.
Melhores Cenas: A cena que eu achei mais ENGRAÇADA foi quando ela conheceu o barão!! Adorei e ri muito. Mas a que mais gostei foi quando ela e o Linus conversam na quadra de tênis, logo que ela volta. Mesmo proque aquele vestido é incrível, Pullip Sabrina que o diga, quero aquele outfit!!

Wall-E

Em 09.01.2011   Arquivado em Disney, Filmes

Wall-E Wall-E *****
Elenco (vozes): Ben Burtt, Elissa Knight, Jeff Garlin, Fred Willard, John Ratzenberger, Kathy Najimy, Sigourney Weaver
Direção: Andrew Christopher Stanton Jr.
Gênero: Animação
Duração: 98min
Ano: 2008
Sinopse: “Após entulhar a Terra de lixo e poluir a atmosfera com gases tóxicos, a humanidade deixou o planeta e passou a viver em uma gigantesca nave. O plano era que o retiro durasse alguns poucos anos, com robôs sendo deixados para limpar o planeta. Wall-E é o último destes robôs, que se mantém em funcionamento graças ao auto-conserto de suas peças. Sua vida consiste em compactar o lixo existente no planeta, que forma torres maiores que arranha-céus, e colecionar objetos curiosos que encontra ao realizar seu trabalho. Até que um dia surge repentinamente uma nave, que traz um novo e moderno robô: Eva. A princípio curioso, Wall-E logo se apaixona pela recém-chegada.”
Comentários: Senhores e senhores, meninos e meninas, eu tenho que dizer que se você HOJE é tão infeliz quanto eu era ONTEM, quando ainda nunca tinha assistido Wall-E, então trate de revolucionar sua vida e assista porque é a maior obra prima de Disney + Pixar!!
_ Luly, você está exagerando!!
NÃO ESTOU!! Quando passou no cinema eu ainda era do tipo que não ia ao cinema, e eu vi uma febre Wall-E pra todos os lados, e não entendia o motivo pelo qual estava todo mundo obcecado por um robozinho meio feioso (sente só a heresia). Depois pesquisei sobre o filme e vi que provavelmente tinha me engado e agora tenho certeza disso. Porque somente, eu disse so-men-te, Pixar consegue pegar uma BARATA e transformar num personagem carismático. Somente eles conseguem fazer com que dois robôs assumam o papel de “casal mais fofo da história”. Ver a Eva se apaixonando por ele é tão gratificante, como se você tivesse vendo seu melhor amigo conquistando o grande amor da vida dele.
E a grande sacada do filme é que é fofo e lindo em nível superior (eu chorei muito, como sempre) e tem toda a mensagem de combate aos grandes problemas mundiais, como desmatamento, poluição, obesidade e o fato de que as pessoas cada vez mais se comunicam por máquinas ao invés de pessoalmente. Imaginar que isso tudo pode acontecer daqui a 700 anos é terrível porque é um espaço de tempo curto. Mesmo!!
Melhores Cenas: Todas as cenas são fofas. Simples assim. Mas ainda mais fofas que todas as cenas são as cenas de Wall-E e Eva. Mas se existe algo mais fofo ainda é a cena dos dois dançando… Não dá pra explicar, mas dá pra mostrar:

Quero uma igual ao vivo e agora!!

Página 15 de 23«1 ...111213141516171819... 23Próximo