Posts de October de 2016

Vídeo-Tag: Halloween

Em 31.10.2016   Arquivado em Memes e Tags, Vídeos

A primeira festa de Halloween que fui na vida foi aos 12 anos, na minha casa mesmo. Minha mãe dava aula de inglês e a turma infantil dela, que tinha crianças entre 6 e 8 anos principalmente, ficou MUITO empolgada com a ideia, então colocamos em prática. Eu, já muito alucinadinha por Harry Potter mas numa época em que a gente ainda não se vestia como os personagens, fui de bruxa, toda empolgada com a ocasião… Afinal de contas eu sentia que estava comemorando “meu dia” e tals, em alto estilo com a criançada se divertindo horrores. Queria tanto ter achado as fotos pra mostrar pra vocês, foi muito bacana mesmo, rolou até decoração temática e tudo mais…

Até hoje eu adoro essa data, então quando vi no canal da Karol Pinheiro a Tag Halloween TIVE que vir dar um “Hello, hello” respondendo ela também! São 13 perguntinhas, um número altamente apropriado, e no final juro que fiquei pensando COMO É POSSÍVEL uma pessoa ser corajosa o suficiente pra dormir em casas mal assombradas e ir a cemitérios a noite, mas morrer de medo de filminho de terror (morro mesmo, socorro)! Além disso amei o resultado final da edição, então valeu mais a pena ainda.

Perguntas:
01. O que você não gostaria de encontrar a noite numa floresta?
02. Qual seu monstro ou vilão favorito?
03. Qual foi a coisa mais assustadora que aconteceu com você quando estava sozinha?
04. Se te desafiarem a dormir numa casa mal assombrada, você toparia?
05. Você é supersticiosa?
06. Você acredita em universos paralelos?
07. Você se assusta facilmente?
08. Você iria a um cemitério a noite?
09. Você prefere ir a uma festa de Halloween vestida de monstro ou com uma fantasia bonitinha?
10. Em um filme de terror você é a que morre primeiro, a sobrevivente ou a assassina?
11. Com quantos anos assistiu seu primeiro filme de terror?
12. Qual foi a primeira fantasia de Halloween que você usou na vida?
13. Se pudesse ter um animal de estimação de Halloween, qual seria? (Um gato preto? Uma coruja? Um morcego? Um lobo?)

E vocês, comemoraram o dia das bruxas esse ano? Com que fantasia? Eu não pude fazer o repeteco da minha Branca de Neve Dark do ano passado, mas tem o look AQUI e a foto maravilhosa que minha irmã tirou aí em baixo:

Snow White

Demi no Miss Blythe Brasil 2016

Em 27.10.2016   Arquivado em Dolls

Entre 2008 e 2011 o Blythe.com.br promoveu através do Flickr o “Miss Blythe Brasil”: concurso de miss para bonecas, e funcionava que nem o “de gente” mesmo, cada participante deveria cumprir etapas semanais através de fotos para, no fim, a favorita levar a “coroa”. Eu participei na categoria Pullip & Família Groove em 2010 com a Kim (até postei tudo aqui) e em 2011 com a Mimia e a Joanne, e depois disso rolou um longo hiatus até que esse ano uma nova equipe resolveu “ressuscitar” a ideia e promoveu uma nova edição, dessa vez via Facebook. E como eu acho mega divertido tudo isso entrei mais uma vez com a mais carismática das minhas bonecas, a Demi. Eu não tinha esperança nenhuma de ganhar porque as Byuls não são tão queridas assim, mas queria “brincar” de qualquer jeito e falei com as amigas “Do jeito que a Demi é, capaz de ela ser Miss Simpatia, isso sim”, E NÃO É QUE FOI MESMO? O resultado saiu no início do mês e foi oficializado na BlytheCon BH que aconteceu dia 15, fiquei tão feliz, minha pequerrucha merece! E já que é assim ela merece também um post especial mostrando cada fase da sua participação azulzinha!

01) Apresentação

A foto de apresentação não vale ponto, mas é obrigatória de qualquer forma, e cada ano tem um tema diferente. Dessa vez foi Natureza, então aproveitei o dia que fomos fotografar as dolls no Parque Mangabeiras para fazer essa da Demi com parte do outfit original dela, toda de elefantinha! Gostei do local que escolhi porque se forçar muito a barra rola de fingir que é um savana africana e tudo mais!

