A Princesinha

Em 23.12.2013   Arquivado em Filmes

A Princesinha A Princesinha (A Little Princess) *****
Elenco: Liesel Matthews, Vanessa Lee Chester, Liam Cunningham, Eleanor Bron, Arthur Malet, Ken Palmer, Rusty Schwimmer, Alison Moir, Alexandra Rea-Baum, Kaitlin Cullum, Kelsey Mulrooney, Rachael Bella, Taylor Fry, Time Winters, Vincent Schiavelli
Direção: Alfonso Cuarón
Gênero: Drama, Fantasia
Duração: 97 min
Ano: 1995
Sinopse: “1914, Simla, Índia. Sara Crewe (Liesel Matthews) é uma garota inglesa que vivia feliz, apesar de ser órfã de mãe. Quando eclodiu a 1ª Guerra Mundial seu pai, o capitão Crewe (Liam Cunningham), que pertencia ao exército inglês, tem que ir para a guerra. Porém antes vai a Nova York para deixar Sara num luxuoso internato para moças, no qual a mãe dela já estudara e que é administrado agora com mão de ferro pela Srta. Minchin (Eleanor Bron). A Srta. Minchin fica incomodada com a criatividade de Sara, que logo cativa a maioria das garotas. Um dia o Sr. Barrow (Vincent Schiavelli), o advogado do pai de Sara, chega no colégio para dizer que não haveriam mais pagamentos, pois o pai de Sara tinha morrido em combate. Minchin então faz Sara trabalhar como uma criada, para pagar sua estada ali.” (fonte)
Comentários: Eu não ia postar sobre esse filme, mas a Lili pediu com tanto amor e carinho que tive que providenciar esse post bonitinho. Na verdade eu já tinha assistido “A Princesinha” a anos e anos atrás, não sei se na Sessão da Tarde da Globo ou no Cinema em Casa do SBT, mas me lembrava de tudo nele, menos o título. Então quando a Lili me emprestou o DVD eu peguei sem saber que era aqueeele filme que tinha marcado tanto um certo dia da Luly aos 9 anos de idade. Mas foi só nossa Princesa Sara aparecer na tela que lembrei de tudo e sorri já sabendo o quão gostoso ia ser assistir aquilo tudo de novo.
Quem já viu esse filme não pode discordar de mim: ele é LINDO! E o que faz dele lindo é o fato de ser uma história mágica que pode acontecer em qualquer lugar se você acreditar nas pequenas (ou grandes) coincidências da vida. Sara é uma menina completamente especial mesmo tendo tudo que uma menina pode querer e não deixa de ser assim mesmo perdendo sua vida inteira e a Becky… Bem, tem como não se apaixonar pela Becky? Eu entendo a Sara querendo ser amiga dela mesmo sem poder porque ela é encantadora, em todos os sentidos! Ai, meu Pai, chorei demais com essas duas!
É engraçado ver como certos valores e preconceitos são extremamente culturais e como dá pr’a gente lutar contra isso… Uma criança que mora na Índia e não vê diferença nenhuma entre ela mesma e as pessoas de qualquer outra cor e é “jogada” numa sociedade tão cheia de preconceito racial que sobrevive assim até hoje em alguns lugares… A Sara simplesmente não consegue processar essas diferenças, e na verdade é que ela que está certa no fim das contas com essa pequena “ignorância social” – ignorância no sentido de ignorar completamente mesmo!
Outra coisa no filme que choca é a maldade das pessoas nas pequenas coisas da vida. A gente vê vilões em filmes de fantasia que querem dominar o mundo e matam aos montes e acaba até gostando e admirando alguns. Nesse filme a “vilã” tão real que incomoda, que dá vontade de desejar pra ela um final infeliz. Não estou dizendo que ela deveria sustentar a garota, fazer caridades e nem nada do gênero porque nesse aspecto ela está “certa”: não tem como pagar o colégio, não estuda! Mas são os detalhes que tornam ela tão terrível: agressões verbais, a falta de explicações… Poxa vida, moça, é uma criança, né! Se vai colocar a menina pra morar no sótão e trabalhar pra você deixa pelo menos que ela explique pras amiguinhas, que ela fique com mais do que uma boneca pra lembrar do pai dela, não sai jogando nela tudo que ela perdeu com essa sua cara cínica! São essas crueldades da vida real que fazem verdadeiros vilões no mundo…
Minha cena favorita é quando o banquete imaginário delas se torna real porque era a cena que eu mais lembrava de ter assistido antes, tanto que sabia até algumas falas, gente, e eu tinha visto esse filme uma única vez em 1999! É uma cena tão incrível que quando a gente é criança fica desejando que isso aconteça com a gente também. Sei disso porque aconteceu comigo várias e várias vezes, e olha que (felizmente) nunca precisei fingir que tinha comido para ir dormir de barriga cheia, como é o caso delas. Quem dera se todas as crianças com fome no mundo tivessem um amigo macaco cujo dono torna os desejos delas reais…

  • Izzy

    Em 23.12.2013 | Comentou 12 vezes. | [Citar]

    Oie!
    Amo esse filme e o do jardim secreto. Outro dia mesmo que fui ver como ela (A Liesel) está hoje em dia e mudou muito pouco mesmo. O povo de hoje em dia tá necessitado de mais filmes como esse e o do jardim. Agora que raiva que dá da diretora do colégio… É que nem a Maggie Smith no do jardim. Sério, que povo ruim de dar raiva! E corrija-me se eu estiver errada, mas não tem uma moça plus size ruiva que apaixona com o leiteiro no filme? Lembro de um filme que tinha, mas não tenho tanta certeza assim…
    Vou ver se ano que vem revejo esse filme e o do jardim 😉
    Até a próxima :*

    [Reply]

  • mary micucci

    Em 23.12.2013 | Uau!! Deixou 33 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Esse filme é lindo, acho que já vi umas 20 vezes. Sempre passa nessa época do ano.
    http://marymicucci.com

    [Reply]

  • Lili

    Em 23.12.2013 | Uau!! Deixou 145 comentarios, VIP!! | [Citar]

    Que lindo!!!! Tu fez o post porque eu pedi! Ficou lindo!!! Tenho paixão por esse filme… Becky é amor, né? Também amo a cena do banquete das meninas… Lindo, lindo, lindo… Zilhões de smacks…

    [Reply]