Demi no Miss Blythe Brasil 2016

02) Traje Típico

A primeira etapa que valia ponto era o traje típico e eu fiquei PIRADA porque não fazia ideia de que roupa escolheria. Todas as minhas dolls têm nacionalidade e a Demizinha é alemã, mas não tinha nada legal por aqui do país dela, até que depois da manifestação de 7 de setembro tive o insight de colocá-la representando a galera que foi às ruas pedir “Diretas Já” aqui no Brasil mesmo! As cores ficaram incríveis com o cabelo dela e ainda consegui levantar um tema sério, fiquei toda feliz! (Desculpem uma foto em pé no meio de todas as outras deitadas, mas infelizmente se cortasse não ia ficar tão legal.)

Demi no Miss Blythe Brasil 2016

03) Traje de Banho

Um maiô emprestado (obrigada, Lili!), algodãozinho na barriga pra ficar gordinha, picolé pra dar aquela refrescada e… Boias improvisadas do Dumbo! Eu fiz elas com algodão e decotape, uma ideia que até já tinha colocado em prática a um tempo atrás, acho que fica tão bonitinho! Todo um jeitinho de criança que ainda não sabe nadar, hahaha!

Demi no Miss Blythe Brasil 2016

04) Aptidão

Outra que eu não fazia IDEIA do que fazer quando me inscrevi foi a aptidão, até cogitei colocar ela de cantora por causa do nome mas não achei uma ideia tão legal. E depois pensei que a característica principal da Demi é e sempre foi comer, ela nunca está sem um pirulito ou algum docinho nas fotos, então taí, não podia ser melhor! De início ia rolar só o sanduíche e um suco ao lado, mas na hora fui empolgando e colocando mais e mais comida na mesa… A única parte triste é que no celular a foto parecia estar linda, mas jogando pro computador ficou MUITO RUIM… Bom, o que vale é a intenção!

Demi no Miss Blythe Brasil 2016

05) Carisma e Inteligência

O “carisma” mostrando como ela é pela foto, a “inteligência” respondendo perguntinhas que nos foram enviadas por e-mail… Então é isso aí, mais Dumbo, mais roupa azul (ela SEMPRE usa essa cor), mais pirulito e as respostas estão AQUI!

Demi no Miss Blythe Brasil 2016

06) Traje de Gala

Fechando lindamente com a roupa mais importante de todas: o traje de miss! Pra esse eu tinha várias ideias que não consegui executar, fui adiando, enrolando, deixando pra última hora… Literalmente, a foto foi tirada na data limite à noite! No fim das contas resolvi aderir a essa vibe meio “Elsa”, mas a roupa da minha boneca dela fica GIGANTE pra Demi, então peguei uma emprestada com minha irmã pra substituir. Na hora não gostei muito, enviei meio contra gosto, mas depois quando vi ela impressa no porta retratos que ela ganhou por ser Miss Simpatia (que é da dor dos cabelos dela!) passei a amar, ficou muito fofufinha!

Demi no Miss Blythe Brasil 2016

Agora tenho até agosto pra decidir quem será a participante do ano que vem, hahaha! E aí, o que vocês acharam da participação da Miss Demi? Qual foi a foto que mais gostaram? Me conta!

Amor na Primavera

Em 24.10.2016   Arquivado em Escrevendo

Amor na Primavera
Eros e Psiquê, de Antonio Canova, via Italianarte

Paris, era primavera e o amor estava no ar. Cristiane caminhava pelo parque comendo cerejas. Como a garota amava essas frutinhas! Todo dia comprava sacos e mais sacos delas. Olhando para o relógio percebeu que deveria correr, pois se demorasse não chegaria na faculdade a tempo.

Chegando lá, encontrou Renato. Seu coração bateu mais forte de modo que nem as cerejas, nem o curso de Belas Artes eram capazes de fazê-lo bater. O rapaz sorriu para ela e, de mãos dadas, foram estudar. E passaram a tarde se olhando, namorando e se beijando.

Na volta para casa, Cristiane decidiu escrever um poema sobre amor. Sobre seu amor. Sobre amor visto como oxigênio, como o amor visto em obras camonianas. Começou, escreveu, corrigiu, leu, releu e aprovou. Convidou Renato para jantar, e durante a noite lhe mostrou seu texto, tão bem escrito. Renato, emocionado, pediu a garota em casamento, decisão tomada semanas antes. Feliz, ela aceitou. Satisfeito, ele a beijou.

Anos se passaram. Renato e Cristiane continuam juntos. Continuam amando belas artes e cerejas. Continuam se amando, tão fortemente como nas obras camonianas.

Esse texto foi escrito por mim numa prova de redação no 1º ano do Ensino Médio, em agosto de 2005, e as exigências eram que fosse na terceira pessoa e retratassem o amor da forma que era apresentado em alguns do exemplos dados, entre eles a foto da mesma escultura usada para ilustrar o post e um poema de Camões. De tudo o que já escrevi no colégio ele foi meu favorito e minha mãe o encontrou semana retrasada, mas quando fui ler fiquei MUITO decepcionada. Não tinha nem um pingo da genialidade que eu estava esperando, discordei várias vezes da pontuação, da escolha de nomes, do título, foi bem triste.

Depois fiquei mais triste ainda com minha decepção. Percebi que era ÓBVIO que eu não ia gostar de algo que produzi a mais de uma década atrás, que isso é bom porque representa que evoluí, é claro. Percebi que eu não sou ninguém para julgar as palavras de uma garota de 15 anos e muito menos para esperar dela feitos acima do padrão. Aliás, essa mesma garota tirou total na prova e emocionou muitas de suas amigas na época, então tenho é que ficar orgulhosa do seu extraordinário trabalho ordinário! E quem sabe daqui a um tempo, com mais evolução ainda, Cristiane e Renato não acabam se tornando personagens em uma nova história? Veremos…

Lookbook: Miss Daisy

Em 21.10.2016   Arquivado em Moda

Se preparem para dar um “OI!” para o look mais lindo postado na história desse blog… No sábado passado, dia 15, rolou a BlytheCon Brasil 2016 e a sede desse ano era Belo Horizonte! Esse foi o primeiro evento de colecionadores de boneca que fui na vida e desde que anunciaram que seria aqui entrei pra comissão organizadora, então ter visto que foi um sucesso no final foi gostoso como bonequeira, belorizontina e uma das pessoas que ajudou um pouquinho a acontecer. E aí nós decidimos que, para não precisar usar uniforme, padronizaríamos nossas roupas usando as cores do evento, assim cada uma se vestiria ao seu modo já que todas temos gostos, corpos e alturas bem diferentes. Um belo dia entrando na Forever 21 dei de cara com esse macaquinho MAIS LINDO DO PLANETA, com margaridas que são minhas flores favoritas e o melhor: azul marinho, que era uma das nossas exigências. Para o vermelho já tinha sapato e óculos, pronto, não precisava de mais nada! Ai, tô apaixonada, além de super fresquinho ele ainda tem um “amarradinho” nas costas que deixa o caimento mais bonito ainda, roupa favorita do ano.

A única parte triste é que eu não consegui fazer essas fotos no dia mesmo porque tava muito corrido, mas queria que vocês tivessem visto como REALMENTE estava minha maquiagem… Quem fez ela pra mim com direito a delineado profissa e cílios postiços foi a Ju, que é maquiadora e também da comissão, ficou tão incrível que me perguntaram se eu tinha “saído da caixa”, o que num evento de bonecas é um baita elogio, hahaha! Mas tudo bem, tudo certo, reproduzi mais ou menos como tava dentro das minhas limitações e é isso aí! O batom é, e eu nem preciso falar porque vocês sabem que sou LOUCA por ele, o Mrs. Mia Wallace, da Urban Decay.

Descrição das peças no Lookbook!

Um detalhe LINDO que nós da comissão tivemos (e por isso essa foto meio de costas tirando o cabelão da frente) foram esses “pull rings humanos” temáticos de Minas Gerais. Pra quem não sabe a Blythe troca os olhos puxando cordinhas assim nas costas, e aí a Rita da lojinha Sonho da Boneca fez pra gente esses de triângulo da bandeira e passarinho do Portinari, que eram os ícones usados na nossa mascote. Muito amor, né? E ela ainda fez os no tamanho mini também pra usarmos nas dolls, que eu tô pensando seriamente em transformar em colar!

Miss Daisy

Miss Daisy

Agora vamos para a tragicomédia do dia… Faltando menos de dois meses para o evento nós decidimos que teríamos balões em forma de letras formando as palavras “BLYTHECON”, então eu já falei “Quando acabar o ‘L’ é meu!”, e aí planejei que ele apareceria nas fotos do look, tava tudo no esquema. No dia ele ficou super cheio e ficava todo mundo de olho pra nada de mal acontecer ao meu bebê, então é LÓGICO que na hora que eu estava indo embora, quase entrando no carro, ele desamarrou da minha bolsa e saiu voando antes que qualquer pessoa conseguisse agarrá-lo… Sim, foi triste, mas depois que passou ficou tudo muito engraçado. A sorte é que rolou esse registro antes de nós dois abraçados nos amando, então já valeu a pena!

Miss Daisy

A maioria das fotos desse post foram feitas por mim no dia 16, exceto a penúltima que foi pela Carol Rabelo, fotógrafa do evento (e tô apaixonada pela minha cintura nela, confesso), e a última pela Claudia Couto, uma das colecionadoras, ambas durante o dia 15.

Cada macaco no seu galho

Em 18.10.2016   Arquivado em Moda, Vídeos

Toda transição, por melhor ou mais comum que seja, deixa marcas na nossa vida, e o período escolar não poderia ser diferente. Na Educação Infantil entramos praticamente bebês para iniciar o processo de socialização, passamos para o Ensino Fundamental onde somos crianças que aprendem coisas diferentes todos os dias, aí vem o Ensino Médio cheio de seus adolescentes que aprofundam ao máximo o que foi dado antes até, enfim, ir para faculdade mergulhar de vez na vida adulta. Eu senti MUITO essas transformações, lembro direitinho de cada uma delas, de como eu só tinha dois cadernos no terceiro período (e de tarefa e o de atividade) e na primeira série passei a ter um para cada matéria, de como deixei de ser uma simples estudante e virei vestibulando ao terminar a 8ª e ir para o primeiro ano… Lembro TANTO de como foi difícil ter entrado na faculdade tão novinha e descobrir sozinha que meus trabalhos deveriam ter cabeçalho e ser digitados, que não tinha mais uniforme e eu teria que escolher o que vestir de manhã… Mas ainda assim o mais marcante de abrupto de todos foi um “meio do caminho”, da 4ª para a 5ª série, porque aquilo definiu de vez que eu não era mais criança, era uma pré-adolescente mesmo não querendo entrar nessa fase nova e continuar amando minhas Barbies ao invés de decidir quem era o cara mais bonito do colégio.

É impressionante como adolescer é um verbo que vem cheio de regras, né? Mesmo se eu passasse o fim de semana inteiro brincando com a minha irmã ou até com as amigas, não poderia deixar ninguém saber de uma “infantilidade” daquelas (e vejam só, eu “brincando” de boneca até hoje!). No natal ganhei um fichário de um personagem que não gostava tanto, mas usei mesmo assim porque ninguém usava caderno mais. E a mochila de rodinhas então? Em menos de uma semana eu puxei pra fora as alças dela e passei a usá-la nas costas porque era coisa de criança! E ainda assim ela continuava não sendo o ideal porque, ah, o real símbolo de maturidade naquela escola era ter uma mochila da Kipling! As meninas mais legais tinham não só isso, mas também estojo e bolsa para sair, e SEMPRE que alguém ganhava uma rolava alvoroço, era algo que não deixavam passar. Não podemos esquecer do também o lado “do contra”, uma das minhas amigas até tinha uma, mas deixava em casa para viajar e coisas do tipo, só para não aderir à “moda”. Eu confesso que não dava muita bola pra isso até completar 12 anos quando ganhei não só uma, mas DUAS delas.

Antes do dia certo minha mãe veio me contar da primeira que meu padrinho e “padrinha” (que é como chamo a minha tia esposa dele) me dariam uma, na época eu morava em Timóteo e assim que viemos passar uns dias em Belo Horizonte e recebi aquela beleza alaranjadinha fiquei tão feliz que até queria que as férias acabassem logo pra poder usar, mas isso nunca aconteceu porque logo em seguida minha madrinha me deu uma também de aniversário (essa de surpresa), que foi a que virou minha escudeira inseparável. Aquela transversal vermelhona suportou não só livros e cadernos, mas mudança de cidade, excursões, noites passadas na casa de amigas. Hoje eu ainda tenho ambas, tão usadas que nem se lavar mil vezes dá pra achar a cor original, mas ainda em PERFEITO estado prontas pra todas as ocasiões! Elas seguem pelo Fundamental, Médio, UFMG e vida afora, ganhando cada mais mais companheiras da marca, parecendo galhos coloridos onde meus macaquinhos vão se pendurando por aí. E dando uma olhada no Lookbook descobri que eu realmente sou apaixonada pelas danadas das bolsas, porque elas são SEMPRE lá! Dá uma olhada só nisso:

Selecao Kipling

Selecao Kipling

Selecao Kipling

E isso é só uma seleção entre outros que aparecem aqui e ali enquanto vamos descendo a página, o melhor é que foi tudo se adaptando às minhas necessidades, o que antes era material de estudo hoje é de dia a dia, as bolsas da categoria Everyday se encaixam em todos esses momentos, é só procurar a sua na loja virtual! Já se passaram 14 anos desde que Blake, meu primeiro macaco, chegou e tá todo mundo aqui firme e forte formando uma família, é o tipo de coisa que se compra (ou dá de presente!) pra durar a vida toda!

E que venham muitas outras!

Página 1 de 212